Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…

“O sociólogo Luís Machado, exibiu, numa amostragem de 361 jovens “portugueses-cabo-verdianos” entre os 15 e os 29 anos, que há descendentes de imigrantes já em todos os níveis de ensino. 60 por cento nasceram em Portugal e têm nacionalidade portuguesa. E como se sentem eles? Onde pertencem? O estudo do ISCTE revela: sentem-se primeiro “mais cabo-verdianos”, depois “africanos”, a seguir “portugueses” e no fim “europeus”.

“(…) O Encontro que reuniu em Lisboa uma centena de descendentes da diáspora, diria que mais cabo-verdianos portugueses, com salpicos holandeses, franceses, luxemburgueses, norte-americanos e italianos. Foi um palco de “comunicações de doutores” e de espelho de “brilhos” uns dos outros.”

“(…) Os desabafos foram muitos: deselegâncias, descriminação, secundarização, dificuldades de aprendizagem do português, burocracias, mas também relatos de escolas onde há dezenas de nacionalidades e onde 70% dos alunos são de origem cabo-verdiana. “Há lusos (autóctones) que já falam crioulo”, disse Elizabete Ramos.”

“(…) Foram relatos de angústias, comuns aos povos que circulam entre territórios de culturas diferentes, numa sociedade global multicultural. Por isso começa a evidenciar-se a necessidade de uma evolução para um patamar de cidadania, para além das raças e cores, cimentada em direitos e deveres iguais, para que os seres humanos vivam com dignidade. Em Portugal fica o repto: É preciso educar os portugueses e perguntar o que pensam e como aceitam os “Outros”. É um estudo por fazer.” – in A Semana online, por Otília Leitão.

Apenas uma questão: Quando a Otília Leitão diz que é preciso educar os portugueses, inclui os cabo-verdianos de nacionalidade portuguesa? Ou são só os portugueses brancos que precisam de ser educados? Já repararam nesta nova terminologia aplicada ao povo português – os “lusos (autóctones)” ?!?!?!?!?!?!

257 respostas a Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…

  1. The Studio diz:

    Por acaso pensei que os afro-portugueses se sentissem mais Ingleses. Na minha rua vivem uns quantos e quando foi o desempate por penaltis no Inglaterra-Portugal do último mundial, eles vinham para as janelas celebrar os golos de Inglaterra.

  2. Dr diz:

    lusos autoctones lol
    portugal nao é um pais so de lusos mas um pais de lusos, galegos, algarvios e agora tambem de imigrantes

  3. zebone diz:

    Continuas a mandar ‘tiros no alvo errado’.
    O problema não está nos alienígenas… mas sim… no PARASITA BRANCO que pretende andar na Curtição-Parasita… ou seja:
    -1- Pretende andar no Planeta a curtir mão-de-obra servil imigrante ao ‘preço da chuva’…
    -2- Pretende andar no Planeta a curtir a existência de alguém que pague as Pensões de Reforma [apesar de... nem sequer constituírem uma Sociedade aonde se procede à Renovação Demográfica!!!]

    SEPARATISMO ÉTNICO AUTÓCTONE JÁ!

  4. Antonio Marcelo diz:

    Todos estes luso-africanos têm um denominador comum. São pretogueses.

  5. Um facto me parece claro: por mais nacionalidade que se tenha (e agora tem-se com mais facilidade) isso não quer dizer que se seja português…

  6. Como diz o Caturo “um cão pode nascer num estábulo, mas isso não faz dele um cavalo”, portanto, é perfeitamente natural que os cabo-verdianos, mesmo que nascidos em Portugal, se sintam primeiramente e acima de tudo cabo-verdianos, para grande desgosto e desilusão dos prosélitos do multiculturalismo.

    Além do mais, esses cabo-verdianos, à semelhança dos angolanos, moçambicanos e demais alógenos, sentem um tremendo ressentimento para com Portugal, quiçá resultado de um congénito sentimento de inferioridade (o qual transformou estes povos extremamente agressivos), comportando-se como colonizadores (aliás, quem não ouviu vindo da boca dessa gente palavras tais como; “Colonizaram-nos durante 500 anos, agora chegou a vossa vez!” ou “Vamos fazer tantos filhos que vocês serão os nossos escravos!”, entre outras brilhantes tiradas de puro ódio anti-branco, e por conseguinte, anti-português).

    O multiculturalismo é uma falácia, é o sistema de matar os povos, já que assenta no primado economicista da direita e no cálculo eleitoralista e nos postulados anti-nacionais (internacionalismo/universalismo) da esquerda, na sua demanda pelo proletariado perdido.

    O multiculturalismo não resulta, a homogeneidade sim, basta reparar em sociedades como a islandesa ou japonesa.

  7. Vera diz:

    Lol…sentem-se europeus… Conforme o subsídio!

  8. eu nasci em angola e sou de raiz portuguesa branca. na minha opiniao sou muito mais portugues que os negros que nascem em portugal. com essa politica toda as pessoas acabaram por se esquecer o que é ser portugues. ser portugues e ter sangue portugues, o resto sao estrangeiros nascidos no pais.

  9. Pedro diz:

    Quem diz CV diz tudo o resto aquilo que chegas de África, e mais recentemente, Brasil.A lealdade deles não é para com Portugal, é para com os interesses dos seus países de origem.

    A criminalidade grupal africana, é apenas a ponta do icebergue da hostilidade para com Portugal e os portugueses. Estes tais de estudantes africanos a estudarem em Portugal, funcionam como uma massa de doutrinados para reivindicarem ainda mais privilégios para os grupos étnicos e os países de origem a que pertencem, contribuindo para a desagregação da Nação portuguesa.

    Já o sitio do SIS designava a população africana que proliferava nos bairros degradados da zona da Grande Lisboa,uma ameaça à segurança nacional em caso de disputas com as antigas colónias africanas, questionando a lealdade desses africanos a Portugal. Estes africanos com licenciaturas e inseridos nas empresas e nas Organizações nacionais, terão em caso de conflitos, mais recursos para sabotar a economia e as estruturas nacionais em beneficio dos interesses dos países de origem.

    É a balcanização da sociedade civil portuguesa, financiada pelos portugueses em detrimento dos filhos dos portugueses.

  10. Pedro diz:

    ? Já repararam nesta nova terminologia aplicada ao povo português – os “lusos (autóctones)” ?!?!?!?!?!?!
    Até já ouvi – indígenas-, revela o espírito dos afro-europeus, como também começam a chamar-se a eles mesmos.

  11. Pedro diz:

    (…) O Encontro que reuniu em Lisboa uma centena de descendentes da diáspora, diria que mais cabo-verdianos portugueses, com salpicos holandeses, franceses, luxemburgueses, norte-americanos e italianos. Foi um palco de “comunicações de doutores” e de espelho de “brilhos” uns dos outros.”

    i.e. eles vão para onde lhes for mais conveniente. No entanto ainda persistem na sociedade portuguesa sectores que nos querem associar inexoravelmente a esta gente, como se eles nos adorassem mais que tudo o resto e, como se nós, os portugueses, tivéssemos uma divida eterna para com esta gente.

  12. Vera diz:

    “eu nasci em angola e sou de raiz portuguesa branca. na minha opiniao sou muito mais portugues que os negros que nascem em portugal. com essa politica toda as pessoas acabaram por se esquecer o que é ser portugues. ser portugues e ter sangue portugues, o resto sao estrangeiros nascidos no pais. ”

    E como tu há milhares de Portugueses assim. A minha ~mãe nasceu em Lourenço Marques (Moçambique), o meu pai em Goa..muitos outros portugueses, na casa dos 45/50 também nasceram em Angola, na Guiné, em Macau, em Timor… Apenas eram filhos de militares ou qualquer outro tipo de deslocados durante a Guerra Colonial… Todos eles brancos, completamente portugueses..assim como os filhos que nasceram lá..e acabaram por regressar dps do 25 de Abril. A maioria nem dupla nacionalidade tem, obviamente… Nasceram fora mas são portugueses!

  13. Este mentecapto só podia ser do ISCTE, essa fábrica de “doutores” em sociologia e antropologiapró-multiculturalismo, os tais que compram os “compadres” das comissões de avaliação dos cursos de sociologia, os tais que dizem que a imigração para a Europa não está descontrolada nem nada, assim pérolas destas…
    Mais uma besta do eixo ISCTE/FCSH a armar aos cucos com a destruição de Portugal.
    Temos uma lei da Nacionalidade que é tudo menos isso, mais uma farsa à la Française de “ius soli”. Para mim, nunca serão Europeus, muito menos Portugueses, qualquer coisa em contrário disto é uma tentativa afirmada de destruição da nossa identidade política, racial, étnica e cultural.
    Os únicos Portugueses não-brancos na minha opinião são aqueles que nasceram ainda nos tempos do Império e/ou que combateram e trabalharam para que este país continuasse a sê-lo fora da Europa: combatentes pelas nossas Forças Armadas e trabalhadores da antiga Administração Pública ultramarina, que não queriam ser “dos novos países” e vieram para Portugal de 1975 em diante. MAIS NINGUÉM.
    Quanto aos Portugueses nativos (brancos) que falam crioulo (porque é giro e “cool”) e constituem família com não-Europeus ou contraem matrimónio com Paquistaneses porque dá uns trocos jeitosos, para mim não passam de dejectos da sociedade, fracos de cabeça e traidores a séculos de estabilidade étnica e cultural, bem como à sua família e aos seus antepassados, basicamente gente da mesma laia dos miscigenadores que tanta asneira fizeram aquando das Descobertas.
    Os meus parabéns ao autor deste blog, vai já constar na lista de ligações do meu fotolog.

  14. Portugal continuará a ser Portugal se a maioria da população for negra?

  15. Nasceu um novo espaco de amizades e encontros, com videochat, mapas, blogs, albuns de fotos, videoteca, música e noticias sobre Africa! http://www.africamente.com

  16. WSA diz:

    Vamos entender uma coisa: A insurgência de outros povos contra a nacionalidade portuguesa, principalmente de negros é algo justificável pelo passado da nação portuguesa, o fato negativo é que depois da exploração de seres humanos e recursos naturais de terras que originalmente não pertenciam aos portugueses o povo ainda sinta um grau exacerbado de rejeição ao povo que historicamente foi vilipendiado, relevado a segundo plano e tratados como animais.

    Queiram ou não os portugueses como os alemães possuem uma dívida com a humanidade, principalmente por se tratar de passado mais recente. A impressão que se passa no mundo é que os alemães se dão muito melhor com este arrependimento que os portugueses que me mostram através deste site, o ódio a quem deveriam agradar e a quem deveriam pedir desculpas para que os outros povos venham a entender que o português nascido hoje não tem nenhuma ligação com o povo português de 500 anos atrás, o fato é que ao invés de se provar isto, se prova o contrário de que séculos de exploração de outros povos não passa pela reflexão individual, parece que não se reconhece o erro dos antepassados e continuam tentando determinar uma posição inferior a povos que em épocas anteriores já foram subestimados, enganados e humilhados.

    Se entender de outra nacionalidade pode ser que tenha uma ligação ao fato de se sentirem estrangeiros em uma terra que supostamente seria também de quem nasceu nela, mas que pela história e pelas questões sociais, rejeita a quem deveria acolher.

    Entendo que Portugal deveria se redimir dos erros do passado, entendo principalmente que a cor da pela não faz diferença e que Portugal não é composto de negros e brancos, é principalmente composto de seres humanos que acima de tudo devem ser respeitados.

    Embora seja igualmente repudiável, é muito mais fácil entender o preconceito do povo oprimido do que do povo opressor, então, cabe ao homem branco Português estender a mão aos povos que o enriqueceram no passado, até que o passado seja simplesmente esquecido e que portugueses pertencentes a qualquer cor, raça, credo e situação social se sintam orgulhosos de serem portugueses, mas isto nunca será atingido com o separatismo ou com o pensamento obtuso de que os portugueses estão fazendo algum favor a outros povos, para dizer a verdade não estão sequer perto de resgatar o estigma que o povo português antigo adquiriu no passado. Deixem que as pessoas tenham a nacionalidade na qual se sintam melhores e que se identifiquem, ninguém é obrigado a ser o que não quer ser, no entanto, para o meu entendimento, quem nasce em Portugal é português, não importa a origem, quem nasce em qualquer país na África é africano, não importa a origem, mas de qualquer maneira todos nós vivemos no mesmo planeta terra, não importa a origem.

    Cada Português branco recebeu uma herança, o que tem a fazer é rejeitar esta herança e se mostrar que é diferente dos povos do passado, não existe nenhuma justificativa em não aceitar o orgulho de quem foi humilhado e nem em tentar humilhar mais ainda, pois isto decreta de vez que as atitudes do passado não foram corrigidas e de que realmente existe justificativa para a rejeição da nacionalidade portuguesa.

  17. Vera diz:

    Até dá vómitos…

  18. piloto diz:

    MISTER WSA quer falar do passado?É melhor ñ, eu só le digo isto eles expulsaram-nos delá começando por a pior maneira estou a falar dos massacres do norte de angola e ñ só,e agora vocês vêm com aguas mansas?A minha opinião é a de muitos ,deviamos expulsa-los a eles como eles fizeram aos nossos, mas por vosso lado até devia-mos lhe lanber o cu,vocês sãos uns ipocritas ,porcos e traidores a PATRIA a historia hade-vos prestar contas quando essa gentalha vos asfixiar e queimar os vossos bens como em França,seja honesto consigo proprio e lute por uma causa justa porque há zonas de PORTUGAL que ja nem a policia entra , va falar com as familias dos policias mortos a cerca dos pobres coitados dos africanos e brazucasvossa excelencia É UM COVARDE!!!!!!

    • portuguesa diz:

      mas nao esquecem que voces portuguese que descobriram
      cabo verde e nos colonizou ! e sim na minha ipniao nos cabo verdianos somos muitos mais raizes portuguesas que voces ai nao vemos das raiaze dos que foram veradeiros portugueses nao voces ai porque portuguese agora ja nao existe ! voces sao uns grandes racista graca a nos os cabo verdianos que o portugal ainda nao foi para a falencia pensam nisso tbm e se a bairo que a policia que nao entram nao esquecem que a mais portugueses a fazer isso e nos se fizemos isso temos as nossas rezoes

  19. Caturo diz:

    Queiram ou não os portugueses como os alemães possuem uma dívida com a humanidade,

    Era o que faltava. Os Portugueses não têm dívida absoluta e rigorosamente nenhuma para com a «humanidade». O mesmo se passa com os Alemães e com todos os outros povos Europeus.

    E não têm porque, em primeiro lugar, os filhos não são culpados pelos supostos crimes dos pais.

    Mas, se devesse haver responsabilizações históricas, então ao lado das culpas também haveria lugar para agradecimentos – e os Africanos estariam eternamente em dívida para com os Europeus, incluindo os Portugueses, porque foram os Europeus, incluindo os Portugueses, quem acabou com a escravatura, por decisão unilateral.

    A impressão que se passa no mundo é que os alemães se dão muito melhor com este arrependimento

    Os Alemães não se dão nada bem com tal arrependimento, que lhes é impingido pela lavagem cerebral anti-racista. Os Alemães vivem divididos e complexados. Mas alguns atrevem-se já a levantar a cabeça e a recuperar o seu antigo e devido orgulho germânico. Por este motivo, o Nacionalismo alastra na Alemanha, por mais que o regime anti-racista se esforce para contrariar tal retorno à glorificação teutónica.

    o ódio a quem deveriam agradar e a quem deveriam pedir desculpas

    Acima de tudo, o NOJO, o REVOLTANTE E ABSOLUTO NOJO contra quem se atreva sequer a insinuar que os Portugueses devem pedir desculpa seja a quem for.
    Num regime nacionalista a sério, quem tivesse atitudes dessas seria convidado publicamente a abandonar o País.

    para que os outros povos venham a entender que o português nascido hoje não tem nenhuma ligação com o povo português de 500 anos atrás,

    O português nascido hoje tem a ligação essencial com o Povo Português nascido há quinhentos ou há novecentos anos – a ligação da raça, da etnia, da língua. O Império foi uma fase, um episódio da História Pátria. Portugal nunca se resumiu a isso.

    Se entender de outra nacionalidade pode ser que tenha uma ligação ao fato de se sentirem estrangeiros em uma terra que supostamente seria também de quem nasceu nela,

    Não, a terra não é, nunca foi e jamais, absoluta e totalmente jamais deverá ser de todos os que nela nascem. A terra pertence apenas, rigorosa e exclusivamente aos filhos dos donos da terra – é o direito de sangue que deve vigorar em absolutamente todos os casos, nunca o direito de solo.
    Quer isto dizer que só os Portugueses podem ser donos de Portugal. E os Portugueses são um povo de raça branca e raiz indo-europeia.

    Entendo que Portugal deveria se redimir dos erros do passado,

    Não é um brasileiro que nos vem dar lições, isso então era o cúmulo do ultraje.

    entendo principalmente que a cor da pela não faz diferença e que Portugal não é composto de negros e brancos, é principalmente composto de seres humanos

    Não há «seres humanos simplesmente humanos». Não há. Todo o ser humano tem à partida uma identidade racial. E Portugal é uma nação branca ariana ou então nem sequer existe.

    Embora seja igualmente repudiável, é muito mais fácil entender o preconceito do povo oprimido do que do povo opressor, então, cabe ao homem branco Português estender a mão aos povos que o enriqueceram no passado,

    Os Africanos não enriqueceram coisíssima nenhuma. Foram os Portugueses que fizeram a África civilizada. Quando os Portugueses lá chegaram, só havia palhotas. As ruas, as casas, os esgotos, a electricidade, as escolas, as fábricas, o direito, a medicina ocidental, tudo isso e muito mais foi introduzido pelos Portugueses e outros povos europeus.

    o pensamento obtuso de que os portugueses estão fazendo algum favor a outros povos, para dizer a verdade não estão sequer perto de resgatar o estigma

    A única coisa a fazer em relação a esse estigma é pura e simplesmente desprezá-lo com toda a força que for possível. E, duma vez por todas, cortar por completo os laços com quem nutre esse «estigma» contra os Portugueses.
    De facto, Portugal não precisa de África nem de Áfricanos, nem sequer precisa de Brasileiros rancorosos para coisíssima nenhuma. O futuro de Portugal é na Europa. O futuro de todos os Europeus é na Europa.

    Deixem que as pessoas tenham a nacionalidade na qual se sintam melhores

    Não, não deixamos. Mas é que não deixamos mesmo.
    Não é português quem quer. É português quem pode.
    E só os brancos podem ser portugueses.

    ninguém é obrigado a ser o que não quer ser,

    Acima de tudo, ninguém é obrigado a aceitar em sua casa quem nela quiser entrar.

    de qualquer maneira todos nós vivemos no mesmo planeta terra, não importa a origem.

    Importa a origem importa. Importa sempre. A Terra não é de todos por igual. A Terra está dividida e sempre esteve.
    E ainda bem que assim é. Viva a diferença, viva a existência das fronteiras. Que a sua inviolabilidade seja sempre sagrada.

  20. othelo diz:

    Tenho sérias dúvidas de que a maioria dos portugueses não seria considerada tão “ariana” assim pelos nórdicos. Se um portugues típico, dólico-moreno, um argelino, ou um tunisiano forem à Suécia ou Dinamarca e ficarem de boca fechada, eles não saberiam distinguir uns dos outros. Como podem esquecer que largos trechos da península foram “alagadas” por povos do norte da África! Que mouros, em latim, significa escuro! Que os berberes, são o resultado da miscigenação de negros com semitas! Que os árabes eram uma minoritária casta dirigente quando da invasão da península, sendo que os mouros formaram o”grosso” do contingente que invadiu Portugal e Espanha, e misturou-se com a população, formando os moçárabes! Que Portugal está muito mais próximo do norte da África que da Escandinávia, geográfica e racialmente! Que os louros são minoria em Portugal! Que a população autóctone da península, antes da chegada dos indo-europeus (celtas), é da mesma “família” dos povos do norte da África! Esqueceram o passado étnico, indefinido entre África e Europa! Qualquer portugues típico passaria por marroquino, não tenho certeza se por polonês! Qualquer inglés, de boca fechada, passaria por portugués, mas a recíproca não é verdadeira!

  21. othelo diz:

    Quanto ao jus sanguinis, como ficaria o caso dos EUA, do Brasil e da Austrália! Quem seria americano seriam os navajos e apaches, os brasileiros seriam os tupis e xavantes e os australianos seriam os aborígenes!

  22. piloto diz:

    EU pergunto ao sr othelo então de donde vieram os Portugueses?
    E melhor você ir rever a historia etnica de PORTUGAL e depois responder ,os Portugueses vieram do norte de africa deixa-me rir,hahahahhahahahahahahahahahahahahaha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  23. WSA diz:

    Eu vejo que a emoção aqui não permite que as coisas sejam vistas com clareza, além disto o nível de ignorância também é alto, portanto, vou me ater a alguns pontos que eu considero que são enganos e falta de informação com relação à espécie humana.

    Não interessa se sua pele é branca, preta, parda, amarela, vermelha, azul, enfim não interessa sua cor da pele, todos nós somos descendentes de africanos, quando digo todos nós, estou me referindo a todos os seres humanos, e somos descendentes de africanos negros, não existe qualquer dúvida quanto a isto, a Paleontologia e a Antropologia já cansaram de provar isto, não é sequer questão de aceitar ou não, isto é fato, portanto qualquer questão relativa à formação do povo português ou de qualquer povo europeu ou de qualquer povo no mundo, passa primeiro pelo formação do primeiro povo a povoar este planeta, o povo negro africano.

    Nunca existiu, não existe e nunca existirá a raça Ariana, na verdade, nem sequer existem raças na espécie humana, não há como identificar raças, mesmo utilizando os mesmos parâmetros para identificar raças em outros animais, o projeto genoma não identificou genes raciais, o que difere as pessoas pela cor da pele, cor dos olhos, etc. na verdade são adaptações de genes que são encontrados em todos os seres humanos.

    Para uma referência mais completa sobre o tema de que não existem raças na espécie humana, visite o link abaixo:

    http://www.vermelho.org.br/museu/principios/anteriores.asp?edicao=79&cod_not=606

    Quem fala de sangue português, fala tolice, está cometendo uma bobagem enorme que é baseada em conceitos calcados em uma mente vazia sem conhecimentos, portanto, sem qualquer possibilidade de reflexão.

    Mais tarde eu volto ao tema para explicar o porque da posição dos portugueses neste site está completamente equivocada e de porque devem sim desculpas a todos os povos colonizados, explico também o porque não se deva agradecer a Portugal pelo fim da escravatura e porque os portugueses possuem sim uma herança que devem jogar fora.

    Gostaria de fazer um adendo: Não estou falando de todos os portugueses e sim somente dos portugueses que claramente se demonstram racistas.

    • portuguesa diz:

      muito bem aqui vemos um verdadeiro portugues racimos existe na cabeca de cada um na maioria dos portugueses ficaram com uma heranca de botar fora mesmo sao aqueles que nao conhecem os direitos humanos

  24. ATG diz:

    O grande problema de certas pessoas é que confundem raça com cultura, coisas diferentes.

  25. Senhor Ilustre, Nobre, Monárquio & Aristocrático diz:

    O wsa é o exemplo do brasileiro, se bem que ligeiramente mais refinado, com o complexo do coloizado e do espoliado que começam a assumir cada vez mais abertamente em Portugal, e a coberto de uma pretensa integração bem sucedida( não são criminosos já é suficiente) irão contribuir para atacar a nossa História a nossa Identidade e acicatar rancores e processos de vingança contra Portugal e os portugueses.

    O wsa com o Fernado Ká bem se podem juntar e fazer uma plataforma comum de ex colonizados e espoliados para exigirem tudo o que lhes passar pela cabeça, afinal, Portugal, a Europa, O Mundo deve-lhes tudo e dee-lhes facilitar a fuga daqueles caos em que se transformaram África e América Latina.

  26. Senhor Ilustre, Nobre, Monárquio & Aristocrático diz:

    wsa mais palavras para quê ?! é um colonizado rancoroso e complexado que deve ser mntido à distância. Nisto não restem dúvidas os brasileiros são muito mais recalcados e militantes da causa anti Portugal, anti História Portuguesa que os africanos. Os brasileiros há décadas que fazem o culto do complexo do colonizaado e do espoliado como forma de depurarem os seus insucessos enquanto país, enquanto povo, justificando com o período da colonização Portuguesa os seus fracassos. Em Portugal, estão a replicar o mesmo modelo arrastando para a sua trincheira os africanos com a crescente invasão de africanos e brasileiros temos entre nós um massa hostil e potencialmente conflituosa.

  27. Vera diz:

    Então vai às grandes Universidades mundiais dizer que não existem raças..porque pelo que vi têm diversas licenciaturas sobre o tema…

    WSA, e que tal meteres-te na vida do teu país? PAreces o funcionário público que se mete na vida do cidadão quando este entrega a declaração de rendimentos a zero…. Que praga! Sabes dizer tanta coisa bonita e nunca te ensinaram a boa educação de não ser intrometido e dar palpites sobre a vida dos outros?

    Se percebesses um bocadinho de história e diplomacia sabias que é a herança de Portugal que lhe dá respeito nas relações internacionais com países como a China, por exemplo. Olha, então agora chega aqui um brasuca impertinente e diz que o país com as fronteiras mais antigas da Europa, com 900 anos de história, a antiga Lusitânia, os descobridores.. têm que deitar a sua história fora para agradar aos negros? Tem juízo e não percas o teu tempo. Vai pregar para a província do nordeste, esses é que caiem na tua lenga-lenga!

    Olha, tivessem mandado os pretos morrer que nem tordos para provar que a Terra era redonda e os Oceanos interligados! Mandassem os negros descobrir o caminho marítimo para a Índia! Já agora, diz aos negros ricos para matarem a fome aos seus compatriotas!

    WSA, meterias nojo a qualquer português, não é só aos nacionalistas. Vem para cá dizer isso nos cafés que logo te dizem…

  28. Vera diz:

    Por essas e por outras é que muitos portugueses não vão à bola com os imigrantes brasileiros…caucasóides ou não, a doença patológica é quase sempre a mesma.

  29. Zé Carioca diz:

    Vocês já viram alguem dar tantos erro como este piloto? Vejam as “”:
    Um povo; Uma língua… Há Ucranianos a escrever melhor.
    MISTER WSA quer falar do passado?É melhor ñ, eu só “le” digo isto “e a vírgula” eles expulsaram-nos “delá” começando “por” a pior maneira ” e o ponto ” estou a falar dos massacres do norte de angola e ñ só,e agora vocês vêm com aguas mansas?A minha opinião é a de muitos ,deviamos expulsa-los “a eles” como eles fizeram aos nossos, mas por vosso lado até “devia-mos” lhe “lanber” o cu,vocês sãos uns “ipocritas” ,porcos e traidores a PATRIA a historia hade-vos prestar contas quando essa gentalha vos asfixiar e queimar os vossos bens como em França,seja honesto consigo proprio e lute por uma causa justa porque há zonas de PORTUGAL que ja nem a policia entra , va falar com as familias dos policias mortos a cerca dos pobres coitados dos africanos e brazucasvossa excelencia É UM COVARDE!!!!!!

  30. piloto diz:

    HALLO,HALLO o zé brazuca estamos na net erros é normal , mas para um bom entendedor basta ,erros de ortografia encontras em todo lado na net o palhaço,mas eu fico-lhe agradecido por me corregir.

  31. Vera diz:

    Já tu, carioca, limitas-te a falar dos outros.

  32. piloto diz:

    POIS ANTES PREFIRO UCRANIANOS QUE RANHOSOS COMO OS BRAZUCAS E TURRAS.

  33. piloto diz:

    O ZÉ CARIOCA estas em PORTUGAL? LEGAL ou ilegal.

  34. piloto diz:

    HIHIHIHIHIHIHIHAHAHAHAHAHAHA

  35. WSA diz:

    Engraçado, não sou rancoroso, estou simplesmente falando sobre a história. Quanto ao que a Vera disse, eu acho que ela deveria estudar só um pouquinho para entender que a ciência atualmente não admite a existência de raças, pelo menos que leia o link que coloquei e se realmente quiser saber as verdadeiras teses da atualidade, eu tenho conhecimento acadêmico suficiente para demonstrar de forma racional, sem precisar ofender ninguém, eu até coloquei um link para que reflita. Até este momento, não ofendi ninguém, simplesmente falei sobre a história, não é rancor, são fatos.

    Aqui no Brasil não existe a hipótese de qualquer brasileiro aceitar que um Português seja mal tratado, somos um país pacífico por natureza e por isto respeitamos os outro povos, vários brasileiros quando vão a Portugal, amigos meus, mesmo que tenham ido por pouco tempo para passear, mesmo que se admitam que sejam os tais caucasóides (apesar de inexistência de raças) sempre dizem que o povo português é amável até certo ponto e por um certo tempo, depois disto não aceitam a presença dos brasileiros, eu nunca acreditei nisto, e apesar do que eu estou lendo aqui, me recuso a acreditar. Duvido que qualquer Português no Brasil, que viva aqui hoje, ou qualquer Português que venha visitar esta terra, seja vítima de qualquer preconceito ou de qualquer rancor ou de qualquer tipo de separatismo, por este motivo, não entendo este ódio racial de vocês.

    Se alguém chegar para um Português aqui é usar palavras como “Seu Português Sujo”, isto é elemento para a pessoa ser presa no mesmo momento, sem direito a fiança, podendo ser condenada até a 3 anos de cadeia, não precisa cometer nenhum outro ato racista além disto, por isto, em nenhum momento me referi ao povo Português com menosprezo e não entendo o porque estou sendo ofendido gratuitamente somente por estar dizendo a verdade. Diferentemente daí, as coisas ditas neste site já seriam suficientes para qualquer pessoa que se sentisse ofendida já pudesse entrar com representação judicial contra as pessoas que disseram, não faço parte deste mundo de ofensas gratuitas, não faço parte desta ignorância violenta.

    Não vou tratá-los como estão me tratando, não vou baixar a este nível, pois diferente de muitos daqui neste site, eu não tenho qualquer preconceito e respeito sim o povo português, só não entendo e não aceito nenhuma atitude racista, de brasileiros, africanos ou portugueses, ou de qualquer povo no mundo.

    Se um Português chegar a ser descriminado na rua aqui neste país, eu serei o primeiro a defendê-lo, a questão que está sendo discutida aqui são as razões históricas para o comportamento de outros povos, não estou em nenhum momento promovendo o ódio racial, estou mostrando simplesmente a verdade dos fatos, principalmente o fato de que não existem cientificamente raças e isto é conhecido aqui em qualquer Universidade séria, nos Estados Unidos em qualquer Universidade séria, ou seja, em todos os cantos do mundo em qualquer instituto científico sério, talvez isto seja informação demais para quem tem o espírito racista, mas como não tenho, não posso responder com a mesma agressividade, apenas me disponho a mostrar os fatos:

    Para ler

    http://www.pbs.org/race/000_About/002_04-experts-01-03.htm

    Para ouvir

    http://www.npr.org/ramfiles/me/20010830.me.10.ram

    Não sei se será necessário colocar aqui um monte de trabalhos sérios das mais renomadas Universidades do mundo como por exemplo a Universidade de Harward, espero que não, acredito que as pessoas aqui devam ter um certo grau de maturidade para entender sem que isto seja necessário.

    Ainda defendo a tese que o Português racista, deveria primeiramente entender as causas antes de fazer um julgamento que sem base é simplesmente manifestação de preconceitos, e que este povo racista sim, tem um débito com o mundo e também com os paises colonizados, uma herança que deveriam jogar fora.

    Mesmo não tendo votado no Lula, para que o Português entenda o espírito Brasileiro, o nosso presidente duas vezes que foi à África chorou muito e pediu desculpas pela escravidão aos africanos, mesmo ele não sendo responsável, mesmo que o responsável por toda a escravidão no Brasil não sejam os brasileiros, mas sim por questões de humildade, só que o povo que realmente foi responsável pelas mazelas e humilhação de outros povos, nem sequer tem a dignidade de entender o mal histórico e de se desculpar para se livrar do carma do passado, isto é triste, não só para o povo Português, mas para o mundo inteiro. Reforçar o racismo, é reforçar a idéia de o Português de hoje não aprendeu com os erros do passado, eu não vou acreditar nisto somente lendo opiniões em um site, ainda acredito no povo Português, acredito que o racismo apesar de violento como está sendo apresentado, seja uma exceção, quanto aos racistas que se apresentaram aqui até agora, o que sobra é comiseração, é dó, é pena mesmo porque não entendem que é necessário cicatrizar as feridas e isto não se faz com ódio.

  36. E OS CAUCASÓIDES DO BRASIL SÃO BEM MAIS BRANCOS QUE VC´S; EU POR EXEMPLO TENHO SANGUE ÍTALO-GERMANICO E JAMAIS ME MISTURARIA COM LUSO-DESCENDENTES DO BRASIL, POIS A RAÇA IBÉRICA É ULTRA-INFERIOR ÀS DEMAIS RAÇAS EUROPÉIAS!!!!

    UM GREGO FEZ EXAMES DE DNA EM TODOS OS EUROPEUS, E ADIVINHA ONDE O SANGUE NÃO-BRANCO ESTÁ MAIS PRESENTE???

    ADIVINHOU QUEM DISSE PENINSULA IBÉRICA!!!

    HAUAHAUAH

  37. OUTRA: diz:

    NA ÉPOCA QUE A HOLANDA GOVERNOU PARTES DO BRASIL, ESTAS PARTES NUNCA FORAM TÃO DESENVOLVIDAS.

    NÃO QUE EU SEJA UM NORDICISTA, MAS QUE A RACINHA SUBMEDITERRANEA DE VC´S É UM LIXO, A SIM, ISTO É…

    PORTUGAL SÓ SAIU DA MIZERIA GRAÇAS A UNIÃO EUROPEIA E A AJUDA DOS PAISES MAIS RICOS LOCALIZADOS EM EUROPA DO NORTE!!!

    HAUHAUAAUHA

    BANDO DE SUBGENTINHA RIDICULA…

  38. WSA diz:

    Sangue não branco? Raça Ibérica ultra inferior? Subgentinha? Sou brasileiro e peço humildemente desculpas aos portugueses por estarem lendo este disparate, não dá nem para acreditar que este monte de bobagens tenha vindo de um brasileiro, principalmente porque esta história de sangue ítalo-germânico é uma mentira deslavada, se um Português visitar o Brasil vai encontrar um povo eminentemente mestiço provindo de todos os cantos do planeta, também esta história de achar que os brasileiros são caucasóides(palavra horrível e sem significado) também é uma ilusão, 50% da população tem a pele negra ou parda, o restante mesmo com a pele branca em grande parte tem descendentes negros em gerações recentes, este mundo branco em um Brasil mestiço é fantasia, muito embora exista a separação social resultado ainda do tempo de escravatura, muito embora as novelas brasileiras por exemplo não representem o povo brasileiro em sua formação, muito embora a representação política, social não seja equilibrada, somos um pais mestiço.

    PEÇO HUMILDEMENTE DESCULPAS AOS PORTUGUESES POR ESTES COMENTÁRIOS RACISTAS PROVINDOS DE UM SUPOSTO BRASILEIRO QUE AO MEU VER ENVERGONHA A TODO O POVO BRASILEIRO.

    Eu estou tentando explicar os fatos, não promover o ódio, nem consigo continuar o raciocínio relativo ao tema de porque alguns não aceitam a nacionalidade portuguesa, para mostrar que isto é normal, mesmo que alguns portugueses não aceitem, e só encontro opiniões que tem apenas o objetivo de criar briga, brasileiros racistas são tão imbecis quanto portugueses racistas, eu não compactuo com este tipo de comportamento.

  39. WSA diz:

    Que falta de identidade, não se sente brasileiro e que acha o Brasil um país imundo, mas nasceu no Brasil ou pelo menos mora no Brasil, diferentemente dos Italianos e dos Alemães que quando chegam aqui ficam encantados com a Bahia e as mulheres passam a namorar os negros brasileiros e os homens até levam para se casar na Itália e na Alemanha, vocês odeiam os Portugueses que acham que estão se miscigenando, será que vocês odeiam os Alemães que na Alemanha e outros países escandinavos que em sua maioria adoram os brasileiros e brasileiras mais escurinhos? Você detesta os africanos que não fizeram nada para os antepassados dos quais você se considera descendente ? Será que detestam o mundo que mesmo não com a velocidade desejada caminha para unidade?

    Descobri o seguinte, os últimos comentários não foram feitos por um racista, possivelmente foi feito por alguém que fugiu do hospício, e que não tem identidade nenhuma e quer viver em um passado fracassado cujo maior representante foi Hitler que já morreu até nos conceitos alemães que somente na última copa do mundo é que conseguiram erguer a cabeça e levantar a bandeira da Alemanha sem culpa e sem pensar no estigma do passado, felizmente o espírito do nazismo está morto e enterrado para todo o sempre, quem continua pensando nisto quer ressuscitar mortos, mesmo sabendo que isto não é possível.

    Viva Portugal, Viva o Brasil, Viva a Alemanha, Viva a Itália, Viva a África em geral, Viva ao Mundo, meus pêsames (não muito sinceros porque a morte foi merecida) para os nazistas que já perderam a guerra há algum tempo, mas que em sua loucura ainda nem se deram conta.

    Agradeço por este louco afirmar que não fala pelo Brasil, mas mantenho o meu pedido de desculpas ao povo Português porque falo sim pelo povo brasileiro que sem dúvida nenhuma respeita os portugueses.

    De qualquer maneira, loucos como este só podem ser motivo de piadas, não existe nada mais ridículo e nem símbolo pior de derrota que uma suástica, portanto, acho que os Portugueses neste momento deveriam e estar às gargalhadas ao ler imbecilidades deste tamanho de um indivíduo que não tem nem sequer a inteligência de pelo menos inventar um apelido, e veja que são brancos brigando com brancos, será que o racismo vale à pena? É lógico que NÃO.

    Aos Portugueses que já identificaram que é um louco fugido do hospício que não tem nenhuma identidade com nenhum povo e que só quer bagunçar, que passem a gargalhar com as bobagens dele (mesmo que perigosas) ou simplesmente ignorem, é o que eu vou fazer a partir de agora.

    Abraços a todos.

  40. piloto diz:

    Ñ tenho palavras para descrever os ultimos comentarios,mas eu gostava de ler comentarios construtivos e ñ asneiras anti-Portugal desta escumalha mortinha de dar o tal saltinho para a Europa ou EUA, estam mortinhos ñ é ,pois pela minha vocês ñ poêm ca os pes,seus pes descalços,PORTUGAL AO PORTUGUESES,PATRIA OU MORTE,VENCEREMOS.

  41. WSA diz:

    Vou resumir minha opinião para que entendam qual o meu posicionamento de porque as pessoas de pela escura que nascem em Portugal se identificam mais com os antepassados de que com os Portugueses.

    Não vou discutir aqui mais as questões sobre Portugal e a história, mesmo achando que sendo de outro país, ainda tenho o direito de discutir sobre coisas que acontecem no planeta, espero que entendam que estou jogando o lado racial de lado e identificando somente o problema através de opressores e oprimidos, faço isto porque as pessoas aqui neste site não entenderam meu ponto de vista e levaram toda a questão para um lado que eu considero sujo na espécie humana.

    Estou analisando agora de um ponto de vista externo, não sou Cabo-Verdiano e não sou Português, evidentemente minha visão é diferente dos dois povos.

    Os Cabo-Verdianos, são os oprimidos historicamente e ponto final, se o Português entende isto como uma ofensa pessoal, então fazem isto sem conseguir se colocar do outro lado, repetindo, isto não é ofensa é uma observação.

    Se os descendentes de Cabo-verdianos que nascem em Portugal se identificam muito mais com os Cabo-verdianos do que com o Português, isto é fruto da auto-estima dos antepassados com relação ao passado das relações entre Cabo-Verde e Portugal e isto é natural, se alguém que nasce no meu lindo país (cheio de problemas é claro), com o lindo povo miscigenado, se disser mais Português, mais Cabo-verdiano, mais Italiano, ou qualquer outra nacionalidade que Brasileiro, isto nem de longe será motivo de desentendimento, será questão de opção, cada um que se sinta melhor com a nacionalidade que quiser, mas se fizerem a mesma pesquisa com descendentes de qualquer país de qualquer continente que nasceram aqui posso arriscar que a resposta não será a mesma de Portugal, quem nasce no Brasil sempre quer ser Brasileiro e muitos que não nascem se naturalizam, sejam Norte Americanos, sejam Argentinos, sejam Africanos, sejam Portugueses, sejam de qualquer parte do mundo e mesmo nascendo em outros países se não são brasileiros por nascença, podem ser brasileiros pelo coração que serão bem recebidos aqui pelos brasileiros nativos de braços abertos.

    Quanto à migração de brasileiros para Portugal, por incrível que pareça, os brasileiros tem mais identificação com outros povos do que com o Português apesar da proximidade da língua e da história, portanto, os Portugueses não correm o risco de serem invadidos por Brasileiros e em grande maioria nós sabemos que existem leis de migração que servem para proteger não a etnia, mas o espaço que é sem dúvida do povo Português, ninguém está
    reivindicando um pedaço de nenhum país alheio, Portugal é dos Portugueses e ponto final, só não concordo que discriminar os imigrantes seja solução para nada, e não entendo que se faça isto sem remorsos, principalmente por entender as relações históricas entre Portugal e os povos colonizados, basta que se criem e se cumpram leis que protejam os povos.

    O Brasil é um país magnífico cheio de recursos tanto humanos quanto naturais, por isto somos o pais no mundo que mais produz polpa para papel, etanol, laranja, açúcar, soja e outras culturas agrícolas temos a maior tecnologia do mundo no que diz respeito a uso de combustíveis alternativos, a maior tecnologia em exploração de petróleo a grandes profundidades, exportamos diversos minérios, exportamos aviões para Europa, Estados Unidos, Venezuela, enfim, somos um país com um potencial imenso, no entanto com uma péssima divisão de renda e outros problemas internos graves, os brasileiros não precisam de Portugal, mas alguns se aventuram e muitos se arrependem, mas também existem migrantes portugueses que vem ao Brasil para procurar uma vida melhor, isto é normal, mesmo que Portugal também não precise do Brasil, só que quando chegam aqui, não são discriminados.

    Se qualquer Português quiser falar mal do Brasil, pode falar, o brasileiro em sua grande maioria tem conhecimento de seus problemas e não negam, vivemos em um pais democrático e esta opinião não vai provocar nenhum tipo de constrangimento entre os paises, nem entre as pessoas, não acredito que se um irmão dá um conselho ou alerta sobre algo errado estará tentando prejudicar o outro irmão, no entanto, ninguém entende atitudes racistas para com seu povo.

    Quanto aos cabo-verdianos, eu sei que existe um amor recíproco entre o povo brasileiro e o de Cabo Verde, o que eu tenho é um respeito profundo e entendo a posição dos que se sentem mais Cabo-verdianos e Africanos que Portugueses, mesmo que nascidos em Portugal, é uma questão de identificação com o povo oprimido, é uma questão de não abandono das raízes, não é questão de racismo, é uma questão de identidade.

  42. Caturo diz:

    Corrigindo:

    othelo Says:
    Janeiro 25th, 2007 at 8:16 pm
    Tenho sérias dúvidas de que a maioria dos portugueses não seria considerada tão “ariana” assim pelos nórdicos.

    Não dependemos dos nórdicos para nos considerarmos arianos. Os nórdicos não são donos da «Arianidade». Aliás, os Hindus também se consideram arianos, os Iranianos também (alguns), e alguns dos Hindus não consideram ariano nenhum Europeu, por motivos étnico-históricos.

    Se um portugues típico, dólico-moreno, um argelino, ou um tunisiano forem à Suécia ou Dinamarca e ficarem de boca fechada, eles não saberiam distinguir uns dos outros

    A maioria dos norte-africanos (argelinos e tunisinos) distingue-se da maioria dos Portugueses.

    Como podem esquecer que largos trechos da península foram “alagadas” por povos do norte da África!

    Não o suficiente para que a Península Ibérica ficasse «mouricizada», ao contrário do que alguns querem fazer crer.

    Que mouros, em latim, significa escuro! Que os berberes, são o resultado da miscigenação de negros com semitas!

    Errado. Os Berberes não são resultado da mistura entre Semitas e negros.
    Os Berberes são, isso sim, de raiz camito-hamita, são por conseguinte caucasóides. Têm um idioma próprio que não é, nunca foi, o resultado da mistura entre idiomas negros e semitas.

    Que os árabes eram uma minoritária casta dirigente quando da invasão da península, sendo que os mouros formaram o”grosso” do contingente que invadiu Portugal e Espanha, e misturou-se com a população, formando os moçárabes!

    Impreciso. Na verdade, o termo «Moçárabe» aplicava-se a todos os cristãos que viviam debaixo do domínio mourisco. A maioria dos moçárabes não seria resultado da miscigenação com mouros, já que essa miscigenação era relativamente rara.

    Que Portugal está muito mais próximo do norte da África que da Escandinávia, geográfica e racialmente!

    Errado. Há três vezes mais proximidade genética entre os diferentes povos Europeus do que entre qualquer povo europeu e qualquer povo africano. E os Portugueses são seguramente mais próximos de qualquer povo da Europa do que do norte de África, como se pode ver neste mapa:

    Sem apelo nem agravo.

    Que os louros são minoria em Portugal!

    Argumento que nada conta, porque o ser louro ou não, não é condição para ser mais ou menos caucasóide.

    Que a população autóctone da península, antes da chegada dos indo-europeus (celtas), é da mesma “família” dos povos do norte da África!

    Está isso por provar. De qualquer modo, essa população não era mistura de negros com semitas, como o Othelo deu a entender, mas sim caucasóide.
    De resto, os estudos genéticos realizados até ao momento indicam que há muito, mas muitíssimo mais proximidade entre Portugal e a Irlanda, por exemplo, do que entre Portugal e Marrocos.

    Qualquer portugues típico passaria por marroquino, não tenho certeza se por polonês!

    Ahahahhahahah! E os Polacos não são Europeus???… Aliás – se é verdade que existe um gene ariano, e se esse gene ariano é o R1a, como alguns pensam, então a Polónia seria precisamente a nação mais ariana da Europa… Obrigado, ó brasileiro, por esse parecer sobre o aspecto dos Portugueses!… :)

    Qualquer inglês de boca fechada passaria por português, mas a recíproca não é verdadeira

    Má comparação, visto que os Ingleses são fundamentalmente de raiz nórdica. A comparação correcta seria com Irlandeses, com Italianos, com Gregos – e aí sim, qualquer grego, de boca fechada, passaria por português e a recíproca é verdadeira.

  43. Caturo diz:

    othelo Says:
    Janeiro 25th, 2007 at 8:25 pm
    Quanto ao jus sanguinis, como ficaria o caso dos EUA, do Brasil e da Austrália!

    Isso é-nos absolutamente indiferente. Era o que faltava nós Europeus estarmos a reger os nossos países com base nas regras que foram adoptadas nessas derivações da Europa. É que nem a brincar. Os EUA, o Brasil e a Austrália adoptaram as leis de que precisaram para se povoarem – os Europeus não precisam de tal coisa, dado que os seus territórios já são densamente povoados.

  44. Caturo diz:

    WSA Says:
    Janeiro 26th, 2007 at 2:59 am
    Não interessa se sua pele é branca, preta, parda, amarela, vermelha, azul, enfim não interessa sua cor da pele, todos nós somos descendentes de africanos,

    Conversa da treta que só serve para atirar areia para os olhos das pessoas.

    Em primeiro lugar, não está ainda provado para além de qualquer dúvida que todos os povos tenham vindo de África, como se pode ver aqui:

    http://www.stormfront.org/forum/showthread.php/theory-common-origin-africaan-man-225041.html?t=225041

    De notar que o artigo saiu na Focus italiana, não numa revista «nazi».

    Segundo, e mais importante, esse argumento da origem africana não tem qualquer sentido, não só porque, ao contrário do que diz o WSA, não há prova nenhuma de que os primeiros Africanos fossem negros, como, mais relevante ainda, se se fosse seguir essa linha de «raciocínio», então chegava-se à conclusão que todos os seres humanos vieram… do fundo do mar, porque foi no fundo do mar que toda a vida começou, quando há milhões e milhões de anos aí surgiram os primeiros microorganismos.

    Ora a partir daí a vida desenvolveu-se – surgiram ordens, espécies… e raças. Todavia, a bastardia politicamente correcta quer negar este último elemento entre os seres humanos, o da raça, para assim poder impingir a tudo e a todos a sua moralidade de pária, a querer mergulha todos os Povos do mundo na lama da indiferenciação e da dissolução das identidades.

    Nunca existiu, não existe e nunca existirá a raça Ariana, na verdade, nem sequer existem raças na espécie humana,

    Outra mentira. Ao contrário do que pretendem os anti-racistas militantes, não é verdade que isto já esteja estabelecido. Veja-se aqui:

    http://gladio.blogspot.com/2004/01/raas-e-genomas-at-que-enfim-certa.html

    Este artigo, traduzido para Português, foi publicado numa revista norte-americana e foi redigido por um cientista. Aí, deita-se por terra a ideia de que não há raças – ponto por ponto, palavra a palavra, sem sobrar nada da teoria anti-racista.

    não há como identificar raças,

    Isto é pura lavagem cerebral. De facto, há diversos elementos com os quais se podem identificar as raças:
    – ortognatismo vs. prognatismo;
    – textura do cabelo;
    – largura do nariz;
    – distância entre os olhos (método utilizado por arqueólogos para estudar ossadas humanas);
    – tamanho do crânio;
    – formato do crânio;
    – grossura dos lábios;
    – proeminência ou não das arcadas supra-ciliares;
    – cor da pele.

    Aliás, qualquer recém-nascido distingue as raças umas das outras, como se provou já. Num dos jornais diários portugueses apareceu esta notícia:
    Um estudo do Centro Adler para o Desenvolvimento Sociológico e Patológico da Criança, publicado ontem num jornal israelita, concluiu que bebés com três meses preferem os rostos da sua própria raça. Os investigadores colocaram bebés de raça branca e negra à frente de um computador que lhes mostrava rostos brancos e negros.

    Quem fala de sangue português, fala tolice,

    Argumento puramente imbecil, mesmo feito para desviar a conversa, uma vez que ninguém aqui veio falar no «sangue português» como se duma raça se tratasse.

  45. Caturo diz:

    Senhor Ilustre, Nobre, Monárquio & Aristocrático Says:

    Janeiro 26th, 2007 at 7:45 pm
    wsa mais palavras para quê ?! é um colonizado rancoroso e complexado que deve ser mntido à distância. Nisto não restem dúvidas os brasileiros são muito mais recalcados e militantes da causa anti Portugal, anti História Portuguesa que os africanos.

    E concluo: o WSA é o exemplo típico, arquetípico mesmo, do brasileiro que odeia Portugal e a raça branca – e é, na sua própria existência de brasuca raivoso, um argumento para confirmar o que eu já aqui disse: não precisamos desta gente para nada e não os devemos deixar vir, nem para Portugal, nem para qualquer outro ponto da Europa.

  46. Caturo diz:

    NÃO QUE EU SEJA UM NORDICISTA, MAS QUE A RACINHA SUBMEDITERRANEA DE VC´S É UM LIXO, A SIM, ISTO É…

    Foi a «racinha» que bateu os Holandeses, que os expulsou do Brasil e que lançou as estruturas para que o Brasil pudesse um dia sonhar em ser uma potência. De resto, Portugal não precisou de nenhuma «União Europeia» para construir o mais duradouro império europeu da Idade Moderna.

  47. Vera diz:

    WSA, não leve a mal…mas acha mesmo que nós ligamos ao que um estrangeiro vem dizer para aqui?
    Se bem que esse(s) engracidinho(s) deve(m) ser protugueses antifas a fingir que agridem..o que ainda merece mais desprezo.

  48. Vera diz:

    *portugueses (ou pretogueses..)

  49. WSA diz:

    Vera

    Não me leve a mal também, com todo o respeito que devo a uma senhora ou senhorita, com toda a delicadeza que sei que as mulheres merecem, mas eu também estou pouco me importando, se alguém se importa com o que um estrangeiro está falando aqui, eu simplesmente escrevo, quem quiser ler que leia, quem não quiser que não leia, este é um dos benefícios da Internet, não tenho a pretensão de convencer ninguém, só estou colocando meus pontos de vista, se servirem para alguém, ótimo, se não servirem para ninguém, ótimo também.

    Caturo

    Felizmente você não é dono de Portugal, e sua opinião não representa de forma nenhuma o seu país, e muito embora, eu não tenha intenção nenhuma, se eu quiser ir a Portugal, não é você quem vai me impedir, existem pessoas civilizadas aí, das quais eu tenho certeza de que você não faz parte, você não tem poder nenhum para impedir ninguém.

    Quanto ao tal gene R1a, eu hoje percebo que você é mais burro do que eu pensava, atualize-se, leia um pouco, não faz mal nenhum, suas teorias racistas já caíram por terra, não existe nada mais a ser discutido, repetindo: De acordo com as mais atuais pesquisas genéticas, de acordo com o projeto genoma, de acordo com os maiores institutos científicos do mundo, depois do mapeamento genético do ser humano, não foram encontrados genes raciais, portanto, deixe ser burro, perca um tempinho e vá estudar.

    Quanto à sua atitude racista, arcaica, preconceituosa e acima de tudo ignorante, você está se colocando contra a história.

    Quanto ao fato de você achar que eu sou recalcado e que tenho algum tipo de raiva de Portugal, isto é uma estupidez, não preciso de Portugal e nem do povo Português e sei que a recíproca é verdadeira, nunca em toda a minha vida em nenhum momento, eu pensei em ir a Portugal para fazer qualquer coisa que seja, mesmo que fosse fazer turismo, a presença de Portugal na minha vida pessoal é nula, aliás, há pouco tempo eu encontrei este site, eu nem sequer me lembro de perceber a nacionalidade das pessoas com quem me comunico em Português, mesmo que eu tenha certeza que em outros sites eu até já falei com Portugueses, o fato é que eu considero Portugueses como seres humanos como qualquer outro ser humano neste planeta, nem melhores e nem piores que qualquer outro povo.

    Quem é recalcado é você, ou pelo menos paranóico, talvez por algum tipo de inveja infundada contra os outros povos que habitam seu país, que migraram ou são descendentes de migrantes e que possuem o mesmo direito que você, reforço que é paranóico porque estes povo não querem invadir seu país, não querem tirar seu espaço (será que isto é algum medo que a história nefasta que Portugal provocou se repita em Portugal? Se for é somente manifestação de delírio), muitos estão a busca somente de sustento da mesma forma que honestamente os Portugueses vão a outros países também para conseguir melhorar de vida, esta não é uma questão natural.

    Se os Portugueses acham que a presença de migrantes já está incomodando, que façam leis que impeçam isto, mas que saibam que aqui no Brasil existe a lei de reciprocidade que pode ser acionada a qualquer momento, se o Governo de Portugal resolver que Brasileiro não entra aí (não acredito nem na possibilidade desta estupidez), o governo Brasileiro pode fazer o mesmo com os Portugueses (não digo que faria, digo que tenha a mesma possibilidade).

    Portugal não é melhor que nenhum país, nem Europa é o Eldorado, quem acha isto e quem acha que todo mundo em outros países quer ir para a Europa e ficar, está redondamente enganado. No Brasil sabemos que a maioria dos emigrantes que vão para outros paises não tem sucesso algum.

    Quanto minha intenção com relação com Portugueses, é de amizade e consideração, mas isto não impede que eu interprete o presente de acordo com os fatos do passado, não impede que eu rejeite a atitude de Portugueses racistas, não impede que eu tenha um ponto de vista sobre as questões sociais, não somente de Portugal, mas de qualquer país do mundo.

    Falando pelo meu país e pelo o que eu percebo nas pessoas aqui, não será admitido, nem pelo governo, nem pelas leis e nem pela população que as mesmas atitudes que tentam denegrir o povo brasileiro em Portugal, sejam repetidas aqui contra os Portugueses, pois se combate a má educação e o desrespeito, com boa educação e respeito.

    No mais Caturo, apesar da sua desinformação da situação populacional da Europa , apesar de se achar dono do seu país, apesar da sua prepotência em se achar melhor que alguém e da sua paranóia em achar que está sendo invadido e roubado, desejo tudo de melhor que possa lhe acontecer na vida, e que lembre que ela é passageira e que para todos nós não importa a origem, o destino é o mesmo, vamos nos misturar à natureza, uns vão a sete palmos outros vão ser torrados, outros vão simplesmente apodrecer, mas o que está por aqui vai continuar, por isto digo que o homem não é dono da Terra a Terra e dona do homem, e no curto espaço de tempo que vivemos aqui, devemos facilitar a vida uns dos outros em benefício de todos.

  50. Vera diz:

    Concerteza WSA, pode escrever o que bem lhe apetecer.

  51. Caturo diz:

    Caturo

    Felizmente você não é dono de Portugal, e sua opinião não representa de forma nenhuma o seu país,

    Representa-o mais do que a sua, enquanto Portugal for Portugal.

    De resto, eu sou realmente dono de Portugal, sem apelo nem agravo – pura e simplesmente porque sou português. E ninguém tem qualquer autoridade, de qualquer espécie para me dizer o contrário, muito menos um brasileiro, especialmente um brasileiro que tanto odeia Portugal.

    e muito embora, eu não tenha intenção nenhuma, se eu quiser ir a Portugal, não é você quem vai me impedir, existem pessoas civilizadas aí, das quais eu tenho certeza de que você não faz parte, você não tem poder nenhum para impedir ninguém

    Nem você tem poder para me impedir de desmontar as suas aldrabices e repugnâncias, típicas de quem não tem nem vergonha nem respeito.

    Quanto ao tal gene R1a, eu hoje percebo que você é mais burro do que eu pensava,

    Burro és tu e de que maneira. Um autêntico atrasado mental, um mentecapto nojento que se limita a debitar a sua imbecil cassete. Nem sequer sabes o que é o R1a – por conseguinte és tu quem tem de ir aprender.

    De acordo com as mais atuais pesquisas genéticas, de acordo com o projeto genoma, de acordo com os maiores institutos científicos do mundo, depois do mapeamento genético do ser humano, não foram encontrados genes raciais,

    Mete essa teoria na cloaca em que vives. Estes mapas que te chapei na cara não foram feitos pelo Hitler. São, pelo contrário, bem recentes. Informa-te.

    Quanto à questão do genoma, também já te espetei com o artigo que deita por terra toda a essa converseta barata e estupidamente desonesta de que «não há raças».

    Há raças sim – e até as crianças o reconhecem, sem que seja preciso um «nazi» para lhes explicar isso. E tanto há raças que tu e os teus donos se esforçam noite e dia para o negar, fazendo uma revoltante e asquerosa lavagem (leia-se «poluição») cerebral às populações ocidentais.

    Quanto à sua atitude racista, arcaica, preconceituosa e acima de tudo ignorante, você está se colocando contra a história

    Mete nesses cornos atrofiados que não és dono da História. Nem tu nem sequer os teus donos. A História é feita pelos homens. Não é o planozito da treta que os teus tutores mentais querem dar por adquirido e indiscutível.

    Quanto ao fato de você achar que eu sou recalcado e que tenho algum tipo de raiva de Portugal, isto é uma estupidez,

    Tanto não é estupidez que ficou bem provado pelas tuas próprias palavras. É que tu nem sequer foste capaz de justificar essa imbecilidade de os Portugueses terem de pedir desculpa. Prometeste que o fazias, mas nada. É dos nervos, já nem consegues pensar (aliás, nunca conseguiste, mas agora estás pior).

    não preciso de Portugal e nem do povo Português e sei que a recíproca é verdadeira,

    Óptimo.

    nunca em toda a minha vida em nenhum momento, eu pensei em ir a Portugal para fazer qualquer coisa que seja, mesmo que fosse fazer turismo,

    Excelente.

    a presença de Portugal na minha vida pessoal é nula,

    Magnífico… «continúí ássim, ‘viu?…»

    o fato é que eu considero Portugueses como seres humanos como qualquer outro ser humano neste planeta, nem melhores e nem piores que qualquer outro povo

    Pois, mas «tendo de pedir desculpa pelo seu passado»… que sonsice mais ridícula, sujeito. Assume-te de vez.

    Quem é recalcado é você, ou pelo menos paranóico, talvez por algum tipo de inveja infundada contra os outros povos que habitam seu país, que migraram ou são descendentes de migrantes e que possuem o mesmo direito que você,

    Não, rapazelho ignaro e rancoroso, os estrangeiros não têm em minha casa os mesmos direitos que eu. Não têm e nunca jamais em tempo algum o terão, legitimamente falando.

    muitos estão a busca somente de sustento da mesma forma que honestamente os Portugueses vão a outros países também para conseguir melhorar de vida,

    Se é para isso, então que se limitem a trabalhar. Não precisam de ter direitos iguais aos meus.

    Portugal não é melhor que nenhum país, nem Europa é o Eldorado, quem acha isto e quem acha que todo mundo em outros países quer ir para a Europa e ficar, está redondamente enganado. No Brasil sabemos que a maioria dos emigrantes que vão para outros paises não tem sucesso algum.

    Então trata de dizer isso aos teus compatriotas todos, com cartazes no meio da rua, com um aviãozito a puxar uma faixa pelos ares, etc., para ver se os teus compatriotas que cá estão voltam todos, todos mesmo, para aí.

    No mais Caturo, apesar da sua desinformação da situação populacional da Europa , apesar de se achar dono do seu país, apesar da sua prepotência em se achar melhor que alguém

    T e da sua paranóia em achar que está sendo invadido e roubado, desejo tudo de melhor que possa lhe acontecer na vida, e que lembre que ela é passageira e que para todos nós não importa a origem, o destino é o mesmo, vamos nos misturar à natureza, uns vão a sete palmos outros vão ser torrados, outros vão simplesmente apodrecer, mas o que está por aqui vai continuar, por isto digo que o homem não é dono da Terra a Terra e dona do homem, e no curto espaço de tempo que vivemos aqui, devemos facilitar a vida uns dos outros em benefício de todos.

    Vera Says:

    Janeiro 29th, 2007 at 6:07 pm
    Concerteza WSA, pode escrever o que bem lhe apetecer.

    Leave a Reply
    Name

    Mail (will not be published)

    Website

    Visitas
    149,733 hits
    Entradas Recentes
    Temporariamente fora de serviço!!!!
    Julgamento da Casa Pia
    Assassino de polícias à beira da libertação?
    A tolinha Nayma e o pragmático Obikwelu
    A Esquerda no seu melhor
    Entradas Mais Populares
    Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Suecos aprovam “Morte aos judeus”
    Os 10 melhores filmes de 2006, na opinião do Papagaio Morto
    A tolinha Nayma e o pragmático Obikwelu
    O Islão e a pedofilia – Recados para a Zana
    Proprietários de pitbulls, rotweilers e outros cães assassinos – Um novo tipo de débeis mentais
    O fascinante Reino Animal – Basofes, Gunas e Betos
    A Esquerda no seu melhor
    Nova Lei da Nacionalidade – Algumas perguntas e várias curiosidades (II)
    Assassino de polícias à beira da libertação?
    Comentários Recentes
    Vera em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Vera em Temporariamente fora de serviço!!!!
    maquinazero em Chamem-lhes racistas….
    maquinazero em De que ri a hiena?
    Tigre Branco 88 em Governo português vai abolir a nacionalidade
    WSA em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Vera em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Vera em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Caturo em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Caturo em Primeiro cabo-verdiano, depois africano e só então português…
    Páginas
    Pérolas & Porcos
    Categorias
    “Artistas” de Esquerda (4)
    Aborto (2)
    Angola (5)
    Anti-semitismo (39)
    Arte (6)
    Autarquias (7)
    África (20)
    Banca (4)
    Basofe (6)
    Blogging (41)
    Blogs (17)
    Cães Assassinos (3)
    Ciência (3)
    Cinema (5)
    Civilização (15)
    Conspiração (8)
    Contacto/Info Geral (17)
    Corrupção (9)
    Crime (190)
    Crimes sexuais (2)
    Cristianismo (21)
    Cultura (70)
    Democracia (51)
    Demografia (34)
    Desemprego (2)
    Desporto (5)
    Deus (1)
    Dhimmi (36)
    Direita (11)
    Direitos dos Animais (7)
    Direitos Humanos (19)
    Droga (2)
    Economia (23)
    Educação (18)
    Emigração (3)
    Ensino (17)
    Escravatura (4)
    Esquerda (218)
    Europa (57)
    Extrema-esquerda (78)
    Fanatismo (110)
    Fascismo (2)
    Finanças Públicas (11)
    Fisco (3)
    Forças Armadas (2)
    Fraude (5)
    Função Pública (6)
    Futebol (6)
    Guerra (50)
    Guerra Colonial (8)
    Habitação (2)
    Hackers (5)
    História (12)
    Homossexualidade (10)
    Humor (5)
    Igreja (13)
    Imigração (149)
    Imprensa (20)
    Internet (10)
    Islamismo (280)
    Islão (247)
    Jihad (98)
    John Kerry (1)
    Jornalismo (111)
    Jornalistas de causas (6)
    Justiça (39)
    Liberdade (26)
    Literatura (5)
    Música (6)
    Media (36)
    Medicina (2)
    Minorias étnicas (162)
    Moda (1)
    Multiculturalismo (153)
    Multiculturalismo em acção (2)
    Mutilação Genital Feminina (3)
    Nacionalidade (2)
    Navegando pelos esgotos da Europa (1)
    Negros (10)
    No Blogue dos Outros (1)
    Notas Soltas (5)
    Obras Públicas (1)
    Parlamento (3)
    Pátria (4)
    Pedofilia (12)
    Pensamentos (4)
    Poesia (1)
    Polícia (3)
    Política (62)
    Política internacional (30)
    Poligamia (2)
    Politicamente correcto (220)
    Racismo (60)
    Religião (195)
    Saúde (10)
    Segurança (39)
    Sexo (11)
    Sindicalismo (1)
    Social Networking (1)
    Socialismo (12)
    Sociologia (2)
    Teatro (2)
    Teoria da conspiração (2)
    Terrorismo (205)
    Textos Seleccionados (4)
    Timor (1)
    Transportes (1)
    TV (6)
    Uncategorized (222)
    USA (6)
    Zoologia (1)
    Blogues amigos(as)
    (des)fragmentações
    Apaniguado
    Arqueofuturismo Online
    Blasfémias
    Blogs Nacionalistas
    Centurião
    ContraFactos
    Eurabian News
    Fome de Cão (…a pão e água)
    Gates of Viena
    Hot Air
    Infidel Bloggers Alliance
    It’s a perfect day… Elise!
    Kruzes Kanhoto
    Letras com Garfos
    Letters From Elise
    Little Green Footballs
    Madrid Habitable
    Mas o Rei vai nú!
    O Estado do Sítio
    O Islamismo na Europa
    O triunfo dos Porcos
    O Zabrolho
    Observatório da Jihad
    Only God Can Judge Me
    Osama Bin Laden
    Planícia Heróica
    Povo de Bahá
    Quintus
    Raio de Lua
    Contacto/Info Geral
    Email do Máquina Zero
    Máquina Zero no MySpace
    RSS do Máquina Zero
    Textos Seleccionados
    Máquina Zero
    Temporariamente fora de serviço!!!!
    Julgamento da Casa Pia
    Assassino de polícias à beira da libertação?
    A tolinha Nayma e o pragmático Obikwelu
    A Esquerda no seu melhor
    Zita Seabra, a estalinista arrependida
    Igreja portuguesa afunda-se no esterco
    Assassínios políticos de Esquerda
    Capuchinho Vermelho agredido pela GNR
    Como funciona a blogosfera
    Arquivo
    Janeiro 2007
    Dezembro 2006
    Novembro 2006
    Outubro 2006
    Setembro 2006
    Agosto 2006
    Julho 2006
    Junho 2006
    Maio 2006
    Abril 2006
    Março 2006
    Fevereiro 2006
    Tema: Contempt por Vault9.

  52. Caturo diz:

    Caturo
    Felizmente você não é dono de Portugal, e sua opinião não representa de forma nenhuma o seu país,

    Representa-o mais do que a sua, enquanto Portugal for Portugal.

    De resto, eu sou realmente dono de Portugal, sem apelo nem agravo – pura e simplesmente porque sou português. E ninguém tem qualquer autoridade, de qualquer espécie para me dizer o contrário, muito menos um brasileiro, especialmente um brasileiro que tanto odeia Portugal.

    e muito embora, eu não tenha intenção nenhuma, se eu quiser ir a Portugal, não é você quem vai me impedir, existem pessoas civilizadas aí, das quais eu tenho certeza de que você não faz parte, você não tem poder nenhum para impedir ninguém

    Nem você tem poder para me impedir de desmontar as suas aldrabices e repugnâncias, típicas de quem não tem nem vergonha nem respeito.

    Quanto ao tal gene R1a, eu hoje percebo que você é mais burro do que eu pensava,

    Burro és tu e de que maneira. Um autêntico atrasado mental, um mentecapto nojento que se limita a debitar a sua imbecil cassete. Nem sequer sabes o que é o R1a – por conseguinte és tu quem tem de ir aprender (coisa de que duvido que sejas capaz).

    De acordo com as mais atuais pesquisas genéticas, de acordo com o projeto genoma, de acordo com os maiores institutos científicos do mundo, depois do mapeamento genético do ser humano, não foram encontrados genes raciais,

    Mete essa teoria na cloaca em que vives. Estes mapas que te chapei na cara não foram feitos pelo Hitler. São, pelo contrário, bem recentes. Informa-te.

    Quanto à questão do genoma, também já te espetei com o artigo que deita por terra toda a essa converseta barata e estupidamente desonesta de que «não há raças».

    Há raças sim – e até as crianças o reconhecem, sem que seja preciso um «nazi» para lhes explicar isso. E tanto há raças que tu e os teus donos se esforçam noite e dia para o negar, fazendo uma revoltante e asquerosa lavagem (leia-se «poluição») cerebral às populações ocidentais.

    Quanto à sua atitude racista, arcaica, preconceituosa e acima de tudo ignorante, você está se colocando contra a história

    Mete nesses cornos atrofiados que não és dono da História. Nem tu nem sequer os teus donos. A História é feita pelos homens. Não é o planozito da treta que os teus tutores mentais querem dar por adquirido e indiscutível.


    Quanto ao fato de você achar que eu sou recalcado e que tenho algum tipo de raiva de Portugal, isto é uma estupidez,

    Tanto não é estupidez que ficou bem provado pelas tuas próprias palavras. É que tu nem sequer foste capaz de justificar essa imbecilidade de os Portugueses terem de pedir desculpa. Prometeste que o fazias, mas nada. É dos nervos, já nem consegues pensar (aliás, nunca conseguiste, mas agora estás pior).

    não preciso de Portugal e nem do povo Português e sei que a recíproca é verdadeira,

    Óptimo.

    nunca em toda a minha vida em nenhum momento, eu pensei em ir a Portugal para fazer qualquer coisa que seja, mesmo que fosse fazer turismo,

    Excelente.

    a presença de Portugal na minha vida pessoal é nula,

    Magnífico… «continúí ássim, ‘viu?…»

    o fato é que eu considero Portugueses como seres humanos como qualquer outro ser humano neste planeta, nem melhores e nem piores que qualquer outro povo

    Pois, mas «tendo de pedir desculpa pelo seu passado»… que sonsice mais ridícula, sujeito. Assume-te de vez.

    Quem é recalcado é você, ou pelo menos paranóico, talvez por algum tipo de inveja infundada contra os outros povos que habitam seu país, que migraram ou são descendentes de migrantes e que possuem o mesmo direito que você,

    Não, rapazelho ignaro e rancoroso, os estrangeiros não têm em minha casa os mesmos direitos que eu. Não têm e nunca jamais em tempo algum o terão, legitimamente falando.

    muitos estão a busca somente de sustento da mesma forma que honestamente os Portugueses vão a outros países também para conseguir melhorar de vida,

    Se é para isso, então que se limitem a trabalhar. Não precisam de ter direitos iguais aos meus.

    Portugal não é melhor que nenhum país, nem Europa é o Eldorado, quem acha isto e quem acha que todo mundo em outros países quer ir para a Europa e ficar, está redondamente enganado. No Brasil sabemos que a maioria dos emigrantes que vão para outros paises não tem sucesso algum.

    Então trata de dizer isso aos teus compatriotas todos, com cartazes no meio da rua, com um aviãozito a puxar uma faixa pelos ares, etc., para ver se os teus compatriotas que cá estão voltam todos, todos mesmo, para aí.

    No mais Caturo, apesar da sua desinformação da situação populacional da Europa , apesar de se achar dono do seu país, apesar da sua prepotência em se achar melhor que alguém

    Tu é que achas que és melhor do que quem pensa de modo diferente do teu, favelado – e tanto assim é que resolveste insultar-me. Para teu azar, os insultos que atiraste para o ar caíram-te todos em cima dos cornos, porque o que ficou aqui provado foi, não apenas a tua crassa ignorância, mas também a tua indigente incompetência argumentativa.

  53. piloto diz:

    Meus caros brazucas, esperem que eu apanhe um brazuca aqui em Portugal e que esteja ilegal ñ descansarei em quanto esses borrabotas ñ forem expulsos, E EU APELO A TODOS OS NACIONALISTAS QUE OS DENUNCIEM E AOS QUE LHE DÃO ALBERGE, a que lutar contra esta praga e CATURO espero que te juntes a esta causa temos todo o direito de lutar por um país limpo desta escumalha e outros basta de fabelas e moceques em PORTUGAL, ja passa de 2000 camaradas e quantos mais melhor VAMOS JUNTOS ATE A VITORIA.

  54. WSA diz:

    Caturo.

    Não odeio Portugal, em nenhum momento eu disse isto, só não entendo este ódio sem qualquer tipo de razão que você e outros demonstram aos imigrantes, não aceito o racismo, não só do povo Português, mas de qualquer povo.

    Com relação a não existência de genes raciais, eu já coloquei 3 links para que você leia, e até ouça, se quiser que eu passe também as conclusões do projeto genoma que foi o único projeto até hoje que mapeou os genes humanos, eu também posso mostrar, qualquer lixo que você quiser me impor que não tenha qualquer referência científica séria, eu não vou me dar nenhum trabalho sequer de ler, eu só espero que você saiba ler inglês, pois a maioria da conclusões são de Institutos Americanos e faço isto sem provocação, se você acha que tem mais capacidade que os pesquisadores de Harvard e de todos os biólogos mais renomados do mundo então que demonstre a sua tese, ficarei satisfeito em ler e se for o caso, gargalhar também.

    Falo mais um vez. Aqui no Brasil, o povo Português pode ficar tranqüilo que nunca vai ser tratado com preconceito, e eu não vou sair caçando nenhum Português para expulsar, meu caminho é outro, minha consciência é outra, respeito o povo Português.

    Eu não disse que o povo Português deveria pedir desculpas a mim, disse que o povo racista Português (e isto parece ser o seu caso), deveria sim pedir desculpas aos povos colonizados pela barbárie cometida, se a carapuça serviu e você é racista, então paciência, não falei de todos os Portugueses e deixei isto bem claro. Nosso presidente que não tem nenhuma ligação com a escravatura, chorou e pediu desculpas ao povo africano, se o Brasil que não cometeu nada pediu desculpas e entende o lado do sofrimento do povo africano, porque eu acharia que seria normal que descendentes de um povo que descriminou e explorou outros povos, não deveriam pedir desculpas por estar pensando de uma forma arcaica e usando um preconceito tão exacerbado como o que você demonstra? Todo e qualquer racista no mundo, deve sim pedir desculpas ao mundo todo, enquanto não o fizer, ainda estará carregando o carma do passado.

    Vou usar de um absurdo, mas que me perdoem, existem muito mais Portugueses no Brasil que Brasileiros em Portugal, quer inchar o seu país? Então pela sua concepção seria interessante para o Brasil esta troca, só que como eu acabei de dizer isto é um absurdo descabido e ninguém aqui vai fazer nenhum tipo de manifestação para que os Portugueses saiam daqui, podemos fazer festa para os que estão aqui para que entendam que o povo brasileiro aceita e respeita o povo Português, sua provocação não tem nenhum nexo.

    Eu gostaria que você entendesse que no Brasil existem favelas sim, mas existem muitas cidades com o padrão de primeiro mundo, não sei se isto é vantagem nenhuma, nunca falei que aqui não existem problemas, no estado onde eu moro por exemplo, não existem favelas. As pessoas que moram em favelas em sua grande maioria são pessoas dignas que somente não são agraciadas pela sorte, você acha que é melhor que alguém por causa disto? Bom, acho que você já demonstrou o contrário, preferiria ser um favelado feliz do que um grosso racista e muito burro por sinal.

    Você não enxerga que negar direitos a outros também é negar direitos a você mesmo? Já pensou se todos os povos do mundo pensassem como você? Felizmente o mundo é outro meu caro, seu pensamento não encaixa em um mundo civilizado.

    Eu estou ficando confuso, não sei se ao escrever eu estou mostrando um ponto de vista diferente, ou alimentando a paranóia, preciso começar a refletir sobre isto.

    Caturo, eu queria lhe fazer umas perguntas: Se alguém acha que matar é bom e você acha que não, será que você se acharia melhor que esta pessoa? Isto seria somente questão de opinião? Questão de pensamento diferente? Você não entende que o que você acha normal pode ser crime para o entendimento de outra pessoa?

    Para terminar, eu não me acho melhor do que quem pensa diferente de mim, aqui no Brasil, o que o Caturo fez, faria com que a polícia fosse o buscar em casa para ser processado e preso, portanto para o meu conceito, você é criminoso, não é questão de pensar diferente, é questão de agir diferente a questão é não aceitar pois seu tipo de pensamento para mim é crime, previsto em lei no código penal brasileiro e são atos repudiados em todo mundo, talvez agora entenda o meu ponto de vista.

    CHICO PÉDEMESA.

    Pega leve irmão, eu sou heterossexual, mas isto não é motivo para insultar os homossexuais, não estou me voltando contra você não, estou só dando um toque, não acho que se deva combater a intolerância com a intolerância. Quanto ao que você disse sobre o Caturo não representar o povo Português, eu estou bem ciente disto.

    Um grande abraço irmão.

  55. Caturo diz:

    O chico pédemesa é outro favelado que só pensa em enrabanços… repare-se na quantidade mensagens que esse bardamerda escreveu a falarem exclusivamente disso… enfim, por algum motivo é já bem sabido que uma das maiores exportações do Brasil é… prostituição masculina, ahhahahahh. E este chico deve estar a preparar-se para salta lá duma favela qualquer para um subúrbio de Paris, onde vai vender o seu próprio ânus a preços mais em conta do que aqueles que pratica lá na sua favela…

  56. Caturo diz:

    WSA Says:
    Janeiro 29th, 2007 at 10:42 pm
    Caturo.
    Não odeio Portugal, em nenhum momento eu disse isto,

    Disseste-o de maneira quase directa com as tuas atoardas consecutivas contra Portugal. E de tal modo irracional é o teu ódio que nem sequer foste capaz de defender a tua posição com argumentos sólidos – pudera, trata-se de pura irracionalidade da tua parte. Baba de rancor que pende desses queixos impotentes.

    só não entendo este ódio sem qualquer tipo de razão que você e outros demonstram aos imigrantes,

    Também eu não disse que odiava os imigrantes.

    Com relação a não existência de genes raciais, eu já coloquei 3 links para que você leia,

    Não adianta, brasuca, estares a falar em «ler», se tu próprio, quando lês(?), não compreendes. Nem sequer entendes que uma coisa é falar em raças outra é falar em genes próprios de certos povos. És de tal modo ignaro sobre o assunto que não entendes que mesmo os cientistas que dizem que não há raças, não estão a dizer que os povos estejam todos a igual distância, geneticamente falando, mas sim que as diferenças existentes não são suficientes para que se lhes possa aplicar a designação de raça.

    Mas mesmo esta ideia de que não se pode falar em raças também foi inteiramente deitada por terra pelo texto do link que eu te mostrei. E sim, este texto também fala do tal «projecto genoma».

    qualquer lixo que você quiser me impor que não tenha qualquer referência científica séria, eu não vou me dar nenhum trabalho sequer de ler,

    Claro que não – os teus donos não te deixam.

    Eu não disse que o povo Português deveria pedir desculpas a mim, disse que o povo racista Português (e isto parece ser o seu caso), deveria sim pedir desculpas aos povos colonizados pela barbárie cometida,

    E eu expliquei porque é que isso é uma estupidez nojenta e rancorosa. Sobre a minha explicação, nada de jeito conseguiste dizer. Limitaste-te a balbuciar uma série de imbecilidades e de repetir, acefalamente, o que já tinhas guinchado.

    Aliás – tu não tinhas sequer falado em «Portugueses racistas». Primeiramente, falaste simplesmente em «Portugueses». Chegaste ao ponto NOJENTO de dizer que os Portugueses tinham de renunciar ao seu passado. Portanto, não estejas agora a querer fugir às tuas próprias palavras. Ao menos tem a dignidade de as assumires.

    não falei de todos os Portugueses

    Falaste de todos os Portugueses falaste. É preciso eu citar o que tu próprio disseste ou calas-te já com isso?

    Nosso presidente que não tem nenhuma ligação com a escravatura, chorou e pediu desculpas ao povo africano, se o Brasil que não cometeu nada pediu desculpas e entende o lado do sofrimento do povo africano, porque eu acharia que seria normal que descendentes de um povo que descriminou e explorou outros povos,

    Em primeiro lugar, aquilo que os brasucas fazem é lá com eles.

    O Brasil não é, em caso algum, exemplo para Portugal. Era o que mais faltava, que viessem brasileiros dar-nos lições de moral ou de comportamento.

    Em segundo lugar, já te foi explicado porque é que Portugal não deve desculpas a absolutamente ninguém pelo seu passado: porque os filhos não são culpados pelos supostos crimes dos pais, e porque, se se quiser falar em responsabilidades históricas, então são os Africanos, e os Brasileiros mestiços e negros, que devem eterna gratidão a Portugal, porque Portugal, juntamente com outras nações europeias, aboliu a escravatura.

    Vou usar de um absurdo, mas que me perdoem, existem muito mais Portugueses no Brasil que Brasileiros em Portugal, quer inchar o seu país?

    Não era um grande inchaço. Existem no máximo um milhão de portugueses no Brasil. Mas ainda que sejam quatro milhões. Ou cinco, até. Cabem bem em Portugal. Aliás, a Holanda, que é bem mais pequena do que Portugal, tem dezasseis (16) milhões de habitantes. Portugal tem dez milhões.

    Eu gostaria que você entendesse que no Brasil existem favelas sim, mas existem muitas cidades com o padrão de primeiro mundo,

    Mas, na generalidade, o Brasil não faz ainda parte do primeiro mundo.
    Ora como é isso possível?
    O Brasil tem riquezas imensas, potencial para estar ao nível, se não dos EUA, pelo menos da Austrália ou do Canadá… porque é que não está sequer ao nível dos países mais pobres da Europa?

    Já agora, qual é a parte do Brasil mais desenvolvida? Não é o sul, habitado maioritariamente por gente de raça branca?…

    As pessoas que moram em favelas em sua grande maioria são pessoas dignas que somente

    E muitas delas são criminosas. Ou vais negar isto? Vais negar que o Brasil é dos países do mundo com mais criminalidade, que o Rio de Janeiro é das cidades do mundo com mais homicídios cometidos por criminosos, que no Brasil a polícia desce à indignidade de ter de dialogar com grupos de criminosos como se forças políticas se tratassem?
    Vais negar isto, para, além de já teres mostrado que és ignorante e atrasado mental, também és mentiroso?

    Você não enxerga que negar direitos a outros também é negar direitos a você mesmo?

    Que ridículo. Agora dizer que em minha casa tenho mais direitos do que um estranho, é negar os meus próprios direitos…
    Ó sujeito, instrui-te. Tenta ao menos passar da quarta-classe, não sejas como o passivo pé-de-mesa que abandonou a escolaridade na segunda classe para ir vender o corpinho lá no morro da Tijuca ou lá o que é…

    Já pensou se todos os povos do mundo pensassem como você?

    Era perfeito – ficava cada um na sua terra.

    Felizmente o mundo é outro meu caro, seu pensamento não encaixa em um mundo civilizado.

    E é um favelado que me vem dizer isso… ahahahahahh

    Caturo, eu queria lhe fazer umas perguntas: Se alguém acha que matar é bom e você acha que não, será que você se acharia melhor que esta pessoa?

    Eticamente, sim.

    Você não entende que o que você acha normal pode ser crime para o entendimento de outra pessoa?

    Só se essa outra pessoa for um fanático a querer criminalizar uma opinião política.

    Nos países realmente mais civilizados, caro brasuca, toda a gente tem o direito de expor as suas ideias políticas sem ser criminalizado por isso.
    Mas enfim, Democracia é outra coisa… é luxo de branco, entendes…

    Para terminar, eu não me acho melhor do que quem pensa diferente de mim, aqui no Brasil, o que o Caturo fez, faria com que a polícia fosse o buscar em casa para ser processado e preso,

    O que só mostra a desgraça repelente que o Brasil é. Nem sequer tem liberdade de expressão. Estás a perceber porque é que eu e outros portugueses não queremos cá brasileiros?

    É que não trazem mesmo nada, nada, rigorosamente nada de bom.

    Pensando bem… mas o que é que haverá de bom nesse buraco fétido?… Algumas actrizes brancas… algumas indústrias… ah, e um movimento nacionalista branco no sul…

  57. Caturo diz:

    Caturo brasileiro,

    Não foram apenas os Judeus que fizeram a grandeza imperial de Portugal. Não te deixes enganar por mais essa atoarda da propaganda pró-judaica e subtilmente anti-portuguesa. O que os Judeus fizeram foi aproveitar o manancial de exploração comercial que foi conquistado pela força pelo braço armado dos Portugueses de gema.

  58. EU SÓ VENHO NESTE BLOG POIS O ESTADO BRASILEIRO NÃO PODE LEGISLAR SOBRE O TERRITORIO PORTUGUES, POIS SE EU COLOCASSE OS MEUS COMENTARIOS NUM SITE BOSTILEIRO ACABARIA PROCESSADO!!!

    O BRASIL É UMA FALSA DEMOCRACIA; OS PRETOS DO RIO DE JANEIRO PODEM USAR CAMISAS COM O SLOGAN 100% PRETO, MAS SE UM BRANCO EM QUALQUER OUTRA REGIÃO USAR UMA CAMISA COM O SLOGAN 100% BRANCO É PRESO ACUSADO DE NAZISMO – HAUHUAUHA!!!

    UMA BOSTA DE PAÍS DESSE AINDA QUER SER CHAMADO DE DEMOCRACIA LIVRE!!!

    SÓ ACHO QUE BRASIL E PORTUGAL DEVERIAM COLABORAR PARA DEVOLVEREM OS NEGROS DE VOLTA PARA A AFRICA, JÁ QUE ELES AMAM TANTO A RAÇA DELES(AO MENOS DA BOCA PARA FORA, CLEAR)!!!

  59. CARA; SÓ PEÇO QUE POR FAVOR RESTRINJA VOSSAS CRÍTICAS AOS BRASILEIROS NÃO-BRANCOS E AOS BRASILEIROS TRAÍDORES DA RAÇA BRANCA, POIS EU SEI QUE EM PORTUGAL TAMBÉM EXISTEM MUITOS TRAÍRAS DE NOSSA SACRA RAÇA!!!

  60. COMO VC EXPLICA QUE ASSIM QUE O GROSSO DOS JUDEUS ABANDONARAM PORTUGAL, A HOLANDA E INGLATERRA ULTRAPASSARAM OS IBÉRICOS???

    OUTRA: NA ÉPOCA DE ROMA, ERAM OS ÁRIO-MEDITERRANEOS E NÃO OS NÓRDICOS QUEM DOMINAVAM A CIVILIZAÇÃO!!!

    E POR FIM: NA ÉPOCA DE ROMA, OS GERMANICOS NÃO PASSAVAM DE MEROS ESCRAVINHOS LOIROS CAPTURADOS A NOSSO SERVIÇO SEXUAL – HUAHAUUAH!!!

    SEM FALAR QUE ELES BANCAVAM NOSSOS CAPANGAS E GUARDA-COSTAS, MAS TUDO BEM – OS POVOS DO NORTE SÃO MAIS BELOS QUE NÓS MEDITERRANEOS, EMBORA NÓS SOMOS MUITO MAIS INTELIGENTES QUE ELES, CLEAR!!!

  61. ATG diz:

    Gostaria de saber o que te leva a odiar tanto o Brasil meu caro, por acaso conheces o Brasil ou a imagem que tens é aquela baseada em estereótipos, “macumba para turista”! O Brasil é tão imenso meu caro que são poucos os brasileiros que bem o conhecem, possui diferenças regionais enormes, cada estado com uma cultura própria, muitas vezes radicalmente diferente de outro. Há criminalidade sim, como há nos EUA, na Colombia, no México. Criminalidade esta motivada muito mais por problemas de ordem social que racial, como nos outros lugares que sofrem com este mal. Não gostas do sotaque brasileiro mas, graças ao Brasil o português é uma das línguas oficiais da ONU, e a quinta mais falada no mundo ocidental. Portugal sozinho não teria esse poder. É hilário tu falares em democracia quando o que tu representas é o que há de mais retrógrado. Quanto ao que disses que há de bom no Brasil, é de um primarismo mental absoluto, típico de quem não conhece nada, mas nada mesmo sobre o Brasil. Seria o mesmo que dizer que o que há de bom em Portugal é o vinho, cortiça, azeite de oliva e os galos que mudam de cor quando está para chover!
    Na terra de Pessoa, Ferreira de Castro, Saramago, Manoel de Oliveira, pela lei das compensações, tem de haver idiotas como tu, felizmente uma minoria, raivosa e demente, mas minoria!

  62. WSA diz:

    Caturo.

    A máscara está caindo, já se contradisse, concordou comigo pelo menos que o projeto genoma disse que as diferenças existentes não são suficientes para que se possa aplicar a designação de raça, só ainda não estudou mais um pouquinho para entender que também não foram encontrados genes raciais, portanto, este tal gene ariano é simplesmente falácia, não existe, nunca existiu e nunca existirá.

    Usando um raciocínio simples, se as diferenças existentes não são suficientes para que se designe raças, mesmo que os mesmos parâmetros sirvam para designar raças, em cavalos, bois, cachorros, significa uma coisa simples: NÃO EXISTEM RAÇAS ENTRE OS SERES HUMANOS.

    Caturo, espero que viva bem com saúde durante muitos e muito anos, mas se algum dia você precisar de transfusão de sangue, um rim, um fígado ou mesmo um coração, você não vai ver escrito no recipiente do sangue por exemplo coisas como “Sangue branco, católico, nacionalista”, você vai ver sangue “A”,”A+”,”A-“, “O+”, “O-“,”AB+”,”AB-“, sem qualquer identificação de raça, pode ser que se o seu coração estiver parando, um coração de um negro posso pulsar no seu corpo, e isto nem de longe é ficção científica, é realidade. Nenhum médico no mundo que tiver que fazer uma transfusão vai fazer teste de raça, simplesmente porque não existem.

    Pode-se falar de raças sim, não cientificamente, mas socialmente, só que este conceito é tão irracional que não se pode levar a sério pois não tem nenhuma referência na realidade, sendo um conceito completamente arbitrário, definir raças através da cor da pele teria a mesma validade que definir raças pelo tamanho do nariz, a altura, o tipo sanguíneo, etc., ou seja não tem qualquer fundamento científico.

    Os filhos não são culpados pelo crime dos pais enquanto não cometem os mesmos crimes que os pais, principalmente se não aceitam o crime cometido como sendo crime. Se admiram o crime dos pais, mesmo que não o cometam ainda assim, no mínimo são mal caráter.

    Infelizmente, muito embora eu possa magoar os outros Portugueses, não há como negar o porque do Brasil não ser potência, mas está caminhando para isto, o problema foi o tipo de colonização Portuguesa, infelizmente o Português no passado, não veio aqui para construir como fizeram os ingleses nos Estados Unidos, vieram aqui para explorar, Brasil era prisão de Portugueses, acabaram com o pau Brasil e até hoje sofremos para plantar novamente o que se tornou raro, levaram todo outro que foi possível, o Português no passado não veio aqui para construir um país, veio para se aproveitar das riquezas naturais.

    Caturo, visite o Brasil, você vai encontrar todas as facilidades que encontra em Portugal, em alguns locais, vai encontrar situações de desenvolvimento que você não vai encontrar em todo Portugal, da mesma forma que eu tenho certeza que em Portugal também tem pobreza, da mesma forma, como eu tenho certeza que vai encontrar pobreza nos Estados Unidos por exemplo, vocês tem uma imagem muito esquisita do meu país que não corresponde à realidade, temos problemas sim e muitos, mas o que é bom me parece que não chega a outros países, as catástrofes e o lado ruim vendem mais manchetes.

    Um milhão de Portugueses no Brasil? Brasil tem mais 180 milhões de brasileiros meu caro. Só em São Paulo tem mais Brasileiros que Portugueses em todo território Português, agora você confirmou o que eu já sabia, você não entende a situação populacional da Europa, nem do mundo, você mesmo havia dito que a Europa estava ficando lotada por causa dos imigrantes, agora fala que cabe mais, além do mais, falando de Europa, você esqueceu até dos incentivos na Alemanha para aumentar a população, você não entende mesmo de demografia meu caro.

    Um milhão he he he he he, só rindo, 4 milhões, 5 milhões, ainda está longe, mas juntar os brancos portugueses com os brancos brasileiros para expulsar os negros brasileiros para África, isto é uma idéia absurda de um louco paranóico, eu estou perdendo o meu tempo falando com uma pessoa que deveria estar em um hospício e trancado a sete chaves.

    Se algum Português inteligente pegar o Caturo pela rua, o internem rapidamente no manicômio mais próximo, eu acho que ele deve ter fugido de algum.

    Quanto ao respeito do povo brasileiro pelo povo Português, eu gostaria de informar, que o tema da escola de Samba da Mangueira neste Carnaval é em homenagem ao povo Português e à língua portuguesa, será que os brasileiros são rancorosos com alguma coisa?

    A parte mais desenvolvida do Brasil é o Sudeste miscigenado (desenvolvido mas com grande massa populacional que cria as desigualdades), depois o Sul, cuja concentração de pessoas de pela clara é realmente superior ao restante do Brasil, mas onde o negro e o mestiço estão muito presentes, mas mesmo o Brasil sendo colonizado por Portugal, a origem das pessoas de pele clara do Sul em sua grande maioria é de descendentes de Alemães, Italianos e não de Portugueses, no entanto, as pessoas do Sul não nutrem este seu ódio racial. Devo confessar que eu viajei muito para o Sul e a única diferença que eu encontrei, é que os meninos que pedem esmolas descalços no meio da rua, são louros de olhos azuis, o problema é a péssima distribuição de renda, Portugal loteou o Brasil, não lembra? Ou não sabe? E quem tinha direito pelas terras eram os Portugueses, negros ainda estão conquistando seu direito, não tiveram a herança da terra, mesmo que na maior parte do tempo tenham construído com as mãos este país, e mais recentemente na história com ajuda dos nordestinos. O povo brasileiro como um todo é um povo maravilhoso.

  63. WSA diz:

    Caturo.

    O governo brasileiro, pelo menos o atual, entende a luta e a história do povo negro neste país e é por isto que um negro, ou pardo, ou índio, ou até um branco usar uma camisa com os dizeres 100% negro, é uma homenagem ao povo negro, na verdade é para todo o povo brasileiro, usar uma camisa 100% branco seria uma simples provocação, vai chegar um dia em que o negro não vai precisar reafirmar sua auto-estima, se um branco usar uma camisa 100% negro (coisa que não é difícil de encontrar, eu mesmo já vi algumas vezes), garanto que grande parte dos negros vai se sentir homenageado com isto. Esta camisa de 100% negro é usada em todo o território nacional e a grande maioria de quem se considera branco entende que isto nem de longe é provocação nenhuma.

    Nenhum negro aqui neste país prega a supremacia, estão apenas desejando igualdade, não sei se dizendo isto eu faço com que você entenda a situação dos Cabo-Verdianos aí em Portugal com os quais você não consegue se identificar, talvez um dia em alguma geração os filhos de imigrantes africanos se sintam Portugueses como acontece aqui com os filhos de imigrantes no Brasil. Quem nasce aqui quer ser brasileiro e muitas vezes quem não nasce também.

  64. piloto diz:

    Ñ TE PERCEBO VERA ÉS PRÓ OU CONTRA O NACIONALISMO PORTUGUES?

  65. piloto diz:

    Lembra-te é a nossa PATRIA é por direito desfendela,ser nacionalista ñ é um erro, mas sim um amor como um filho tem a uma mãe.

  66. piloto diz:

    Eu digo-vos o que esta mal, é darem a nacionalidade a ñ importa quem e ter-mos que engolir ideias abessurdas como as do B.E, estes esquerdistas de merda aproximaram-se do povo portugues a falar muito bem dos problemas do dia-a-dia que nos afecta e o povo confiou neles, mas para quê mal meteram o cú na assembleia da replublica esqueceram-se logo e viraram-se para dar no que se vê.

  67. WSA diz:

    Outra
    (poderia ter um apelido mais inteligente).

    Não falei sobre a formação do povo brasileiro em geral, falei sobre a formação do povo do Sul do Brasil, não é de colonizadores, é de imigrantes e esta pode ser uma razão para o desenvolvimento da região, eles não vieram aqui para explorar, vieram para morar, diferentemente da mente colonizadora de Portugal na época da colonização.

    Não disse que o Brasil é um paraíso racial, mas pelo visto, em comparação a Portugal, aqui é o Éden, não tem comparação com Portugal, mesmo que existam diferenças sociais que podem sim ser ligados a conceitos de raças sociais em que existe sim uma diferença de renda devido ao passado da escravatura, não existem confrontos abertos contra os que muitos em Portugal consideram como raças ou como imigrantes.

    O Brasil é um misto de diferentes povos de todo o mundo, de diferentes origens em que não existe a intolerância, em que existe a proteção contra o racismo por lei, não é uma questão de defesa de uma etnia e de defesa de todo o povo brasileiro, pois se um considerado negro ofender racialmente um considerado branco, estará sujeito às mesmíssimas leis.

    O Português está se expandindo pelo mundo com o sotaque brasileiro. Só corrigindo com toda educação o amigo ATG, o Português é a terceira língua mais falada no mundo ocidental e não a quinta, só perde para o Inglês e o Espanhol, se você tirar os 10 milhões de Portugueses (segundo Caturo), evidente não que se deva excluir, ainda continuaria sendo, ou seja, Português é mais falado que Francês, Alemão, Italiano, etc….

    Caruto, você falou sobre desenvolvimento da região, PIB é fator sim de determinação de desenvolvimento de uma região, falar de IDH é muito relativo, principalmente falando em regiões, o melhor IDH do Brasil dentre as capitais fica no Centro Oeste, no Distrito Federal, a maior renda percapta também, então, onde umas regiões são mais desenvolvidas em um ponto, outras são mais desenvolvidas em outros pontos, só que não interessam as regiões, mesmo no Sul, vai encontrar favelas em todos os Estados, o problema no Brasil é a divisão de renda e neste caso, isto não esta ligado a nenhum tipo de influencia racial positiva como você queria determinar e sim histórica, talvez sim da diferença entre imigrantes e colonizadores no caso do Sul. O Brasil é um país como um todo, venha aqui e confirme, vá ao Sul e veja se o que eu estou falando não é verdade, vai encontrar muitos descendentes de Alemães e Italianos além de outras nacionalidades que vieram aqui e ajudaram sim a desenvolver o país. Se você acha que não tem alemães no Brasil, venha visitar o Brasil em outubro e dê uma chegadinha na Oktoberfest em Blumenau Santa Catarina, é a segunda maior festa de tradições germânicas no mundo, só perde para Oktoberfest na própria Alemanha, aliás, segundo os organizadores, Blumenau é a maior cidade alemã das Américas.

    Veja por você mesmo, visite o site:

    http://www.oktoberfestblumenau.com.br/internas.asp?ID=3

    Eles usam a palavra colonizares, mas o fato é que são imigrantes.
    Brasil é um conjunto de povos sem conflito racial declarado.

  68. WSA diz:

    Não é vantagem nem desvantagem nenhuma ser descendente de Alemão, as pessoas distorcem tudo, o que eu quis dizer é que não existe qualquer tipo de ligação entre raças no Brasil e desenvolvimento regional, a ligação é com o papel que cada individuo prestou aqui e a disposição e com qual intenção chegaram ao Brasil. Quanto a estas estatísticas de não branco, isto é uma coisa muitíssimo discutível, não vou nem sequer entrar no mérito.

    Chamar as leis contra o racismo como leis de mordaça, é o mesmo que dizer que assassinato não é questão de violência, é questão de opinião. O fato é que o racismo é uma das formas mais podres de violência que deve sim ser reprimida legalmente. Se um branco, negro, ou o que quer que seja é racista, isto é problema interno de cada um, a partir do momento que expressa este racismo, passa a ser problema do outro que foi ofendido. Durante toda a história do país, e diga-se de passagem que as leis contra o racismo são recentes, não houve no Brasil uma forma aberta de racismo, portanto isto não mudou, além disto, basta ver nas estatísticas, o crime de racismo praticamente não ocorre, quando ocorre é motivo de manchetes, mas isto não significa que não exista o racismo velado, em nenhum momento eu disse que não existia isto.

    Eu acho que realmente o pessoal aqui tem um profundo desconhecimento do que seja o Brasil, eu também não sei de onde tiram esta idéia que ser Europeu é alguma vantagem, eu estou simplesmente falando sobre a origem do país. Não posso falar pelos Estados Unidos, mas no Brasil a presença de todos os povos é grande, mas todo mundo sabe que a presença de imigrantes não Portugueses no Sul do Brasil pelo tipo de colonização é sim responsável pelo desenvolvimento da região.

    Não é preciso pensar muito não, não existe nenhum povo, friso NENHUM POVO, que foi colonizado pelo povo Português que tenha crescido e se desenvolvido, se a Austrália, Canadá, Estados Unidos, são desenvolvidos, isto se dá pela forma de colonização da Inglaterra, se o Brasil se tornar potência e isto vai acontecer mais dia menos dia, conseguirá APESAR da colonização portuguesa. Definitivamente não há como associar o desenvolvimento do Sul (que nem é o maior do país, diga-se de passagem) com a colonização Portuguesa, o desenvolvimento se deu pelos outros imigrantes Europeus, mas se agora os Portugueses também se beneficiaram com isto, isto é outra história.

    Alguém me diga no mundo qual o país que foi colonizado por Portugal que tenha crescido e se desenvolvido? Isto nem poderia acontecer, a mentalidade era de exploração sem respeito nenhum.

    Eu estou aqui falando sobre questões históricas, continuo respeitando os Portugueses que não são racistas e que respeitam o povo Brasileiro, não aceito o racismo, estou só desenvolvendo meu ponto de vista, mesmo que isto seja dolorido.

    Não estou discutindo se Blumenau é ou não insignificante para o Português, mas para o povo brasileiro, Blumenau é extremamente importante, principalmente pela produção de tecidos e outros produtos manufaturados, só que a presença Alemã não se limita a Blumenau, não, mas não vou me ater a isto, pois prefiro falar no Brasil como um todo que é um país multirracial e multicultural e que não admite pela sua legislação qualquer manifestação racista, seja ela de negros, de brancos, de índios, de japoneses (imigrantes importantes também) , se algum branco se achar ofendido, antes de achar que as autoridades vão rir, deveria primeiramente procurar antes de falar o que não tem conhecimento, a lei é feita para todos e não existem distinções entre as raças nos termos da lei, mas se por acaso isto for verdade, então alguém deverá refletir o porque ao invés de assumir que isto seja um erro, se isto for verdade, o fato de que um negro seja racista contra um branco é tão ridículo que seja até motivo de riso.

  69. WSA diz:

    Eu só penso que se alguém quer usar de sua ignorância e pregar o ódio racial, pelo menos que nunca use meu apelido, é só um pedido, tem coisas escritas acima com meu nick que eu não escrevi.

    Não vou me irritar com a ignorância e o desespero, isto só denota que meus argumentos feriram sem sombra de dúvidas toda a bobagem racista. Ku Klux Klan no Brasil, negros morrendo queimados por ódio racial? faça me um favor !!, é piada de mal gosto, nunca houve e pelo temperamento do brasileiro, nunca haverá, pelo menos em nenhum noticiário eu sequer vi mencionado isto, agora se isto existe na ficção, não é do meu interesse. Na verdade posso garantir que no Brasil pós escravatura, não existe registro de assassinato por ódio racial. No Brasil existem crimes de assassinato sim como existem em todos os outros países, mas não motivado por ódio racial.

    Alguém já viu alguma manchete de pessoas que mataram outras por ódio racial aqui no Brasil? Se isto acontecesse pelo menos uma vez na história, a imprensa internacional caia de pau em cima do Brasil, aqui não pode acontecer nada de ruim que logo é transmitido para os quatro cantos do mundo, um assassinato por motivos raciais seria algo tão inédito que seria uma mancha indelével ao país, se isto acontecesse aí em Portugal que pelo que eu vi o nível de racismo não dá para se comparar com o Brasil, já seria algo que não seria perdoado, já pensou aqui no Brasil então? Aliás, atos como este não seriam mais aceitos facilmente em nenhuma parte do mundo.

    Fico contente em perceber que certas pessoas deixaram de lado toda a argumentação racista, pois demonstrei até agora todos os meus pontos de vista.

    Quanto aos judeus, o que eu tenho a dizer é que no Brasil são um povo pacífico e não será nada difícil encontrar judeus que sejam amigos de palestinos e outros povos Árabes aqui, convivendo na mais perfeita paz, aliás enquanto a guerra ocorre solta entre Israel e Palestina, aqui no Brasil não cansam de mostrar reportagens sobre judeus e Árabes vivendo em paz aqui no meu país.

    Podem falar de um monte de problemas no Brasil, podem falar até de muitos absurdos que ocorrem aqui, mas crimes por ódio racial é uma idéia sem qualquer fundamento.

    A Ku Klux Klan, não é proibida, mas vale de quê? Hoje se resume a um bando de malucos que toda a população rejeita, sendo que vivem o tempo todo vigiados, que graça tem viver do lado dos derrotados principalmente em seus conceitos irracionais enquanto o mundo vive uma outra realidade? Não podem manifestar seu racismo na prática e se forem nas ruas para demonstrar o racismo, vão simplesmente ser ridicularizados, isto não é liberdade de pensamento, ao invés de os calarem com leis, como faríamos aqui, o mais provável é que sejam calados na pancada, é coisa de idiota mesmo, para dizer a verdade, são dignos de pena .

    Noutro dia, em um programa americano que nem é muito visto na Califórnia se não me engano, um louco queimou uma bandeira brasileira, aliás, o maluco toda a semana queima uma bandeira brasileira no programa, já queimou outras antes também de outros países, o povo brasileiro que vive lá esboçou um protesto, mas disseram lá que não poderiam fazer nada em nome da liberdade de expressão, isto foi informado ao Ministro das Relações Exteriores e ele disse que não se pronunciaria, na minha opinião, está correto e eu também não vou me pronunciar contra ou a favor das leis americanas a não ser que eu faça isto com americanos, aliás, eu tenho debatido muito sobre questões dos Estados Unidos e Brasileiras com americanos, mas aqui não é o local, a não ser que um Norte Americano se pronuncie.
    Sabe qual foi a reação de todo o povo brasileiro com este episódio? Nenhuma, se um insano americano que não sabe o que está fazendo comete uma loucura, então isto é um problema médico, não é problema nacional.

    O fato é que aqui as leis anti-racismo (na verdade acho que nem precisavam existir pela natureza do brasileiro, mas que é um reforço) fazem com que o mundo inteiro saiba que ninguém vai ser atacado sem punição aqui pela cor da pele, pelo idioma, pela religião, pelas escolhas sexuais, pela origem, pelos costumes e por aí vai, e isto deve sim ser motivo de orgulho para qualquer país, e veja bem, que não venham os Portugueses aqui demonstrar o seu racismo porque aqui vão presos, da mesma forma que foi um argentino que em um jogo de futebol dentro do campo ofendeu um jogador do São Paulo, ele saiu do campo direto para a cadeia, passou alguns dias, mas até hoje responde ao processo, foi preso somente porque ofendeu e ainda corre o risco de pegar 3 anos de cadeia só saiu com a promessa de voltar ao Brasil quando for chamado para responder ao processo. Sabe qual foi a reação do brasileiro, negro por sinal, quando foi ofendido? Chorou de raiva, mas não pagou com a mesma moeda, simplesmente denunciou a um policial. Se alguém quiser irritar um brasileiro no Brasil, é melhor dar um soco na cara porque aí vai receber o troco do que ofender a raça, isto para mim é simplesmente MARAVILHOSO. Viva a defesa dos direitos de todos os povos. Viva o Brasil.

    Um abraço também as Portugueses não racistas, é sempre bom reforçar que a questão não é contras os Portugueses, nem contra Portugal, é contra quem não respeita os brasileiros e outros imigrantes em Portugal, meu posicionamento é contra o racismo. Faça suas leis de imigração para que sejam cumpridas, mas não destratem quem está aí simplesmente procurando um meio melhor de vida, porque da mesma forma que existe imigrantes provindos de outros paises em Portugal, Portugal também tem emigrantes para todos os países do mundo. A questão é muito simples, não propague o ódio para não receber o ódio.

    Quanto ao ódio que propagam aqui, dá para se ver que são pessoas pouco instruídas, com raciocínio obtuso e sem objetivo, pois as idéias são completamente loucas e sem sentido, acredito que devam ser uma meia dúzia de Portugueses que tem a sua Ku Klux Klan particular, só estão fora de casa, ou seja, fora do manicômio, alguns deveriam talvez estar em um manicômio judiciário quem sabe?

    Em outra ocasião eu até posso falar da África, berço da escrita e da civilização, além de ser a base do nascimento de todos os seres humanos, África que foi maltratada e que teve seu caminho do desenvolvimento interrompido pela corrupção da escravatura estimulada pelos povos que todos conhecemos.

    Quanto à existência de raças, já estou cansado de sempre dizer a mesma coisa, leiam, estudem, todas as teorias racistas já caíram por terra e não é uma questão de achar, a questão é o que a biologia e antropologia tem como certeza hoje, somente um povo atrasado e de pensamento retrogrado é que pensa em superioridade de raças, aliás raças não existem para as ciências exatas, existem sim socialmente, mas tem somente como justificativa a ignorância humana.

  70. WSA diz:

    Nunca disse que o Brasil não tem miséria e nem fome, apesar de ser um grande produtor de alimentos, ainda existe o que eu canso de falar o que se chama má distribuição de renda, para se ter uma idéia, em apenas um local, na semana passada, eram despejadas várias toneladas de batata em um lixão, todos os dias, coisa absurda, era muita coisa mesmo, é necessário corrigir estas coisas, no entanto, com certeza não tem nenhum conflito racial no que diz respeito a agressões físicas ou morais.

    Eu não disse que existem subespécies humanas, não sou burro a este ponto, tem gente que gostou tanto de mim que está usando até meu apelido.

    Não existem nem raças e nem subespécies na espécie humana, com eu já disse, se usarmos os mesmos parâmetros científico para designação de raça em outras espécies, como porco, cavalo, galinha, cachorro, boi e por aí vai, cientificamente não existem nem subespécies e nem raças na espécie humana, isto é o que a Biologia, a antropologia e outras ciências tem como certeza hoje.

    Quanto às ofensas a povos que eu estou vendo aqui, não é de se estranhar que pessoas tão desinformadas tenham uma visão tão preconceituosa, isto tudo que estão dizendo, só mostra o preconceito de, que eu acredito seja uma minoria em Portugal, é estranho atribuir o pensamento racista de um povo a outro povo, quem não acredita em mim, que venha ao Brasil, só estão respondendo meus argumentos com intolerância descabida sem nenhuma informação consistente, mas o que esperar de pessoas ignorantes que nem sequer querem tirar proveito de ensinamentos, está parecendo o mesmo que conversar com mulas (sem querer ofender as mulas é claro).

    Quanto a Foz do Iguaçu, eu acho que já passei pela tríplice fronteira talvez mais do que 50 vezes, o total de dias que já fiquei em Foz, nem dá para contar, e não verifiquei nada de anormal com relação a temas raciais, aliás nunca vi nenhuma manifestação de racismo na região. Uma coisa que eu acho legal é que os Paraguaios na escola aprendem Português e muitos falam muito bem com o que talvez o Português consideraria um lindo sotaque brasileiro.

    As vezes dá vontade de rir de tanta bobagem que eu leio aqui, não dá sequer para levar a sério. Estou vendo um monte de idéias desconexas sem pé nem cabeça.

    Voltando ao tema, talvez esta loucura em as pessoas não se entendem seja uma das razões de imigrantes não se identificarem com a nacionalidade Portuguesa.

    Se alguém quiser ter acesso ao meu DNA, que saiba de início que não vai conseguir determinar raça, pois não existem genes raciais, agora se quiser saber meu fenótipo, é outra coisa.

    Abraços.

  71. Vera diz:

    HM? Piloto, que pergunta..! Sou pró-nacionalismo português.

  72. António Marcelo diz:

    «Não existem nem raças e nem subespécies na espécie humana, com eu já disse, se usarmos os mesmos parâmetros científico para designação de raça em outras espécies, como porco, cavalo, galinha, cachorro, boi e por aí vai, cientificamente não existem nem subespécies e nem raças na espécie humana, isto é o que a Biologia, a antropologia e outras ciências tem como certeza hoje.»

    Se o senhor tivesse viajado num autocarro cheio de pretos recentemente chegados das Ilhas Canárias mudaria de ideias.

    No ano 2005, caminho de Faro, fiz uma viagem naquelas condições de Madrid a Huelva. O governo socialista enviava esses imigrantes das Canárias a Madrid, cidade governada pelo Partido Popular. Os populares pagavam-lhes um bilhete para Andaluzia, governada pelos socialistas.

    Nunca esquecerei essa viagem. O cheiro era nauseabundo, a pesar daquela gente ter-se lavado no centro de internamento donde vinham. Sair e respirar ar limpo nas paragens era pior. Entrar de novo naquela gaiola era insuportável.

    Se qualquer «progressista» tivesse viajado naquela pocilga, sem dúvida nenhuma mudaria de ideias.

    Os nazis negam o holocausto. Os esquerdistas as raças e o «arrastão» (actividade intercultural praticada pelos jovens africanos em Portugal).

    O termo raça alude a cada um dos grupos nos quais se subdividem as espécies (homens e não humanos). As categorias étnicas humanas mais utilizadas são baseadas em caracteres biológicos visíveis (especialmente a cor da pele e as características faciais), os genes, e a identificação própria. O conceito de raça e a associação em raças específicas varia de acordo com a cultura e o tempo. Frequentemente provoca controvérsias por razões científicas ou pelo seu impacto na identidade social e na identidade política.

    A correcção política actualmente na moda tenta evitar este conceito e substituí-lo por etnias.

    Nesse caso:

    Os viajantes de «etnia africana» que encontrei na camioneta cheiravam a cebola crua e o fedor era insuportável.

  73. Caturo diz:

    ATG Says:
    Janeiro 30th, 2007 at 3:55 pm
    O Brasil é tão imenso meu caro que são poucos os brasileiros que bem o conhecem, possui diferenças regionais enormes, cada estado com uma cultura própria, muitas vezes radicalmente diferente de outro. Há criminalidade sim, como há nos EUA, na Colombia, no México. Criminalidade esta motivada muito mais por problemas de ordem social que racial,

    Dizes tu, brasileiro. Mas o que é facto é que a criminalidade violenta é muito mais abundante em países com grande população negra do que em quaisquer outros.

    Não gostas do sotaque brasileiro mas, graças ao Brasil o português é uma das línguas oficiais da ONU, e a quinta mais falada no mundo ocidental. Portugal sozinho não teria esse poder

    Pois, mas foi Portugal que fez isso. O Brasil só fala Português porque foi uma colónia portuguesa. Nunca esquecer isto…

    É hilário tu falares em democracia quando o que tu representas é o que há de mais retrógrado

    Sinal de que não sabes o que é Democracia.

    Quanto ao que disses que há de bom no Brasil, é de um primarismo mental absoluto,

    Trata-se duma questão de gosto… e és tu afinal quem revela primarismo mental, devido à imbecilidade dogmática que é aliás típica da tua laia. O melhor do Brasil é realmente a sua parte mais europeia. E a tua raiva está no facto de… eu ter mesmo razão. :)

    Na terra de Pessoa, Ferreira de Castro, Saramago, Manoel de Oliveira, pela lei das compensações, tem de haver idiotas como tu,

    Um atrasado mental rancoroso como tu não tem autoridade intelectual para determinar quem é idiota ou deixa de ser.

  74. Caturo diz:

    WSA Says:
    Janeiro 30th, 2007 at 4:42 pm
    Caturo.
    A máscara está caindo, já se contradisse,

    Não, não me contradisse. O que fiz foi explicar o significado dos «argumentos» que quiseste usar. Que seja preciso eu explicar-te isso, só mostra que andas aqui a apanhar bonés…

    concordou comigo pelo menos que o projeto genoma disse

    Não, brasuca, não concordei. Aprende a ler. O que eu fiz foi explicar-te o significado dessa treta de «não haver raças». Ao contrário do que um ignaro como tu pensa, o facto de haver quem diga que não existem raças, não serve para negar o facto de que há povos geneticamente mais próximos duns do que doutros. Ou seja, neste caso, Portugal está geneticamente muito mais próximo da Irlanda do que de Marrocos, como se vê no mapa dos haplogrupos que te espetei nas ventas.

    que as diferenças existentes não são suficientes para que se possa aplicar a designação de raça,

    Por acaso até são. Para essa parte da conversa, recomendei-te outro link. Claro que não o leste, ou se o leste ficaste em pânico babado, porque os teus donos não te prepararam para enfrentares a simples dúvida sobre as tuas imbecis certezas.

    Por conseguinte, brasuca, mete nos cornos que HÁ MESMO RAÇAS ENTRE OS SERES HUMANOS.
    Sem apelo nem agravo.

    E até os recém-nascidos sentem isso. Mas a tua laia é de tal modo degenerada que chega ao ponto de querer negar as evidências mais imediatas. Só através duma lavagem (leia-se «poluição») mental profunda se pode fazer uma obscenidade dessas.

    Caturo, espero que viva bem com saúde durante muitos e muito anos, mas se algum dia você precisar de transfusão de sangue,

    Mau argumento, porque o facto de haver possibilidade de transfusão de sangue entre raças não significa, nunca significou, que as raças não existissem.

    Mas, já agora, recomendo que tenhas tu cuidado (se fores branco), já que não é aconselhável para um branco receber sangue dum negro, devido ao perigo de anemia.

    um rim, um fígado ou mesmo um coração,

    Pois, mas actualmente as pessoas até de porcos podem receber orgãos. Quer isso dizer que te consideras da mesma raça que um porco. :)

    Mais um tiro no pé que deste em ti próprio. Não sabes sequer que os médicos têm de levar em linha de conta a raça dos pacientes para os tratarem. Há por exemplo medicamentos que são apropriados para brancos e desaconselhados para negros. E isso está escrito na própria posologia dos mesmos. :)

    Pode-se falar de raças sim, não cientificamente, mas socialmente, só que este conceito é tão irracional que não se pode levar a sério

    Pode-se e deve-se sempre levar a sério. A Raça é um dos parâmetros fundamentais para definir a Identidade. É esse o verdadeiro motivo pelo qual os teus donos querem acabar com as raças – porque querem amarfanhar e diluir as identidades a nível mundial.

    pois não tem nenhuma referência na realidade, sendo um conceito completamente arbitrário, definir raças através da cor da pele teria a mesma validade que definir raças pelo tamanho do nariz,

    Errado. As raças definem-se por uma série de factores, entre os quais a cor da pele é secundária. Eu explico-te:
    – Raça Branca: ortognatismo, proximidade entre os olhos, dentes pequenos, nariz estreito e proeminente, cabelo fino, pele clara, crânio grande e tendencialmente redondo, odor corporal moderado;
    – Raça Negra: prognatismo acentuado, afastamento entre os olhos, lábios grossos e salientes, nariz largo e achatado, pele escura, cabelo crespo, crânio pequeno e tendencialmente comprido de trás para a frente, odor corporal intenso;
    – Raça Amarela: prognatismo moderado, afastamento entre os olhos moderado, lábios moderadamente grossos, nariz largo e achatado, mas menos do que dos negros, pele baça e amarelada, cabelo liso e grosso.

    Percebes, imbecil? Todos estes elementos andam a par e passo, genericamente falando. Portanto, não se trata de «escolher arbitrariamente a cor da pele como critério».

    Os filhos não são culpados pelo crime dos pais enquanto não cometem os mesmos crimes que os pais,

    Que, de facto, não cometemos.

    principalmente se não aceitam o crime cometido como sendo crime.

    Não, quem diz que o suposto crime do pai, cometido noutro contexto ético, não é crime, não é em caso algum culpado desse crime.

    Infelizmente, muito embora eu possa magoar os outros Portugueses, não há como negar o porque do Brasil não ser potência, mas está caminhando para isto, o problema foi o tipo de colonização Portuguesa,

    Não, brasuca. O problema está apenas e exclusivamente nos brasileiros. O único erro de Portugal foi levar tantos negros para o Brasil… mas o sul, dominado por brancos, arrasta o resto do País atrás. Porque será?… :)

    o Português no passado, não veio aqui para construir como fizeram os ingleses nos Estados Unidos, vieram aqui para explorar,

    Mentira descarada e mentecapta, feita de ignorância e má fé. Foram os Portugueses que estabeleceram as bases organizacionais do Brasil, as suas vias de comunicação, as suas fazendas, as suas primeiras indústrias.

    Caturo, visite o Brasil, você vai encontrar todas as facilidades que encontra em Portugal, em alguns locais, vai encontrar situações de desenvolvimento que você não vai encontrar em todo Portugal,

    Sabes lá tu o que é Portugal.

    Um milhão de Portugueses no Brasil?

    Número oficial.

    Brasil tem mais 180 milhões de brasileiros meu caro

    Mas não são todos portugueses…

    você não entende a situação populacional da Europa, nem do mundo, você mesmo havia dito que a Europa estava ficando lotada por causa dos imigrantes,

    Eu não disse nada disso. Repito: aprende a ler…
    O que eu disse é que a Europa está a ficar cheia de imigrantes, mas somente porque há demasiados imigrantes em comparação com os verdadeiros Europeus. Nunca disse que não há espaço na Europa para mais gente.

    agora fala que cabe mais,

    Claro que cabe mais – e caberá mais ainda se trocarmos os milhões de imigrantes negros, árabes, norte-africanos, brasileiros,
    por
    brancos…

    além do mais, falando de Europa, você esqueceu até dos incentivos na Alemanha para aumentar a população,

    Não esqueci nada disso – aliás, esse incentivo só demonstra que a Alemanha precisa de população alemã e não apenas de imigrantes, como querem os teus donos.

    Um milhão he he he he he, só rindo, 4 milhões, 5 milhões,

    E eu disse – mesmo assim, cabem em Portugal. Vai ler.

    ainda está longe, mas juntar os brancos portugueses com os brancos brasileiros para expulsar os negros brasileiros para África,

    Onde é que eu disse isso e em que contexto?…

    isto é uma idéia absurda de um louco paranóico,

    Pois sem essa separação, ou outra do mesmo género, vais continuar a viver na lama, todo contente, a chafurdar como tu gostas. Mas eu não gosto e não quero cá aquilo que tu tens aí.

  75. Caturo diz:

    Em primeiro lugar, atenção para não me atribuir coisas ditas pelo camarada Caturo brasileiro.

    Agora o resto:

    WSA Says:
    Janeiro 30th, 2007 at 4:57 pm
    Caturo.
    O governo brasileiro, pelo menos o atual, entende a luta e a história do povo negro neste país e é por isto que um negro, ou pardo, ou índio, ou até um branco usar uma camisa com os dizeres 100% negro, é uma homenagem ao povo negro, na verdade é para todo o povo brasileiro, usar uma camisa 100% branco seria uma simples provocação,

    Não, não seria provocação. Seria um direito. Numa época em que os teus donos tentam a todo o custo envergonhar os brancos, e fazê-los sentirem-se culpados pelo seu passado, é nada menos do que salutar que os brancos mostrem em orgulho em ser brancos.

    Não disse que o Brasil é um paraíso racial, mas pelo visto, em comparação a Portugal, aqui é o Éden, não tem comparação com Portugal, mesmo que existam diferenças sociais que podem sim ser ligados a conceitos de raças sociais em que existe sim uma diferença de renda devido ao passado da escravatura, não existem confrontos abertos contra os que muitos em Portugal consideram como raças ou como imigrantes.

    O que é certo é que no Brasil também já há a tal «discriminação positiva», inventada nos EUA – as quotas de negros em empresas e organismos estatais.

    Isto tem graça porque os brasucas como tu passam a vida a dizer que o Brasil é muito melhor do que os EUA, porque nos EUA havia racismo declarado e no Brasil campeia a miscigenação e a convivência «multi-ráciáu amigávéu».

    Ora os norte-americanos anti-racistas inventaram a discriminação positiva para combaterem a desgraça dos negros no regime racista norte-americano.

    De acordo com os brasucas como tu, o Brasil não precisaria disso… mas, afinal, também já há quotas para negros no Brasil.

    Isto significa, WSA, que, objectivamente, o «projecto multirracialista» brasileiro falhou. :) :) :)

    O Brasil é um misto de diferentes povos de todo o mundo, de diferentes origens em que não existe a intolerância, em que existe a proteção contra o racismo por lei,

    É porque o racismo existe… logo, a coexistência entre raças no Brasil está longe de ser o paraíso que queres pintar. Confirma-se o que acima escrevi.

    Chamar as leis contra o racismo como leis de mordaça, é o mesmo que dizer que assassinato não é questão de violência, é questão de opinião

    Comparação ridícula, só mesmo um ignorante mentecapto de má fé podia dizer tal coisa. Escapa-lhe a «subtileza» de que o assassinato interfere «radicalmente» na vida alheia, e uma opinião política não…

    O fato é que o racismo é uma das formas mais podres de violência que deve sim ser reprimida legalmente

    Palavras de quem tem medo da verdade e quer obrigar os brancos a sentirem-se culpados sem poderem responder à altura. É NOJO puro.

    Se um branco, negro, ou o que quer que seja é racista, isto é problema interno de cada um, a partir do momento que expressa este racismo, passa a ser problema do outro que foi ofendido

    Depende do que se considera «racismo». Há uma diferença clara entre insultar alguém devido à sua raça e dizer simplesmente que as raças são diferentes e que os brancos não devem nada a ninguém.

    De facto, eu não insultei raça alguma, mas este brasileiro resolveu dizer que eu, pelas leis do seu país, já estava a ter problemas com a lei. E isto é fanatismo totalitário.

    Repito: brasileiros que pensem assim, fiquem LONGE da Europa. Bem longe. Não fazem cá falta nenhuma.

    Eu acho que realmente o pessoal aqui tem um profundo desconhecimento do que seja o Brasil, eu também não sei de onde tiram esta idéia que ser Europeu é alguma vantagem,

    Diz isso aos teus compatriotas que vêm para a Europa aos magotes… mas diz-lhes mesmo, que é para eles não virem.

    Não é preciso pensar muito não, não existe nenhum povo, friso NENHUM POVO, que foi colonizado pelo povo Português que tenha crescido e se desenvolvido,

    TODOS os povos colonizados pelos Portugueses eram negros.
    Ora os negros colonizados pelos outros povos Europeus CONTINUAM a ser miseráveis.

    Por conseguinte, o problema não está nos Portugueses.

    se a Austrália, Canadá, Estados Unidos, são desenvolvidos, isto se dá pela forma de colonização da Inglaterra, se o Brasil se tornar potência e isto vai acontecer mais dia menos dia, conseguirá APESAR da colonização portuguesa. Definitivamente não há como associar o desenvolvimento do Sul (que nem é o maior do país, diga-se de passagem) com a colonização Portuguesa, o desenvolvimento se deu pelos outros imigrantes Europeus,

    Tretas. Boa parte da elite brasileira é de origem portuguesa. Tem, pelo menos, nomes portugueses.

    Em outra ocasião eu até posso falar da África, berço da escrita e da civilização,

    Não a África negra, seguramente. Além disso, o berço da civilização e da escrita não foi o Egipto (de raça caucasóide camito-hamita), mas sim na Suméria (raça caucasóide de etnicidade desconhecida).

    além de ser a base do nascimento de todos os seres humanos,

    Tal como o fundo do mar…

    África que foi maltratada e que teve seu caminho do desenvolvimento interrompido pela corrupção da escravatura estimulada pelos povos que todos conhecemos.

    Isto é dum descaramento REVOLTANTE e duma má fé sem igual. Os negros sempre foram primitivos. Quando os Europeus chegaram à África negra, encontraram uma população que vivia em palhotas e que praticava a escravatura. A partir daí, tudo o que a África adquiriu foi trazido pelos brancos europeus – inclusivamente a abolição da escravatura, iniciativa de origem exclusivamente europeia, que faz os negros terem uma dívida eterna para com os brancos, segundo a tua própria lógica de dívidas históricas.

  76. WSA diz:

    Caturo.

    A Antropologia, a Biologia, a ciência moderna em geral, considera que os primeiros africanos são negros e que os primeiros seres humanos são provenientes da África é que a mutação da cor da pele de negra para outras tonalidades data somente de aproximadamente em algo entre 20.000 e 50.000 anos, antes disto, todos os seres humanos eram negros, uma vez que os mesmos genes que eu falei a você que são adaptáveis que se encontram em todos os seres humanos, tem a tendência de produzir maior quantidade de melanina como proteção à própria pele pelos raios ultra-violeta nos locais de maior exposição ao Sol.

    Acho que sabemos que a produção de vitamina D é estimulada pelo Sol e que a vitamina D é importante para o desenvolvimento dos ossos, então, nas regiões equatoriais, a intensidade do Sol é grande o suficiente para que mesmo com a proteção causada contra os raios ultra-violeta que é executada pela melanina isto não afetasse a produção de vitamina D. Nas regiões frias o que ocorre é a necessidade de uso agasalhos , estes agasalhos cobrem normalmente a maior parte corpo, desta forma reduzindo a superfície de contato direto com o Sol e com isto se torna necessário a ausência de melanina para que continue existindo a produção de vitamina D. Ou seja, se o ser humano não tivesse a capacidade biológica de mutação da cor da pele, seria impossível a permanência de seres humanos nas regiões mais frias, desta forma, o conjunto de genes existentes em todos os seres humanos que são responsáveis pela cor da pele que na verdade são um conjunto mínimo, sempre existiram em pessoas de pele negra que permitiu a mutação da cor da pele para as outras tonalidades. Hoje em dia a produção de vitamina D já é conseguida através de outros alimentos, nas mesmas condições anteriores, poderíamos dizer que pessoas de pele escura que fossem viver em ambientes mais frios, perderiam parte da cor, isto não acontece hoje porque as condições de alimentação são diferentes.

    Para entender melhor, visite o link abaixo.

    http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2005/12/15/AR2005121501728_pf.html

    Características apontadas pelo Caturo como características de raças, são simplesmente adaptações de genes, com eu já havia dito antes, portanto, cor do cabelo, tipo de cabelo, tamanho do nariz (facilmente explicado pela grau de umidade da região), largura dos lábios, enfim, todas as características que definiriam esta variabilidade, se dão à adaptação dos genes humanos dados pela migração a outras regiões do planeta, ou seja: Todos os seres humanos são descendentes de africanos negros, que foram deixando de ser negros conforme foram migrando para todas outras regiões do planeta, e isto em termos de espécie aconteceu, muito recentemente, não que isto tenha criado qualquer raça, isto simplesmente ativou o mecanismo adaptação existentes nos genes africanos e de todos os seres humanos.

    Para se entender que esta variabilidade é mínima, e para entender que o ambiente e alimentação e de condições climáticas mudam a cor da pele, basta saber que quem é muito branco e quer ficar mais escuro, mesmo não aumentando muito a exposição ao Sol, basta aumentar a quantidade ingestão do Beta-Caroteno, aliás, está é uma forma de bronzeamento (escurecimento) utilizados por pessoas aqui no Brasil que tem a pele mais clara.

    Acho que muitos conhecem aquela piada da aranha. A piada é mais ou menos assim.

    (Um cientista estava fazendo uma pesquisa com uma aranha então retirou uma das patas e disse “Anda aranha, anda aranha”, a aranha, mesmo com 7 patas, continuou podendo andar, então ele retirou mais uma e disse “Anda aranha, anda aranha” com 6 ainda andava, depois continuou repetindo o procedimento e mesmo com poucas patas a aranha continuava andando mesmo que cambaleando, mesmo com apenas uma pata ela conseguiu andar, então ele retirou a última pata e disse como das outras vezes “Anda aranha, anda aranha”, só que sem patas a aranha não andou, então ele então resolveu concluir o relatório de toda a sua brilhante experiência e chegou à seguinte conclusão: “A aranha quando não tem patas, é surda”.).

    Eu usei esta introdução para explicar que o fato das crianças reconhecerem as raças é simplesmente ridículo, não considero como cientistas quem fez este tipo de pesquisa, a explicação é muito simples e eu vou ilustrar.

    Não querendo entrar no mérito da questão sobre adoção no Brasil, há pouco tempo fizeram uma reportagem sobre adoção e mostraram uma família de negros que haviam adotado um garoto branco, este garoto cresceu e já é adulto, ele mesmo falou que durante a vida ele teve um problema com relação à cor da pele, pois ele não se aceitava como branco, então absorveu toda a cultura negra e costumava andar com a polêmica camiseta “100% Negro”, além de se identificar muito mais com os costumes africanos, os pais tiveram que ensinar a ele que ser branco era bom, que era algo positivo, e que não importava a cor da pele, hoje parece que ele se livrou do trauma.

    Isto foi só um comentário para eu falar sobre como é absurda a pesquisa que o Caturo falou, pelo simples fato, de que as crianças não reconhecem as raças, reconhecem simplesmente com quem tem mais contato, se as mães são negras, brancas, japonesas, independentemente da cor da pele das crianças, o que elas vão identificar é o que se aproxima ou se afasta das características físicas das pessoas com quem tem mais contato, independentemente da cor da pele, dizer que crianças identificam raças, é simplesmente ridículo, ou para ser mais claro: Qualquer um aqui, se identifica mais com uma pessoa que conhece, ou com uma pessoa estranha? Imagine como isto ocorre então com uma criança que ainda não tem qualquer noção da conceitos.

    Reforçando: Cientificamente, mesmo usando os mesmos parâmetros para determinar raças em outras espécies, não é possível determinar raças ou subespécies em seres humanos, portanto, cientificamente, não existem raças na espécie humana e ponto final.

    Abraços a todos.

  77. Caturo diz:

    A pesquisa de que eu falei não é absurda – foi feita por cientistas sérios, que estudaram as reacções dos recém-ascidos a pessoas de raça diferente da sua mãe. O WSA não quer admitir isto porque lhe convém manter a mentira idiota de que a raça é «meramente uma construção social».

    Quanto às diferenças raciais, naturalmente que respondem a ambientes diferentes. Isto não significa que não existam ou que devam ser desprezadas, pelo contrário. Além disso, é importante notar que povos em iguais latitudes têm todavia tipos raciais diferentes, como se pode ver na diferença evidente entre aborrígenes australianos e negros africanos.

    De facto, as raças existem, como já foi demonstrado e a negação desta verdade deve-se simplesmente a uma agenda que visa destruir as identidades humanas existentes.

  78. WSA diz:

    Caturo.

    Aos poucos estou reforçando meus conceitos aqui, então vamos um resumo do que eu falei até agora.

    01) A espécie humana nasceu na África
    02) A cor da pele de todos os seres humanos já foi negra por questões ambientais
    03) A mudança de cor da pele de acordo com as regiões se deu pela adaptação genética em genes pré-existentes no povo negro africano que ainda estão presentes em todos os seres humanos.

    O que foi colocado acima é verdade absoluta até prova em contrário.

    Só para que você reflita sobre a sua afirmação recente, lembre que a migração do homem na África ocorreu em milhares de anos, não é coisa de 500 anos, portanto, a adaptação dos genes foi ocorrendo aos poucos e que a migração se deu por vias terrestres em sua maior parte, pois já não existia mais PANGEA ou seja a migração para a América por exemplo, teoricamente tenha se dado pelos caminhos mais estreitos, então imagine que em milhares de anos, os seres humanos tenham os genes se adaptando para o clarear a pele para adaptação aos raios ultravioletas a locais mais frios e depois se adaptando novamente para escurecer a pele quando começou a ocupar a América, evidentemente por uma lógica muito simples, a população nativa da América é muito mais recente que a africana, então se a cor da pele teria que voltar a ser negra na linha do equador, esta readaptação ainda poderia estar ocorrendo se não houvesse a facilitação da migração e a mudança de hábitos alimentares, levando-se em conta somente a cor da pele. É fácil perceber que os índios não tem a pele clara e estão mais para a pele escura no Brasil do que nos Estados Unidos por exemplo. Com a criação de embarcações e aviões, está adaptação natural simplesmente se quebrou, provocando a miscigenação nos países das Américas.

    Se a questão que você está colocando está baseada em termos de inteligência, possibilidade de criação tecnologia mais uma vez estaria errado, por algumas simples razões, a primeira razão é que o desenvolvimento tecnológico é recente, tanto que há apenas 500 anos atrás, o nível de desenvolvimento de cidades em toda a África era equivalente aos de Portugal por exemplo, sendo que este período é insignificante para que existam mudanças genéticas em termos de espécie, mesmo que fossem 20.000 anos ou muito mais, isto seria insuficiente, a industrialização é mais recente ainda, e o fator mais importante é que o ser humano não se modifica geneticamente por pressão do meio no que se diz respeito à inteligência, pois o ser humano não é obrigado pela natureza a desenvolver o cérebro, simplesmente porque uma das características principais da espécie é a adaptação do meio e não adaptação ao meio no que diz respeito à inteligência.

    Quanto à experiência ridícula que você falou sobre a identificação de raças pelos recém nascidos, o que eu posso lhe solicitar é que você defenda a sua tese, pois como eu já disse, a ciência atual como um todo não admite a existência de raças, e uma análise mesmo que superficial do que você falou, leva a conclusão de que você e os supostos cientistas dos quais fala estejam errados, se eu estou errado na análise que fiz anteriormente, ao invés de simplesmente dizer que me convém, por gentileza indique no que a minha análise esteja incorreta.

    Não me convém manter uma mentira, o conceito da inexistência de raças é recente, se alguma coisa ainda querem que se mantenha é a mentira da existência de raças na espécie humana, não é uma agenda, é uma constatação baseada em experimentos científicos sérios, se antes esta igualdade era pleiteada pelas ciências humanas, hoje são confirmadas pelas ciências exatas.

    Com tudo o que eu disse, não estou afirmando que se deva exterminar a identidade dos povos, principalmente a identidade cultural, só estou querendo dizer que a base racista que esta sendo usada para justificar a repulsa aos imigrantes e as pessoas consideradas de outras raças, simplesmente não tem qualquer suporte cientifico.

    Caturo, desejo tudo de bom para você, mas acredito que deva se informar mais um pouco para que você mesmo possa se posicionar com relação à sua cultura de uma forma mais consistente.

    Abraços a todos.

  79. WSA diz:

    Antônio Marcelo.

    Você vem me falar de cheiro dos negros? Acho que deveria ler os livros do historiador brasileiro Eduardo Bueno (Peninha).

    Que os Portugueses me desculpem, não estou atribuindo isto ao Português moderno, mas os Portugueses eram conhecidos como o povo mais fedorento do mundo, inclusive pelos africanos, comiam carne podre e tomavam banho em intervalos de até mais de um ano, isto se devia à crença de que tomar banho fazia mal, os Portugueses aprenderam a tomar banho com os índios que tem o costume de tomar banhos todos os dias, não é uma ofensa aos portugueses, é apenas uma ilustração baseada na história.

    Antônio Marcelo, que argumento mais preconceituoso e porque não dizer idiota, vá estudar um pouco que faz bem.

  80. Cbr diz:

    Caro wsa, apesar de o senhor nao se estar a referir ao português moderno, ainda ssim gostaria que clarificasse melhor o seu ponto de vista. O senhor refere-se aos portugueses do seculo XVI suponho, ja que diz que “aprenderam a tomar banho com os indios”; Com franqueza, nesta epoca da historia mundial, concerteza que a higiene e cuidado de saude nao seria apanagio seja de que povo for, e como tal, acho, sem o querer desmentir pois tambem confeso nao ter a certeza, que a afirmação de que o português seria o povo mais nojento do mundo.. alias quase que tiro uma boa gargalhada desta afirmação.
    Não li o texto de António Marcelo que causou esta discussão, mas em boa verdade lhe digo, que em tempos universitarios tive a oportunidade de morar, em duas casas distintas, com dois colegas negros ambos de moçambique: um era uma pessoa muito higienica e perfumada até. O outro senhor, tinha o excelentissimo habito de nao lavar a roupa, e banho era semanal e garanto-le que o cheiro não era agradavél, não se chama discriminaçao isto, estou-le apenas a constatar um facto. ha brancos que devem cheirar mal à brava, mas os negros têm um cheiro muito caracteristico e isso não terá mal nenhum, é assim que é. Não ha que ficar ofendido; Eu tenho que ouvir coisas bem piores e fingir que não se passa nada; chateado com o assunto disse-lhe educadamente, que aquilo não podia ser assim, que havia lavandaria gratuita e agua quente para banhos. O senhor respondeu-me que não fez dez horas de avião para ouvir comentarios racistas de um pula. Fantastico.

  81. piloto diz:

    Optima resposta,optima ñ ,grandiosa resposta CBR .

  82. WSA diz:

    Senhor CBR

    Primeiramente, qualquer pessoa que toma banho de semana em semana é lógico que vai cheirar mal, e é lógico CBR que não o recrimino por alertar ao seu colega na casa em que você morava, mas isto não é questão de raça ou característica de um povo, nós aqui no Brasil herdamos também está rotina dos índios que é a de tomar banho todos os dias, é um hábito que é questão cultural facilitada pela geografia do país, eu pelo menos tomo banho duas vezes ao dia, um pela manhã e outro à noite, é questão de higiene mesmo, o Antônio Marcelo, associou raça a cheiro para diminuir o povo africano, e foi isto que eu quis dizer que a associação dele não fazia menor sentido, não era ataque a Portugal e nem ao povo Português.

    Você alertou bem quando falou do século XIV, eu deixei bem claro que isto não tem nenhuma ligação com o Português de hoje, realmente as condições sanitárias eram precárias, mas segundo a história, todo povo que comercializava com o povo Português, dizia que o Português era mal cheiroso, e existia o mito em Portugal que tomar banho fazia mal à saúde, imagine então se uma pessoa que fica uma semana sem tomar banho já cheira mal, o que se pode dizer de um individuo que fica mais de um ano? Procure nos livros de história, se não encontrar eu posso até indicar.

    Quanto a comer carne podre, as explicações são as mesmas, não há como comparar a situação de hoje com a do passado e nem o conhecimento existente hoje.

    CBR, vou explicar a minha posição como você solicitou: Você está certíssimo na sua observação, nada tenho a lhe recriminar, foi perfeito.

    Depois, se tiver tempo, leia a forma que Antônio Marcelo falou e vai entender a que eu me referi.

    Um abraço CBR.

  83. Cbr diz:

    Caro piloto, agradeço o elogio, mas na verdade estou aqui para discutir saudavelmente, apesar da dificuldade que isto implica, pois sei o quão frageis as relaçoes humanas são, e como ao minimo despiste nos atacamos selvaticamente. No entanto,e devo dizer-lhe que apesar do seu temperamento, apercebo-me da sua orientação partidaria, sou convicto como o senhor e so quero o melhor para a nossa terra. Um abraço.

    Concerteza WSA, seguramente esse mito terá alguma fundamentação histórica, pois como lhe disse as condiçôes de higiene na altura não eram as melhores, mas, o senhor estárá consciente que quem conta um conto acrescenta um ponto,e então quando se fala do “povo colonizador” esses pontos a acrescentar não terão sido seguramente ao longo da história, os melhores e mais abonatórios em favor dos portugueses. E talvez por isso tenha saído em defesa do meu povo, pois apesar de eu saber que isso não interessa para nada, ninguem gosta de ouvir falar mal dos seus, nem por um pormenor tao desinteressante como o cheiro. De qualquer forma, e repito, isto não ha aqui nenhuma discriminação, talvez seja possivel, que ao nariz de um negro, um branco tenha um cheiro caracteristico, tal como ao nariz de um branco, um negro tenha tambem um cheiro caracteristico. Não vamos chegar ao ponto de considerar isto racismo certamente! Mas como ainda não li o que o Antonio M. escreveu, não me pronuncio mais sobre isto.
    Quanto à questão de os portugueses comerem carne podre, há relatos de navegadores, que apos meses e meses no mar, e sem terra a vista, comecavam a sentir escassez tanto de agua como de alimentos, o que em casos de desespero, os levava a comer o couro dos sapatos, o que lhes causava o escorbuto e muitas evzes, consequentemente, a morte.
    Um abraço

  84. António Marcelo diz:

    Arthur de Gobineau

    Simbá, o marujo, conseguindo chegar à margem do rio, avistou montanhas cobertas de bosques compactos e, no meio de um vale, uma bela e grande cidade cujos monumentos lhe pareceram numerosos e imponentes. Ele se dirige até a cidade, e qual não é sua surpresa quando percebe que a multidão de gente, que de longe parecia povoar as ruas, era, na verdade, uma multidão de macacos! Havia grandes e pequenos, novos e velhos; mas todos eram macacos extremamente feios, fazendo caretas atrozes e circulando de um lado para o outro, uns apressados, outros, não; todos lúgubres. Depois de muito andar a esmo de um lado para o outro, Simbá chegou, enfim, ao alto de um bairro, onde avistou um grande palácio que julgou ser o do Rei deste povo; e, entrando nos pátios onde os macacos que passeavam nada fizeram para prendê-lo, penetrou nos apartamentos, e depois de atravessar várias galerias teve uma agradável surpresa, ao ouvir o som de uma voz humana; e, de fato, dirigindo-se para o lado de onde vinha a voz, entrou numa sala e viu, finalmente, um homem! E este homem lia o Alcorão. De modo que não apenas encontrara um ser de sua espécie, mas um ser com quem podia se entender.

    Suponho, madrinha, que com a aguda inteligência que a distingue… você adivinhou que Simbá estava no Brasil, que os macacos eram os brasileiros e que o rei era o Imperador.

    A Marie Dragoumis, 21 de julho de 1869. Citado em O Inimigo Cordial do Brasil – O Conde de Gobineau no Brasil, de Georges Raeders; Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988, p. 77, 78. FR

    II

    Uma população toda mulata, com sangue viciado, espírito viciado e feia de meter medo…

    Op. cit., p. 90. FR

    III

    Nenhum brasileiro é de sangue puro; as combinações dos casamentos entre brancos, indígenas e negros multiplicaram-se a tal ponto que os matizes da carnação são inúmeros, e tudo isso produziu, nas classes baixas e nas altas, uma degenerescência do mais triste aspecto.

    Op. cit., p. 90. FR

    IV

    Já não existe nenhuma família brasileira que não tenha sangue negro e índio nas veias; o resultado são compleições raquíticas que, se nem sempre repugnantes, são sempre desagradáveis aos olhos.

    A Caroline de Gobineau, 19 de abril de 1869. Op. cit., p. 90. FR

    V

    As melhores famílias têm cruzamentos com negros e índios. Estes produzem criaturas particularmente repugnantes, de um vermelho acobreado… A Imperatriz tem três damas de honra: uma marrom, outra chocolate-claro, e a terceira, violeta.

    Op. cit., p. 90. FR

    VI

    Mas quem são os recém-chegados (os emigrantes em direção à América do Norte)? Representam as amostras mais variadas dessas raças da velha Europa da qual pouco se espera. Eles são o produto dos detritos de todos os tempos: irlandeses, alemães, tantas vezes mestiços, alguns franceses, igualmente misturados, italianos que superam todos. A reunião de todos estes tipos degenerados dá e dará necessariamente origem a novas desordens étnicas; desordens que nada têm de inesperado e de novo; não produzirão nenhuma combinação que ainda não se tenha realizado ou não se possa realizar em nosso continente. Não se consegue retirar nenhum elemento fecundo e, mesmo no dia em que esses produtos resultantes de séries indefinidamente combinadas entre alemães, irlandeses, italianos, franceses e anglo-saxões forem, além do mais, reunir-se, amalgamar-se no sul com o sangue composto de essência indígena, negra, espanhola e portuguesa que aí existe, não há mais como imaginar que de uma confusão tão terrível resulte outra coisa senão a justaposição incoerente dos seres mais degradados.

    Essai, cap. II. Op. cit., p. 94. FR

    VII

    Vossa Excelência manifesta o desejo de ser informado, da maneira mais completa possível, sobre os progressos da questão da emancipação. É, de fato, um dos assuntos mais importantes ao se estudar os interesses brasileiros. Em princípio, poderia se imaginar que, de agora em diante, mais nenhum obstáculo grave opõe-se à solução desta dificuldade. O Imperador pronuncia-se nitidamente contra a escravidão; o partido liberal fala com idêntica clareza; o partido conservador nada alega em favor de um sistema tão condenado. No entanto, nada se faz para destruí-lo; e já se notou, com razão, que no discurso prenunciado por Sua Majestade brasileira, na abertura das Câmaras, não houve uma só palavra sobre este ponto tão importante, o que contrasta com as declarações dos anos anteriores.

    As razões desta pausa são bastante complexas e, indo ao fundo do problema, nota-se facilmente a força que têm. Em primeiro lugar, os apuros financeiros do país e as dificuldades políticas, resultantes do estado de guerra, são motivos que explicam todo o receio em iniciar atualmente uma revolução de características sempre bastante sérias. Observa-se que, estando as forças militares brasileiras dedicadas às operações em andamento no Paraguai, seria imprudente libertar os escravos sem dispor de meios para contê-los caso seu novo estado os dispusesse a abusar da liberdade. Nota-se também que, seja qual for, o sistema de libertação resultaria necessariamente na obrigação de indenizar os proprietários de negros; se a indenização fosse total, o Estado teria de pagar o valor de cerca de 2 milhões de escravos, e as circunstâncias não se prestam a enormes desembolsos de tal natureza; se, o que é mais admissível, o modo de indenização adotado fosse menos comprometedor para as finanças imperiais, os interesses dos donos de terras estariam comprometidos na mesma medida; ora, é notório que estes andam em situação crítica e que os fazendeiros estão muito endividados: uma boa safra mal dá para que possam renovar seus créditos, e de nenhuma maneira chega a livrá-los de seus credores.

    Podemos nos lembrar de ter conhecido situação análoga nas Antilhas, anteriormente à libertação de 1848; tudo que interferir na posição dos proprietários de terras será funesto, já que esta posição é inteiramente anormal. A cultura do café, a única feita em grande escala, com resultados realmente importantes, chega a produzir lucros de 40% em anos excepcionais; mas, às vezes, deve-se esperar dois ou três anos para uma colheita suficiente. No entanto, os proprietários contraem empréstimos a taxas de usura, e, convém acrescentar, a imprevidência e a falta de gosto pelo trabalho contribuem poderosamente para atenuar os lucros e exagerar os prejuízos. É certo, portanto, que a emancipação, neste momento, ou arruinaria o Estado já arruinado, ou arruinaria os particulares já fortemente comprometidos – o que eqüivale dizer que as duas partes seriam igual e profundamente atingidas.

    Os brasileiros são sensíveis a este fato evidente, e o são talvez mais a uma outra observação que não apenas afeta seus interesses, mas fere sensivelmente seu amor-próprio. É preciso reconhecer que a maioria do que chamamos de brasileiros compõe-se de sangue mestiço, sendo mulatos e filhos de caboclos de graus distintos. Eles estão em todos os escalões sociais. O Senhor Barão de Cotegipe, atual Ministro das Relações Exteriores, é mulato; no Senado há homens desta categoria; em uma palavra, quem diz brasileiro diz, com raras exceções, homem de cor. Sem entrar no mérito das qualidades físicas ou morais destas variedades, é impossível desconhecer que elas não são laboriosas, ativas ou fecundas. As famílias mestiças destroem-se tão rapidamente que certas categorias existentes há apenas vinte anos já não mais existem, como por exemplo os mamelucos. E, por outro lado, a grande maioria dos fazendeiros, cuja desagradável situação econômica expus-lhe ainda agora, vive num estado muito próximo da barbárie, no meio de escravos, e deles não se diferenciam nem por gostos mais sofisticados, nem por tendências morais mais elevadas. O resultado disto é que o comércio, os interesses e todas as fábricas, grandes ou pequenas, estão nas mãos de estrangeiros. Eles invadem tudo, a tal ponto que muitas plantações pertencem aos portugueses, os mais numerosos e os mais ativos desses imigrantes, e estes fornecem contra a escravidão na América do Sul um dos mais fortes argumentos que se possa alegar. É o fato do trabalho dos brancos nas plantações de café. Já tive a ocasião de informar Vossa Excelência sobre o assunto.

    Vendo-se assim ultrapassados pelos elementos europeus e obrigados a recorrer a eles para vender seus produtos, para construir casas, para possuir móveis, roupas e utensílios, ou ainda para fazer empréstimos, sempre renovados, a fim de atender às suas necessidades, os brasileiros sentem-se enfraquecidos, substituídos gradualmente em seu próprio país. A escravidão ainda lhes permite equilibrar-se um pouco, porque o escravo que trabalha entrega o que faz ao senhor que nada produz, mas, no dia em que não houver mais escravo e que o senhor se encontrar em presença da concorrência estrangeira já tão dona do terreno, é evidente que, mesmo que quisesse trabalhar, não teria os meios de lutar com grande proveito; e pode-se afirmar: o brasileiro jamais desejará trabalhar. Portanto, ele só pode prever sua própria extinção gradual, e daí provém o pouco empenho para obter a aplicação dos princípios liberais em relação aos negros, princípios aliás, que ele não discute de maneira nenhuma.

    Quanto aos próprios escravos, eles se reproduzem muito pouco, e como o tráfico cessou definitivamente desde 1852, o número deles reduziu-se à metade desde esta época, de modo que sendo então cerca de 4 milhões, caiu para 2 milhões.

    Admitindo que a emancipação fosse postergada por mais vinte anos, não haveria, por assim dizer, razão para se preocupar. Aliás, o número das alforrias parciais não deixa de ser bastante considerável. A maioria dos negros que vivem nas plantações não pode ser considerada muito infeliz. Ao contrário, os senhores parecem mais dispostos ao desleixo do que à severidade abusiva: o que é um fato é a ausência completa de qualquer educação moral entre os negros; sua depravação primitiva é absoluta, bem como a repercussão disto entre os senhores. Assim como em todo o resto da América, no Brasil a escravidão causou mais malefícios aos senhores de escravos do que aos próprios escravos.

    Existe no entanto uma certa categoria de negros, fixada principalmente na Bahia e nas redondezas, que contrasta admiravelmente com a massa dos outros indivíduos da mesma raça. São os Minas, vindos dos arredores do Gabão. Esses escravos são de estatura mais alta e de compleições mais robustas do que seus companheiros de servidão. São tidos também como mais inteligentes, mas ao mesmo tempo mais obstinados, pouco obedientes e capazes de resistência: a polícia teve algumas oportunidades de vigiá-los de perto. Formam entre eles sociedades de amparo e possuem caixas comuns. Chegam a libertar-se com suas economias, fato raro entre os outros escravos; e, melhor ainda, compram anualmente, com os recursos de que acabo de falar, um certo número de seus compatriotas. Freqüentemente os enviam de volta para a África, mas diz-se que, há alguns anos, à medida que o número dos Minas libertos aumentou no Império, as partidas são menos freqüentes: os alforriados ficam na Bahia ou vêm para o Rio, onde começam a exercer uma profissão qualquer com a qual conseguem, geralmente, fazer uma pequena fortuna.

    A maior parte desses Minas, se não todos, são Cristãos na aparência, e Muçulmanos de fato; mas como esta religião não seria tolerada no Brasil, eles disfarçam, e a maioria é batizada com nomes extraídos do calendário. Apesar desta fachada, pude verificar que devem conservar fielmente as opiniões trazidas da África, e as transmitem com muito zelo, já que estudam árabe de maneira bastante completa para compreender, pelo menos por alto, o Alcorão. Este livro é encontrado no Rio nos livreiros franceses Fauchon e Dupont, que mandam buscar da Europa exemplares e os vendem ao preço de 15 a 25 mil-réis, ou seja, 36 a 40 francos. Embora muito pobres, os escravos mostram-se dispostos aos maiores sacrifícios para possuírem o volume. Para isso, contraem dívidas, levando às vezes um ano para pagar ao vendedor. Cerca de uma centena de exemplares do Alcorão é vendida anualmente, acompanhada de algumas gramáticas árabes redigidas em francês. É sem dúvida curioso ver uma população africana recorrer a uma língua européia para chegar a conhecer seu livro sagrado.

    Creio que jamais se observou, até agora, a existência de uma colônia muçulmana na América; e embora não seja necessário consigná-la neste despacho, espero que Vossa Excelência queira perdoar-me esta digressão, em razão da particularidade que releva. Aliás, isto explica a atitude sobremodo enérgica dos negros Minas.

    Resumindo, creio poder concluir que a questão da escravidão no Brasil não tem atualmente solução à vista; que, se esta solução for adiada por muito tempo, virá naturalmente pela extinção da classe servil; que a população brasileira propriamente dita, na realidade mestiça ou pelo menos tão aparentada aos negros como aos brancos, quando considerada em seu conjunto, está igualmente fadada a desaparecer, seja por extinção, seja pela absorção nas famílias portuguesas que aqui se vêm estabelecer; e que se pode prever dentro de um tempo determinado a supremacia absoluta de uma espécie de nação nova, cuja base será formada pelos portugueses de Açores e do sul do reino, mais ou menos mesclada a alemães, franceses e italianos.

    Carta de Gobineau respondendo ao Ministro das Relações Exteriores da França sobre a questão da abolição da escravatura, no Brasil. MRE, Paris, Question de l’Esclavage au Brésil, Rapport de Gobineau, Relatório n.º 5, 22 de setembro de 1867. Op. cit., p. 117-124. FR

    VIII

    A América do Sul, corrompida em seu sangue crioulo, não dispõe de qualquer meio, doravante, para deter o declínio dos mestiços de todas as variedades e de todas as classes. Sua decadência é irremediável.

  85. António Marcelo diz:

    «Antônio Marcelo, que argumento mais preconceituoso e porque não dizer idiota, vá estudar um pouco que faz bem.»

    Senhor WSA ou como quer que se chame:

    Se quer levar esta discussão ao terreno das desqualificações pessoais, faça o que quiser. Estou acostumado a entrar em fóruns esquerdistas e a tratar com esses «tolerantes» que abandonam essa atitude quando alguém não concordar com eles. Adapto-me rapidamente a essa linguagem. Não sou manco nem mudo e sei ripostar.

    Se os pretos ficassem no seu país, não teria nada contra eles, mas milhões de imigrantes estão a invadir a Península Ibérica por terra mar e ar. Os governos, sujeitos a interesses económicos inconfessáveis e uns intelectuais cheios de dúvidas existenciais e de sentimentos de culpa, são incapazes de fazer nada. Nem querem nem sabem cumprir a sua própria legislação Qualquer crítica e banida, censurada, abafada e desqualificada. Nunca gostei da extrema direita, quando era mais novo fui mesmo esquerdista, mas a situação está a me empurrar para esse lado da barricada. Mudei eu? Mudou a sociedade? Não sou capaz de me adaptar a esse novo mundo? É possível concordar com aqueles que apresentam como um progresso e um futuro desejável a extinção da população nativa por causa duma baixa natalidade e a sua substituição por outras populações vindas de longe, de diferentes raças e culturas? Não se chama isso etnocídio? Não é etno-masoquismo puro e simples?

    Desde o século XIII não houve na Península entradas maciças de populações estrangeiras. Séculos de mestiçagem criaram uma raça homogénea. Até há poucas décadas ver indivíduos de etnias não europeias era algo estranho e insólito. Nasci e criei-me naquelas condições. Passar duma sociedade homogénea a ser estrangeiro no meu próprio país é insustentável.

    Quando simpatizava com a esquerda e cheirava um preto tentava dissimular o desagrado que me produzia, tentava me auto-convencer do contrário e dizia essas parvalhices de «muitos brancos cheiram pior» ou «os negros também não gostam do cheiro dos brancos, etc.». É muito diferente encontrar um ou dois negros no meio duma multidão de brancos do que se encontrar no meio duma multidão de pretos e ainda por cima no próprio país!

    Existem razões biológicas para os africanos terem um odor diferente. Têm uma glândula que outras raças não possuem cuja função é repelir insectos. Infelizmente também repelem outros indivíduos. Os negros compartilham com os brancos as glândulas apocrinas. A sua função é sexual. Os asiáticos carecem delas.

    ——-
    «A Antropologia, a Biologia, a ciência moderna em geral, considera que os primeiros africanos são negros e que os primeiros seres humanos são provenientes da África é que a mutação da cor da pele de negra para outras tonalidades data somente de aproximadamente em algo entre 20.000 e 50.000 anos, antes disto, todos os seres humanos eram negros, uma vez que os mesmos genes que eu falei a você que são adaptáveis que se encontram em todos os seres humanos, tem a tendência de produzir maior quantidade de melanina como protecção à própria pele pelos raios ultravioleta nos locais de maior exposição ao Sol.»
    —–

    O antepassado de todas as raças humanas, o homem de Cromanhão tem algo mais de cem mil anos de antiguidade.

    – A raça negra tem separou-se dos antepassados dos brancos há 100.000 anos.

    – As raças de Oceânia, 80.000 anos.

    – Os antepassados da raça amarela e da branca, separaram-se do tronco comum há 35 mil anos, quando as glaciações isolaram a Ásia oriental do resto da Eurásia. Os limites foram os Urais, o Himalaia e o Pamir. A Ásia central tinha estepes frias varridas por grandes ventos, e a adaptação consistiu em olhos oblíquos, narizes pequenos e caras mais planas com acúmulos de gordura na face para se proteger do frio.

    Os índios americanos provêm do tronco mongolóide e chegaram a América há 20 mil anos. O processo de mongolização não foi completo.

    – Dentro da raça branca, os nórdicos apareceram depois da última glaciação, 10.000 anos A.C., a partir da raça mediterrânea. A pele mais branca, os cabelos loiros e os olhos azuis, são uma adaptação às condições climáticas e de falta de luz das florestas nórdicas.

    Se os primeiros homens modernos eram escuros, evoluíram e branquearam. E parece que também na inteligência. O contributo da raça negra à humanidade é mínimo: música e desporto. Mas na questão de neurónios, nem falar. Discriminação? Os judeus foram ainda mais discriminados e por um tempo mais longo (dois mil anos) e deram verdadeiros génios à humanidade. O senhor é preto ou mestiço? Considera génios a Bokassa, Idi Amim e toda essa gentinha? Mostre-me um exemplo onde a raça negra progredir.

    Toda a minha vida ouvi falar em raças humanas. Se vocês querem misturar a ciência com a política, não estou interessado nisso. Falemos em cães: galgos, podengos, caniches, dogos e toda essa matilha de “etnias” e de “culturas” caninas. São também inter-fecundos.

    Façam favor. Não me façam rir!

  86. WSA diz:

    CBR

    O escorbuto era causado pela falta de vitamina C.

    Antônio Marcelo.

    Você colocou alguns trechos de cartas históricas e textos mas e daí? Não entendi o seu objetivo.

    As cartas e os textos, são visões particulares contaminadas com uma quantidade enorme de juízo de valores, mostrando o atraso dos conceitos da época, em contraposição aos conceitos atuais, evidentemente tem validade histórica, mas não são reportagens, não são estudos científicos e nem teses, a precisão é lógico que é precária pelos recursos da época, mas ainda estou confuso, não sei a que ponto quis chegar. Se puder, por gentileza esclareça.

  87. António Marcelo diz:

    O meu objectivo era incomodar. Você tratou-me de idiota e paguei com textos do Conde Gobineau, um dos precursores das teorias racistas que inspirou as suas ideias no caos étnico que encontrou no Brasil do século XIX.

    Se a maioria da população brasileira fosse de origem europeia e se não tivessem o mesmo azar que a Argentina, talvez havia esperança para esse país. Mas dada a situação actual talvez serão precisos mais de cem anos para sair desse poço de miséria. Não me incomodaria se não enviassem os excedentes para a Europa. Se fossem indivíduos cultos e de origem europeia seriam bem-vindos, mas infelizmente é o pior do país. Portugal já tem bastantes problemas de guetos e de delinquência para piorar a situação.

    A maioria dos imigrantes chegados ilegalmente só servem para criar sacos de pobreza e de marginação. O Brasil precisou de imigrantes europeus para progredir, mas a Europa está a importar mão de obra barata, sem qualificar e sem controlo. Estão a destruir o mercado laboral e a coesão social.

    Cada qual defende o que é seu.

  88. WSA diz:

    Senhor Antônio Marcelo.

    Com o texto histórico que você colocou, não desqualificou ninguém para começo de conversa. Eu também não quis desqualificar ninguém.

    Se você acha que branqueamento de pele é evolução, eu acho que você não entende muito de evolução, meu caro, o branqueamento só aconteceu porque os negros já possuíam os genes que permitiram isto, e ainda hoje possuem os mesmo genes, então o que mudou? Aliás, muita gente aqui no Brasil vai as praias ou aumenta a ingestão de beta-caroteno para ficarem mais escuros, será que quando mudam a cor da pele estariam regredindo? Haja paciência para lidar com a burrice.

    Será que você está dizendo que a inteligência e a tecnologia de hoje se deve a somente à “raça” branca? Se você é branco então, me diga quantos inventos você já fez? Será que foi você que inventou a lâmpada? Ou a roda? Me diga, se a tecnologia se deve à “raça” branca, qual a sua contribuição pessoal? (caso você seja branco). Se você não inventou ou não criou nada, somente está querendo atribuir a você de alguma forma coisa que você mesmo não fez, isto para mim é roubar dos outros o que não é seu.

    A ciência e a tecnologia atuais datam de pouco tempo, tempo ridiculamente insuficiente para determinar em uma tese cientifica, qualquer tipo de diferença genética, e como já está mais que provado isto não ocorreu.

    Será que não entende que a evolução tecnológica humana, não implica em evolução genética, implica em mudança do ambiente e não mudança genética pelo ambiente? Será que não entende que a tecnologia só se desenvolve através do conhecimento e que este conhecimento é cumulativo? Portanto meu caro, a tecnologia se desenvolveu desde os homens das cavernas.

    Será que esqueceu que se o homem de pele negra, foi andando pelo mundo todo, foi preciso criar tecnologia, mesmo que rudimentar, para se vestir, para calçar, para andar, para caçar?

    A tecnologia atual, se fez pela competição, principalmente nos últimos anos, durante a guerra fria. Se não fosse Verner Von Braun que inventou os foguetes para atacar a Inglaterra, o homem sequer teria ido à Lua, isto não se deve a uma “raça”, se deve a um indivíduo. Você deve estar falando de Portugal, deve ser Português não tenho certeza, mas não querendo comparar, quantos centros de pesquisa espacial tem por aí? A tecnologia no Brasil em vários pontos é mais avançada que em Portugal, será que por isto devemos nos considerar uma raça superior? É lógico que isto é um absurdo sem tamanho. Os Japoneses são mestres na tecnologia, os Chineses já enviaram o homem para o espaço, será que a “raça” dos Japoneses e a “raça” dos Chineses é superior aos Franceses, Portugueses e Alemães que nunca fizeram isto?

    Será que esqueceu das invenção da pólvora e outras invenções atribuídas aos chineses? esqueceu da grau de evolução do Egito (cuja etnia era negra) em outras épocas? Será que esqueceu dos Maias? Será que esqueceu dos Astecas? Não sei se sabe, mas os escravos já tinham agricultura na época da escravatura e foram eles que ensinaram as técnicas de mineração para os Portugueses.

    Não sei se você sabe, mas infelizmente, digo infelizmente porque esta divisão não poderia ocorrer, nos Estados Unidos, os estudos mais avançados de hidroponia para serem utilizados nas futuras naves espaciais e nas futuras colônias espaciais são feitos em uma universidade criada por negros, dirigida por negros onde a maioria dos estudantes é de negros?

    * Obs.: Todas as referências sobre raças que eu efetuei, estava me referindo às raças sociais, pois a ciência atual, não admite a existência de raças.

    Senhor Antônio Marcelo, você é simplesmente um idiota completo.

  89. Cbr diz:

    Caro António Marcelo, seguramente não disse parvalhice alguma só por afirmar que um negro terá um cheiro diferente ao nariz de um branco e vice versa. O senhor parece-me ser um homem culto e afirmou que os negros têm uma molécula que os faz ter um cheiro diferente o que me parece natural. Agora não percebo o que o senhor quer dizer, logo a seguir ao dizer que estar um preto no meio de brancos no nosso proprio país é muito diferente. Pois, seguramente concordo consigo, mas estamos a confundir as coisas! O senhor concerteza ja tem a sua cabeça cheia de odio por todos os pretos, pois ja nao ha distinçao entre um assunto de discussao e a inevetibilidade que a europa pôs-se definitivamente de gatas perante os outros. E so lhe digo isto por um motivo: é que eu infelizmente tambem estou a ver isso a acontecer, tambem nasci num país com certas caracteristicas e agora estou a vê-lo mudar, por via desse “etnocidio” como o senhor referiu. Também ja tive posições esquerditas, que definitivamente ja sairam da minha ideologia; Mas apercebo-me de uma coisa. O extremismo, como chamamento para a maioria das pessoas, e para o apelo ao seu voto, neste caso dos portugueses, nunca irá resultar. As pessoas continuarão simplesmente a votar PS ou PSD, a queixar-se ano apos ano, como fazem ha 32 anos, enquanto esperam pela proxima eleiçao para decidirem a velha questão PS/PSD, enquanto se afundam na lama,e enquanto a europa é colonizada subtilmente.
    Agora impoe-se uma questão: Para aqueles que acreditam em Portugal, e não o querem perder, qual será a melhor solução para fazermos valer os nossos valores? Vamos usar a inteligência ou vamos continuar com extremismos que não atraem a grande maioria dos eleitores?

  90. António Marcelo diz:

    «Senhor Antônio Marcelo, você é simplesmente um idiota completo.»

    Não gosto discutir nem perder o tempo com aqueles que me insultam. É muito fácil ofender escondido detrás do teclado dum computador. De outro modo talvez ia ensinar-lhe boas maneiras. Em consequência, apenas responderei com duas frases curtas:

    Você é um filho da puta e um patife brasileiro.

    Vá tomar no cu, brasuca da merda!

  91. António Marcelo diz:

    Senhor Cbr:

    Eu odeio ser ocupado e ver a minha cultura desaparecer. Não pretendo exterminar outras raças, mas se os africanos não gostaram de serem invadidos nem escravizados, eu não cometo um crime quando pretendo preservar a minha pátria e a minha cultura.

    Se aqueles que se ergueram contra os invasores muçulmanos lá na Idade Média tivessem sofrido desses escrúpulos e dúvidas existenciais, hoje em dia seriamos circuncidados e estaríamos a orar olhando para a Meca.

    Chamem-no ódio ou como quiserem.

  92. WSA diz:

    Antônio Marcelo.

    Estamos hoje no ano de 2007, século 21, e ainda tem gente achando justificativa em pensamentos anteriores ao século 20, é preciso crescer, é preciso evoluir.

    Colocar textos de um racista para justificar o racismo, é no mínimo criar um paradoxo, não sei se percebeu, o que você considera ofensa de minha parte, é somente constatação, pelo seu tipo de raciocínio calcado no ódio racial sem qualquer tipo de razão.

    Você pegou somente uma parte do texto que lhe foi conveniente, já que não tem argumentos suficientes para contradizer o que foi dito, estou esperando que diga suas bobagens para que eu lhe ensine como realmente as coisas são.

    Você mistura elogios com insultos, ser brazuca é um elogio, ser brasileiro também, quanto ao resto, você é que faça um bom proveito para você mesmo, eu dispenso.

    Não vou usar as mesmas palavras que você usou, pois minha educação não permite, me limito a colocar o que eu disse antes, só vou acrescentar algo:

    Retificando:

    Senhor Antônio Marcelo, diante de tudo o que você disse, você é simplesmente um idiota completo.

    Satisfeito agora? Corrigi o que eu havia dito.

  93. António Marcelo diz:

    Refutar as tontarias que você diz requer tempo e não vale a pena perdê-lo com você. Ensinar-lhe ia boas maneiras s tivesse a ocasião do encontrar.

    Eu também vou rectificar:

    Senhor WSA, você é um filho duma preta malcheirosa e um cobarde. Um país que tem a sua origem em escravos, escravagistas, fazendeiros e mestiços complexados filhos daquela escumalha, não tem futuro nenhum.

    E não acrescento mais por respeito a esta web e os seus utentes.

  94. Vera diz:

    WSA, qual é o problema de querer preservar culturas?
    Não gosta de ir à Tailândia e ver os Budas com milhares de anos? Os monges tibetanos? Não gosta de saber que os índios na amazónia hoje em dia podem ser legalmente protegidos para viverem como bem entendem, segundo as suas tradições, vivendo da agricu´ltura e da produção de artesanato que podem vender aos turistas? Não gostava de ir à Lapónia e continuar a ver os eskimós? De ir a África e ver as tribos africanas a viverem no seu meio natural, onde são felizes e onde sempre viveram? a vender tb artesanato para os turistas? Não gosta de trazer de África aquelas peças de madeira, as máscaras, os postais ds tribos com os trajes locais?
    Ou preferia que fosse tudo uniformizado? Todos em grandes cidades, todos a comer fast-food, todos com carro, a mesma cultura… Qual será a vertente mais rica da humanidade?

    Se juntar todas estas culturas é isto que acontece. As especificidades de cada uma dsa diferentes culturas vão desaparecendo..E aí tem o seu mundo ideal.
    Já pensou que as outras pessoas não têm que viver como nós nem precisam das mesmas coisas que nós para serem felizes? Isso é uma ideia egocêntrica do Ocidente.
    além do mais, esta separação e preservação de culturas não impede a cooperação internacional. Certamente que todos os povos gostariam de viver no seu país de origem, desde que tenham condições para tal, e não é a imigração que o resolve.

  95. WSA diz:

    Antônio Marcelo.

    Para refutar as bobagens que você disse anteriormente, eu gastei antes apenas 10 minutos do meu tempo, se o que eu disse requer tempo para você pensar, se dá simplesmente porque não tem argumentos, então faça o certo mesmo, vá estudar, depois apareça aqui.

    Eu acho que você não entende, se você disser que sou filho de uma preta, de uma branca, de uma índia, de uma japonesa, para mim não fará a mínima diferença, não sou racista. Quanto a ser malcheirosa, será que aí de Portugal você consegue sentir o cheiro de alguém aqui no Brasil? No Brasil as pessoas tem costume de tomar banho todos os dias, minha mãe é bem cheirosinha, eu não vou retrucar ao seu nível e não vou falar da sua mãe, porque minha educação não permite e porque sua mãe nada tem a ver com nossa conversa e também porque a mãe dos outros em principio merece respeito.

    Quanto ao Brasil não ter futuro nenhum: Será que você tem alguma bola de Cristal? Mesmo se você tiver, eu não acredito em adivinhações, acredito em indícios e os indícios mostram que o Brasil vai sim se tornar uma potência, já é na economia mundial há muito tempo e com certeza vai melhorar, nosso caminho mais distante é o de desenvolvimento humano, mas vamos nos dar bem também, em tecnologia, aqui e ali, temos muito desenvolvimento temos até liderança mundial em alguns aspectos, um povo lindo miscigenado, sem conflitos raciais e que quer trabalho, um povo inteligente e esforçado, ainda precisamos de rumo, mas as perspectivas são as melhores possíveis.

    A cada linha a mais que você escreve, somente reforça meu pensamento:

    Senhor Antônio Marcelo, diante de tudo o que disse, você é um idiota completo.

    Abraços a todos.

  96. Cbr diz:

    Caros WSA. o senhor está consciente dos problemas sociais do seu país suponho. Aqui em Portugal, é comum noticias do Rio de janeiro, onde bairros inteiros são controlados por senhores da droga, onde a acção policial nao surte efeito nenhum. Ora nenhum português quer essa mesma realidade para as nossas cidades, e a verdade é que desde que a imigração aumentou, a criminalidade aumentou assustadoramente. E a verdade é que ja ha grupos de brasileiros chegados ha bem pouco tempo, e que ja começam a infligir os seus metodos de violencia na cidade de Lisboa. E isso é inadmissivel. O senhor decerto compreende a forma como esses individuos acabam por criar um odio aos brasileiros em geral. Eu, falando por mim, so quero é que me deixem em paz na minha terra; como Salazar diria “orgulhosamente sós”. Não preciso que venham pessoas de fora ditar a minha maneira de estar na minha terra. E nesse ponto acordo com o sr.Marcelo quando diz que se haviamos tido os mesmos preconceitos na idade media, e hoje estariamos circuncidados e a orar para Meca.

  97. Cbr diz:

    E ja agora, eu concerteza que espero que o Brasil venha a ser um nação rica e justa. Mas isso tambem passará por resolver os tais problemas sociais; e resolve-los não é mandá-los para a Europa. Eu não estou consciente dessa realidade mas o senhor, se souber , poderia-me indicar quais as medidas governamentais, para a resolução da pobreza e da fome aí no Brasil?

  98. WSA diz:

    Vera.

    Primeiramente, um grande abraço.

    Não vejo nenhum mal em preservar culturas, se o seu objetivo é o de preserva culturas, estou completamente de acordo, mas a história da espécie humana mostra que somos nômades por natureza e é por isto que o planeta todo foi ocupado.

    O problema é que quando se pensa em descriminar as pessoas somente pela sua origem é que os conflitos acontecem, o fato é que a migração ocorre tanto de Portugueses, quanto Brasileiros, quanto Alemães enfim ocorre com qualquer povo do mundo, eu me revoltaria se aqui no Brasil fizessem campanha para maltratar ou expulsar os Portugueses, ou qualquer outro povo, o governo aqui prenderia de imediato estas pessoas, não acredito que o ódio racial resolva o problema.

    Se o seu país está tendo problemas com a população, se existem problemas econômicos advindos da imigração, então que se façam novas leis de imigração, mas que com isto não se retirem o respeito aos imigrantes que já estão aí e nem aos filhos de imigrantes que nascendo aí, terão a nacionalidade Portuguesa.

    Aqui no Brasil conseguimos viver com múltiplas culturas, tanto que se pode ir a um Oktoberfest em Outubro, ir ao Carnaval em Fevereiro, ou pular a fogueira, soltar fogos, comer comidas típicas em Junho com as festas juninas. É possível se divertir com o bumba meu boi, dançar frevo, comer comida bahiana, ou seja, somos um pais multicultural , onde as religiões e as culturas não se agridem e onde há respeito por todos os imigrantes, mesmo com a diversidade de culturas, não somos uma coisa só. Se algum dia o Brasil reforçar as leis de imigração por questões sociais, eu não vou ser contra, da mesma forma se Portugal fizer o mesmo e por questões sociais também limitar a entrada de outros povos aí, só não aceito que isto seja feito por questões raciais, ou questões que não tem qualquer fundamento. A cultura Portuguesa está preservada até aqui no Brasil, e eu não acho também que aproveitar um pouco da cultura de outros povos que foram para seu país não seja algo negativo. Se você ama o seu país e deseja ser nacionalista e preserva sua cultura, então que faça, mas o caminho não é atacando os imigrantes, talvez seja fazendo com que os imigrantes absorvam a sua cultura e isto não será feito enquanto o clima é de confronto, se vocês aceitarem os imigrantes legais que estão aí com boa vontade, com certeza eles vão cada vez se tornar mais Portugueses.

    Sua visão ao meu ver é inteligente, eu só não concordo que o caminho para atingir o seu objetivo seja o da intolerância. Migrações no mundo, sempre ocorreram e sempre vão ocorrer, é da natureza humana, mas é bom perceber que a migração ocorre para vários lados, se tem Brasileiros em Portugal, tem também Portugueses no Brasil, não é correto achar que se nós aqui no Brasil nos sentiríamos ofendidos se o povo Português fosse maltratado aqui neste país, nos sentiríamos contentes se a recíproca não fosse verdadeira, ou seja, que os próprios Portugueses, além de não defender os Brasileiros, passassem a atacar gratuitamente, somente pelo fato de serem Brasileiros.

    Ser Brasileiro, Português ou Africano, é uma circunstância, mas no final todos são seres humanos, com pensamentos parecidos, com sentimentos parecidos, com ambições parecidas, muito embora nada disto seja idêntico a todos os povos, todo mundo quer passar o tempo que vive aqui neste planeta da melhor forma possível.

    Não a recrimino se você adora sua bandeira, adora o seu hino e a sua cultura, aqui no Brasil, ser nacionalista pelo que percebo, não tem o mesmo significado que aí em Portugal, não significa descriminar, significa amar o país e aceitar as diferenças.

    Vera, desejo tudo de bom a você

  99. WSA diz:

    CBR

    Não acredito que sua preocupação tenha fundamento, aliás fico até preocupado com esta visão negativa do Brasil e dos Brasileiros. O fato é que o Brasil é um país aberto e não esconde seus problemas, a imprensa é livre, as manchetes ruins vendem mais do que as boas, com isto não quero negar os problemas, eles existem e são graves.

    A maior quantidade de migrantes brasileiros para Europa não está em Portugal (se não me engano), vou verificar mais tarde, está na Inglaterra, e entender o Brasil sob o ponto de vista Português, é um tanto difícil, mas vamos ver se eu consigo explicar o porque aí não existe o menor perigo de acontecer o que está acontecendo aqui com relação aos brasileiros. O fato é que não existe nenhuma campanha para que brasileiros ocupem a Europa, muito pelo contrário.

    Também posso explicar o que está sendo feito aqui na área social, e devo dizer que é muita coisa, muita mesmo, mas fico na dúvida de que isto deveria ser feito neste tópico cujo título não está sequer ligado ao Brasil, estaríamos saindo muito do tema, como sugestão alguém poderia me dizer onde tem um tema para falarmos dos problemas de migração e da situação econômica dos países de língua Portuguesa, eu estou então aqui solicitando ao maquinazero com toda humildade, que se possível me oriente e se não existir, que se crie um tópico para que isto seja abordado.

    Um abraço CBR

  100. Cbr diz:

    Sim, tem razao e ja estaremos a fugir ao assunto, mas gostaria so de referir mais um ponto. Compreendo que a realidade multicultural esteja bem presente no país,e que como tal a convivência seja assim mais facil. O que ha bocado lhe quis dizer, não foi que todos os brasileiros estivessem na ma imagem por parte dos portugueses. Alias, ainda ha bem pouco tempo, um jovem português foi morto aí numa praia, por resistir a um assalto e não houve nenhuma manifestação de caracter xenofobo contra brasileiros, o que seria descabido. Mas quando falamos de Portugal, falamos de um país de brandos costumes! A multiculturalidade é algo que não está bem entranhado no nosso quotidiano, MAS apesar disso posso-lhe garantir que até seremos dos povos menos racistas da europa; Mas quando vêm para cá querer impor-se e quererem julgar-se superiores, alto e pára o baile.
    Não conheço um imigrante trabalhador, que seja mal tratado, antes pelo contrario. E acredite que sei do que falo pois ja morei em varias zonas de Portugal. Agora, tenho a (in)felicidade de morar em Lisboa, e o que se está a passar na nossa capital é um vergonha, chamem-lhe o que quiserem. Eu quase que sinto receio de ser português na minha propria terra. O senhor nem acredita em mim, mas eu ja fui alvo de racismo varias vezes!! Eu, português, em Portugal! Então isto faz algum sentido? Se o contrario nao faz, isto muito menos fará. O senhor sabe bem que quem vai para um país para procurar melhores condições e depois apercebe-se que nesse país ser estrangeiro é sinonimo de benesses sociais e protecçao das mais variadas instituições, acaba é por se encostar, roubar e vender droga. E nem falo dos brasileiros, que até procuram trabalhar (a maioria). Agora os africanos…
    Um abraço

  101. Vera diz:

    WSA, imagine que um amigo seu vai dar a volta ao mundo.
    Diz-lhe que esteve na Lapónia, no Verão, e mostra-lhe fotografias de pessoas com pele avermelhada, cabeça oval.. O WSA acha estranho, que raio de Lapónia, não era aquilo que afinal conhecia. Depois, o seu amigo mostra-lhe um postal que trouxe do Quénia, de um safari que fez por lá. Aí vê a população local a viver em palhotas, grandes colares, dentes de leão ao pescoço, e um ar de..oriental moreno..filipino, por exemplo. Aí, concerteza já começa a achar que o seu amigo o anda a aldrabar, não é?
    Depois, vê que este seu amigo, depois de passar pela China, diz que a sua população tem olhos redondos e claros, pés grandes e muitos pelos. Bom..das duas uma, ou é mentiroso compulsivo ou precisa de ir ao oftalmologista, pensamos nós.
    PAra terminar a sua grande viagem, o seu amigo regressa ao seu país natal e visita a amazónia. Pesca piranhas com frango, dorme no hotel e promete não voltar mais com tanta mosquitada que para lá aturou. “Então, e como é aquilo, meu?” E ele descreve-lhe a história do hotel, dos mosquitos, da pesca, do barcos pelo rio e as tribos loiras/ruivas, olhos claros e pele quase branca. Decididamente, pensaríamos que não deu a volta ao mundo.

    PORQUÊ?

  102. piloto diz:

    Quem é que viu a seguinte noticia na tv : “Foram a panhados 30 brasileiros que falsificavam documentos Portugueses em Espanha,uma rede que se estandia a Inglaterra e Italia…”, eu diria o seguinte, estes bostas só conseguem o tal pé na Europa ou falsificando documentos, ou arrenjo matrimonial e sabe-se la que mais, eles ñ trazem nada de bom olhem o caso de Vila de Rei deram-lhes tudo e ao fim de terem os papeis na mão desapareceram, e eu pergunto: Aonde eles estão?Em Portugal há dois alvos a abater os brazugueses e os pretogueses, dizem-se Portugueses porque compram os papeis no Martim Moniz e sabe-se mais aonde, e depois aparece este boi brazuca a roncar aqui(wsa) que os brazucas isto que os brazucas aquilo, o meu amigo va roncar para o buraco de donde saiu, voces deviam era de dar graças a deus por nos os teremos descobertos e enves de isso voces até nos matam como fizeram com os empresarios Portugueses que passavam ferias no nordeste do brasil enterraram-os vivos e depois enfiaram-lhes em cima uma chapa de betão , cambada de F…. da P….. que estes brazucas são, tenho nojo destas politicas govermentais esquerdistas no feturo alguem vai pagar pelos erros que estam se a cometer e para seu desespero wsa temos todo o direito de desfender o no país, eu como outros ñ queremos Portugal como a França.

  103. Vera diz:

    WSA, aí pode não haver tanto esse problema, as pessoas podem não sentir esse problema de identidade no seu dia-a-dia por haverem milhões de mestiços num país com muitos milhões de habitantes. O Brasil, como território colonizado, albergou muitos povos, europeus, africanos principalmente, hoej em dia bastantes estão misturados.
    Portugal sempre foi a metrópole, sempre teve o seu povo desde que existe. A população portuguesa é branca e não há dúvidas nisso! O povo característico da Europa é branco.
    Aqui, os portugueses não brancos são maioritariamente os de papel, em segunda ou terceira geração. A mulheres chegam a vir de África para a Europa no fim da gravidez para terem cá o filho e, portanto, para ele ser portuguÊs e, desta forma, ela conseguir ficar em território nacional. Se se metem a dar nacionalidade a todos os que cá nascem..é uma mina de ouro. Portanto, a filosofia de que quem nasce em território português é portuguÊs não é assim. Até lhe vou dar um exemplo muito básico, que não suscita qq tipo de problemas mas que mostra que a pessoa não tem que ser registada exactamente no mesmo sítio onde nasceu: Eu nasci em Lisboa e estou registada em Cascais porque essa era a minha área de residencia. Existe ainda aquele caso polémico, de que se falou muito por c´´a devido`ao encerramento de muitas maternidades: as grávidas iam ter os filhos a Espanha`, à cidade mais próxima mas ele continuava a ter nacionalidade portuguesa.

    Para além disto tudo, os imigrantes na Europa estão maioritariamente cientes de que~não são europeus, os muçulmanos são um grande exemplo disso, e mesmo os seus descendentes que já nasceram em solo europeu, muitos continuam a identificar-se com a terra dos pais, usufruindo de uma nacionalidade europeia para o que mais lhes convém.
    No outro dia ouvi até um caso de uma pessoa conhecida que trabalha numa loja que recebe pagamentos das contas da água que ouviu um comentário de um negro que lhe apontou o todo e disse “Hoje são vocês, amanhã vão vamos ser nós a mandar nisto tudo!”
    A somar a isto tudo temos o problema da segurança social, do realojamento, da criminalidade, da difícil integração destas pessoas nas escolas, etc..
    Fazendo o balanço, a meu ver, o saldo é negativo, e fica-me a questão. Preservamos a cultura, e porque não a raça? Segundo o exemplo da volta ao mundo, ela acaba pro caracterizar um povo. Não é o seu único elemento, mas sem dúvida que o caracteriza. Quando pensa na Cleopatra não a imagina uma Claudia Schiffer, pois não?~
    Não lhes batemos, não so escravizamos, não so matamos..apenas queremos permanecer como somos. Qual é o crime?

  104. WSA diz:

    CBR

    Lembro deste caso também do rapaz que foi morto em uma praia, isto deve realmente ter corrido o mundo, garanto que aquele criminoso que está agora na cadeia, mataria qualquer um, o problema não era nacionalidade. Aqui no Brasil, quando um assaltante tenta roubar, temos noção do perigo e não reagimos de forma nenhuma, a reação é entregar até as calças sem esboçar reação, mesmo assim ainda é perigoso, neste ponto eu sinto até vergonha com relação a estes fatos.

    Fico triste com o fato de você dizer que já foi discriminado em seu próprio país, isto é realmente um absurdo, neste caso, eu acho que as leis brasileiras no caso de racismo são bem feitas, estas pessoas que o discriminaram, poderiam estar na cadeia.

    Com sua experiência aí, você poderia narrar qual foi a razão deste racismo? Consegue entender o porque disto ter ocorrido? Como foi?

    Eu só não consigo entender se o imigrante tem mais benefícios do que os Portugueses, você poderia ser mais específico quanto a isto?

    Vera

    Depois eu respondo as suas mensagens, mas só para você ter uma idéia, não imagino Claudia Schiffer não, sei que Cleópatra era negra, até nisto querem modificar os fatos, enfim, isto não tem importância, serve Cláudia Schiffer ou até Whoopi Goldberg, arte é arte.

  105. Vera diz:

    Hm? Arte? Estamos a falar de povos. Isto só para lhe dizer que as características físicas são importantes na identidade de um povo, tanto que os povos mais conhecidos das história, como os egípcios, possuem determinadas características físicas e quando se fala neles, automaticamente, associamos egípcios a um determinado conjunto de características, sem estarmos a ser racistas. ERa aí que queria chegar.

  106. Cbr diz:

    Certamente que esse criminoso teria morto qualquer pessoa, caro WSA so referi esse facto, dizendo que, naturalmente não faria sentido nenhum os portugueses insurgirem-se contra os brasileiros em geral.
    Bom, em relaçao ao facto de ser descriminado no meu proprio país é comum, caro amigo. Para começar, eu a minha mãe mora num bairro da periferia lisboeta, bairro constituido na sua maioria por imigrantes oriundos da guine, cabo-verde, angola, etc, e é comum eu fazer-lhe visitas.
    A minha mãe tem dois trabalhos, pelo que trabalha das 16h ate as 8h da manha do dia seguinte, mas para ela trabalhar nunca foi problema, até gosta, dizendo que a distrai. Ela, face a esta situação é obrigada a pagar 350€ pela renda de casa.
    Cerca de 70 % dos imigrantes neste bairro não trabalham; passam o dia encostados na parede do predio em frente, onde a venda de droga, o roubo e prostituição ( e os consequentes “chulos”) são os seus meios de subsistência. Para alem disto, recebem subsidios do estado, e das mais variadas instituições que os apoiam com comida, dinheiro e roupas que muitas vezes são queimadas em plena rua. Estes senhores pagam rendas na ordem dos 60€.
    Entrar no bairro, sem ser abordado é dificil. Ouvir comentarios do genero:”qualquer dia somos nos que mandamos nesta merda toda”;”Portugal é uma merda”;”Estas a olhar para onde pula?”;Em dias de jogo com Portugal, cada golo da equipa adversaria é celebrado de forma exemplar! Estarei eu na minha terra, penso as vezes.
    O governo portugues vai cada vez mais criando medidas para que a nacionalidade portuguesa seja atribuida à toa, as fronteiras estão literalmente abertas. Um imigrante chega, constroi uma barraca, espera dois anos e é lhe atribuida uma casa paga com os meus impostos. Entretanto ha 700000 desempregados, e dois milhoes de Portugueses esquecidos que vivem com pensoes miseraveis, com problemas de saude, para quem a esperança reside na solideriedade dos seus compatriotas.
    As associações em defesa do imigrante apregoam aos sete ventos a necessidade de integração destes em Portugal. Essa integraçao passará por obrigar eventualmente os meus filhos a terem aulas em crioulo; passa pela imposiçao dos seus costumes e culturas a um povo; passa pela criminalização da sociedade portuguesa (coitada da sociedade portuguesa!) como desculpa para os comportamentos desviantes dos imigrantes. Estes senhores que apregoam estas calamidades, são senhores que , na sua maioria, nunca puseram os pés em bairros desagregados, a quem nao lhes falta nada e sabem que por muita criminalidade que haja, esta não lhes vai bater a porta do seu BMW, nem da sua moradia segura numa boa zona de Lisboa.
    Não sei se o senhor entenderá a minha revolta; Concerteza haverá pessoas no mundo com problemas bem mais graves. Mas por enquanto eu dedico-me a defender o que é meu e aquilo em que acredito.

  107. Vera diz:

    MAis uma pessoa que já ouviu “Um dia ainda vmaos ser nós a mandar nisto tudo”. É o que dizem africanos cá, é o que dizem islâmicos quando chega a outros pontos da Europa..
    E, segundo dados mais actuais, os desempregados são 740 mil.
    Se não temos condições para 2 milhões dos nossos 10 milhões, como é que vamos estar com paninhos quentes com imigrantes arrogantes que nem mereciam cá estar?

  108. Cbr diz:

    É verdade, cara Vera. Situações destas são a triste realidade. A soluçao passaria por uma coesão nacional dos portugueses, de um sentimento de amor à patria e à cultura. Felizmente este sentimento ainda está bem presente no norte do país (conheço esta realidade, pois a minha mulher é “tripeira”), mas em Lisboa, capital da nação, este sentimento parece ter sido posto de parte. Não posso deixar de acahar estranho!
    É altura de os portugueses esquecerem os estigmas da ditadura, que lhes está em muitos casos a fechar os olhos para a realidade, e assim ganharmos novamente o amor à terra! A nossa terra não tem de os ordenados serem baixos, ou dos medicamentos serem caros, ou de uma data de imigrantes entrar por aqui dentro!
    A culpa é dos governos sucessivos PS/PSD!
    A culpa é nossa, que votamos neles,e e perdemos o amor a Portugal por essa via!
    Unemo-nos de novo!

  109. WSA diz:

    CBR e Vera.

    Quando o assunto é tratado como problema social, sem com isto se proclamar diferenças raciais, superioridade ou inferioridade, é muito mais fácil entender o que está acontecendo, se alguns falam de raças e criam teorias absurdas sem nenhum sentido para reforçar seu ponto de vista, o que vai acontecer é que realmente as pessoas não vão entender e vão tratá-los como inimigos, o problema não são as raças, existem problemas sociais em Portugal que são agravados pela imigração, assim eu começo a entender o problema, mas ainda acho que o caminho do racismo está equivocado.

    A questão aí é a de dificultar a imigração, mas aí não poderá haver nenhum tipo de diferenciação a ponto de aceitar imigrantes Europeus e não aceitar Africanos ou Brasileiros.

    Quanto aos imigrantes que já estão aí, a única solução é a integração, pois se isto não for feito, Portugal pode se tornar um lugar insuportável com conflitos internos, ou seja, para resolver os problemas internos, na minha opinião, tem que haver algum tipo de legislação que dificulte a imigração, sem desrespeito aos imigrantes.

    Vera, ainda não concordo com você quando você fala sobre manter a raça Portuguesa, entendo se disser que o problema é manter boas condições ao povo Português, independentemente de raça.

    Se pessoalmente alguém atacar um povo, no mínimo o que vai acontecer com o povo atacado é que vai ficar vai ficar ressabiado, ou seja, pelo menos não vai confiar no outro povo, a questão é a de unir os imigrantes na sua mesma luta para evitar a imigração, pois tirar os imigrantes daí, não acredito que seja possível, então, se revoltar contra eles simplesmente não vai adiantar nada, só vai criar tensão, neste caso eu mesmo não conseguindo entender a gravidade do que foi dito, daria um palpite dizendo que o foco de vocês não deve ser os imigrantes, mas sim as leis de imigração, não acho que devam mexer com quem está aí, querer que Portugal mantenha um bom nível social e que detenha a imigração descontrolada, é um objetivo válido, usar de racismo para isto é um meio detestável.

    Colocar o termo raça como bandeira principal para atingir seus objetivos, só vai conseguir despertar a antipatia, não só dos imigrantes, mas provavelmente do mundo todo, inclusive dos povos da Europa.

    CBR, você mesmo disse que teve colegas africanos e com certeza deve ter notado que são seres humanos que estão a procura de estudo, trabalho e melhores condições de vida, mas será que Portugal se prontificando a ajudar estas pessoas nas regiões em que estão, não seria uma forma de diminuir a pressão migratória? Se o governo Português quer ajudar estes povos, que tal este governo promover o desenvolvimento na África, ou pelo menos fortalecer as lei de migração compensando através de algum tipo de assistência a estes povos nos locais de origem, não seria mais fácil levar escolas Portuguesas à África do que levar os Africanos para estudar em Portugal? Não seria mais fácil, usando a tecnologia de Portugal e o material humano dos africanos e as matérias primas na África para a criação de hospitais por exemplo? Não seria interessante estimular a transferência de conhecimento para que os Africanos, Brasileiros, enfim quem quer que seja, voltem ao país de origem para depois de estudar em Portugal espalhar e aplicar os conhecimentos aos seus povos de origem? Tudo isto é apenas uma questão política, não é questão de raças, desmerecer qualquer imigrante não vai nem de longe corrigir os problemas.

    Aqui no Brasil , existem (acho que também já deve existir em Portugal) programas gratuitos para africanos que vem aqui para aprender agricultura e voltam ao país de origem para aplicar estes conhecimentos.

    Que tal Portugal invadir a África (no bom sentido), mas não para retirar e sim para dar algo ao povo africano? Isto não quer dizer em absoluto que se deva interferir nos assuntos internos dos países, significa em disponibilizar ajudas, desde que os países africanos soberanamente aceitem?

    Então que digam : “Portugal está com graves problemas sociais, a imigração agrava estes problemas então vamos endurecer as leis de imigração para qualquer imigrante de qualquer parte do mundo para manter a economia Portuguesa e seus bons níveis sociais, em contrapartida faremos todos os esforços em benefício de todos os povos irmãos de Portugal para promover o desenvolvimento no país de origem, para reduzir a fome, melhorar a saúde e promover bem estar social de acordo com as possibilidades do governo Português, sendo que isto também implica no respeito e solidariedade aos imigrantes provindos de outros países que já estão em Portugal, visando criar boa convivência e bem estar entre os povos que compõe a nação Portuguesa”.

    Uma visão como a descrita acima é muito mais fácil de ser entendida por qualquer povo, falar em raças, superioridade ou inferioridade, além de não ter base nenhuma, só tem a tendência de criar o caos.

    Minha querida Vera, se o tema é sobre a identidade de um povo, eu posso entender, mas quando o tema racial substitui a verdadeira origem dos problemas, então não posso concordar, se o tema é a situação econômica e social de Portugal degradada pela imigração, eu entendo completamente, se o tema for manter a raça branca Portuguesa, aí eu acho que o objetivo não é nada nobre, sendo que um foco pode trazer a cooperação, inclusive dos imigrantes já estabelecidos, o outro poderá trazer somente ódio e desta forma não haverá nem Portugueses, nem imigrantes satisfeitos.

    A opinião que eu estou passando neste momento, está baseada nestes fatos novos que estão sendo apresentados, será que não tem nenhum imigrante para colocar a posição de uma forma civilizada como está sendo feito agora?

    Abraços a todos.

  110. Cbr diz:

    Caro WSA, eu estou de acordo consigo! Aliás, falando por mim, eu não tenho discordado do que o senhor tem dito. O senhor diz, e bem, que as politicas de imigração deviam ser revistas; eu ja tenho dito isso varias vezes (que a culpa é dos governos). E certamente que, ja que as fronteiras estão abertas, que não se ha-de fazer distinçao entre este ou aquele povo, SE as suas motivações forem as de trabalhar, e com a consciência da integração no país onde se chega, e não a consciência de que “pronto, chegámos aqui, agora estes gajos que se adaptem”; Se ha pessoas que acham que isto é que é o espirito de multiculturalidade, estão erradas.
    Na verdade, não tem havido discriminação quanto à admissão de estrangeiros em portugal: entram mais africanos que europeus no nosso país. Os unicos europeus aqui presentes em grande numero são os ucranianos, mas diga-me, porque é que estes se integram bem e os africanos nem por isso?? Os ucranianos, têm causado pouquissimos problemas em termos criminais! Aprendem o português facilmente, fazem amigos, que não apenas os seus compatriotas (apesar de naturalmente, haver sempre um laço especial com estes – note, um laço e não uma relaçao exclusiva) e são muito poucos os que estão desempregados! Isto é verdade, se o senhor verificar em dados viaveis vai ver que sim.
    Ora isto para mim tem uma explicação: enquanto os ucranianos, desejam apenas juntar dinheiro e um dia voltar à sua terra, e à sua cultura, das quais concerteza sentem saudades, e como tal não sentem vergonha nenhuma em se integrar nem em aprendrer o português; já os africanos (na sua maioria) planeiam ficar cá e por isso, como esta será a sua terra, impõem-nos a sua cultura, o que não está certo; isso não é maneira de fazer as coisas, ou então estamos a voltar a idade média.
    Não sei qual é o preconceito quanto ao homem branco ou quanto ao que ele fez no passado, mas eu não tenho nada a ver com isso, eu nasci no seculo XX, por amor de Deus! Portugal ja foi invadido várias vezes: Quer ver agora o senhor que eu me vou instalar nos paises(culturas que me invadiram ha 2000,1000 ou 200 anos atras e vou cheio de preconceitos e odios por eles, à espera de tolerãncia e compreensão!
    Quando falo em manter a minha cultura como português, não desejava que isto agora se enchesse de franceses a exigirem a construçao de uma torre Eiffell em Lisboa, que todos os cafes tivessem croiassants,e que se ouvisse Edith Piaff em altifalantes pelas ruas (estou a exagerar)! Mas não sei se me percebe! Por mim, tambem seriam mandados embora daqui, se não se soubessem integrar; ou Napoleão quando entrou por aqui dentro, não foi igualmente expulso, tal como se expulsaram os árabes?
    Porque é que um pais ou um povo reage quando está a ser invadido ou violentado? Porque deseja manter a sua identidade, a sua cultura!

  111. Vera diz:

    WSA, a teoria nacionalista não tem que passar pela superioridade de umas raças e inferioridade de outras. Apenas passa pela aceitação de que essa diferenças existem e que cada um gosta da sua própria raça. Um europeu identifica-se como branco e até pode ter orgulho nisso, sem com isso prejudicar os outros. Tal como um negro em África pode ter orgulho de ser negro, de pertencer a determinada tribo ou religião, sem com isso maltratar os outros.

    Quanto à discriminação racial na aceitação de imigrantes, nós podemos sim distinguir europeus de africanos e asiáticos. Primeiro por razões culturais, os valores culturais e sociais são semelhantes em todos os países europeus. O mesmo não se pode dizer de muitos outros pontos do globo, e isso faz com que uns tenham muito mais facilidade de se adaptar a Portugal do que outros. Se quiser, posso.lhe dar inúmeros exemplos pessoais de casos Leste vs África. Casos desses é o que não falta em Portugal.
    Para além disso, mesmo que quisessemos impedir outros europeus de migrar para Portugal, não podiamos fazê-lo. Lembre-se que na Europa temos fronteiras abertas, de Portugal à Bulgária, da Suécia a Chipre, temos a mesma moeda da Itália à Finlândia e leis que permitem qualquer cidadão de um dos 27 países da UE circular e permanecer livremente em todo o espaço comunitário.

    A solução passar por expulsar imigrantes que cometam crimes, que estejam ilegais e que não contribuam para o país. Isto para falarmos em termos mais softs. Porque num país em que 2 milhões vivem na pobreza e os ciganos têm subsídios de 740€ por mês sem trabalharem…num país em que são dados subsídios aosínúmeros filhos de imigrantes africanos quando os pais muitas vezes estão desempregados e quase não contribuiram para a segurança social..e onde os jovens fazem inúmeros desacatos..Revolta, e essa revolta dá vontade de os mandar de volta para o país deles a nado, quando aidna aliando toda a sua má postura à arrogância do “Ainda vamos ser nós a mandar nisto”. Imagine o que era ir um estranho a sua casa e fazer-lhe tudo isto. Certamente perderia a cabeça e só o queria ver dali para fora, afinal, quem é ele para estar a fazer aquilo?

    Com a questão da raça quis-lhe dizer que os portugueses são brancos. Se o país de repente ficasse negro, vermelho, amarelo, azul…não era Portugal. Faz parte da nossa identidade. E os nossos visinhos europeus certamente que tb não gostariam da ideia de serem “trocados” por outro povo. Cada povo trás consigo um pouco da sua cultura. Se a população virar mestiça, a nossa cultura vai desaparecendo e a deles começa a entrar..percebe? E os outros povos europeus também já começam a ver o nacionalismo subir, que embora ainda seja assombrado pela 2ª Guerra Mundial (erradamente), já tem bons resultados em França, na Alemanha, na Dinamarca e sempre os teve na Bulgária, país com poucos imigrantes até. Logo, duvido que fiquem muito chateados.

  112. WSA diz:

    Minha cara Vera

    Concordo com a repatriação dos imigrantes ilegais, mas os imigrantes legais, já fincaram pé aí, não tem como expulsar sem criar uma guerra civil, não sei se você tem conhecimento, mas a guerra na Bósnia teve como fator principal o racismo, o resultado, foi que o mundo todo lutou contra o massacre por razões raciais na antiga Iugoslávia, não existe a menor possibilidade de com o seu raciocínio atual, de um povo Português com características brancas tenha que expulsar os imigrantes, seja aceito pelo mundo, embora na sua cabeça você não perceba, para os imigrantes, e principalmente para os filhos de imigrante, Portugal é o lar deles, não vão sair daí de graça não, a única solução pelo meu ponto de vista é a integração com os imigrantes que já estão por aí e a criação ou modificação de leis de imigração.

    O maior exemplo de que você está equivocada com relação à invasão de cultura e destruição da cultura Portuguesa é o Brasil. Todas as comunidades mantêm suas próprias culturas e assim, no mesmo país é possível viver culturas diferentes, evidentemente que o grau de integração é grande, sem separatismo. Para você ter uma idéia de como as coisas funcionam aqui, recentemente eu li uma reportagem em que duas igrejas usavam o mesmo espaço por falta de dinheiro, pela manhã tinha um culto católico, depois todas as imagens eram retiradas e então faziam um culto que poderíamos dizer protestante (aqui tem tanta religião que não dá para ter certeza de qual era). Enquanto na Inglaterra Católicos e Protestantes entraram várias vezes em luta armada, aqui chegam até a dividir o mesmo templo.

    Mesmo que você não perceba, a sua cultura não é a mesma de tempos atrás, hoje existe TV a cabo, existe computador que diminui as fronteiras, tanto que eu estou aqui no Brasil me comunicando com você em Portugal, sendo que o que nós escrevemos pode ser lido em qualquer parte do mundo. Será que você não ouve música brasileira ou americana?

    Um colega meu esteve aí em Portugal recentemente (como turista) e disse que a cultura brasileira contaminou tanto o país que parecia às vezes que ele não havia saído de casa, mas isto não se deu pela presença de brasileiros, se deu pelas novelas, pelos noticiários, pelos produtos brasileiros.

    Queira você ou não, a integração mundial já ocorre, todas as culturas se modificam. Ontem eu estava assistindo um programa chamado Judge Judy, que é um programa que trata de casos de pequenas causas da justiça americana, em um dos casos, existia uma disputa de um valor pequeno entre um senhor e uma moça, sendo que a moça era jovem e branca e bonita para os padrões europeus, quem foi depor a favor dela foi o noivo que era um homem negro, isto era impensável na década de 60, hoje se um negro se casa com uma branca, os americanos não estão muito preocupados com isto. Em outra parte do mesmo programa, a juíza falou em espanhol “Lo barato sale caro”, eu estava assistindo o programa em inglês sem legendas e no meio do nada a juíza americana nata disse esta frase, não existe meio para retroceder isto, sua cultura vai mudar pela ação do tempo e pela ação dos organismos de comunicação, não há como parar isto, mesmo que não entre mais nenhum imigrante no seu país.

    Eu sei por exemplo que entre Brasil e Portugal, não existe sequer a necessidade de visto no passaporte, na Alemanha e muitos outros países Europeus, as coisas funcionam da mesma forma. Se eu quiser pegar o avião hoje e viajar para Alemanha ou para Portugal, basta comprar a passagem, mas se vocês acham que a imigração é um problema, então porque não fazem como os americanos? Exijam visto que identifique o objetivo do estrangeiro aí no seu país, se já tiver trabalho, então tudo bem, que entre, se for para turismo então que tenham um visto identificando o tempo que vão permanecer aí, mas isto também vai dar margem ao Brasil para o principio de reciprocidade, mas se é uma solução para vocês, então que tentem de alguma forma transformar isto em realidade.

    Sua visão de um povo branco Português é racista sim e não tem qualquer tipo de justificativa, seu medo com relação à influencia de outras culturas, não é infundado, mas sua cultura não será destruída pelos imigrantes, e a mudança é inevitável.

    Ontem eu vi em uma reportagem no SBT sobre adoção, uma casal branco que adotou duas meninas gêmeas negras com mais de 5 anos de idade, eles disseram que estavam querendo adotar um filho e acabaram adotando dois, existe maior exemplo de civilidade no mundo? Até Madonna e Angelina Jolie tiveram amor suficiente para adotar como filhos, crianças negras nascidas na África, porque será que alguns acham que pode ser tão difícil conviver com outros povos?

    Não existe mais espaço no mundo para a criação de leis que gerem o Apartheid, não existe mais espaço para alimentar o ódio racial, o mundo não aceita, então o que eu acredito que se deva fazer é respeitar as diferenças, sejam elas, de cor, de sexo, filosofia, religião, cultura, enfim, qualquer diferença.

    Não estou aqui de nenhuma forma defendendo a possível arrogância dos imigrantes contra o povo Português, eu só queria ler as impressões de alguns imigrantes, será que não tem nenhum por aí lendo o que está sendo escrito?

    Vera, suas idéias e de alguns se confundem com os ideais nazistas, não sei onde isto vai dar, só sei que o resultado pode não ser bom. O caminho certo é o da tolerância. Que se proteja a economia e o nível social do seu país, através de leis de imigração, mas isto tem que ser feito da forma correta, sem discriminação.

    Vera, acredite piamente que digo isto com um grande respeito a você.

    Abraços a todos.

  113. Vera diz:

    WSA, aí no Brasil a situação pode ser essa de muito amor e tolerância, nos EUA a população pode nem se importar muito com os casamentos interraciais, e sinceramente, eu acho que cada um sabe de si, se a população quer, que o faça..problema seu. MAs lembre-se que ambos os países de que me deu exemplos são ex-colónias! O povo nativos aí eram os índios, esse é que tinham alguma legitimidade para reivindicar seja o que for, agora num território colonizado, a urgência era povoar. Vai-me falar das história dos EUA? Quer comparar 200 anos com os nossos milhares? a história marca a identidade de um povo, e pode fazer dele masi ou menos nacionalista.
    Aí, podem viver todos muito juntos, amigos..aqui, há ghettos, há crime organizado por causa dessa imigração muitas vezes até legal! Não são só os ilegais que dão problemas, os legais, que receberam o papelinho de mão beijada também dão problemas. Os filhos dos imigrantes, que já nasceram na europa, chegam a ser mais extremistas que os seus progenitores e identificam-se com o país dos pais. E não sou só eu quem diz isto, a revista The Economist também, vai dier que eles também são nazis?
    Aqui, o negros fecham-se nos seus bairros, ouvem a sua música e os jovens portugueses mais rebeldes até aderem por acharem que “é cool ser mauzão”. Os negros são os que aparecem nas câmaras de vigilância quando há assaltos nos comboios e na praia, coitadinhos… O islâmicos, já nascidos na europa, que até pareciam bem integrados e que se assumiam como britânicos, alemães, espanhóis, franceses, etc. pegam fogo a carros no meio da rua, fazem manifestações de ódio e até põeem bombas… imigrantes e FILHOS de imigrantes. As cadeias francesas estão cheias de magrebinos, as nossas escolas oficiais do ensino básico em Lisboa chegam a ser uma vergonha quer em termos de comportamento quer em termos de notas, onde há masi descendentes de africanos. Quer o q

  114. Vera diz:

    WSA, aí no Brasil a situação pode ser essa de muito amor e tolerância, nos EUA a população pode nem se importar muito com os casamentos interraciais, e sinceramente, eu acho que cada um sabe de si, se a população quer, que o faça..problema seu. MAs lembre-se que ambos os países de que me deu exemplos são ex-colónias! O povo nativos aí eram os índios, esse é que tinham alguma legitimidade para reivindicar seja o que for, agora num território colonizado, a urgência era povoar. Vai-me falar das história dos EUA? Quer comparar 200 anos com os nossos milhares? a história marca a identidade de um povo, e pode fazer dele masi ou menos nacionalista.
    Aí, podem viver todos muito juntos, amigos..aqui, há ghettos, há crime organizado por causa dessa imigração muitas vezes até legal! Não são só os ilegais que dão problemas, os legais, que receberam o papelinho de mão beijada também dão problemas. Os filhos dos imigrantes, que já nasceram na europa, chegam a ser mais extremistas que os seus progenitores e identificam-se com o país dos pais. E não sou só eu quem diz isto, a revista The Economist também, vai dier que eles também são nazis?
    Aqui, o negros fecham-se nos seus bairros, ouvem a sua música e os jovens portugueses mais rebeldes até aderem por acharem que “é cool ser mauzão”. Os negros são os que aparecem nas câmaras de vigilância quando há assaltos nos comboios e na praia, coitadinhos… O islâmicos, já nascidos na europa, que até pareciam bem integrados e que se assumiam como britânicos, alemães, espanhóis, franceses, etc. pegam fogo a carros no meio da rua, fazem manifestações de ódio e até põeem bombas… imigrantes e FILHOS de imigrantes. As cadeias francesas estão cheias de magrebinos, as nossas escolas oficiais do ensino básico em Lisboa chegam a ser uma vergonha quer em termos de comportamento quer em termos de notas, onde há masi descendentes de africanos. Quer o quê? que lhes dancemos o sambinha para ver se fazemos novos amigos?
    PAra finalizar, os imigrantes e os seus filhos, no caso dos africanos, não se sentem portugueses a não ser na hora de receber o subsídio. Se tivesse cá estado em Portugal durante o mundial, no jogo Portugal-Angola, Tinha visto bem isso. Quando é para ir receber, é tudo muito português…

    DEpois, temos o caso dos imigrantes do Leste da Europa. Tenho colegas que chegaram cá aos 6 anos, vieram da Rússia. e hoje estão num curso de línguas e literaturas sem nunca terem chumbado, e entraram para o ensino português a meio do ano, sem saberem uma única palavra da língua. Chegamos a ter imigrantes de leste que estão cá há 6 meses e são os melhores alunos na disciplina de portuguÊs, na escola… Os de leste vêm para cá ganhar dinheiro e voltar para a terra deles, não vêm para aqui viver às custas dos nossos subsídios nem habitação social. curioso que estes se safam e os africanos não.
    Então mas eu agora tenho culpa que os africanos sejam negros e os de leste sejam brancos? Pintem-nos e asism já ninguém é racista.

    Um caso de ex-colónias não é comparável ao de países que sp foram independentes há centenas de anos. Além do mais, vocês não tem os problemas de imigração do norte de áfrica e ex-colónias que nós temos. Na alemanha há 2 milhões de muçulmanos legais e 8 milhões ilegais. Há quase uam centena de crimes de honra por ano nas ruas de Berlim. Um jornalista Checo, há usn meses, fez uma reportagem sobre as comunidade islâmicas na europa, adivinhe o que aconteceu quando os islâmicos descobriram que ele era um jornalista infiltrado a filmar nas mesquitas os comportamentos islâmicos, com câmaras ocultas…hoje, já nem pode viver no seu próprio país. Aqui não há esse peace and love.

  115. WSA diz:

    Vera.

    Entendo perfeitamente seu ponto de vista, mas então qual a sua solução? O que pensa em fazer?

    Vamos pensar de uma forma lógica?

    O que fazer com os imigrantes legais que já estão por aí?

    Pelo o que eu vi, alguns de vocês pensam em expulsar, mandá-los de volta a seus países de origem, mas isto não tem a menor lógica, primeiramente porque a maioria dos imigrantes não vão querer sair do seu país, e eu te garanto que se uma lei de expulsão dos imigrantes for aprovada, veja se as conseqüências que eu vou descrever, não vão ocorrer?

    A) Vão existir muitos Portugueses que vão ficar do lado dos imigrantes.
    B) A Organização das Nações Unidas, logo vai se manifestar contra a lei e possivelmente vai até aplicar sanções a Portugal.
    C) O povo Português não será bem visto pelos governos, inclusive na Europa e haverão manifestações no mundo todo contra os Portugueses.
    D) Se os imigrantes foram retirados à força, com uso de forças armadas, Portugal, vai se isolar do mundo até que a situação se reverta.
    E) Com o uso da força, os imigrantes e os Portugueses que assumirem a causa dos imigrantes, vão se manifestar e poderá haver guerra civil de Portugueses contra Portugueses.

    Existem guerras recentes que aconteceram na Europa por motivos raciais. Lembra de Slobodan Milosevic ? A ONU não descansou até que ele saísse do poder, vários países foram à guerra contra os princípios de racismo pregado na antiga Iuguslávia, imagine as conseqüências de uma guerra como esta no seu país?

    O que eu acredito é que qualquer lei que tivesse por intenção expulsar os imigrantes, não ia durar muito, haveria de imediato pressão dos próprios Portugueses para que os mentores desta lei, fosse afastados dos cargos.

    Percebe que a posição radical que está sendo pensada aqui é completamente ineficiente? Não existe a mínima possibilidade que isto aconteça, a presença dos imigrantes no seu país é definitiva, não existe possibilidade de retrocesso.

    Quanto à presença de novos imigrantes, que se façam leis, não adianta simplesmente reclamar, e é odiosa a discriminação.

    Eu sinceramente, tento entender, mas não estou conseguindo me adaptar ao pensamento de alguns Portugueses.

    Aqui no Brasil, se jogar um time Africano contra qualquer time Europeu, mesmo que seja Portugal, adivinha para quem o povo brasileiro vai torcer? Aqui durante a Copa do Mundo, uma empresa de bebidas fez uma grande campanha para torcer para o Brasil e a Costa do Marfim. Se o jogo for entre Angola e Portugal, vão torcer para Angola com certeza, mas isto não tem nenhuma ligação com nacionalidade, nós consideramos aqui, pelo menos a maioria dos torcedores que o futebol africano é mais alegre e mais parecido com o futebol brasileiro.

    Durante a Copa do Mundo, a rede Globo em todos os jogos transmitidos, sempre mostrava torcidas dos dois times no Brasil, mesmo quando o jogo era contra o Brasil, existiam imigrantes do outro país que davam entrevista, e se via as vezes no mesmo ambiente pessoas torcendo para times opostos, ou seja, no mesmo lugar lotado de pessoas existiam alguns que torciam para o Brasil e outros para o outro time estrangeiro, e alguns que ficavam divididos, futebol, não é uma questão nacional, esporte é para diversão, não é para manifestar nenhum tipo de nacionalismo. Se o Brasil ganha um jogo, então todos os Brasileiros, vão se sentir bem, vão festejar, se perder, vão ficar frustrados, mas acaba por aí, se alguém no Brasil não quiser torcer para a seleção brasileira, que mal tem isto? A verdade é que isto também acontece aqui, não com uma freqüência expressiva, mas acontece.

    Vera, tem alguns times para quem eu torço sempre contra na Copa do Mundo, a ordem para mim é mais ou menos esta: Argentina, Itália, França, Alemanha, Portugal. Sabe porquê? Porque para mim estes são os melhores times do mundo (depois do Brasil é claro, he he he), Portugal nesta última copa, foi bem mais longe que o Brasil, então se eu ver Portugal jogando, vou sempre torcer para o outro time, só que isto é uma opção pessoal, tem muita gente aqui que torce para Portugal.

    Futebol pode ser uma paixão nacional, mas não é uma paixão cega, em jogos internacionais, não há nunca uma disputa entre paises é sempre uma disputa esportiva entre representantes dos países, se o Brasil perder para Portugal, vamos ficar chateados aqui, mas Parabéns para Portugal, aliás nesta próxima terça feira tem jogo Brasil e Portugal na Inglaterra, eu vou torcer para o Brasil dar uma goleada em Portugal e é lógico que você vai torcer para Portugal, tomara que os imigrantes aí torçam para o Brasil (he he he he he he he he). No final do jogo, independentemente de quem ganhe (tomara que seja o Brasil, he he he he), que os jogadores apertem as mãos e troquem as camisas, esporte deve ser motivo de união e diversão, não deve ser levado para o campo político de forma alguma.

    Algumas coisas devem ser levadas a sério, outras não, achar que só porque um outro torce para um time que não representa o seu país, mesmo que ele viva no seu país seja uma coisa de importância nacional, eu acho que representa um certo grau de exagero.

    Só mais um esclarecimento, discriminação contra imigrantes é racismo, independentemente de cor, ou qualquer outra diferença.

    Vera.

    Evidentemente que o problema que você está narrando com relação ao aproveitamento dos alunos, pode ser explicado facilmente pelos estudos realizados pelo psicólogo Robert Rosenthal que era professor de psicologia da universidade da Califórnia, sobre o Pygmalion Effect, mais tarde eu comento sobre isto, posso adiantar a você que o problema não é com os africanos, aliás não é nem dos alunos.

    Um grande abraço Vera.

  116. PP&I diz:

    Concordo com a repatriação dos imigrantes ilegais, mas os imigrantes legais, já fincaram pé aí, não tem como expulsar sem criar uma guerra civil, não sei se você tem conhecimento, mas a guerra na Bósnia teve como fator principal o racismo, o resultado, foi que o mundo todo lutou contra o massacre por razões raciais na antiga Iugoslávia, não existe a menor possibilidade de com o seu raciocínio atual, de um povo Português com características brancas tenha que expulsar os imigrantes, seja aceito pelo mundo, embora na sua cabeça você não perceba, para os imigrantes, e principalmente para os filhos de imigrante, Portugal é o lar deles, não vão sair daí de graça não, a única solução pelo meu ponto de vista é a integração com os imigrantes que já estão por aí e a criação ou modificação de leis de imigração.

    Em primeiro lugar, a condição do estrangeiro é naturalmente distinta em termos jurídicos da do cidadão. A Constituição da República Portuguesa prevê excepções à equiparação de direito e deveres entre portugueses, estrangeiros ou apátridas. E assim os estrangeiros não gozam, constitucionalmente, por exemplo, do direito de entrada ou permanência em território nacional e podem sofrer limitações ao direito de se deslocar no interior do País. Portugal é um Estado soberano e uma das prerrogativas de um Estado soberano é a aptidão de agir livremente,
    em defesa dos interesses estaduais na ordem interna. Ou seja, tem o direito em estabelecer relações com quem melhor julgue servir o próprio interesse nacional e em expulsar discricionariamente estrangeiros (legais ou ilegais) do território nacional sem que isso possa ser considerado uma discriminação face a terceiros.

    O maior exemplo de que você está equivocada com relação à invasão de cultura e destruição da cultura Portuguesa é o Brasil. Todas as comunidades mantêm suas próprias culturas e assim, no mesmo país é possível viver culturas diferentes, evidentemente que o grau de integração é grande, sem separatismo.

    Isso é notoriamente falso. O relativismo cultural, aplicado à ética, não é uma ideia trivial porque a afirmação do valor universal da tolerância é incompatível com o relativismo. Por exemplo, o proselitismo sectário islâmico é inconciliável com ateísmo.

    Mesmo que você não perceba, a sua cultura não é a mesma de tempos atrás, hoje existe TV a cabo, existe computador que diminui as fronteiras, tanto que eu estou aqui no Brasil me comunicando com você em Portugal, sendo que o que nós escrevemos pode ser lido em qualquer parte do mundo. Será que você não ouve música brasileira ou americana?

    A cultura não é uma realidade imutável e constante. As normas, valores e instituições da Antiguidade Clássica não são as mesmas das da Idade Média. Mas as mudanças verificaram-se internamente, na Europa. E, tendencialmente, para melhor. Hodiernamente, os países ocidentais são os mais desenvolvidos em todo o Mundo sob todos os aspectos. Não há nada que possamos aprender com outras culturas. Por conseguinte, enquanto Portugueses e europeus, temos o dever de a preservar da degeneração. Por mim, proibia tudo o que viesse do Brasil.

  117. Vera diz:

    WSA, eu só concordaria com um governo nacionalista que chegasse ao poder através de eleições. Esse governo só poderiam exercer certo tipo de poder se fosse eleito por maioria absoluta. Logo, as contestações até podiam existir, mas não em larga escala realativamente a este facto da imigração. Não temos obrigatoriamente que os expulsar. Simplesmente podemos retirar-lhes muitos apoios e facilitar o regresso aos seus países de origem.
    Assim, não há a história de “muitos portugueses vão ficar do lado dos imigrantes”. Os portugueses estão em primeiro lugar nas prioridades do país, é isso que eles querem. Os portugueses querem mais segurança, querem melhor ensino, querem melhores salários, e não vão ficar do lado de um estrangeiro que vem para o seu país ocupar o seu emprego, retirar parte do seu salário, bater nos seus filhos nas escolas ou assaltá-lo no comboio.
    Se o governo for eleito por maioria em Portugal, acredite que para tal isso já teria que ter acontecid em muitos outros países europeus, logo, não estariam assim tantos contra nós. E as Nações Unidas pouco poderiam fazer se o povo estivesse decidido a manter este tipo de governo, se este caísse haveriam outros. É a escolha do país, os portugueses são soberanos no seu território, não concordam? Temos forças armadas para nos DEFENDERMOS. É democratico, é a vontade do povo, somos um país e ponto final. Não temos obrigatoriamente que agarrar neles e xutá-los pela rua. Além do mais, um pais tem o direito de fechar portas à imigração ou a não renovar vistos. Em Angola, com um processo de nacionalização dos postos de trabalho têm retirado vistos de trabalho a PESSOAS QUE EU CONHEÇO, portanto não é o diz que disse, que já ´lá trabalhavam há amsi de 20 anos. Ninguém tosse com isto, qual é o problema agora? Angola não é um país? Faz de si o que bem entender, principalemnte quando é para tomar conta do seu povo, o pouco que toma diga-se de passagem…

    Cá, a selecção é portuguesa e não temos uma febre tão grande quanto a vossa, embora tenhamos alguma.. Não somos um país multicultural. Como já disse, o Brasil difere em muito de Portugal, logo não pode ser comparado nestes parâmetros. Quanto a Itália ganhou o mundial, um responsável pela selecção italiana disse que era “Una vitoria della nostra identidad”, criticando implicitamente a fantochada da selecção francesa, que de francesa só tem mesmo os papeis. Será que esta gente também é neonazi? Ah, e já soube de um político espanhol que saiu do PSE que saiu por declarações acerca da imigração? E um responsável da polícia de segurança pública Portuguesa que foi obrigado a ir para reforma antecipada por ter constatado que os crimes nos semáforo têm vindo a aumentar com a imigração oriunda do Brasil? Ou estamos pejados de neo-nazis disfarçados de esquerda ou afinal as pessoal não se revoltariam assim tanto.
    WSA, são realidades diferentes.

  118. PP&I diz:

    Pelo o que eu vi, alguns de vocês pensam em expulsar, mandá-los de volta a seus países de origem, mas isto não tem a menor lógica, primeiramente porque a maioria dos imigrantes não vão querer sair do seu país, e eu te garanto que se uma lei de expulsão dos imigrantes for aprovada, veja se as conseqüências que eu vou descrever, não vão ocorrer?

    A) Vão existir muitos Portugueses que vão ficar do lado dos imigrantes.
    B) A Organização das Nações Unidas, logo vai se manifestar contra a lei e possivelmente vai até aplicar sanções a Portugal.
    C) O povo Português não será bem visto pelos governos, inclusive na Europa e haverão manifestações no mundo todo contra os Portugueses.
    D) Se os imigrantes foram retirados à força, com uso de forças armadas, Portugal, vai se isolar do mundo até que a situação se reverta.
    E) Com o uso da força, os imigrantes e os Portugueses que assumirem a causa dos imigrantes, vão se manifestar e poderá haver guerra civil de Portugueses contra Portugueses.

    A); E) – Muito pelo contrário: Uma sondagem em 2002 sobre o que pensam os portugueses acerca do fenómeno da imigração revelou, entre outras coisas, que 3 em cada 4 portugueses acham que não deve aumentar o número de imigrantes. Três em cada quatro. Enquanto corrente de opinião este valor é muito significativo, porque contra-corrente e ao arrepio da classe que molda e domina a opinião pública. O que significa que, na era da globalização, apesar de tudo, ainda há gente que pensa pela sua cabeça.

    B); C); D) – O estatuto dos estrangeiros é definido, primariamente, pelo Direito Internacional. E este, reunido basicamente na Declaração Universal dos Direitos do Homem e no Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos assenta em duas regras essenciais:

    1. Os estrangeiros (e apátridas) devem ter uma condição jurídica compatível com a dignidade da pessoa humana e usufruir dos direitos que daí decorrem;

    2. Os estrangeiros e apátridas podem, em princípio, não gozar de direitos políticos no país onde se encontram.

    Existem guerras recentes que aconteceram na Europa por motivos raciais. Lembra de Slobodan Milosevic ? A ONU não descansou até que ele saísse do poder, vários países foram à guerra contra os princípios de racismo pregado na antiga Iuguslávia, imagine as conseqüências de uma guerra como esta no seu país?

    É verdade. E sabe porquê? Porque quando um Estado assenta em vários substratos nacionais, apesar da sua proximidade e vivência conjunta, o sentimento de pertença a uma mesma realidade nacional inevitavelmente vem à superfície. E uma nação exige liberdade de expressão própria e autonomia totais. Surge então a secessão como rumo de acção e a inevitável violência entre grupos étnicos.
    Alguns julgam que é reprimindo aspirações nacionalistas que vão evitar os extremismos. Mas esses são os que, na realidade, servem os extremismos, porque ao proibir que a maioria dos cidadãos manifeste livremente o seu sentir, criam condições para que a “panela de pressão” vá enchendo. Até que um dia rebenta.

    Só mais um esclarecimento, discriminação contra imigrantes é racismo, independentemente de cor, ou qualquer outra diferença.

    Perceba de uma vez por todas: A crítica legítima à política de imigração não é racismo nem xenofobia.

  119. PP&I diz:

    Se o Máquina Zero pudesse apagar o meu comentário de Fevereiro 4th, 2007 at 11:19 pm, agradecia.

  120. Caturo diz:

    WSA Says:
    Fevereiro 1st, 2007 at 4:55 pm
    Caturo.
    Aos poucos estou reforçando meus conceitos aqui,

    Primeiro ponto: não reforçaste coisa alguma, uma vez que dizes sempre a mesma coisa desde o início. Limitas-te a repetir a mesma cassete incessantes vezes, mas nunca por nunca respondes a contra-argumentação duma forma plausível.

    Vejamos, por exemplo, um por um, os argumentos que queres dar como garantias da correcção da tua forma de ver:

    A espécie humana nasceu na África

    Primeiro, isto não está provado para além de toda a dúvida, dado que ainda existem teorias científicas a indicar que podem ter existido várias origens para o ser humano.
    Primeiro, isso nada significa, porque, por essa ordem de ideias, também se pode dizer que a vida surgiu no fundo dos oceanos e não é por isso que se vai dizer que não há diferenças entre pessoas e tubarões ou cegonhas.
    Segundo, isto não está provado para além de toda a dúvida, dado que ainda existem teorias científicas a indicar que podem ter existido várias origens para o ser humano.

    02) A cor da pele de todos os seres humanos já foi negra por questões ambientais

    Não se pode saber isso com toda a certeza, por motivos óbvios. De resto, a pele escura, por si, não indica a pertença à raça negra, visto que nem os escuros Australóides nem os Escuros Drávidas da Índia são de raça negra.

    03) A mudança de cor da pele de acordo com as regiões se deu pela adaptação genética em genes pré-existentes no povo negro africano que ainda estão presentes em todos os seres humanos.

    Quer isto dizer que as características raciais têm uma razão para existir, não são meras invenções, pelo contrário, fazem parte da Natureza – e negá-las é falsificar a própria existência humana.

    Só para que você reflita sobre a sua afirmação recente, lembre que a migração do homem na África ocorreu em milhares de anos, não é coisa de 500 anos, portanto, a adaptação dos genes foi ocorrendo aos poucos e que a migração se deu por vias terrestres em sua maior parte, pois já não existia mais PANGEA ou seja a migração para a América por exemplo, teoricamente tenha se dado pelos caminhos mais estreitos, então imagine que em milhares de anos, os seres humanos tenham os genes se adaptando para o clarear a pele para adaptação aos raios ultravioletas

    Isso não explica as diferenças raciais mais importantes – por exemplo, porque os Ameríndios da América do Sul, além de ter uma cor de pele diferente da dos negros, além disso têm olhos oblíquos; e porque é que na Ásia meridional, especialmente nas regiões com a mesma latitude de África, as populações têm um tom de pele diferente dos negros, uma textura de cabelo oposta à dos negros, um formato de olhos evidentemente diferente, etc.. Se também a textura do cabelo fosse algo de meramente climático e evolutivo do modo que você diz, então os orientais e os Australóides teriam uma textura de cabelo tão lanosa ou quase tão lanosa como a dos negros.

    Ora o que acontece é precisamente o contrário.

    ainda mais distância entre uma textura de cabelo negróide e uma textura de cabelo mongolóide (da raça amarela) do que entre uma textura de cabelo negróide e uma textura de cabelo caucasóide.

    Ou seja, se você tivesse razão, então o cabelo dum vietnamita ou dum australóide seria mais parecido com o cabelo dum negro do que com o cabelo dum nórdico. E o que sucede é o contrário. O cabelo do nórdico e o cabelo do australóide são finos e macios, encaracolados ou não; são de secção semi-oval; enquanto isso, o cabelo do negro é crespo, a chamada carapinha, e de secção oval; enquanto isso, o cabelo dos amarelos do sul da Ásia é absolutamente liso, grosso e de secção circular.

    Se a questão que você está colocando está baseada em termos de inteligência, possibilidade de criação tecnologia mais uma vez estaria errado, por algumas simples razões, a primeira razão é que o desenvolvimento tecnológico é recente, tanto que há apenas 500 anos atrás, o nível de desenvolvimento de cidades em toda a África era equivalente aos de Portugal por exemplo,

    Isto é completamente ridículo. Toda a gente sabe que há quinhentos anos havia uma diferença absoluta entre qualquer lugar da Europa e a África negra. Não havia cidades em toda a África com níveis de desenvolvimento iguais aos de Portugal, isso é inteiramente idiota e absolutamente falso. Nessa época, os negros da África Austral estavam mais atrasados ainda do que os antepassados proto-históricos dos Portugueses. Ou seja, os Lusitanos, que viveram há dois mil cento e tal anos, eram bastante mais desenvolvidos do que os negros de há quinhentos anos.

    Quanto à experiência ridícula que você falou sobre a identificação de raças pelos recém nascidos, o que eu posso lhe solicitar é que você defenda a sua tese, pois como eu já disse, a ciência atual como um todo não admite a existência de raças,

    Você continua a não perceber nada do que diz. Nem sequer sabe distinguir a ciência biológica da ciência que estuda os comportamentos humanos. Eduque-se:

    http://www.world-science.net/exclusives/060212_racefrm2.htm

    se eu estou errado na análise que fiz anteriormente, ao invés de simplesmente dizer que me convém, por gentileza indique no que a minha análise esteja incorreta.

    Ler acima.

    Não me convém manter uma mentira, o conceito da inexistência de raças é recente,

    Não é recente não. Muito antes do tal «projecto do genoma» vir abordar o assunto, já a esquerdalha anti-racista estabelecida no meio científico andava a dizer que não havia raças. A ideia falsificadora da realidade segundo a qual não há raças, não é uma conclusão «científica recente do estudo do genoma», mas sim um dogma de origem política que é defendido por alguns cientistas desde há muito tempo.

    se alguma coisa ainda querem que se mantenha é a mentira da existência de raças na espécie humana,

    As raças existem na espécie humana e é impossível negá-lo quando se fala com um mínimo de seriedade e de honestidade.

    não é uma agenda,

    É uma agenda sim. Mas uma agenda falhada, porque, de facto, até as crianças dizem «O Rei vai nu».

    hoje são confirmadas pelas ciências exatas

    Não, não são confirmadas, como já mostrei.

    Com tudo o que eu disse, não estou afirmando que se deva exterminar a identidade dos povos, principalmente a identidade cultural, só estou querendo dizer que a base racista que esta sendo usada para justificar a repulsa aos imigrantes e as pessoas consideradas de outras raças, simplesmente não tem qualquer suporte cientifico

    Não demonstrou coisa alguma, porque, de facto, as identidades dos povos Europeus passam obrigatoriamente pela raça (o Europeu é branco ou então não existe), cuja existência é observável cientificamente.

  121. Caturo diz:

    (Máquina-zero, queira por obséquio apagar a minha mensagem imediatamente anterior)

    WSA Says:
    Fevereiro 1st, 2007 at 4:55 pm
    Caturo.
    Aos poucos estou reforçando meus conceitos aqui,

    Primeiro ponto: não reforçaste coisa alguma, uma vez que dizes sempre a mesma coisa desde o início. Limitas-te a repetir a mesma cassete incessantes vezes, mas nunca por nunca respondes a contra-argumentação duma forma plausível.

    Vejamos, por exemplo, um por um, os argumentos que queres dar como garantias da correcção da tua forma de ver:

    A espécie humana nasceu na África

    Primeiro, isso nada significa, porque, por essa ordem de ideias, também se pode dizer que a vida surgiu no fundo dos oceanos e não é por isso que se vai dizer que não há diferenças entre pessoas e tubarões ou cegonhas.
    Segundo, isto não está provado para além de toda a dúvida, dado que ainda existem teorias científicas a indicar que podem ter existido várias origens para o ser humano.

    02) A cor da pele de todos os seres humanos já foi negra por questões ambientais

    Não se pode saber isso com toda a certeza, por motivos óbvios. De resto, a pele escura, por si, não indica a pertença à raça negra, visto que nem os escuros Australóides nem os Escuros Drávidas da Índia são de raça negra.

    03) A mudança de cor da pele de acordo com as regiões se deu pela adaptação genética em genes pré-existentes no povo negro africano que ainda estão presentes em todos os seres humanos.

    Quer isto dizer que as características raciais têm uma razão para existir, não são meras invenções, pelo contrário, fazem parte da Natureza – e negá-las é falsificar a própria existência humana.

    Só para que você reflita sobre a sua afirmação recente, lembre que a migração do homem na África ocorreu em milhares de anos, não é coisa de 500 anos, portanto, a adaptação dos genes foi ocorrendo aos poucos e que a migração se deu por vias terrestres em sua maior parte, pois já não existia mais PANGEA ou seja a migração para a América por exemplo, teoricamente tenha se dado pelos caminhos mais estreitos, então imagine que em milhares de anos, os seres humanos tenham os genes se adaptando para o clarear a pele para adaptação aos raios ultravioletas

    Isso não explica as diferenças raciais mais importantes – por exemplo, porque os Ameríndios da América do Sul, além de ter uma cor de pele diferente da dos negros, além disso têm olhos oblíquos; e porque é que na Ásia meridional, especialmente nas regiões com a mesma latitude de África, as populações têm um tom de pele diferente dos negros, uma textura de cabelo oposta à dos negros, um formato de olhos evidentemente diferente, etc.. Se também a textura do cabelo fosse algo de meramente climático e evolutivo do modo que você diz, então os orientais e os Australóides teriam uma textura de cabelo tão lanosa ou quase tão lanosa como a dos negros.

    Ora o que acontece é precisamente o contrário.

    ainda mais distância entre uma textura de cabelo negróide e uma textura de cabelo mongolóide (da raça amarela) do que entre uma textura de cabelo negróide e uma textura de cabelo caucasóide.

    Ou seja, se você tivesse razão, então o cabelo dum vietnamita ou dum australóide seria mais parecido com o cabelo dum negro do que com o cabelo dum nórdico. E o que sucede é o contrário. O cabelo do nórdico e o cabelo do australóide são finos e macios, encaracolados ou não; são de secção semi-oval; enquanto isso, o cabelo do negro é crespo, a chamada carapinha, e de secção oval; enquanto isso, o cabelo dos amarelos do sul da Ásia é absolutamente liso, grosso e de secção circular.

    Se a questão que você está colocando está baseada em termos de inteligência, possibilidade de criação tecnologia mais uma vez estaria errado, por algumas simples razões, a primeira razão é que o desenvolvimento tecnológico é recente, tanto que há apenas 500 anos atrás, o nível de desenvolvimento de cidades em toda a África era equivalente aos de Portugal por exemplo,

    Isto é completamente ridículo. Toda a gente sabe que há quinhentos anos havia uma diferença absoluta entre qualquer lugar da Europa e a África negra. Não havia cidades em toda a África com níveis de desenvolvimento iguais aos de Portugal, isso é inteiramente idiota e absolutamente falso. Nessa época, os negros da África Austral estavam mais atrasados ainda do que os antepassados proto-históricos dos Portugueses. Ou seja, os Lusitanos, que viveram há dois mil cento e tal anos, eram bastante mais desenvolvidos do que os negros de há quinhentos anos.

    Quanto à experiência ridícula que você falou sobre a identificação de raças pelos recém nascidos, o que eu posso lhe solicitar é que você defenda a sua tese, pois como eu já disse, a ciência atual como um todo não admite a existência de raças,

    Você continua a não perceber nada do que diz. Nem sequer sabe distinguir a ciência biológica da ciência que estuda os comportamentos humanos. Eduque-se:

    http://www.world-science.net/exclusives/060212_racefrm2.htm

    se eu estou errado na análise que fiz anteriormente, ao invés de simplesmente dizer que me convém, por gentileza indique no que a minha análise esteja incorreta.

    Ler acima.

    Não me convém manter uma mentira, o conceito da inexistência de raças é recente,

    Não é recente não. Muito antes do tal «projecto do genoma» vir abordar o assunto, já a esquerdalha anti-racista estabelecida no meio científico andava a dizer que não havia raças. A ideia falsificadora da realidade segundo a qual não há raças, não é uma conclusão «científica recente do estudo do genoma», mas sim um dogma de origem política que é defendido por alguns cientistas desde há muito tempo.

    se alguma coisa ainda querem que se mantenha é a mentira da existência de raças na espécie humana,

    As raças existem na espécie humana e é impossível negá-lo quando se fala com um mínimo de seriedade e de honestidade.

    não é uma agenda,

    É uma agenda sim. Mas uma agenda falhada, porque, de facto, até as crianças dizem «O Rei vai nu».

    hoje são confirmadas pelas ciências exatas

    Não, não são confirmadas, como já mostrei.

    Com tudo o que eu disse, não estou afirmando que se deva exterminar a identidade dos povos, principalmente a identidade cultural, só estou querendo dizer que a base racista que esta sendo usada para justificar a repulsa aos imigrantes e as pessoas consideradas de outras raças, simplesmente não tem qualquer suporte cientifico

    Não demonstrou coisa alguma, porque, de facto, as identidades dos povos Europeus passam obrigatoriamente pela raça (o Europeu é branco ou então não existe), cuja existência é observável cientificamente.

  122. Caturo diz:

    Corrigindo:

    – É curioso verificar que o próprio WSA acaba por dizer que a maior parte da população brasileira prefere torcer por equipas africanas, mesmo quando jogam contra Portugal… – isto só significa uma coisa: a população brasileira, por ser negróide, mestiça, mulata, identifica-se muito mais com África do que com a Europa. E ainda bem que assim é…
    Do mesmo modo, é correcto que, em jogos internacionais, qualquer português torça por qualquer equipa EUROPEIA BRANCA contra qualquer equipa africana e até mesmo contra o Brasil.

  123. WSA diz:

    Caturo

    Não estou nem mais me dando ao trabalho de responder, já percebeu? Aliás, nem leio suas mensagens, vejo que vem de você e simplesmente ignoro porque lá vem bobagem. Mas passando só olhos vou responder algumas bobagens que acabou de dizer.

    No Brasil não existe nenhum tipo de confronto racial, seja ele através de ataque moral ou através de brigas ou disputas de origem racial. Isto é definitivo, ninguém no mundo tem como provar o contrário, sobre este ponto de vista o Brasil é sim um paraíso racial se comparado a Portugal.

    Não sei se percebeu, eu disse que Portugal é atualmente um dos melhores times do mundo e por esta razão é que eu torço contra, além disto falei que torço contra a Argentina, Itália, França e Alemanha em uma Copa do Mundo, isto porque assim é mais fácil para o Brasil ganhar. Eu deixei bem claro que tem gente no Brasil que torce para Portugal, mas que a maioria dos Brasileiros que conhece o futebol e gosta da forma como o Brasil joga, prefere mais o futebol arte que é praticado pelos africanos pela semelhança com o futebol brasileiro, o futebol do povo africano é bonito de se ver, é só isto, não existe nenhuma questão nacional envolvida nisto, é somente questão de apreciar o futebol, além do mais, sei que o maior jogador de futebol de todos os tempos aí em Portugal reconhecido pelo povo Português foi Euzébio, será que quem o assistiu jogar e que o elegeu como o melhor de todos os tempos do seu país, está contra os interesses nacionais? Pelo o que eu sei e já vi, Euzébio não é branco.

    Se você me disser que todo o povo Português, nunca vai torcer pelo Brasil, e que os imigrantes Portugueses todos que estão aqui vão torcer contra o Brasil a favor de qualquer time Europeu, a única coisa que eu posso dizer é que isto é um direito de cada um. Deixe de paranóia, até no time que os outros devem torcer ou não você quer determinar?

    As cotas raciais estão sendo solicitadas de forma ordeira, pacifica e legal sem ódio racial, para que os problemas causados pela colonização Portuguesa e pela herança da escravidão, sejam corrigidos, mas isto não se faz com guerras, não se faz com nenhum tipo de violência, tanto que as pessoas que são a favor e contra se constituem em sua grande maioria em intelectuais, não tem ninguém nem fazendo passeata nas ruas, nem incitando ódio, em nenhuma parte do país. Algumas universidades, já adotaram as cotas de forma espontânea com sucesso absoluto, e os alunos é que se declaram negros. Na UNB que é aqui em Brasília, você vai ver muita gente de cabelos louros, olhos azuis se dizendo negro pelo fato de ter o pai, a mãe, o avô, ou avó, ou qualquer antepassado negro, além disto, as pessoas que passam pelas cotas, estão tendo um desempenho acadêmico na média superior aos que não fazem parte das cotas, a razão disto, a psicologia explica. Eu aqui disse que o Brasil é um Éden racial se comparado a Portugal, ainda tem que ser feitos alguns ajustes, principalmente pelo trabalho podre que Portugal fez aqui.

    PP&I

    Só para esclarecer. Imigrantes não são considerados estrangeiros, se já tem a nacionalidade Portuguesa muito menos, filhos de imigrantes legais e imigrantes legais para qualquer lei internacional, são Portugueses e ponto final.

    Não há como tirá-los daí, e não tem nenhuma chance do mundo aceitar isto.

    Não sei se você conhece a história dos direitos civis nos Estados Unidos, a maioria da população não queria a integração, a integração, foi feita de cima para baixo em alguns casos à força, não sei se lembra do caso da primeira menina negra a estudar em escola de brancos, e os primeiros quatro universitários negros que entraram em uma faculdade branca americana, em ambos os casos, mesmo com toda a população contra, eles foram escoltados pelo exercito americano, o que aconteceu é que com o tempo, não foi criada nenhuma panela de pressão como você falou, o que aconteceu foi exatamente o contrário, basta perceber a situação atual dos Estados Unidos, e a quase inexistente diferença educacional entre os diversos povos americanos.

    É evitando sim ações nacionalistas que serão reprimidos os extremismos, a história passada já mostrou isto, a história recente já mostrou isto, é esta repressão aos imigrantes, dependendo do nível em que ocorra, certamente vão representar problemas na ordem da política externa de Portugal, para entender isto, basta que se perceba o que está acontecendo no mundo hoje.

    Você está um tanto equivocado quando fala sobre o ateísmo e o proselitismo sectário islâmico, idéias ou conceitos diferenciados, não significam que devam criar oposição ao individuo, não falei em misturas de conceitos, falei em respeito aos conceitos, se uma pessoa acredita em Deus e a outra não, isto não é motivo suficiente para que entrem em guerra, trata-se somente de opiniões, se que um gosta do vermelho e outro do azul, estarão manifestando seus gostos pessoais, não há razão nenhuma para um matar o outro, veja o exemplo que eu falei aqui sobre Católicos e Protestantes dividindo o mesmo templo. Aqui se você é ateu, tudo bem, se é Católico, tudo bem, se é judeu, mulçumano, enfim, não importa sua crença, a prática religiosa é livre e protegida por lei, então a sua conclusão é equivocada.

    Você falou que os povos ocidentais são os mais desenvolvidos, será que Portugal é mais desenvolvido que o Japão? Onde fica Hong Kong? A Índia está se transformado em um pólo de tecnologia. Sua visão do mundo está um tanto equivocada, preste atenção no desenvolvimento de tecnologia nuclear nos países do oriente, o que dizer do padrão de vida da Coréia do Sul?. O que você chama de desenvolvimento? Padrões de desenvolvimento são padrões diferenciados, a China está se tornando uma potencia mundial, é o país que mais cresce no mundo, possui uma cultura milenar, não existe isto de ocidente mais desenvolvido que o Oriente.

    Você não me disse porque as consequencias que eu citei não ocorreriam, aliás nem começou e já parou, o fato é que seu comentário ficou meio confuso, poderia ser mais claro?

    Crítica quanto à política de imigração é algo legitimo, pensar em discriminar categorizar através de raças, menosprezar outros povos, só porque são imigrantes, ou diferentes, é sim uma forma horrenda de xenofobia.

    Minha caríssima Vera.
    Respondo a você depois, você parece ser a mais equilibrada aqui, mas ainda não concordo com você.

  124. WSA diz:

    Caturo,

    Você é racista, é prepotente, desinformado e tem um grau muitíssimo elevado de paranóia, acho que deveria procurar um psiquiatra.

    Um dia, todos os seres humanos em todo o planeta tinha a pela negra, falar que tinham a pele escura, mas não é eram da raça negra é uma tolice, existe apenas um tronco na espécie humana, além do mais, não existem raças entre os seres humanos: Quer discutir o tema abaixo, vamos discutir, para todos os cantos em que a ciência procurou as diferenças raciais, o resultado foi sempre o mesmo: NÃO EXITEM RAÇAS NA ESPÉCIE HUMANA. Atualize seu estudo arcaicos, estude um pouco antes de teclar esta imundice que você chama de ciência:

    *************************************

    Verônica Bercht *

    [size=18]Os estudos genéticos sobre “raças” humanas [/size]

    Foram feitos vários estudos para verificar a existência de “raças geográficas” humanas. Primeiramente tentou-se relacionar a freqüência gênica de cerca de 150 proteínas codificadas por genes conhecidos na época, supondo as três grandes “raças humanas” — caucasianos, negróides e mongolóides. Verificou-se que 75% dos diferentes tipos de proteínas estudadas são idênticas em todos os indivíduos testados, independente de “raça” ou grupo populacional. Estas proteínas, chamadas monomórficas, são, portanto, comuns a todos os seres humanos (Lewontin, Rose, Kamin, 1984). Os 25% restantes são proteínas com mais de uma forma, ditas polimórficas, como nos casos do tipo sangüíneo e dos genes responsáveis pela cor da pele. Cada uma dessas formas alternativas de proteína é codificada por formas alternativas de genes correspondentes. O estudo da freqüência dos genes que codificam estas proteínas em função das “raças” é que caracterizaria geneticamente cada raça.

    No caso do tipo sangüíneo, estudos verificaram que apesar da distribuição dos tipos A, B, AB e O variar em todas as populações locais, a análise dessas populações agrupadas nas três grandes raças mostra que a variação mantém um padrão homogêneo. [b]Isto é, as variações da freqüência dos tipos sangüíneos não sustentam a divisão da espécie humana em três raças ou subespécies. [/b]

    Outros estudos, feitos na década de 1970 por diferentes grupos de geneticistas, levaram em conta toda a variação genética humana conhecida naquela época em matéria de enzimas e proteínas e compararam a diferença entre a freqüência de cada tipo alternativo de proteína e enzima na espécie em geral e aquela observada em três níveis: entre indivíduos de uma mesma população local; entre indivíduos de populações locais, nações ou tribos pertencentes a uma mesma raça; e, finalmente, entre indivíduos de “raças” diferentes. E mostraram que 85% da variação total se manifestam entre indivíduos de uma mesma população local, tribo ou nação; 8% entre tribos e nações de uma mesma raça, e os 7% restantes se manifestam entre as grandes “raças”.(Lewontin, Rose, Kamin, 1984). [b]Esses dados também desmentem a existência de raças na espécie humana. [/b]

    Essa forma tradicional de definição de “raça” é bastante frágil. À primeira vista, salta aos olhos uma questão: qual a porcentagem de variação da freqüência pode indicar a existência de uma subespécie? Esses 7% encontrados são suficientes? Essa pergunta foi respondida pela experiência dos cientistas: 7% é uma freqüência considerada baixa. Outra pergunta decorre dessa: não é importante saber quais foram as proteínas e enzimas estudadas, e qual sua qualidade? Ou, de outra forma: a qualidade da variação genética não tem qualquer importância em termos evolutivos? Isso significa que a definição tradicional de raça ou subespécie contém alguma subjetividade pois a resposta a estas perguntas fica a critério pessoal do pesquisador.

    Em 1998, Alan Templeton fez um estudo para verificar a existência de raças ou subespécies na espécie humana usando os mesmos critérios, ferramentas matemáticas e dados moleculares aplicados atualmente para a definição de subespécies e raças de qualquer tipo de ser vivo. [b]Ele encontrou dados que comprovam que a quantidade de variação dentro da nossa espécie é extremamente baixa não só quando comparada a outros vertebrados superiores mas também com o valor padrão utilizado para definir subespécies sob o critério tradicional.
    Seu estudo atualiza e confirma os resultados obtidos na década de 1970 — não há raças ou subespécies entre os Homo sapiens. [/b]

    Mas Templeton foi além. Partindo das críticas à concepção tradicional de subespécies ele verificou como a espécie humana se comporta sob o enfoque da concepção evolutiva, perspectiva sob a qual as diferenças genéticas entre as populações de uma mesma espécie são insuficientes para definir um grupo populacional como subespécie. É necessário, também, que o grupo populacional, além de conter diferenças genéticas, tenha permanecido sem troca gênica (isto é, acasalamento) com a população original por longo tempo.
    A análise de uma população sob esse ponto de vista facilita a definição das características peculiares daquela população que são importantes do ponto de vista evolutivo, isto é, que podem levar esta subespécie, que por um longo período de tempo tenha ficado isolada geneticamente, a uma diferenciação tão decisiva em relação à espécie original que, finalmente, não seja mais possível a troca gênica — isto é, o acasalamento com descendência fértil — entre os dois grupos e, portanto, tenha se formado uma nova espécie.
    A impossibilidade de gerar descendência fértil ocorre quando parte do material genético da subespécie perde a correspondência com o material genético da espécie ancestral. E, segundo Templeton, só a diferenciação genética de uma população não é suficiente para que o processo de especiação ocorra. É imprescindível que esta população tenha uma continuidade genética histórica, isto é, não receba genes de outras populações da mesma espécie por um longo tempo. Este é um dos processos que leva à evolução das espécies.
    O enfoque evolutivo define subespécie, — a raça, portanto — como um estágio da formação das espécies, no qual a população ainda não se diferenciou em espécie mas que já tem as premissas necessárias para isso.
    Segundo Templeton o enfoque evolutivo, aliado aos avanços da genética molecular, supera as insuficiências do enfoque tradicional e permite que se defina linhagens evolutivas (uma nova forma de denominar subespécies ou raças) de um modo objetivo e explícito, o que é fundamental para a ciência.
    Estudos baseados nesse enfoque levam em consideração a genética de populações, a genética molecular e, ainda, utilizam a análise de um tipo de gene que é praticamente igual em todos os indivíduos da mesma espécie, afora as pequenas alterações produzidas exclusivamente pelas mutações. As pequenas alterações desses genes são então estudadas para definir suas linhagens, isto é, como era o gene ancestral, quais mudanças ele sofreu e quando mudou. Estuda-se também a distribuição geográfica de cada tipo de alteração. Esse tipo de “gene” na verdade é um bloco de material genético que, no processo de sua reprodução, produz uma cópia idêntica àquela que o originou. É chamado de haplótipo e pode ser encarado como um verdadeiro marcador de linhagens.
    A humanidade é uma única linhagem compartilhando uma mesma sorte evolutiva a longo prazo
    O estudo de Templeton dialoga com várias argumentações sobre a possibilidade de existência de raças humanas. E ele derruba uma a uma, argumentando com novos dados e interpretações. Ao final ele conclui: [b]“Devido às extensas evidências de troca genética durante os movimentos populacionais e ao recorrente fluxo gênico ocorrido durante as últimas centenas de milhares de anos, há apenas uma linhagem evolutiva da humanidade e não há subespécies ou raças sob as definições tradicional ou filogenética.[/b] A evolução humana e a estrutura da população foi e é caracterizada por várias populações localmente diferenciadas coexistindo a cada tempo dado, mas com suficiente contato genético para fazer de toda a humanidade uma única linhagem compartilhando a mesma sorte evolutiva a longo prazo.” [b]Seus estudos mostram também que nunca houve uma população humana que pudesse ser considerada como uma “raça pura”. [/b](Templeton, Alan. Human races: a genetic and evolutionary perspective, in American Anthropologist, 100 (3): 632-650, 1999.)
    São vários aspectos que explicam a inexistência de raças na espécie humana: ela se formou há apenas 150 mil anos aproximadamente, num processo de evolução que iniciou-se há 6 milhões de anos a partir dos primatas. [b]“Em outras palavras, a espécie humana é jovem demais para ter tido tempo de se diferenciar em raças”[/b], diz Sérgio Pena, da UFMG, em entrevista para Folha de S. Paulo (03/07/2000) formando um coro com outros especialistas como Stephen Jay Gould, J. Craig Venter, do Celera, e outros
    A mobilidade dos primeiros grupos de Homo sapiens e a troca gênica entre eles foi intensa desde a origem da espécie; ela continua nos dias de hoje, apesar da persistência de alguns grupos humanos onde há restrições culturais ao acasalamento. Mas, “mesmo considerando-se a existência de tabus sociais contra o intercruzamento, existe um fluxo gênico considerável entre as ‘raças'”. (Futuyma, 1992). [b]Não há, portanto, isolamento reprodutivo na espécie humana e, como mostrou Templeton, nunca ocorreu na sua história. [/b]Outro fato relevante a ser levado em conta é que a evolução humana chegou a uma situação que a torna única: a enorme plasticidade de seu sistema nervoso, que é a base da consciência e da ação consciente e age, por isso, sobre seu próprio processo evolutivo. A base da evolução das outras espécies de animais e plantas são mudanças no tipo biológico, físico. No ser humano, porém, a coisa é diferente — ela é cultural, ou histórica, fenômeno muito bem apreendido por Vygotski: [b]“No homem, cuja adaptação ao meio se modifica completamente, destaca-se em primeiro lugar o desenvolvimento de seus órgãos artificiais — as ferramentas — e não a mudança de seus próprios órgãos nem a estrutura de seu corpo”.
    O desenvolvimento da inteligência e da cultura deu ao homem a capacidade de adaptar-se ao meio e, portanto, a evolução biológica, dos órgãos e da estrutura corporal, passou para um segundo plano.[/b] A evolução cultural tem leis e normas diferenciadas, ela “diverge da evolução biológica em pontos muito importantes. Talvez o mais importante seja que a evolução cultural é lamarckiana: o comportamento, a língua e as peculiaridades que um indivíduo adquire durante sua vida, são transmitidas para seus descendentes ou para outros indivíduos” (Futuyma, 1992). Seu papel no processo evolutivo é que permite a extensa distribuição geográfica de nossa espécie.
    A definição de raças humanas, em sentido biológico, é, portanto, um equívoco. [b]Os traços normalmente usados para definir as três raças — cor da pele, textura do cabelo, formato da cabeça, etc são controlados por um pequeno grupo de genes que rapidamente se alteraram em função de pressões ambientais muito fortes durante a curta história do Homo sapiens.[/b] Os estudos modernos mostram que o homem surgiu na África, e à medida em que os grupos humanos iniciais migraram, ocupando regiões diferentes, algumas mutações genéticas foram sendo selecionadas, principalmente em função do clima. A pele, por exemplo, seria originariamente escura, adaptada à alta incidência de raios solares na região de origem. Ao alcançar regiões temperadas, onde a incidência de raios solares é bem menor, mutações que clareavam a pele foram selecionadas naturalmente porque pessoas de pele escura em locais de baixa incidência de raios solares estão sujeitas a várias deficiências, entre elas, aquelas relacionadas à fixação das vitaminas A e D.
    [b]Natalie Angier, em matéria publicada no The New York Times em agosto passado, registra um consenso entre os cientistas: a facilidade de identificar, num bater de olhos, asiáticos, europeus ou africanos desaparece no estudo minucioso do DNA. Por isso, J. Craig Venter, líder do Celera Genomics Corporation in Rockville (que recentemente divulgou o seqüenciamento de bases da maior parte do DNA humano), afirma “raça é um conceito social, e não científico” . [/b]Embora a freqüência dos diferentes estados de um gene varie entre as raças, não encontramos ‘genes raciais’ Todos estes estudos chegam à mesma conclusão: “Embora a freqüência dos diferentes estados de um gene varie entre as raças, não encontramos ‘genes raciais’, ou seja, estados estabelecidos em certas raças e ausentes de todas as demais”, conclui Gould. [b]Eles destróem a crença de que existem “raças humanas” e derrubam crenças associadas, como as da superioridade e da pureza de uma “raça” em relação a outras. [/b]Mas, se esta é a posição da ciência sobre “raças humanas”, é bom lembrar que a ciência burguesa (da qual Wilson, o mentor da sociobiologia, é um bom exemplo), continua com seu discurso que é, no fundo, ideológico e racista. Seu Da natureza humana é um bom exemplo de ciência a serviço da ideologia. Primeiro ele assume os resultados científicos e admite ser “um exercício inútil tentar definir raças humanas. Na verdade elas não existem.”. Mas, logo em seguida, mostra seu discurso ideológico: “Tendo em vista que a humanidade é uma espécie biológica, não deveria constituir surpresa constatar que as populações são até certo ponto geneticamente diversas nas características físicas e mentais subjacentes ao comportamento social”. Isso é, o racismo, expulso pela porta (as raças “não existem”), é readmitido pela janela, como condicionamento genético do comportamento.
    Durante 3 séculos a ciência ocidental embalsou posições ideológicas racistas que culminaram no racismo científico dos séculos 19 e 20 e no nazismo. Hoje a ciência é mais sutil. O determinismo biológico dá as bases para notícias que pipocam nos jornais sobre a hereditariedade de comportamentos sociais como a agressividade, homossexualismo, inteligência, entre outros. Através dele, se “interpreta a gama [de comportamentos] habitual no ambiente moderno, como a expressão de uma programação genética direta, e não como a manifestação limitada de um potencial muito mais amplo” (Gould, 1991). E essa ciência, determinista e reducionista, continua com um papel ideológico a cumprir — explicar e legitimar a desigualdade num sistema que alega ter a igualdade como sua palavra de ordem.
    Mesmo tendo destruído o conceito biológico de raça humana, não será a ciência que destruirá o racismo, cujas origens não são científicas e nem fazem parte da “natureza humana”. O racismo também não é um mero problema de atitude, ou um preconceito residual do tempo da escravidão, como a visão liberal tradicional deseja. As origens do racismo são ideológicas e suas bases se mantém na medida em que o racismo é necessário para a manutenção do sistema capitalista (Callinicos, 1993).

    * Verônica Bercht é bióloga

  125. WSA diz:

    Verônica Bercht *

    Os estudos genéticos sobre “raças” humanas

    Foram feitos vários estudos para verificar a existência de “raças geográficas” humanas. Primeiramente tentou-se relacionar a freqüência gênica de cerca de 150 proteínas codificadas por genes conhecidos na época, supondo as três grandes “raças humanas” — caucasianos, negróides e mongolóides. Verificou-se que 75% dos diferentes tipos de proteínas estudadas são idênticas em todos os indivíduos testados, independente de “raça” ou grupo populacional. Estas proteínas, chamadas monomórficas, são, portanto, comuns a todos os seres humanos (Lewontin, Rose, Kamin, 1984). Os 25% restantes são proteínas com mais de uma forma, ditas polimórficas, como nos casos do tipo sangüíneo e dos genes responsáveis pela cor da pele. Cada uma dessas formas alternativas de proteína é codificada por formas alternativas de genes correspondentes. O estudo da freqüência dos genes que codificam estas proteínas em função das “raças” é que caracterizaria geneticamente cada raça.

    No caso do tipo sangüíneo, estudos verificaram que apesar da distribuição dos tipos A, B, AB e O variar em todas as populações locais, a análise dessas populações agrupadas nas três grandes raças mostra que a variação mantém um padrão homogêneo. Isto é, as variações da freqüência dos tipos sangüíneos não sustentam a divisão da espécie humana em três raças ou subespécies.

    Outros estudos, feitos na década de 1970 por diferentes grupos de geneticistas, levaram em conta toda a variação genética humana conhecida naquela época em matéria de enzimas e proteínas e compararam a diferença entre a freqüência de cada tipo alternativo de proteína e enzima na espécie em geral e aquela observada em três níveis: entre indivíduos de uma mesma população local; entre indivíduos de populações locais, nações ou tribos pertencentes a uma mesma raça; e, finalmente, entre indivíduos de “raças” diferentes. E mostraram que 85% da variação total se manifestam entre indivíduos de uma mesma população local, tribo ou nação; 8% entre tribos e nações de uma mesma raça, e os 7% restantes se manifestam entre as grandes “raças”.(Lewontin, Rose, Kamin, 1984). Esses dados também desmentem a existência de raças na espécie humana.

    Essa forma tradicional de definição de “raça” é bastante frágil. À primeira vista, salta aos olhos uma questão: qual a porcentagem de variação da freqüência pode indicar a existência de uma subespécie? Esses 7% encontrados são suficientes? Essa pergunta foi respondida pela experiência dos cientistas: 7% é uma freqüência considerada baixa. Outra pergunta decorre dessa: não é importante saber quais foram as proteínas e enzimas estudadas, e qual sua qualidade? Ou, de outra forma: a qualidade da variação genética não tem qualquer importância em termos evolutivos? Isso significa que a definição tradicional de raça ou subespécie contém alguma subjetividade pois a resposta a estas perguntas fica a critério pessoal do pesquisador.

    Em 1998, Alan Templeton fez um estudo para verificar a existência de raças ou subespécies na espécie humana usando os mesmos critérios, ferramentas matemáticas e dados moleculares aplicados atualmente para a definição de subespécies e raças de qualquer tipo de ser vivo. Ele encontrou dados que comprovam que a quantidade de variação dentro da nossa espécie é extremamente baixa não só quando comparada a outros vertebrados superiores mas também com o valor padrão utilizado para definir subespécies sob o critério tradicional.
    Seu estudo atualiza e confirma os resultados obtidos na década de 1970 — não há raças ou subespécies entre os Homo sapiens.

    Mas Templeton foi além. Partindo das críticas à concepção tradicional de subespécies ele verificou como a espécie humana se comporta sob o enfoque da concepção evolutiva, perspectiva sob a qual as diferenças genéticas entre as populações de uma mesma espécie são insuficientes para definir um grupo populacional como subespécie. É necessário, também, que o grupo populacional, além de conter diferenças genéticas, tenha permanecido sem troca gênica (isto é, acasalamento) com a população original por longo tempo.
    A análise de uma população sob esse ponto de vista facilita a definição das características peculiares daquela população que são importantes do ponto de vista evolutivo, isto é, que podem levar esta subespécie, que por um longo período de tempo tenha ficado isolada geneticamente, a uma diferenciação tão decisiva em relação à espécie original que, finalmente, não seja mais possível a troca gênica — isto é, o acasalamento com descendência fértil — entre os dois grupos e, portanto, tenha se formado uma nova espécie.
    A impossibilidade de gerar descendência fértil ocorre quando parte do material genético da subespécie perde a correspondência com o material genético da espécie ancestral. E, segundo Templeton, só a diferenciação genética de uma população não é suficiente para que o processo de especiação ocorra. É imprescindível que esta população tenha uma continuidade genética histórica, isto é, não receba genes de outras populações da mesma espécie por um longo tempo. Este é um dos processos que leva à evolução das espécies.
    O enfoque evolutivo define subespécie, — a raça, portanto — como um estágio da formação das espécies, no qual a população ainda não se diferenciou em espécie mas que já tem as premissas necessárias para isso.
    Segundo Templeton o enfoque evolutivo, aliado aos avanços da genética molecular, supera as insuficiências do enfoque tradicional e permite que se defina linhagens evolutivas (uma nova forma de denominar subespécies ou raças) de um modo objetivo e explícito, o que é fundamental para a ciência.
    Estudos baseados nesse enfoque levam em consideração a genética de populações, a genética molecular e, ainda, utilizam a análise de um tipo de gene que é praticamente igual em todos os indivíduos da mesma espécie, afora as pequenas alterações produzidas exclusivamente pelas mutações. As pequenas alterações desses genes são então estudadas para definir suas linhagens, isto é, como era o gene ancestral, quais mudanças ele sofreu e quando mudou. Estuda-se também a distribuição geográfica de cada tipo de alteração. Esse tipo de “gene” na verdade é um bloco de material genético que, no processo de sua reprodução, produz uma cópia idêntica àquela que o originou. É chamado de haplótipo e pode ser encarado como um verdadeiro marcador de linhagens.
    A humanidade é uma única linhagem compartilhando uma mesma sorte evolutiva a longo prazo
    O estudo de Templeton dialoga com várias argumentações sobre a possibilidade de existência de raças humanas. E ele derruba uma a uma, argumentando com novos dados e interpretações. Ao final ele conclui: “Devido às extensas evidências de troca genética durante os movimentos populacionais e ao recorrente fluxo gênico ocorrido durante as últimas centenas de milhares de anos, há apenas uma linhagem evolutiva da humanidade e não há subespécies ou raças sob as definições tradicional ou filogenética. A evolução humana e a estrutura da população foi e é caracterizada por várias populações localmente diferenciadas coexistindo a cada tempo dado, mas com suficiente contato genético para fazer de toda a humanidade uma única linhagem compartilhando a mesma sorte evolutiva a longo prazo.” Seus estudos mostram também que nunca houve uma população humana que pudesse ser considerada como uma “raça pura”. (Templeton, Alan. Human races: a genetic and evolutionary perspective, in American Anthropologist, 100 (3): 632-650, 1999.)
    São vários aspectos que explicam a inexistência de raças na espécie humana: ela se formou há apenas 150 mil anos aproximadamente, num processo de evolução que iniciou-se há 6 milhões de anos a partir dos primatas. “Em outras palavras, a espécie humana é jovem demais para ter tido tempo de se diferenciar em raças”, diz Sérgio Pena, da UFMG, em entrevista para Folha de S. Paulo (03/07/2000) formando um coro com outros especialistas como Stephen Jay Gould, J. Craig Venter, do Celera, e outros
    A mobilidade dos primeiros grupos de Homo sapiens e a troca gênica entre eles foi intensa desde a origem da espécie; ela continua nos dias de hoje, apesar da persistência de alguns grupos humanos onde há restrições culturais ao acasalamento. Mas, “mesmo considerando-se a existência de tabus sociais contra o intercruzamento, existe um fluxo gênico considerável entre as ‘raças'”. (Futuyma, 1992). Não há, portanto, isolamento reprodutivo na espécie humana e, como mostrou Templeton, nunca ocorreu na sua história. Outro fato relevante a ser levado em conta é que a evolução humana chegou a uma situação que a torna única: a enorme plasticidade de seu sistema nervoso, que é a base da consciência e da ação consciente e age, por isso, sobre seu próprio processo evolutivo. A base da evolução das outras espécies de animais e plantas são mudanças no tipo biológico, físico. No ser humano, porém, a coisa é diferente — ela é cultural, ou histórica, fenômeno muito bem apreendido por Vygotski: “No homem, cuja adaptação ao meio se modifica completamente, destaca-se em primeiro lugar o desenvolvimento de seus órgãos artificiais — as ferramentas — e não a mudança de seus próprios órgãos nem a estrutura de seu corpo”.
    O desenvolvimento da inteligência e da cultura deu ao homem a capacidade de adaptar-se ao meio e, portanto, a evolução biológica, dos órgãos e da estrutura corporal, passou para um segundo plano.
    A evolução cultural tem leis e normas diferenciadas, ela “diverge da evolução biológica em pontos muito importantes. Talvez o mais importante seja que a evolução cultural é lamarckiana: o comportamento, a língua e as peculiaridades que um indivíduo adquire durante sua vida, são transmitidas para seus descendentes ou para outros indivíduos” (Futuyma, 1992). Seu papel no processo evolutivo é que permite a extensa distribuição geográfica de nossa espécie.
    A definição de raças humanas, em sentido biológico, é, portanto, um equívoco. Os traços normalmente usados para definir as três raças — cor da pele, textura do cabelo, formato da cabeça, etc são controlados por um pequeno grupo de genes que rapidamente se alteraram em função de pressões ambientais muito fortes durante a curta história do Homo sapiens. Os estudos modernos mostram que o homem surgiu na África, e à medida em que os grupos humanos iniciais migraram, ocupando regiões diferentes, algumas mutações genéticas foram sendo selecionadas, principalmente em função do clima. A pele, por exemplo, seria originariamente escura, adaptada à alta incidência de raios solares na região de origem. Ao alcançar regiões temperadas, onde a incidência de raios solares é bem menor, mutações que clareavam a pele foram selecionadas naturalmente porque pessoas de pele escura em locais de baixa incidência de raios solares estão sujeitas a várias deficiências, entre elas, aquelas relacionadas à fixação das vitaminas A e D.
    Natalie Angier, em matéria publicada no The New York Times em agosto passado, registra um consenso entre os cientistas: a facilidade de identificar, num bater de olhos, asiáticos, europeus ou africanos desaparece no estudo minucioso do DNA. Por isso, J. Craig Venter, líder do Celera Genomics Corporation in Rockville (que recentemente divulgou o seqüenciamento de bases da maior parte do DNA humano), afirma “raça é um conceito social, e não científico” . Embora a freqüência dos diferentes estados de um gene varie entre as raças, não encontramos ‘genes raciais’ Todos estes estudos chegam à mesma conclusão: “Embora a freqüência dos diferentes estados de um gene varie entre as raças, não encontramos ‘genes raciais’, ou seja, estados estabelecidos em certas raças e ausentes de todas as demais”, conclui Gould. Eles destróem a crença de que existem “raças humanas” e derrubam crenças associadas, como as da superioridade e da pureza de uma “raça” em relação a outras. Mas, se esta é a posição da ciência sobre “raças humanas”, é bom lembrar que a ciência burguesa (da qual Wilson, o mentor da sociobiologia, é um bom exemplo), continua com seu discurso que é, no fundo, ideológico e racista. Seu Da natureza humana é um bom exemplo de ciência a serviço da ideologia. Primeiro ele assume os resultados científicos e admite ser “um exercício inútil tentar definir raças humanas. Na verdade elas não existem.”. Mas, logo em seguida, mostra seu discurso ideológico: “Tendo em vista que a humanidade é uma espécie biológica, não deveria constituir surpresa constatar que as populações são até certo ponto geneticamente diversas nas características físicas e mentais subjacentes ao comportamento social”. Isso é, o racismo, expulso pela porta (as raças “não existem”), é readmitido pela janela, como condicionamento genético do comportamento.
    Durante 3 séculos a ciência ocidental embalsou posições ideológicas racistas que culminaram no racismo científico dos séculos 19 e 20 e no nazismo. Hoje a ciência é mais sutil. O determinismo biológico dá as bases para notícias que pipocam nos jornais sobre a hereditariedade de comportamentos sociais como a agressividade, homossexualismo, inteligência, entre outros. Através dele, se “interpreta a gama [de comportamentos] habitual no ambiente moderno, como a expressão de uma programação genética direta, e não como a manifestação limitada de um potencial muito mais amplo” (Gould, 1991). E essa ciência, determinista e reducionista, continua com um papel ideológico a cumprir — explicar e legitimar a desigualdade num sistema que alega ter a igualdade como sua palavra de ordem.
    Mesmo tendo destruído o conceito biológico de raça humana, não será a ciência que destruirá o racismo, cujas origens não são científicas e nem fazem parte da “natureza humana”. O racismo também não é um mero problema de atitude, ou um preconceito residual do tempo da escravidão, como a visão liberal tradicional deseja. As origens do racismo são ideológicas e suas bases se mantém na medida em que o racismo é necessário para a manutenção do sistema capitalista (Callinicos, 1993).

    * Verônica Bercht é bióloga

  126. Vera diz:

    WSA, se o Brasil fosse um paraíso racial comparado com Portugal, julgo que negros, mestiços e índios já teriam “invadido” há muito o panorama internacional das novelas, moda e política brasileira. Falando como estrangeira, aqui na nossa tv, nas novelas brasileiras, quase que só vemos loiras, olhos verdes, brancas..e modelos? Gisele Bundchen e Isabelli Fontana. O mundo sabe que o Brasil é mestiço, mas a imagem que transmite, durante todo o ano excepto no Carnaval, é a de que só os descendentes de europeus têm acesso à classe mais alta. Quando ouvimos falar em favelas, associamo-lo aos mestiços e negros. Será que o Brasil é assim tão justo e igual?

  127. WSA diz:

    Vera.

    Sua observação é pertinente, e está correta. O que eu disse é que é um paraíso racial em comparação ao que eu estou lendo aqui e ao nível de intolerância do povo de Portugal que eu percebo neste site, o que eu venho dizendo sempre é que não existem conflitos raciais declarados, não existe nenhuma briga, nem ofensas no meio da rua levando-se em conta as raças, mas realmente a situação social está sim ligada ao passado da escravatura, os negros em sua maioria devido ao passado escravagista estão em situação social menos privilegiada, mas existem políticas que estão sendo tomadas para que esta situação se reverta, e nisto estão as cotas raciais nas Universidades, as cotas para servidores públicos, algumas coisas com relação às artes, mas na maioria das vezes estes movimentos são espontâneos da sociedade. Não sei se assistiu o filme Cidade de Deus, cujo diretor Fernando Meireles foi indicado ao Oscar, não sei se viu o seriado Cidade dos Homens que foi premiado internacionalmente, não sei se assistiu o seriado Antônia e o filme que e breve estará nos cinemas, em pouco tempo vai chegar aí em Portugal, se é que não chegou a novela Cobras e Lagartos que fez um sucesso enorme aqui, em que os atores principais são negros, mas sem nenhum tipo de visão estereotipadas como por exemplo sendo escravos.

    As coisas vão mudando aqui, o governo atual está sim preocupado com estas diferenças e está tentando corrigir. As diferenças são históricas pelo passado do povo negro brasileiro, pois a suposta abolição da escravatura, foi feita sem qualquer tipo de pagamento aos negros pelo trabalho pelos anos de escravidão, foram jogados à própria sorte, sem terra e sem dinheiro, a situação econômica de hoje, infelizmente se dá pela forma em que houve a abolição da escravatura que sabemos que teve a responsabilidade da Inglaterra, Portugal não pretendia acabar com a escravatura, tanto que o Brasil foi o último país a abolir a escravatura no mundo.

    Quando falo que o Brasil é um paraíso racial, digo isto em termos de conflito e não de igualdade social e é muito bom para o Brasil que pessoas estrangeiras como você notem isto para que o povo aqui também entenda isto. Você já viu bem Gisele Bundchen? Aqui, muitos homens brasileiros que eu conheço pessoalmente, de todas as tonalidades de cor, acham que ela é simplesmente feia, eu já vi pela televisão ela bêbada falando bobagens no Carnaval, é uma mulher sem atrativos parece um palito de fósforo, não tem as curvas das brasileiras, aliás na opinião nacional masculina, as modelos internacionais não são símbolo de beleza, no entanto, fazem parte de um padrão imposto por um modelo Europeu que inclusive é oposto ao modelo nacional de beleza, mas quem tem o poder econômico é que força estes conceitos, os negros, os pardos e os mestiços, muito embora participem também da rol dos ricos, o fazem em muito menor número. Infelizmente, está sendo obrigatório em alguns estados que as agencias de modelo contratem modelos negras (quando digo negra, quero falar de mestiças também), digo infelizmente porque apenas basta que se perceba a formação do povo, para saber que o modelo Europeu, não se encaixa com o modelo da população Brasileira, e mais ainda, as mulheres que poderiam representar o Brasil, mostrariam mais autenticidade se representassem o modelo de beleza daqui, mas você deve saber que o padrão das modelos é distorcido para o mundo todo, mulheres esqueléticas são as preferidas para isto, e nem de longe aqui no Brasil são as preferidas pelos homens brasileiros. É uma questão de imposição de padrões diferentes dos padrões nacionais, mas isto com certeza está mudando, não estou dizendo com isto que as mulheres Européias não sejam bonitas, longe disto, são bonitas sim, mas aqui no Brasil é um modelo forçado por quem tem dinheiro, não é natural. Se você ver as apresentadoras de TV, vai ver que são louras quase que em sua totalidade, é um modelo muito forçado, longe de representar o país, não digo com isto que louras não devam ser apresentadores, mas aqui há um exagero sem qualquer sentido.

    Aliás, tem um ditado aqui que diz “Beleza não põe mesa”, na verdade o padrão de beleza é uma coisa particular e individual, como se diz, está nos olhos de quem vê e nas relações entre casais, se não se levar em conta a pressão da mídia, beleza é algo relegado a segundo plano, se não fosse assim, as consideradas feias pela mídia, nunca se casariam.

    Mas mesmo na mídia já falaram mal da Gisele, quando ela foi à festa do Oscar com Leonardo di Cáprio (que era o namorado dela na época), aqui disseram que ela era uma das mais mal vestidas da festa e que o vestido fazia parecer que ele estava grávida, mas vá entender este mundo da moda, aliás, deixemos isto para lá, isto não é um assunto do qual eu goste de comentar, isto é mais coisa de mulher.

    Resumindo Vera, sua observação é totalmente pertinente, o Brasil, não é justo e nem é igual, mas o governo brasileiro e o povo brasileiro estão procurando soluções para acabar com esta injustiça histórica, mas a intenção é fazer isto de forma pacífica sem qualquer conflito, seja moral ou físico, então a solução é através do debate civilizado e da ação rápida.

    Um abração amiga Vera.

  128. Cbr diz:

    Caro WSA, como vai? estive agora a ler os seus posts. Queria so perguntar-lhe o seguinte? Mesmo, assumindo que os estrangeiros residentes tenham igual direito que os portugueses, na eventualidade de estes estrangeiros não desejem reger-se pelas leis nacionais, até pelo pressuposto, que 99% deles não se sente minimamente português (mesmo os que ca nasceram, têm orgulho das suas “raízes” e por norma detestam Portugal), e desejam sim reger-se por leis proprias, não concordará que estes senhores (neste caso) devam ser conduzidos à fronteira?

  129. ANTI-Caturice diz:

    Tenho a solução para o problema da imigração em Portugal. Deverão ser afixados, em lugar visível, em todos os aeroportos e terminais rodoviários a seguinte mensagem:

    “É PROIBIDA A ENTRADA DE PRETOS. VENHAM DE ONDE VIEREM”.

    Talvez isso resolva o problema!

  130. ANTI-WSA diz:

    É PROIBIDA TAMBÉM ENTRADA DE WSA’s (White Stupid AnimalS) VENHAM DE ONDE VIEREM.

  131. O BRASIL É UM LIXO diz:

    E AGORA PORTUGAL QUER COPIAR O MODELO BOSTILEIRO DE COMO SE TORNAR UM LIXO RACIAL!!!

  132. EI, EU MORO NO BRASIL diz:

    E ESSE WSA PARECE QUE VIVE É EM OUTRO PLANETA, POIS ESSE PAÍS QUE ELE IDEALIZA COM TODA A CERTEZA NÃO É O BRASIL!!!

    VENHAM AO SERTÃO DO BRASIL E VERÃO O QUARTO MUNDO;

    VÃO NA AMAZONIA E VERÃO FAVELAS RIBEIRINHAS;

    VÃO EM SP(A MAIS RICA CIDADE) E VERÃO FAVELAS INTERMINÁVEIS CAUSADAS PELA FALTA DE INVESTIMENTO DO GOVERNO FEDERAL NO SERTÃO EM SI – USAM NA VERDADE TODA A GRANA PARA COMPRAR VOTOS DOS PARLAMENTARES DO SERTÃO NO CONGRESSO CORRUPTO E SUPOSTAMENTE DEMOCRATA DO BRASIL!!!

    OS SERTANEJOS CONTINUAM POBRES E SÓ É DAR UMA SECA LÁ QUE A SUBSISTENCIA DELES ACABA E INTERMINÁVEIS LEVAS DE GENTE SE AGLOMERAM AO REDOR DE SP CRIANDO O MAIOR FAVELÃO CONTÍNUO DO UNIVERSO CONHECIDO EM HEMISFÉRIO OCIDENTAL!!!

    I HATE BRAZIL E TENHO VERGONHA DESSE PAÍS – SER BRASILEIRO É A OFENSA-MOR PARA MIM!!!

    ATÉ UMA FILA NINGUEM RESPEITA – OU SEJA, UMA PEQUENA CORRUPÇÃO; E QUANDO VEJO QUE EM OUTROS PAÍSES CIVILIZADOS DA EUROPA COMO A SUIÇA AS PESSOAS NEM PRECISAM DE CAIXAS NAS LOJAS…

    E POR QUE SERÁ QUE OS NEGROS E MULATOS SÃO OS GRANDES MARGINAIS???

    VAI APELAR DE NOVO PARA O SOCIAL???

    POIS EU CONHEÇO MUITA GENTE POBRE E HONESTA!!!

  133. O Brasil não recebe grandes levas de imigrantes há décadas diz:

    E portanto não possui nenhuma moral para dar opinião aqui!!!

    Estão a perder população principalmente para os EUA e todo país do quarto mundo é aliado para tentar destruir o equilibrio do primeiro mundo e assim destruir nossa sacra-raça que foi muito mais competente que a de vc´s aí em baixo !!!

  134. Se as balas perdidas não for um conflito racial implícito diz:

    Entre os brancos do “asfalto” e os negros/mulatos do “morro”, então eu não sei mais o que é conflito racial, pois a raça mais competente consegue chegar no topo e a raça inferior fica lá embaixo mesmo – lei da seleção natural de Darwin.

    Conclusão: conflitos sociais são raciais também, pois geralmente as raças menos competentes economicamente são as mais estúpidas(diga-se as negróides e mulatóides)!!!

  135. WSA diz:

    Alguns aqui estão me atacando sem sequer ler o que eu estou escrevendo, eu em nenhum momento disse que não existem problemas sociais e nem que o Brasil era um país justo, muito pelo contrário, o que eu digo sempre é que a maior causa dos problemas do Brasil á a divisão de renda, não me cego aos problemas do meu país, só que conflito racial declarado, simplesmente não existe.

    Balas perdidas não são conflito racial, se quiser dizer que é conflito social, então entendo, mas mesmo assim a definição não está correta, mesmo que muitos não queiram ver, tem traficantes que moram nos morros que tem a pele branca, e mais recentemente existe uma aumento de criminalidade também pelas drogas nos jovens de classe média e classes mais altas.

    Os maiores consumidores de drogas não são os que moram nas favelas, são os que moram no “asfalto”, sendo que esta designação só tem um sentido mais forte no Rio de Janeiro. Não é comum existirem casos de bala perdida em outros estados (estou dizendo que não é comum, não estou dizendo que não venham a acontecer), isto se deu pelo abandono completo durante muito tempo dos órgãos governamentais às partes mais pobres, sendo assim os traficantes tomaram conta, inclusive auxiliando a população, isto nem de longe é um problema racial, é um problema de divisão de renda.

    Quanto à colocação de que a maioria dos criminosos são negros e mulatos, esta informação é racista, só que não vou discutir isto neste momento, só quero que se perceba que as maiores corrupções com o maior volume de dinheiro criminoso são feitas nas esferas da política.

    Evidentemente que a questão social tem peso sim, para entender como funciona a cabeça da marginalidade, seria interessante ver o documentário do MV Bill e Celso Athayde (Falcão, meninos do tráfico) que mostra precisamente que não existe escolha e que para quem não tem assistência governamental necessária e nem oportunidades no mercado do trabalho, ou vai pelo caminho do tráfico, ou vai para o caminho do tráfico (ninguém aceita morrer de fome), a história do tráfico também não é de que todas as pessoas envolvidas ganhem rios de dinheiro, muitos aceitam colocar um Fuzil na mão e ficar de tocaia à noite para ganhar salário mínimo, e em sua maioria acabam mortos e uma minoria tem a sorte de ser presa, novamente se bate na mesma tecla, divisão de renda.

    Semana passada foi feita a maior apreensão de cocaína na historia da policia Federal do Brasil, foram 5 toneladas que se não me engano estavam em um navio na Alemanha (se alguém tiver uma informação mais precisa, por favor me corrija), se alguém conseguiu ver a reportagem, então me diga qual a cor da pele dos chefões da quadrilha, aliás pelo o que eu vi todos que foram presos tinham a mesma cor da pele, não só os chefões, e não era negra e nem parda, será que esta tendência de atribuir criminalidade de acordo com a cor da pele, já não está suficientemente batida?

    He he he he he, quanta ignorância, negroides e mulatoides? He he he he está é para rir mesmo. Primeiramente, eu canso de falar, não existem raças entre os seres humanos e desigualdade social no Brasil, não é questão de competência, é uma questão histórica, para quem não sabe a abolição da escravatura no Brasil foi a menos de 119 anos, historicamente é um tempo mínimo. Lembre-se também que todos nós, sem distinção, somos descendentes de escravos, não interessa a cor da pele, a escravidão foi um tipo de atividade executado na espécie humana como um todo, por questões históricas como eu já disse, se ser descendente de escavos é ser incompetente, então toda a humanidade é incompetente, apesar da miscigenação em todas as escalas, existe sim a desigualdade social que não está ligada a nenhum tipo de ódio racial.

    É preciso definir também o que seja conflito social, não existe ninguém nos morros lutando contra as pessoas do “asfalto”, isto é uma distorção absurda, as balas perdidas são resultado de brigas entre facções de traficantes, ou entre traficantes e a polícia, a questão é eminentemente criminal, não existe nenhum outro foco possível e não escolhe cor da pele, pardos e negros do “asfalto” são os mais atingidos, não tem nada a ver com raça e muito menos com uma briga social direta, também porque os “brancos” do asfalto contribuem subindo o morro para comprar as drogas que servem para que os traficantes comprem armas e mais drogas, também porque os “brancos” do asfalto também trafiquem, é uma questão complexa sem nenhum tipo de questão racial envolvida. Eu usei os termos “brancos”,”negros”,”pardos” para ilustrar que é tudo uma mistura em ambas as questões, tanto em quem atira quanto em quem é atingido, como eu disse, a maioria das vítimas não tem a pele branca. Só para uma informação mais precisa, mesmo levando-se em conta os motivos históricos, não existem somente brancos no “asfalto” e não existem somente negros e pardos nas favelas.

    Cbr.

    Respondo seu questionamento de acordo com meu ponto de vista, mais tarde, ok?

    Um abraço.

  136. Caturo diz:

    WSA Says:
    Fevereiro 5th, 2007 at 4:03 am
    Caturo
    Não estou nem mais me dando ao trabalho de responder,

    Estás estás, o teu problema é que falhas sempre, consecutivamente. Perdeste em toda a linha, nada do que disseste se mantém de pé, limitas-te a repetir acefalamente a imbecil cassete que te enfiaram nos cornos. Agora foges cobardemente, mas dizes que não discutes porque «não vale a pena». :)

    Pois «não vale a pena» não, mas lá vais dizendo mais umas asneirazitas, assim como quem não quer a coisa…

    Aliás, nem leio suas mensagens, vejo que vem de você e simplesmente ignoro

    Claro que ignoras – os teus donos não te deram bases para defender a catrefa de cretinices e falsidades a que chamas «argumentos». Vai daí, limitas-te pura e simplesmente a fugir ao debate.

    No Brasil não existe nenhum tipo de confronto racial,

    Existe tensão e mal-estar racial e era a isto que me referia. Existe, mas existe mesmo, porque se não existisse, não era preciso terem implementado o regime das quotas. Se isso aí fosse o paraíso «multirracial», não precisavam de implementar uma medida inventada por uma sociedade formalmente racista, como a sociedade norte-americana.

    Por conseguinte, a evidência é inegável: o modelo multirracialista brasuca falhou. Ponto final.

    Eu deixei bem claro que tem gente no Brasil que torce para Portugal, mas que a maioria dos Brasileiros que conhece o futebol e gosta da forma como o Brasil joga, prefere mais o futebol arte que é praticado pelos africanos pela semelhança com o futebol brasileiro,

    É uma desculpa esfarrapada. Não é pelo estilo de jogo que se prefere uma equipa, se a equipa adversária tiver alguma relação connosco. Ou seja, um latino prefere, quase sempre, uma equipa latina relativamente a uma equipa eslava, mesmo que prefira o futebol da equipa eslava.

    Se você me disser que todo o povo Português, nunca vai torcer pelo Brasil, e que os imigrantes Portugueses todos que estão aqui vão torcer contra o Brasil a favor de qualquer time Europeu, a única coisa que eu posso dizer é que isto é um direito de cada um. Deixe de paranóia, até no time que os outros devem torcer ou não você quer determinar?

    Não quero determinar nada, brasuca. Foste tu quem falou no assunto – e foi esclarecedor o que disseste. Muito esclarecedor.

    As cotas raciais estão sendo solicitadas de forma ordeira, pacifica e legal sem ódio racial, para que os problemas causados pela colonização Portuguesa e pela herança da escravidão,

    Isto é mais uma treta cobarde de quem não tem coragem de enfrentar os seus problemas e passa a vida a culpar os outros. O domínio português acabou em 1820 e desde então os brasileiros andam todos contentes com o seu modelo «multirráciáu». Passaram décadas e décadas a gabar a sua mulataria, que era uma maravilha, um modelo de convivência, «páiss e ámôrrrr pára todo o mundo, é isso áí.»

    Ora no final do século XX acabaram por ter de reconhecer que tantas décadas de sorridente e despreocupado optimismo anti-racista e fraternalista… afinal, não valeram uma merda. Por isso, tiveram de ceder. Tiveram de recorrer a medidas inventadas para sociedades formalmente racistas, ou seja, para sociedades que, aparentemente, eram completamente opostas à do Brasil.

    Por isso, não venham com a conversa dos Portugueses. Sucede simplesmente que a convivência racial não resultou, pelo contrário, só trouxe problemas, em todos os aspectos.

    Algumas universidades, já adotaram as cotas de forma espontânea com sucesso absoluto, e os alunos é que se declaram negros

    Ahahahahh, CLARO que se declaram negros, se ser negro lhes dá vantagem. Nos EUA, até já há brancos a dizerem que têm antepassados negros só para conseguirem regalias… :)

    Eu aqui disse que o Brasil é um Éden racial se comparado a Portugal,

    Óptimo. Então diz isso aos teus compatriotas, para ver se eles não vêm para cá. É que não fazem cá falta nenhuma.

    Só para esclarecer. Imigrantes não são considerados estrangeiros,

    São considerados estrangeiros são. Só é nacional quem for filho de nacionais. É apenas e exclusivamente o Direito de Sangue (Ius Sanguinis) que deve valer como critério de Nacionalidade, e nunca, jamais em tempo algum o Direito de Solo (Ius Solis).

    Não há como tirá-los daí, e não tem nenhuma chance do mundo aceitar isto.

    Há sim, se também em França, na Alemanha, em Inglaterra, os Nacionalistas começarem a exercer o poder… todos os imigrantes que cá estão poderão, a seu tempo, ser repatriados para o sítio donde vieram – ou donde os seus pais vieram.

    Não sei se você conhece a história dos direitos civis nos Estados Unidos, a maioria da população não queria a integração, a integração, foi feita de cima para baixo em alguns casos à força,

    Pois, e os conflitos raciais aumentam nos EUA. Bom exemplo.

    Você falou que os povos ocidentais são os mais desenvolvidos, será que Portugal é mais desenvolvido que o Japão? Onde fica Hong Kong?

    Hong Kong… bom exemplo, uma ex-colónia inglesa, isto é, ocidental, ahahhahahh.

    A Índia está se transformado em um pólo de tecnologia. Sua visão do mundo está um tanto equivocada, preste atenção no desenvolvimento de tecnologia nuclear nos países do oriente, o que dizer do padrão de vida da Coréia do Sul?

    Óptimo. Resta-nos alimentar a esperança de que um dia a brasucagem e a negralhada abandonem a Europa e sigam para o oriente…

    não existe isto de ocidente mais desenvolvido que o Oriente

    Claro que existe. O mundo está nas mãos de potências ocidentais – Das oito grandes potências, seis são de raça branca: EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Rússia, Japão, China. A língua universal é um idioma ocidental (Inglês), o modo de vida é cada vez mais ocidentalizado (especialmente na versão americana), os modelos de beleza mundiais são praticamente todos originários do Ocidente.

    O domínio do Ocidente sobre o planeta é pois uma evidência incontestável. E é de notar que o país mais populoso do mundo nem sequer é ocidental… e o segundo mais populoso também não…

    Você não me disse porque as consequencias que eu citei não ocorreriam, aliás nem começou e já parou, o fato é que seu comentário ficou meio confuso, poderia ser mais claro?

    Foi claríssimo – a partir do momento em que os Nacionalistas controlassem França, Reino Unido, Alemanha, Itália, Rússia, ninguém no planeta iria impedir-nos de expulsar quem quisermos, sem apelo nem agravo.

    Crítica quanto à política de imigração é algo legitimo, pensar em discriminar categorizar através de raças, menosprezar outros povos,

    Não é menosprezar. É separar.

  137. Caturo diz:

    WSA Says:
    Fevereiro 5th, 2007 at 4:50 am
    Caturo,
    Você é racista, é prepotente, desinformado e tem um grau muitíssimo elevado de paranóia, acho que deveria procurar um psiquiatra.

    Ó brasuca, metes nojo. És um ressaibado cheio de raiva tipicamente brasuca contra Portugal e vieste aqui para, com um descaramento imenso, disseminares o teu imbecil veneno, mas tiveste azar, porque tudo o que disseste foi rebatido. E agora, desistindo de argumentar, espetas aqui a tua cassete. Pois toma lá o troco e faz bom proveito, para ver se aprendes alguma coisa:

    Um dia, todos os seres humanos em todo o planeta tinha a pela negra, falar que tinham a pele escura, mas não é eram da raça negra é uma tolice,

    Tolice, estupidez, atrasadice mental e desonestidade, é estar a falar na cor de pele para com isso referir a raça. Mete nos cornos que os Australóides e os Drávidas também têm pele escura E NÃO SÃO NEGRÓIDES. Percebes?

    existe apenas um tronco na espécie humana, além do mais, não existem raças entre os seres humanos

    Existem raças entre os seres humanos sim, e até os recém-nascidos o reconhecem. Só as vítimas da lavagem (leia-se: poluição) cerebral intensa anti-racista é que podem chegar ao ponto de degradação mental profunda de negarem o que vêem à frente das trombas.

    Atualize seu estudo arcaicos,

    Actualiza tu a tua estúpida cassete, ou pede aos teus donos que te forneçam outra.

    Ora toma lá pelos cornos abaixo – estuda e aprende:

    A RAÇA É UM MITO? A CIÊNCIA DISTORCIDA PELA ESQUERDA PARA PROPÓSITOS POLÍTICOS
    por Michael Rienzi

    (Este artigo foi publicado originalmente na edição de Dezembro de 2000 do American Renaissance – http://www.amren.com/)

    O igualitarismo racial tem falhado em produzir a “igualitária e justa” sociedade prometida pelos técnicos sociais. Ao mesmo tempo, está ocorrendo o marcante renascimento da identidade racial e étnica no mundo pós guerra-fria. Em resposta, a esquerda adoptou uma nova estratégia: negar totalmente a existência de raças! É por Isso que ouvimos falar tão frequentemente que “raça é uma construção social, sem validade biológica” e que “a ciência prova que somos todos iguais”. Ironicamente, é em conexão com o progresso e entendimento do genoma humano – progresso no campo que irá definitivamente provar a realidade biológica das raças – que nós mais temos ouvido que raça é nada mais do que características “superficiais” e de aparência.

    Contra essa visão, há primeiro de tudo as óbvias diferenças entre os grupos de populações humanas que todos reconhecem. Há também evidências genéticas que podem ser usadas independentemente dos métodos tradicionais para classificar diferentes populações humanas em grupos raciais que são virtualmente idênticos aos baseados nos alegados traços “superficiais” estudados pela tradicional antropologia física. O professor Glayde Whitney escreveu nessas páginas:

    “Esses dados são portanto uma virtualmente irrefutável demonstração da realidade das raças – uma análise puramente estatística das frequências alelas (diferenças genéticas de um grupo para outro) dando resultados que são essencialmente idênticos aos grupos raciais estabelecidos pela antropologia tradicional”.

    Uma honesta avaliação de dados confirma a realidade racial. Mas vamos ver os argumentos do outro lado:

    “Nós somos 99.9% (ou algum outro número) geneticamente idênticos; então não pode haver diferenças e não existem raças.”
    Apesar de ser verdade que as populações humanas compartilhem aproximadamente 99.9% de seus genes, é também verdade que os humanos compartilham mais de 98% dos seus genes com chimpanzés, e uma grande porção com animais como ratos e cachorros. Muitos desses genes produzem estruturas básicas do corpo que todos mamíferos possuem em comum; diferenças entre organismos são causadas por diferenças genéticas muito pequenas.

    Homens e mulheres são 99,998% idênticos mas ninguém sugere que homens e mulheres são idênticos.

    Evidências actuais sugerem que todas as diferenças sexuais entre homens e mulher sejam o resultado de somente uma diferença genética – um gene (os Testes Factor Determinante) de uma estimativa de 50,000 – 100,000! Isso significa que homens e mulheres são 99,998 aos 99,999% geneticamente idênticos, mas ninguém sugere que sexo é uma mera “construção social”. Dessa maneira, as diferenças genéticas entre homens e chimpanzés, que ninguém nega, podem ser descritas como 12 à 20 vezes a diferença genética entre grupos raciais.

    Pequenas diferenças genéticas podem ter fortes consequências fenóticas porque os genes são ordenados em um modelo hierárquico. Alguns genes são “genes mestres”, e controlam a expressão de número dos outros genes, cada um deles pode ter grande controlo sobre alguns outros genes. Além disso, a expressão de cada gene é controlada por regiões chamadas “promotoras” (N. do T. “promoters”) e “realçadoras” (N. do T. “enhancers”), normalmente localizadas na frente da parte funcional do gene. Uma pequena mudança na região promotora do gene “X” pode alterar sua expressão. X pode controlar os genes A, B, C, D, E, F. O Gene A por sua vez pode controlar seu próprio conjunto de genes. Mesmo se todos os outros genes controlados por “X” forem idênticos entre dois grupos, uma diferença em “X” pode ser suficiente para produzir grandes diferenças entre os dois grupos.

    Não é a quantidade de diferenças genéticas que é importante, mas a natureza das diferenças: que genes são diferentes, de que maneira eles diferem, e as consequências dessas diferenças. Espécies de cachorros são análogas a raças humanas. É possível que diferentes espécies sejam geneticamente mais parecidas do que diferentes raças humanas, mas não há dúvida que essas subtis variações resultem em significantes diferenças em aparência, inteligência e comportamento.

    É importante considerar também que uma borboleta e a lagarta da qual ela se desenvolveu são 100% idênticas geneticamente! Os genes não mudam; as enormes diferenças entre lagartas e borboletas resultam do activamento de diferentes genes em épocas diferentes. Isso pode dar alguma pausa para pensar aos que acham que a diferença de 0,1% em dezenas de milhares de genes humanos “não fazem diferença”.

    “Há mais variação genética dentro de grupos humanos do que entre grupos humanos; consequentemente, diferenças entre grupos são inválidas.”
    Esse é outro argumento muito popular que, mesmo verdadeiro, não significaria que raça não tem significado. A falha nesse argumento é a mesma do “argumento do 99,9%”, em que é tratado como mais importante a quantidade – “contagem de feijões” genética (N. do T. genetic “bean counting”) – mais do que a importância das diferenças genéticas e suas consequências. De facto, há mais variação genética dentro de grupos do que entre grupos, mas se essa variação não influenciar a expressão de importantes genes, isso não terá grandes consequências. Há uma considerável variação genética entre irmãos e entre pais e filhos, mas isso não altera o facto que eles são mais intimamente relacionados uns ao outro do que a estranhos.

    Novamente o Prof. Whitney demonstra o absurdo do argumento da “variação”. Ele aponta que podemos pegar o total da diversidade genética contida na população de Belfast e uma tropa de macacos e dar a isso um indicador de 100%. Surpreendente como isso possa parecer, a maior parte dessa diversidade será encontrada tanto na população de Belfast quanto na tropa de macacos. Há uma grande diversidade genética igualmente entre dois indivíduos que são muito similares entre si. Isso não significa, claro, que os Irlandeses são mais parecidos com macacos do que com seus vizinhos, ainda que essa é precisamente a maneira que os advogados do “raças-não-existem” usam o argumento quando aplicam ele aos humanos.

    O Prof. Whitney explica que assim como no caso da diferenças genéticas entre homens e mulheres, “a questão significante sobre diferenças raciais não é a percentagem da diversidade total, mas como essa diversidade é distribuída entre as raças, que traços ela influencia, e como isso é modelado.” Pequenas diferenças genéticas podem traduzir-se em importantes diferenças físicas e comportamentais.

    “A variação da população é contínua e traços humanos variam através de um espectro, então raças individuais não existem”.
    Esse é um modo científico de dizer que por existirem híbridos (populações racialmente ou etnicamente misturadas), não existem raças individuais. Esse é um surpreendentemente popular argumento, entretanto igualmente fácil de refutar. Ninguém pensa que a existência de populações híbridas de animais significa que esses animais não podem ser classificados em diferentes grupos. Isso é evidente. Seu cachorro pode ser uma mistura de pastor alemão e dinamarquês, mas isso não significa que não há pastores alemães ou dinamarqueses. A existência de cachorros híbridos significa somente que diferentes espécies de cães podem acasalar e produzir descendentes. Cães e lobos – diferentes espécies – podem acasalar e produzir descendentes, mas ainda será fácil distinguir um cão de um lobo.

    Há certos lugares onde têm havido forte mistura e onde há raças miscigenadas – Ásia Central, América Latina, África do Norte. A existência de populações híbridas nessas áreas de forma alguma invalida a existência de outras populações que são mais diferenciadas geneticamente – na Europa, no Extremo Oriente, e na África sub-Saariana.

    Esse argumento da “variação contínua” é tão ilógico que seria surpreendente alguém levá-lo a sério. A existência de misturas não invalida a existência dos componentes originais das misturas. O fato de o vermelho e o amarelo poderem se misturar para produzir laranja dificilmente significaria que vermelho e amarelo são ilusões ou não existem. Apesar da mistura racial estar longe de ser uma perfeita e contínua graduação, igualmente essas variações na natureza quando formam uma graduação podem ser classificadas em diferentes grupos. A contínua variação da frequência da luz no arco-íris, por exemplo, é facilmente agrupada em cores distintas que virtualmente todas as pessoas reconhecem.

    “Todas as populações humanas são misturas, assim não há coisas como raça pura; portanto, não há coisas como raças.”
    Esse argumento é relacionado com o anterior, excepto que ele diz que somos todos híbridos, então não existem raças. Primeiro, nenhum cientista fala em raças “puras”. O que significa “pureza” racial, afinal? É verdade que certas populações são mais diferenciadas e distintas geneticamente do que outros grupos mais hibridizados. Se nós considerarmos ingleses, centro-asiáticos e coreanos, nós poderemos fazer a relativa declaração que coreanos e ingleses são mais geneticamente (e fenoticamente) distintos e diferenciados do que centro-asiáticos, que são em alguns aspectos intermediários entre leste-asiáticos e europeus.

    Isso não implica que coreanos ou ingleses sejam “puros”, que presumivelmente significaria que eles poderiam todos traçar seus ancestrais em uma única população a um certo tempo. Os ingleses, por exemplo, são predominantemente uma população nórdica, composta de anglo-saxões, celtas, normandos/vikings, romanos e possivelmente primitivos mediterrâneos. Muitos grupos europeus são similarmente compostos de múltiplas linhagens relacionadas; se ter ancestrais de diferentes mas relativamente similares grupos europeus faz alguém ser “miscigenado”, então realmente nós somos todos miscigenados. Mas isso não invalida de forma alguma o conceito de raça, ou o fato de que várias populações “miscigenadas” são ainda geneticamente e fenoticamente distintas das outras e assim são raças separadas. Tanto geneticamente e fisicamente, ingleses claramente pertencem ao grupo europeu e coreanos ao grupo nordeste-asiático.

    O argumento “somos todos miscigenados” falha de duas maneiras. Primeiro, as várias linhagens que acabaram por produzir muitos dos grupos étnicos de hoje eram relativamente similar umas as outras, então isso estende a definição da palavra para chamá-los “miscigenados”. Quanto diferentes são os anglo-saxões dos celtas? Similarmente, poderia uma pessoa de ancestrais ingleses e alemães ser considerada “miscigenada”? Francês-italiano? Nós chamamos os milhões de brancos americanos de linhagens européias misturadas “miscigenados”?

    Segundo, misturas das relatadas linhagens podem estabilizar com o tempo, e formar um novo, único e separado grupo étnico, raça ou espécie. Esse é o caso de vários grupos étnicos europeus, formados pelas misturas das relatadas linhagens étnicas. Europeus podem existir por centenas – talvez milhares – de gerações sem produzir descendentes que parecem africanos ou asiáticos. O contrário é também verdadeiro. Mesmo as raças de hoje sendo o resultado de antigas misturas essas misturas são distintas e extremamente estáveis.

    “Diferenças entre as populações são superficiais e somente pele.”
    Isso simplesmente não é verdadeiro. Muitas diferenças consistentes entre grupos foram encontradas em inteligência, comportamento, tamanho do cérebro, resistência a doenças, taxas de nascimento de gémeos, velocidade de maturação, etc. O Prof. Arthur Jensen colectou provas irrefutáveis de diferenças raciais em média de inteligência. Em Raça, Evolução e Comportamento (N. do T. Race, Evolution and Behavior) o Prof. Philippe Rushton não só documentou o grande número de outras diferenças raciais mas mostrou o quanto elas se enquadram às várias estratégias de reprodução seguidas pelos diferentes grupos raciais. Algumas vezes o argumento “raças-não-existem” aparenta ser uma tentativa desesperada de derrubar o argumento sobre diferenças raciais que a esquerda claramente perdeu. Desde que os igualitaristas não tem nada a dizer face às montanhas de evidências de diferenças raciais, eles repentinamente mudaram seu foco e tentaram fingir que raça por si só não existe.

    Mesmo o mais anti-racista dos médicos reconhece que doadores e receptores de transplantes tem que ser escolhidos não apenas em base de sua raça, mas também por sua etnia, porque transplantes inter-raciais são mais prováveis de serem rejeitados. Eles também sabem que pessoas de diferentes raças reagem diferentemente às mesmas drogas e sofrem de diferentes doenças. Dizer que essas diferenças são apenas “de pele” é completamente contra a realidade.

    “Não houve tempo suficiente para as diferenças raciais serem desenvolvidas”.
    Esse é um curioso argumento porque houve claramente tempo suficiente para as diferenças físicas se desenvolverem. Pigmeus e noruegueses presumivelmente tiveram um ancestral comum, mas agora são tão diferentes entre si que um biólogo de outro planeta poderia pensar perfeitamente que se tratam de espécies diferentes. Esse argumento portanto é uma tentativa de negar diferenças em média de inteligência ou outras características mentais. Em Porque Raça Importa? (N. do T. Why Race Matters?) o Professor Michael Levin mostra que as diferenças de QI entre europeus e negros africanos tiveram tempo mais do que suficiente para se desenvolverem durante estimadas 4,400 gerações desde que os dois grupos se separaram do ancestral comum. De acordo com esse cálculo, teria sido necessária uma taxa de selecção por geração de 0.000106 contra genes recessivos, uma taxa de mudança genética muito pequena que é equivalente a uma mudança em 11 indivíduos por 100,000 por geração. Na natureza essa é uma taxa extremamente pequena de mudança evolucionária.

    “A raça branca – como todas as outras – é uma construção social.”
    Aqui nós começamos a ver a motivação por trás de todos os “não existem coisas como raças” absurdos. Se pessoas de descendência europeia puderem ser convencidas que raça não existe, em particular que sua raça não existe, não haverá resistência à substituição de brancos pelas forças que actualmente trabalham na América, Europa e em outras partes. As pessoas não irão defender algo que elas estão convencidas que não é real.

    Se – contra seus próprios instintos e a clara evidência de seus sentidos – brancos puderem ser condicionados a pensar que raça é uma ilusão eles não terão razão para se opor à integração de fronteiras, miscigenação, e massiva imigração não branca. Se brancos se misturarem e forem substituídos por pessoas que não são realmente diferente deles nada estará perdido.

    A ironia, claro, é que quando falam em “acção afirmativa” – políticas que penalizam brancos – as mesmas pessoas que dizem que raça é uma construção social insistem que isso é uma base válida para tratamento preferencial. Pessoas que dizem que raças não são biológicas, não têm dificuldade em alegar que são “negros” ou “asiáticos” ou “índios americanos” quando há uma vantagem em fazer isso.

    Na grande maioria dos casos não há a menor discordância sobre quem pertence a qual raça. Crianças podem distinguir raças com segurança pela idade de dois ou três. A natureza é económica e muitas vezes não dota suas criaturas com senso para distinguir coisa que não importam. Uma habilidade instintiva, adquirida com pouca idade, de quem é “nossa gente” e quem não é essencial para a sobrevivência do grupo. Qualquer tentativa de negar ou sobrepor essa habilidade é um ataque directo ao próprio grupo.

    Desnecessário dizer, é somente para brancos que papagueiam noções absurdas sobre raça e que pretendem tornar a indiferença eu até a deslealdade à raça uma virtude. Não-brancos tem uma forte consciência de raça e sabem que isso é parte fundamental da identidade individual ou do grupo. Eles devem se divertir muito com os disparates potencialmente suicidas que eles ouvem brancos argumentando aos outros que eles acreditam.

    Apesar da alegação de certos demagogos, europeus são uma realidade tanto cultural quanto biológica. Como todos grupos raciais e étnicos, eles têm o direito a preservar essa realidade e de resistir aos esforços para ofuscar a ciência numa tentativa de eliminar raças de facto, tanto quanto em denominação.

  138. Caturo diz:

    Mais correcções e comentários às tretas do WSA:
    – primeiro, o Brasil não foi o último país do mundo a abolir a escravatura. A Arábia Saudita, por exemplo, fê-lo apenas em 1961. E até nos EUA, se me não engano muito, a escravatura durou mais do que no Brasil;
    – independentemente do modo tosco como o WSA tentou atirar areia para os olhos a respeito de Giselle Bündchen, a verdade é que esta modelo é considerada como uma das mais belas mulheres do Brasil.

    E não é só ela…

    Senão, vejamos – os brasileiros passam a vida a gabar a «mulátchínha», mas quem são as mulheres mais belas do Brasil?
    Vera Fischer (aspecto nórdico), Bruna Lombardi (idem), Maitê Proença (ibidem), Daniele Winitz (judia, ou seja, bem caucasóide), e mais uma série de actrizes de telenovelas, praticamente todas bem brancas, passando facilmente por europeias, europeias do norte até.

    Curioso, sem dúvida… :)

  139. PP&I diz:

    Só para esclarecer. Imigrantes não são considerados estrangeiros, se já tem a nacionalidade Portuguesa muito menos, filhos de imigrantes legais e imigrantes legais para qualquer lei internacional, são Portugueses e ponto final.

    Muito obrigado pelo esclarecimento. Mas pelos vistos o WSA é que não sabe a diferença entre um imigrante, legal ou ilegal, e um estrangeiro naturalizado português. Tanta jactância e depois dá nisto. E a nacionalidade ao ser essencial à definição do Estado torna-se uma questão fundamentalmente de direito interno de cada Estado: “A definição do regime de aquisição e perda da nacionalidade é da competência da ordem jurídica estadual (Art. 1.º da Convenção de Haia de 1930 sobre os conflitos de leis no domínio da nacionalidade)”

    Não sei se você conhece a história dos direitos civis nos Estados Unidos, a maioria da população não queria a integração, a integração, foi feita de cima para baixo em alguns casos à força, não sei se lembra do caso da primeira menina negra a estudar em escola de brancos, e os primeiros quatro universitários negros que entraram em uma faculdade branca americana, em ambos os casos, mesmo com toda a população contra, eles foram escoltados pelo exercito americano, o que aconteceu é que com o tempo, não foi criada nenhuma panela de pressão como você falou, o que aconteceu foi exatamente o contrário, basta perceber a situação atual dos Estados Unidos, e a quase inexistente diferença educacional entre os diversos povos americanos.

    O WSA é que pelos vistos não conhece a história dos EUA e do seu próprio país ao comparar a realidade norte-americana e brasileira com a realidade portuguesa. A criação dos EUA e do Brasil assenta em vários substratos nacionais, pelo que a discriminação de qualquer um será sempre injusta e deliberada. E cautela, lá porque as tensões étnicas não se manifestam exteriormente, não significa que não estejam presentes, prontas a emergir ao mínimo contratempo. Veja-se o caso prototípico de Rodney King.

    É evitando sim ações nacionalistas que serão reprimidos os extremismos, a história passada já mostrou isto, a história recente já mostrou isto, é esta repressão aos imigrantes, dependendo do nível em que ocorra, certamente vão representar problemas na ordem da política externa de Portugal, para entender isto, basta que se perceba o que está acontecendo no mundo hoje.

    Demonstrou? Onde? Indique-me exemplos. Habitado por vários povos, o Kosovo o país tem dificuldade em manter a unidade nacional desde sua criação. A aspiração dos Bascos à categoria de Estado independente é responsável pela morte de mais de 900 pessoas inocentes. E esta é a situação de muitos Estados em África e na Ásia, criados a partir de territórios coloniais e que mantiveram as fronteiras e as instituições coloniais. O WSA é que não conhece nada da realidade mundial.

    Você está um tanto equivocado quando fala sobre o ateísmo e o proselitismo sectário islâmico, idéias ou conceitos diferenciados, não significam que devam criar oposição ao individuo, não falei em misturas de conceitos, falei em respeito aos conceitos, se uma pessoa acredita em Deus e a outra não, isto não é motivo suficiente para que entrem em guerra, trata-se somente de opiniões, se que um gosta do vermelho e outro do azul, estarão manifestando seus gostos pessoais, não há razão nenhuma para um matar o outro, veja o exemplo que eu falei aqui sobre Católicos e Protestantes dividindo o mesmo templo. Aqui se você é ateu, tudo bem, se é Católico, tudo bem, se é judeu, mulçumano, enfim, não importa sua crença, a prática religiosa é livre e protegida por lei, então a sua conclusão é equivocada.

    Entenda de uma vez por todas: A ideia de que o multiculturalismo promove a tolerância é uma falácia, porque há culturas que defendem valores antagónicos aos valores de outras culturas. Por exemplo, a mutilação genital feminina é considerada um dever-ser nalgumas partes do globo e um crime nos países ocidentais. Mas o impedimento dessa prática é contrário à tolerância. Compreendeu a dica?

    Você falou que os povos ocidentais são os mais desenvolvidos, será que Portugal é mais desenvolvido que o Japão? Onde fica Hong Kong? A Índia está se transformado em um pólo de tecnologia. Sua visão do mundo está um tanto equivocada, preste atenção no desenvolvimento de tecnologia nuclear nos países do oriente, o que dizer do padrão de vida da Coréia do Sul?. O que você chama de desenvolvimento? Padrões de desenvolvimento são padrões diferenciados, a China está se tornando uma potencia mundial, é o país que mais cresce no mundo, possui uma cultura milenar, não existe isto de ocidente mais desenvolvido que o Oriente.

    E quem tornou possível esses desenvolvimentos tecnológicos? Quem é que desenvolveu o motor de combustão interna, a luz eléctrica, o telefone, a navegação via satélite, a internet, etc., que culminaram na multitude de invenções tecnológicas que hoje disfrutamos? Foram os chineses, os japoneses ou os africanos?

    Você não me disse porque as consequencias que eu citei não ocorreriam, aliás nem começou e já parou, o fato é que seu comentário ficou meio confuso, poderia ser mais claro?

    Não ocorrerão porque a revitalização da cultura não implica a perda da consciência ou sentimento nacional. Fui claro?

    Crítica quanto à política de imigração é algo legitimo, pensar em discriminar categorizar através de raças, menosprezar outros povos, só porque são imigrantes, ou diferentes, é sim uma forma horrenda de xenofobia.

    Demonstre-me onde é que eu discrimino alguém por questões raciais.

  140. Vera diz:

    WSA, nós não pedimos o sinal positivo de alguém. O paí sé nosso. Se o povo quer, é feito e ponto final. ISto é democracia. E já que fala tanto do caso da ex-Jugoslávia, como pode ver há umas semanas, o povo não deixou de votar nos Ultra-conservadores, com ou sem ONU, NATO ou Milosevic. O povo é largamente nacionalista e nada altera isso.

  141. Vera diz:

    Eu percebo que no Brasil façam isso e muito mais. Afinal, é um país onde convivem diferentes raças, etnias, credos, etc. Nós, somo sum Estado-nação. Portugal não é o Brasil, assim como o Brasil não é Portugal. Logo, seria tão anormal eu aplicar estas ideias nacionalistas no Brasil inteiro como o WSA querer aplicar tais medidas em Portugal. O que quero dizer com tudo isto é que o WSA enquanto brasileiro pensa dessa forma porque na sua opinião isso é o meu para o seu país. Mas o que é melhor para o seu país não é para o país dos outros, que diferente em vários factores. Logo, tias ideias não são aplicáeis em Portugal, e conheço muita gente de esquerda, os chamados “anti-neo-nazis” que também criticam a imigração, não pela cor da pele mas pelo sue impacto, e legalizados ou não o que é certo é que pessoas de outras culturas, culgo não.europeus, causam variados distúrbios.
    Assim, não quero fazer com que concorde comigo, é impossível, tal como eu nunca concordariam consigo visto que temas realidades diferentes nos nossos países e as leis de uns não se aplicam da mesma forma nos outros. Por mim, o Brasil pode fazer o que bem entender com a sua multiculturalidade, eu sou portuguesa, não tenho nada a ver com a gestão da sociedade brasileira, não gosto nem deixo de gostar. Mas como portuguesa, vivendo num país muito diferente, nunca aceitaria a imposição de tais medidas cá. Nem eu nem muitos portugueses.

  142. Vera diz:

    * porque na sua opinião isso é o melhor para o seu país

  143. Albinos Negróides também possuem a pele branca diz:

    Ao cara que falou de traficantes com suposta pele branca no Rio podem ser muito bem pardos(mulatóides), pois raça não se define a partir da pele seu imbecil – e quando brasileiro diz pele branca, na verdade quer dizer clara, uma variante que vai do marrom claro ao amarelo!!!

    hauhauaauahu

  144. Vera diz:

    Eu percebo que no Brasil façam isso e muito mais. Afinal, é um país onde convivem diferentes raças, etnias, credos, etc. Nós, somos um Estado-nação. Portugal não é o Brasil, assim como o Brasil não é Portugal. Logo, seria tão anormal eu aplicar estas ideias nacionalistas no Brasil inteiro como o WSA querer aplicar tais medidas em Portugal. O que quero dizer com tudo isto é que o WSA enquanto brasileiro pensa dessa forma porque na sua opinião isso é o melhor para o seu país. Mas o que é melhor para o seu país não é para o país dos outros, que difere em vários factores. Logo, tais ideias não são aplicáveis em Portugal, e conheço muita gente de esquerda, os chamados “anti-neo-nazis” que também criticam a imigração, não pela cor da pele mas pelo sue impacto, e legalizados ou não o que é certo é que pessoas de outras culturas, vulgo não europeus, causam variados distúrbios.
    Assim, não quero fazer com que concorde comigo, é impossível, tal como eu nunca concordaria consigo visto que temos realidades diferentes nos nossos países e as leis de uns não se aplicam da mesma forma nos outros. Por mim, o Brasil pode fazer o que bem entender com a sua multiculturalidade, eu sou portuguesa, não tenho nada a ver com a gestão da sociedade brasileira, não gosto nem deixo de gostar. Mas como portuguesa, vivendo num país muito diferente, nunca aceitaria a imposição de tais medidas cá. Nem eu nem muitos portugueses.

    P.S.: Resolvi escrever o comentário de novo, o outro tinha muitas letras trocadas, nunca mais saía de lá com correcções individuais.

  145. Danielle Winnits é judia?? diz:

    Bem que eu desconfio que todo o de raça não-nordica e de sobrenome aparentemente germano é judeu.

    Schneider por exemplo, é o nome mais comum dos judeus roubados dos Alemães.

    Judeus muito caucasóides??

    huahaauauahuahuaha

  146. ANTI-Caturice diz:

    Mais uma vez digo: se querem resolver o problema mandem um projeto à Assembléia Nacional que determine o seguinte:
    Deverão ser afixados em lugar visível em todos os portos, aeroportos e terminais rodoviários de Portugal os seguintes dizeres:

    ” É PROIBIDA A ENTRADA DE PRETOS, VENHAM DE ONDE VIEREM!”

    TALVEZ ISTO RESOLVA O VOSSO PROBLEMA!

  147. Só tenho algo a dizer diz:

    Se o Brasil não deu certo foi graças ao excesso de africanos aqui, e se Portugal não tomar uma atitude não passará de um Neo Brasil e portanto parem já de teclar e tomem uma atitude já contra estes porcos que tomam vossos empregos e invadem vossa terra só para propagar a AIDS e a miséria subsaariana nowww!!!

  148. Em São Paulo diz:

    Os bolivianos, chineses, nigerianos e coreanos estão a tomar o emprego dos brasileiros, incentivando ainda mais o trafico de produtos piratas, drogas e prostituição além da criminalidade!!!

    Não é só aí em Portugal que essa gente imunda plorifera!!!

    Abraços e muito boa sorte

    Action nowwwwwwwwwww

  149. Eu amo minha raça e voce??? diz:

    Se defenda já!!!

    Somos racialistas, e não queremos destruir as outras raças – só queremos cada macaco no seu galho!!!

    Quem não tem orgulho de vossa subespécie tende a querer contaminar as outras, pois nada possuem a perder!!!

    Nação Indeuropéia avante!!!

  150. A Globalização fracassou... diz:

    E o neoliberalismo é ambíguo – nunca se decide se quer apenas a livre circulação de capitais ou a livre circulação de pessoas e capitais simultaneamente!!!

    Se decidam galera!!!

  151. Simplesmente eu não compreendo mais o mundo diz:

    É um legítimo caos.

  152. Vera diz:

    Amigo universal, chamam-se correcções e não repetições :) como eu gosto de ti! ai..

  153. WSA diz:

    PP&I

    Quanto aos desenvolvimentos tecnológicos que desfrutamos, não foram os Chineses, nem os Japoneses, nem os Africanos e MUITO MENOS OS PORTUGUESES, o que será que você fez para o desenvolvimento tecnológico meu caro? As grandes invenções nem foram criadas na Europa, se deram na América, no Brasil o avião (se bem que os Americanos não aceitem), na Argentina o Padrão de Cores das TVs, nos Estados Unidos a Internet e um monte de coisas, em Portugal??????. Até as caravelas foram copiadas das embarcações chinesas. Será que isto faz o povo americano e nisto eu incluo o Brasil melhor que qualquer povo do mundo? A resposta é um sonoro NÃO.

    Qualquer invenção que procurar no mundo, não se dá a um povo, é propriedade de indivíduos, você pelo que eu sei até agora não contribuiu com nada, portanto não pode atribuir a você o que pertence a outros.

    As tensões nos EUA são muito menores hoje do que há tempos atrás, lá a tendência e desaparece, pelo viso de Portugal a tendência é de se tornar um país insuportável e se não percebe, a sua idéia de tensões não tem qualquer fundamento, é somente especulação, não existe qualquer motivo para que existam tensões raciais.

    Quando falei sobre a repressão ao que você chama nacionalismo e eu chamo de nazismo, funciona aqui, é só procurar os neo-nazistas colocá-los na cadeia e não poderão fazer absolutamente mais nada.

    Aqui quando se fala de imigrantes legais, fala-se de gente que fincou pé aqui, e como você não percebeu eu falei de imigrantes legais e dizendo “Se já tem nacionalidade Portuguesa muito menos”, não sei como é feita esta imigração aí, aqui os imigrantes se naturalizam, se não fazem isto, não são imigrantes, aliás, dependendo da origem, nem podem ficar aqui muito tempo, aqui o passaporte vence e se tem que voltar ao país de origem e isto não depende da raça de quem vem pra cá, se um americano tem o passaporte vencido tem que voltar para os EUA.

    Sabe como funciona o principio da reciprocidade? Quando os EUA inventaram de fotografar as pessoas quando entram nos EUA, o Brasil fez o mesmo somente com os Americanos, um piloto americano fez um sinal mal educado com as mãos quando foi fotografado e foi deportado no mesmo momento. Então expulsem os imigrantes brasileiros daí para verem o que acontece, façam isto à força se for possível, nenhum brasileiro vai aceitar isto, nos consideramos como seres humanos, consideramos o povo Português como seres humanos, e exigimos tratamento equivalente.

    O que eu tenho a dizer a vocês é que desafiem o mundo então, mandem embora os imigrantes, discriminem quem quiserem e vão ver como o problema interno de você vai aumentar, os imigrantes não vão sair daí facilmente, não vão sair à força, se quiser uma guerra cível, podem começar hoje mesmo, se quiserem atrair o ódio dos africanos, dos brasileiros, enfim de todos os imigrantes, estão livres para tornar o mundo de vocês insuportável.

    Não existe a menor chance das idéias nazistas colocadas aqui sejam aceitas ou que aconteçam, é pura bobagem radical, cujo resultado será nulo, aliás, a conseqüência vai sim ser o aumento da criminalidade, o aumento da antipatia a Portugal no mundo todo.

    As idéia idiotas de vocês não tem a menor chance de acontecer, o único resultado disto é que vocês vão morrer mais cedo de tanto ódio sem qualquer sentido, se alguém quiser dar um soco em alguém, se prepare para levar também, as coisas não acontecem de graça.

    Portugal não é um grande país, nem em desenvolvimento, nem militarmente, nem em população, na Europa, não tem expressão quase nenhuma, os brasileiros nem preferem Portugal, preferem os EUA, preferem a Inglaterra, a identidade com o povo Português a cada dia diminui e com estas idéias defendidas aqui a separação vai ser completa.

    Se eu simplesmente espalhar a outros brasileiros aqui (coisa que eu não vou fazer), metade do que vocês pensam, vai sim ter uma revolta nacional, vai sim ser alimentado o ódio, e eu não acredito que isto seja bom.

    Não sei se perceberam, mas eu sou uma pessoa muito paciente, apesar de eu me sentir atacado aqui, apesar de aprender que ser Português não é obrigatoriamente sinônimo de inteligência, eu estou sozinho respondendo às suas questões, tentando simplesmente trocar idéias para entender o problema de vocês, e estando aberto para saber o que vocês tem de bom, o ruim é que com raras exceções, alguns querem conversar, os outros só querem mostrar umas teorias racistas completamente loucas sem pé nem cabeça. Ou idéias antigas sobre raça ligadas ao NAZISMO.

    Não acredito que Portugal seja assim, não acredito que os Portugueses sejam assim, não acredito que estas idéias vinguem.

    Ao idiota, imbecil, paranóico que me chamo de imbecil, é lógico que raça não se define pela cor da pele seu burro, eu sequer me referia a raças, não se define por tamanho de nariz, não se define por nacionalidade, não se define por religião, não se define por orientação sexual, não se define por nada. Eu sei qual é a origem dos que foram presos, sei que não podem ser classificados como negros mesmo no seu pensamento racista

    SEGUNDO TODOS OS ESTUDOS CIENTÍFICOS ATUAIS, NÃO EXISTEM RAÇAS ENTRE OS SERES HUMANOS, NÃO EXISTEM RAÇAS SUPERIORES, NEM RAÇAS INFERIORES, NÃO EXISTE NENHUMA CLASSIFICAÇÃO SOCIAL QUE POSSA SER ACEITA DE MANEIRA CIENTÍFICA, QUE DETERMINE RAÇAS

    Eu acho que teria o mesmo resultado se eu tivesse dizendo isto para mulas, acho que elas seriam mais receptivas que os NAZISTAS travestidos com o nome de NACIONALISTAS.

    O que eu percebi aqui, é que muito Português gostam de se passar por brasileiros, porque isto, o Português do Brasil (que é o mais falado no mundo), tem diferenças do Português de Portugal, para mim é muito fácil identificar, creio que para os Portugueses também seja.

    Se vocês não querem entender o porque de pessoas que nascem e que estão legalmente estabelecidas, não querem se aceitar como Português, o que eu posso agora perceber é que eu já sei, e eu não teria um filho em Portugal, poderia ter em qualquer lugar da América, qualquer lugar da Europa, qualquer lugar da África, qualquer lugar da Ásia mas hoje tenho certeza absoluta que não quero me identificar com um povo que se demonstra louco, paranóico, com idéias que não tem a menor possibilidade de ser executada. Se não existem raças entre seres humanos, existe a estupidez dos indivíduos, eu não acredito que o Português em geral seja tão burro, tão mal educado e tão imbecil.

    Pelo que eu vi aqui, eu sentiria vergonha em ser Português e entendo porque os Cabo-Verdianos não querem ser Portugueses, talvez queiram ser melhores, talvez queiram se identificar com povos que sejam humanos e que entendam que todos aqui um dia vão morrer e que esta historia imbecil de nacionalismo, não passa de uma doença mental.

    Que me desculpem os Portugueses que não aceitam estas idéias ridículas provindas de gente doida, com justificativas imbecis.

    Abraços aos Portugueses pacíficos, abraços aos Africanos, nas próximas férias talvez eu vá visitar a África, depois passe na Alemanha, parece que lá tem pessoas mais civilizadas.

    CBR e Vera, me desculpem, fiz somente um desabafo, vocês são pessoas inteligentes que sabem conversar e tentar entender o que os outros dizem, acredito que a maioria dos Portugueses seja de gente pacífica.

  154. POBRE WSA... diz:

    QUE APELÃO…

    HUAHUAHUAHAUA

  155. Ei, eu não sou portugues diz:

    Apenas acho a grafia de portugal mais bela.

    tipo: correcção.

    sacas???

    só acho o sotaque deles um pouco ” rápido demais”!!!
    Brasileiro fala bem melhor articulado e compreensível, já eles falam meio enrolado, mal-articulados e apressados dando a impressão de tentativa de descarga de ansiedade compulsiva!!!

    Eu até acho o sotaque portugues bomitinho, mas prefiro a grafia deles!!!

  156. Desculpem, mas a tecla m esta do lado da n diz:

    bonitinho

    Vera, basta apenas colocar as correcções e não o todo sacas?

  157. Esse blog é "meio" polemicista e sensacionalista diz:

    Mas a indústria da mídia infelizmente vive de polêmicas…

  158. As pessoas aqui descarregam mais suas frustrações diz:

    e nem precisam pagar psiquiatras

    huahuhahuah

  159. Cbr diz:

    Caro WSA, não tem que pedir desculpa, eu compreendo que muitas coisas que se dizem aqui o irritem; eu não me leve a mal, sou nacionalista, mas não sou fascista caramba! Eu simplesmente, gosto de Portugal.
    Mas o senhor agora pelo seu desabafo, reparou como meia de duzia de portugueses ja o puseram a dizer mal de Portugal e dos portugueses. Agora talvez compreenda mais facilmente que muitas das pessoas que aqui falam mal de africanos ou negros, o façam! Muitos ja foram insultados ou roubados por alguns em Lisboa…O principio motivador é o mesmo! Um abraço

  160. Bem, a elite lisboeta tirou proveito de todos nós diz:

    e ficamos aqui feito trouxas um metendo o pau no outro como se fossemos cegos e acéfalos!!!

    A elite de Lisboa explora tanto os lisboetas pobres quanto outras regiões de Portugal e ainda assim ainda acha-se no direito de nos jogar uns contra os outros.

    Tudo bem, somos livres para lutar por nossos interesses, mas ao abafar os interesses alheios, poderemos estar a assinar a nossa propria pena de morte e a seleção natural não perdoa nenhum deslize sequer!!!

  161. SINCERAMENTE?? diz:

    Eu prefiro o Porto, e acho que o Norte de Portugal e a Galiza unidos se tornariam um ótimo país – nada contra Lisboa, mas só acho que o Porto é injustiçado à ter que se submeter geopoliticamente a Lisboa!!!

  162. Wanted diz:

    WSA disappeared. Widely rewarded anyone able to find him.

  163. António Marcelo diz:

    O ultra-nacionalismo é uma doença contagiosa. Os fogos que estão a queimar os vizinhos espanhóis aproximam-se de Portugal.

    Na Galiza existe um partido (NÓS UP) que deseja romper Portugal em dois estados, a independência de Espanha e unir-se com o norte de Portugal. Nas duas últimas eleições apenas obtiveram 1.700 votos.

    A esmagadora maioria dos nortenhos (59%) votaram NÃO no referendo de regionalização de 8 de Novembro de 1998.

  164. Vera diz:

    “Vera, basta apenas colocar as correcções e não o todo sacas?”

    Quando as correcções são muitas, o melhor é fazer tudo de novo., em vez de remendos. Sacas?

  165. Portugal X Brasil diz:

    Grand jogo ó pá!
    Vamuxxxx veire si u Crixxtianu Rrrúnaldo ixxxtá nu mexxxmu nível du Kaká!

  166. Caturo diz:

    WSA Says:
    Fevereiro 5th, 2007 at 10:51 pm
    PP&I
    Quanto aos desenvolvimentos tecnológicos que desfrutamos, não foram os Chineses, nem os Japoneses, nem os Africanos e MUITO MENOS OS PORTUGUESES, o que será que você fez para o desenvolvimento tecnológico meu caro?

    Que conversa tão ridícula, a deste WSA. Agora tenta o ataque pessoal «subtil»…
    Ora nem o PP&I nem qualquer outro «racista» estavam aqui a dizer-se superiores. O que se estava a dizer, e a provar com argumentos, é que os Ocidentais são mais desenvolvidos do que todas as outras raças, e isto é um facto indesmentível. E, se for preciso ir comparar pessoa a pessoa, então muito bem, vamos a isso, compare-se, em matéria de estudos, o PP&I com a esmagadora maioria dos brasileiros e dos africanos…

    As grandes invenções nem foram criadas na Europa,

    Foram sim. Vá aprender.

    se deram na América,

    Por parte de brancos de origem europeia, o que vai dar precisamente ao mesmo.

    no Brasil

    Idem.

    o avião (se bem que os Americanos não aceitem)

    Nem os Norte-Americanos nem ninguém de bom senso.

    na Argentina o Padrão de Cores das TVs,

    Brancos de origem europeia…
    De resto, a televisão foi inventada por um escocês.

    nos Estados Unidos a Internet

    A Internet, em França e nos EUA – por brancos, claro.

    e um monte de coisas, em Portugal??????

    Portugal deu novos mundos ao mundo. Infelizmente, cometeu o erro dfe inventar o Brasil cheio de negros…

    Até as caravelas foram copiadas das embarcações chinesas

    Até isso é mentira imbecil.

    Qualquer invenção que procurar no mundo, não se dá a um povo, é propriedade de indivíduos,

    Não está em causa quem inventou o quê, mas sim que povos é que inventaram e utilizaram certas novidades em larga escala, fazendo assim a evolução do mundo.

    As tensões nos EUA são muito menores hoje do que há tempos atrás, lá a tendência e desaparece, pelo viso de Portugal a tendência é de se tornar um país insuportável e se não percebe, a sua idéia de tensões não tem qualquer fundamento,

    O que tu dizes é que não tem qualquer fundamento. O racismo aumenta nos EUA. O caso de O.J. Simpson foi sintomático – e muitíssimo mais sintomático foi o procedimento de carradas de negros em Nova Orleães, que aproveitaram uma catástrofe natural para tentarem impor o seu selvático domínio afro-urbano sobre a cidade, atacando a polícia e os bombeiros com armas de fogo.

    Quando falei sobre a repressão ao que você chama nacionalismo e eu chamo de nazismo, funciona aqui, é só procurar os neo-nazistas colocá-los na cadeia e não poderão fazer absolutamente mais nada.

    Palavras da Nova Inquisição, cobarde e totalitária.

    Então expulsem os imigrantes brasileiros daí para verem o que acontece,

    Assim que pudermos, fá-lo-emos.

    façam isto à força se for possível, nenhum brasileiro vai aceitar isto,

    Problema dos brasileiros.

    O que eu tenho a dizer a vocês é que desafiem o mundo então, mandem embora os imigrantes, discriminem quem quiserem e vão ver como o problema interno de você vai aumentar, os imigrantes não vão sair daí facilmente, não vão sair à força,

    Vão, vão… se for preciso, é mesmo à força que saem. Mas é que saem mesmo. Ou então ficam… mas sete palmos abaixo da terra.

    se quiser uma guerra cível, podem começar hoje mesmo,

    Vocês é que querem uma guerra civil – porque querer obrigar-nos a aceitar dentro de nossa casa pessoas que não queremos cá, é estar mesmo a pedir guerra. Depois queixem-se… quem semeia ventos colhe tempestades.

    Não existe a menor chance das idéias nazistas colocadas aqui sejam aceitas ou que aconteçam,

    Logo se vê.

    As idéia idiotas de vocês não tem a menor chance de acontecer,

    Ver-se-á se vai ser assim ou se as tuas tretas ideológicas é que vão ser esmagadas.

    Portugal não é um grande país, nem em desenvolvimento, nem militarmente, nem em população, na Europa, não tem expressão quase nenhuma, os brasileiros nem preferem Portugal, preferem os EUA, preferem a Inglaterra,

    Óptimo. Então saiam todos daqui para fora o mais depressa possível. Não fazem cá falta nenhuma, só estão cá a arranjar problemas, na maioria dos casos.

    Se eu simplesmente espalhar a outros brasileiros aqui (coisa que eu não vou fazer),

    Faz lá o que te apetecer, estamo-nos borrifando para o Brasil.

    Não sei se perceberam, mas eu sou uma pessoa muito paciente,

    O que tu estás é irritado por seres constantemente desmentido. E a tua vontade era pura e simplesmente mandar-nos prender. Como não o podes fazer, limitas-te a repetir a tua estúpida cassete, e, derrotado, recorres aos ataques pessoais. É esse o escape da tua estupidez, da tua falta de ética, da tua assombrosa indigência cultural (aquela das cidades africanas há quinhentos anos serem tão desenvolvidas como Portugal… bem…) e da tua flagrante incompetência argumentativa.

    tentando simplesmente trocar idéias para entender o problema de vocês,

    Mas o problema é teu e só teu, porque tu é que não queres que nós estejamos aqui a expressar livremente as nossas ideias.

    Ao idiota, imbecil, paranóico que me chamo de imbecil, é lógico que raça não se define pela cor da pele seu burro,

    Pois, eu também já te ensinei isso, mas tu passas a vida a falar na cor da pele como critério de definição racial.

    NÃO EXISTE NENHUMA CLASSIFICAÇÃO SOCIAL QUE POSSA SER ACEITA DE MANEIRA CIENTÍFICA, QUE DETERMINE RAÇAS

    Existe sim, brasileiro, existe sim. A existência das raças é um facto que até as crianças de três anos percebem.

    Se vocês não querem entender o porque de pessoas que nascem e que estão legalmente estabelecidas, não querem se aceitar como Português, o que eu posso agora perceber é que eu já sei, e eu não teria um filho em Portugal,

    Óptimo. Por isso, é bom que o que aqui dizemos se espalhe em todo o Brasil, para evitar a vinda de brasileiros para Portugal. Porque nós, Portugueses autênticos, não aceitaremos os imigrantes brasileiros, ou os seus filhos (que forem mestiços ou negros) como fazendo parte do Povo Português.

    Nunca, jamais, em tempo algum.

    Pelo que eu vi aqui, eu sentiria vergonha em ser Português e entendo porque os Cabo-Verdianos não querem ser Portugueses, talvez queiram ser melhores, talvez queiram se identificar com povos que sejam humanos

    Ahahahahh. A solução, ó brasuca mete-nojo, é simples: metam os cabo-verdianos todos no Brasil, mas todos mesmo!, vejam lá não se esqueçam de nenhum, e pronto, acabou-se a chatice.

    e que entendam que todos aqui um dia vão morrer

    Tal como tu e as tretas do multiculturalismo, essa castração do carácter e da identidade. Nunca te esqueças disso.

    Abraços aos Portugueses pacíficos, abraços aos Africanos, nas próximas férias talvez eu vá visitar a África, depois passe na Alemanha, parece que lá tem pessoas mais civilizadas.

    E, com sorte, pode ser que algum alemão nacionalista te ensine o que é civilização a sério…

  167. Não se esqueçam que foram os africanos que introduziram o uso da enxada de ferro em Portugal, de acordo com um catedrátiuco da negritude brasileira! Ou seja, quando lá chegámos, com navios capazes de fazer navegação oceânica e armas de fogo, ainda não conhecíamos o ferro… Esta é de gargalhadas, mas está aqui, preto no branco!

  168. Eu acho que a questão aqui não é nacionalista diz:

    E sim contra os pobres!!!

    Os judeus só pensam nos interesses de Israel e são muito bem vindos aonde chegam(ESTA HISTÓRIA DE PERSEGUIÇÃO É MUITO MAIS LENDA URBANA); pretos como Pelé que ascendem socialmente e economicamente são tratados melhores que a grande maioria dos brancos por aí.

    Conclusão: A guerra de vc´s é contra os pobres e não contra os estrangeiros!!!

  169. Olha só, os nórdicos e eslavos do norte são irmãos de sangue diz:

    Mas por que inventaram os eslavos se biologicamente e geneticamente ambos são a mesma merda???

    Resposta: Economia.

    Se os eslavos fossem ricos como os do Oeste(e olha que eles são bem mais brancos que os mediterraneos), logo seriam nórdicos, mas como são inferiores economicamente, aí logo inventaram o termo eslavo do norte como subraça para separar os nórdicos ricos dos nórdicos pobres!!!

  170. Falou e disse tudoooooooo diz:

    É issaê!!!

    No sul do Brasil, a população alemã está proporcionalmente concentrada em Santa Catarina, mas mesmo assim Santa Catarina ainda perde em Pib e Idh para diversos outros estados…

    Como explicar tal facto???

  171. Agradece-se que não utilizem palavrões. Obrigado.

  172. São nos pequenos detalhes que conseguimos chegar a verdade diz:

    A mentira tem perna curta galerinha…

  173. O cara se desesperou com a verdade diz:

    E agora já tentou desviar com outro assunto

    hauhauuha

    amadores…

  174. Vera diz:

    WSA, parece-me que está a analisar o racismo como um fenómeno unilateral.

  175. Filha, antes eu tinha alguma dúvida diz:

    Hoje tenho absolucta certeza que é a grana.

    Portugues pobre em outro país é discriminado, tal como os imigrantes pobres são discriminados neste país!!!

  176. piloto diz:

    Sabem porque que os brasucas vem postular aqui?Porque tem inveja dos portugueses.

  177. PP&I diz:

    Quanto aos desenvolvimentos tecnológicos que desfrutamos, não foram os Chineses, nem os Japoneses, nem os Africanos e MUITO MENOS OS PORTUGUESES

    Deveras? E o que dizer de António Egas Moniz a quem foi atribuído o Prémio Nóbel da Medicina em 1945 pelos seus trabalhos sobre Angiografia Cerebral? E António Rosa Damásio, médico neurologista e neurocientista português que recebeu, entre muitos outros prémios, o Prémio Pessoa e o Prémio Príncipe das Astúrias de Investigação Científica e Técnica em Junho de 2005? E Rui Ponte, doutorado em Oceanografia Física do MIT e do Woods Hole Oceanographic Institution e que tem trabalhado na área da investigação oceanográfica e atmosférica analisando sobretudo os impactos das mudanças climatéricas, do nível e circulação oceânica e da rotação da Terra? Que dizer das várias empresas portuguesas que trabalham para a Nasa, ESA ou para outros clientes internacionais com o mesmo grau de exigência, como a Chiron ou a Critical Software? E o que dizer da YDreams que inventa jogos para telemóveis e os vende para mais de meia centena de mercados? E a participação de Portugal na Missão Discovery?

    Informe-se.

    Qualquer invenção que procurar no mundo, não se dá a um povo, é propriedade de indivíduos, você pelo que eu sei até agora não contribuiu com nada, portanto não pode atribuir a você o que pertence a outros.

    Mas eu reivindiquei algum avanço científico? O que eu queria dizer, e talvez não tenha sido suficientemente claro, é que não é em qualquer local e sob quaisquer condições que pode esperar-se o aparecimento de tais esboços científicos. A sua organização exige um esforço de reflexão que não é compatível com a vida do homem de África, para o qual a luta diária pelo sustento e abrigo imediato absorve todo o tempo e atenção. A ciência só desponta em estado relativamente adiantado da civilização, estado que o continente africano, o Médio Oriente e boa parte da América do Sul e da Ásia não atingiram. Daí eu afirmar que não temos nada a aprender ou tomar como modelo de outras civilizações ou culturas.

    As tensões nos EUA são muito menores hoje do que há tempos atrás, lá a tendência e desaparece (…).

    Não foi o racismo que desapareceu dos EUA. Foi o racismo institucionalizado. Lamento, mas não é a mesma coisa.

    Quando falei sobre a repressão ao que você chama nacionalismo e eu chamo de nazismo, funciona aqui, é só procurar os neo-nazistas colocá-los na cadeia e não poderão fazer absolutamente mais nada.

    Só se quiser colocar três quartos da população portuguesa na cadeia.
    Quanto ao resto, tenha paciência mas não me vou repetir. Releia os meus comentários anteriores.

  178. Sabe por que brazuca vem postular aqui??? diz:

    Por que se for postular la no Brasil vai preso, devido a falta de liberdade de expressão!!!

    Ao menos nisso vc´s ganham, porém só por que a UE mandou vc´s virarem democratas.

    Salazar que o diga…

  179. piloto diz:

    Viva Salazar!
    hihihihihihihihahahahahhauhauhauhau hurra,hurra,hurra

  180. piloto diz:

    O brasuca piolhoso quem é que te disse que eu estava em Portugal, o meu monte de merda?

  181. piloto diz:

    Ah,Portugal-2/brazil-0.
    hihihihihhahahahhauhauhau

  182. António Marcelo diz:

    WSA:

    Possuo argumentos suficientes para refutar os sofismas e as tolices que estás a apresentar, mas contrariamente a ti, tenho mais coisas a fazer do que escrever mensagens no computador. Para ti é muito mais fácil, sofres de uma febre epistolar, ficas na folga e como um disco riscado andas sempre a reproduzir a mesma pista. Já deves conhecer de cor todas as tuas ladainhas. És mais repetitivo que o bolero de Ravel, és um chocalheiro fala-barato. Devias era sair caminhar de vez em quando, amigo. É bom para as hemorróides.

    Havia num Fórum galego um indivíduo que tinha um trauma infantil por causa do ensino forçado dessa língua. Pertencia a uma família castelhano-falante da Corunha e para ele, o castelhano era sinónimo de progresso enquanto o galego era sinónimo de atraso. Segundo ele o desenvolvimento económico e a imigração maciça de estrangeiros que se adaptariam à cultura espanhola acabaria com a língua vernácula. Entrava em todos os Fóruns nacionalistas e mesmo na web do AGAL (a auto-intitulada Academia da Língua Galega de tendência lusista em oposição a RAG, Real Academia da Língua, de carácter oficial) e passava o tempo a dizer «Por el progreso de Galicia NO al gallego. SÍ al castellano»

    Nos primeiros meses a gente zangava-se muito com ele e discutiam duramente, mas afinal, conscientes da sua estranha obsessão deixaram de tomá-lo a sério e mesmo acharam piada nele. De ser um incómodo permanente passou a se converter numa sorte de mascote inofensivo. A sua cruzada fracassou porque as suas bufonarias converteram-no numa figura quase entranhável e muitos tiveram saudades dele quando desapareceu.

    Tu lembras-me também aquele indivíduo. Pareces-te com um pregador cristão a entrar numa mesquita (perdão pelo símil) para converter os infiéis. Aqui não vais converter ninguém. Semelhas um Dom Quixote a perseguir moinhos de vento e a lancear rebanhos de ovelhas e carneiros. Ocasionalmente és apoiado por algum Sancho Pança de serviço, mas a tua Cruzada não leva a lugar nenhum. Acabarás convertido noutro Pedro Gata (o cara de quem falava) e serás o bufão vindo de além do mar, o Carequinha do circo.

    «Se você acha que branqueamento de pele é evolução, eu acho que você não entende muito de evolução, meu caro, o branqueamento só aconteceu porque os negros já possuíam os genes que permitiram isto, e ainda hoje possuem os mesmo genes, então o que mudou? Aliás, muita gente aqui no Brasil vai as praias ou aumenta a ingestão de beta-caroteno para ficarem mais escuros, será que quando mudam a cor da pele estariam regredindo? Haja paciência para lidar com a burrice.»

    Não sou cientista, mas li algo no assunto. O cérebro é mais um órgão do corpo. Se umas raças são mais musculosas do que outras, mais altas, mais baixas, mesmo anãs, porquê com o cérebro não vai ser diferente? Estudos feitos nos Estados Unidos com a população local estabeleceram que o índice mais alto de inteligência encontrava-se na população de origem asiática, seguida pelos brancos. Os negros ocupavam o último lugar naquela escala. Com independência dos genes (também compartilhamos uma porcentagem elevada com os chimpanzés e não somos macacos), o exercício desenvolve os músculos ou qualquer outra faculdade frequentemente utilizada. O cérebro é também um músculo e foi amplamente exercitado pelos povos que abandonaram a África enquanto a cultura africana ficou quase estagnada.

    «Será que você está dizendo que a inteligência e a tecnologia de hoje se deve a somente à “raça” branca?»

    Estás a misturar alhos com bugalhos. Nunca disse que os únicos contributos à civilização provinham da raça branca. A imprensa, a pólvora, culturas tais como o arroz o milho, etc. demostram o contrário. Só dizia que os maiores avanços tecnológicos e sociais são atribuídos a povos de linhagem e cultura europeias. Chegada ali a Era Industrial, as nações asiáticas actuais estão a seguir o trilho marcado pelos ocidentais.

    «Se você é branco então, me diga quantos inventos você já fez? Será que foi você que inventou a lâmpada? Ou a roda? Me diga, se a tecnologia se deve à “raça” branca, qual a sua contribuição pessoal? (caso você seja branco). Se você não inventou ou não criou nada, somente está querendo atribuir a você de alguma forma coisa que você mesmo não fez, isto para mim é roubar dos outros o que não é seu.»

    E qual foi a tua? Descobriste o mar Mediterrâneo? O rio Amazonas? As margens plácidas do Ipiranga? Ouviste ali o zurro “retumbanti” do teu heróico povo? Desvelaste a identidade do teu progenitor? Tens o segredo da pedra filosofal?

    «… esqueceu da grau de evolução do Egito (cuja etnia era negra) em outras épocas? Será que esqueceu dos Maias? Será que esqueceu dos Astecas? Não sei se sabe, mas os escravos já tinham agricultura na época da escravatura e foram eles que ensinaram as técnicas de mineração para os Portugueses.»

    Continuas a confundir alhos com bugalhos. Onde ouviste isso? Na Universidade de Pretolândia? Essas mesmas parvalhices eram ditas por Malcolm X e pelos líderes dos Black Panthers americanos, Eldrige Cleaver, por exemplo.

    Os antigos egípcios não eram pretos. Pertenciam à etnia camita, aparentada com os berberes da África do Norte. Viste as estátuas, os baixo-relevos, as múmias. Eram negros? Os coptos, que conservaram traços mais puros (mesmo na liturgia utilizam a antiga língua) são um pouco mais escuros do que o resto dos seus conterrâneos miscigenados com árabes e turcos, apenas têm os cabelos mais crespos, mas pretos absolutamente nada.

    Os Máias, os Astecas? Por acaso leste a obra de Pessoa «Os Máias» e não sabes mais nada? As culturas precolombinas devido ao isolamento geográfico e a outras circunstâncias eram culturas estagnadas e se tivessem evoluído sem interferências estranhas teria sido a um prazo muito longo. Não conheciam a roda (os Astecas fabricavam brinquedos com elas mas não souberam achar uma utilidade mais prática), não tinham praticamente animais de carregamento (as chamas no Peru eram demasiado débeis e imprevisíveis), não tinham metais duros, bronze, ferro e derivados, apenas ouro e cobre, não podiam fabricar ferramentas úteis, só martelos e machados de pedra. Desconheciam a rotação das culturas e as suas terras em poucos anos esmoreciam. Socialmente, mesmo os mais civilizados não tinham ultrapassado o canibalismo (astecas) e os sacrifícios humanos em maior ou menor medida (astecas, máias e incas). Os “cenotes”, (antigos poços máias) encontram-se ainda cheios de esqueletos das donzelas lá sacrificadas e atiradas vivas.

    «Será que esqueceu que se o homem de pele negra, foi andando pelo mundo todo, foi preciso criar tecnologia, mesmo que rudimentar, para se vestir, para calçar, para andar, para caçar?»

    Muito rudimentar. Só existiram duas civilizações dignas desse nome na África, a civilização de Benim, no Oeste, e a civilização de Zimbabwe no Leste. Além da música e do desporto o contributo da raça negra à civilização é nulo. A convivência com os brancos mostrou-se impossível. Onde há pretos há delinquência e marginação. As independências dos países africanos, que não estavam absolutamente preparados para ela foram um fracasso. Só existe uma mínima burguesia negra nos Estados Unidos e as oligarquias procedentes das sociedades coloniais na África. Idi Amim, Macias, Obiang e o imperador canibal Bokassa são uma amostra. Se o Brasil não tivesse a metade da população branca encontrar-se-ia na mesma situação do Haiti, a primeira república negra no mundo. Não é “veggthathii” o que estou “dizendo”?

    Com uma perspectiva de séculos talvez aquela gente seja capaz de mudar, mas no entanto a experiência é clara. A Europa não deve seguir o exemplo da América. As consequências já estão a ser vistas na França. E em Portugal?

    Eis o paraíso multirracial que os políticos “progressistas” e os “tolerantes” tencionam nos oferecer.

    O Brasil fracassou como nação, é um modelo a não seguir. A alegada convivência racial é um mito. A maioria dos brasileiros vivem na miséria, a delinquência é moeda comum em todo o país, à excepção nos guetos e bairros residenciais onde vivem os ricos protegidos do resto dos seus compatriotas. Li há pouco tempo num jornal, que na cidade de São Paulo os mais ricos viajavam de helicóptero dentro da cidade, porque mesmo os carros blindados não eram seguros. E as crianças abandonadas, os chamados meninos da rua? Não é certo que quando o seu número se acrescenta demais são assassinados por grupos para-policiais que desse modo controlam a sua proliferação?

    «No Brasil as pessoas tem costume de tomar banho todos os dias,…»

    Nas favelas também. Tomam banho e duche a diário? Dispõem essas mansões de água quente e gás? Nesse clima cálido e húmido a gente não cheira mal? Faz favor, não me faças rir às gargalhadas. O meu maxilar vai se deslocar.

    E a destruição das florestas tropicais? A floresta do Amazonas era uma reserva ecológica para a humanidade. Um terço do oxigénio do planeta estava a ser produzido ali. Vocês são um perigo público. Reproduzem-se como coelhos e pretendem enviar à Europa o excesso de população. Os brancos são bem-vindos, mas o resto desse lixo não. Quando Portugal precisar de prostitutas e delinquentes lembrar-se-á do Brasil.

    «Quanto ao Brasil não ter futuro nenhum: Será que você tem alguma bola de Cristal? Mesmo se você tiver, eu não acredito em adivinhações, acredito em indícios e os indícios mostram que o Brasil vai sim se tornar uma potência e bla, bla, bla…»

    Não tenho uma bola de cristal, mas estou a utilizar a lógica. Vocês precisarão de muitas décadas ou mesmo centúrias. Talvez se o sul do país se separasse do norte e estabelecessem uma nova nação completando a falta de mão-de-obra com imigrantes do leste europeu, conseguiriam progredir. Na Bolívia, a província de Santa Cruz, povoada por brancos e mestiços está a tentar a segregação. Já estão fartos das palhaçadas de Evo Morales e dos dirigentes da maioria indígena. Um dos candidatos nas últimas eleições falava em voltar ao Império Inca e em suprimir o dinheiro.

    Não gostas de Giselle Bunchen e das modelos brancas brasileiras? Nem és capaz de apreciar aquilo que possuis. As mulheres brancas do Brasil são as mais lindas do mundo. Essa miscigenação de portugueses, italianos e centro-europeus criou um tipo de mulher único. Não estou a falar das pretas ou mestiças, faço-te agasalho delas. Não gosto muito das telenovelas nem das televisões brasileiras, mas costumo segui-las só por gozar da contemplação da beleza das actrizes e apresentadoras.

    Só pessimista com respeito ao futuro da espécie humana. Na minha opinião o maior problema da humanidade é o crescimento da população. Este incremento tem atingido proporções geométricas. Para amostra valem dois botões:

    Argélia 1.962: 9 milhões de habitantes. Ano 2.006: 32.531.853 habitantes.

    China 1.966: 700 milhões de habitantes. Ano 2.006: 1.313.973.713.

    Se no decorrer dos últimos 150 anos a industrialização do hemisfério norte tem quase acabado com as fontes de energia, petróleo, carvão, etc. as espécies marinhas, está a provocar um aquecimento global, buracos na camada de ozono, está a poluir o ar, os aquíferos e a acabar com as florestas, fornecedoras de chuva e oxigénio, o que aconteceria se todos os países atingissem o mesmo nível de desenvolvimento? Passado quanto tempo a humanidade cairia numa falência irrecuperável e o futuro seria apenas guerras, fome e miséria?

    Os países que obtiveram a independência nas últimas décadas melhoraram por acaso o seu nível de vida? Não são mais pobres, mais míseros e mas povoados do que eram antes?

    Neste contexto não admiram os grandes movimentos de povoação do sul para o norte, dos países pobres em direcção aos países ricos. Estes deslocamentos maciços não podem acabar. Acrescentar-se-ão. Essas pragas humanas comparáveis com as pragas de gafanhotos ou com a marabunta cairão ano trás ano sobre os aeroportos e praias do Ocidente. Ficar de braços cruzados e permitir essa entrada maciça é suicida. Os desequilíbrios mundiais não iam acabar por isso. As nossas sociedades seriam fortemente abaladas pelo impacto económico e social dessas invasões. Os bairros de lata e o ambiente das cidades do Brasil actual seriam um paraíso comparado com aquilo que nos esperava. Trazer o mundo para a casa se o mundo tivesse fome é a maior loucura e seria um suicídio social. Delinquência, ditaduras e guerras civis seriam as consequências. Os sentimentalismos de hoje serão os prantos de amanhã.

    O antigo assessor económico do Presidente Zapatero, actual candidato nas eleições da Câmara Municipal de Madrid, Miguel Sebastián, disse que Espanha podia sustentar sem problemas mais 20 milhões de imigrantes. Com uma Europa sem fronteiras por causa do Tratado de Schengen as consequências não só para Espanha, mas para os vizinhos seriam fatais. Iluminados assim estão a cavar a nossa tumba

    Prevejo infelizmente um futuro negro para a humanidade. A única solução racional seria um controlo férreo dos nascimentos e uma redução definitiva da população na terra a um terço da actual. Não fazer assim apenas trará fome misérias, guerras e talvez o fim da nossa espécie. As mentiras, os sofismas demagógicos e as esperanças vãs são parte do problema.

    WSA:

    A cada linha a mais que escreves, isso reforça mais o meu pensamento:

    No Blogue de Maquinazero WSA é o palhaço mais afamado.

  183. Anti-Caturice diz:

    Ó António Marcelo, se vocês são tão inteligentes assim, faz favor de explicar como, após um passado de vanguarda, após todo o ouro produzido no Brasil, (que no século XVIII era o maior produtor mundial) ter parado em vossas mãos, vosso país é o mais atrasado da Europa, não chega nem aos pés da Dinamarca e Holanda, países com população e território semelhante(em números) a Portugal! Enriqueceram os ingleses e ficaram na m….., e tem de agradecer aos outros países da Europa desenvolvida que vos ajudaram a sair desta situação!
    Quando da invasão pelas tropas de Napoleão, o degenerado e débil-mental Rei D. João VI e a corja de parasitas da corte FUGIRAM PARA O BRASIL, trazendo consigo toda a espécie de vícios e o parasitismo que até os dias de hoje corrói um país que tinha, e tem, imenso potencial!
    Transportaram milhões de negros para o Brasil, para a lavoura de cana-de-açúcar, numa época em que o preço internacional deste produto era altíssimo, encheram as burras de dinheiro, graças ao tráfico negreiro e a venda de produtos produzidos por mão-de-obra negra e agora revelam-se mais racistas que os ingleses!
    E o pior de tudo é que conseguiram ficar pobres depois disso, enquanto a Inglaterra ria-se a bandeiras despregadas da vossa parvoíce! Onde enfiaram o dinheiro, no c…, perdão, no ânus!
    A exploração parasitaria do trabalho alheio, primeiramente com os mouros (o verbo mourejar significa trabalhar) depois com os negros, foi a fonte geradora das vossas pretéritas riquezas, havendo a mudança deste sistema econômico, a vossa decadência começou.
    Milhares de seus compatriotas emigraram para várias partes do mundo, principalmente para o Brasil, aqui chegando com uma mão na frente, outra atrás, muitos deles analfabetos, transformando-se em sinônimos de garrafeiros!
    Não vejo autoridade alguma em vocês que justifique acharem-se superiores a quem quer que seja, vivem de um passado que não mais tornará, e nunca é demais lembrar, quem vive de passado é museu!
    Busquem a comparação com Holanda, Suécia, Dinamarca, não com o Brasil!
    Agora, para finalizar, e seguindo a linha de raciocínio de muitos de vocês, os holandeses e dinamarqueses são grandes potencias econômicas, e vocês não, porque eles são superiores etnicamente, ao passo que vocês são um bando de celtas misturados com mouros e judeus, que sempre viveram dos escravos, e desde o século XVII vivem de um passado que já não mais existe!

  184. Anti-Caturice diz:

    E, mais uma vez, já estou a cansar, vou lhes dar a solução para vosso problema:
    Encaminhem projeto de Lei para a Assembléia Nacional que determine o seguinte:
    Deverão ser afixados, em lugar visível, em todos os portos, aeroportos, terminais rodoviários e ferroviários de Portugal, cartazes com os seguintes dizeres:

    “É PROIBIDA A ENTRADA DE PRETOS E NÃO BRANCOS.
    VENHAM DE ONDE VIEREM!”

    Talvez isto ajude a resolver vosso problema!

  185. Cbr diz:

    Ouça. até agora a unica pessoa que vi comparar Portugal com o Brasil foi o sr.WSA. António Marcelo estava a referir o actual estado do Brasil. E aí não ha duvidas, Portugal está infinitamente melhor, ou assim não sendo, não teria sentido que todos os dias ca cheguem brasileiros à procura de melhores condições.
    Agora se quer comparar Portugal, com a Holanda ou a Dinamarca, força aí. A unica diferença será mesmo o nível de vida; De resto estamos a falar de paises que há muito perderam a sua identidade,se é que alguma vez a tiveram. Os fluxos de imigrantes que agora povoam estes paises e fazem deles gato sapato, so mostram a vontade dos seus governos em extinguir a sua identidade. Será isto sinónimo de progresso ou de retrocesso? A meu ver, é de retrocesso. Estes países só se afundam no lodo que a esquerda e a sua consequente perda de valores como a lealdade, a nobreza dos actos, o decoro, o bom senso, o respeito, o amor-proprio, etc, ajudou a criar. Como António O.Salazar disse, pouco antes de morrer, “temo pelos novos. Daqui por 40, 50 anos a Europa estará afundada economicamente e politicamente. Temo que países como Portugal desaparecam”.
    O senhor francamente só diz disparates. É mais um amigalhaço da globalização. Agarre-se a outras coisas homem. Faça da sua vida um contributo para que a humanidade não se torne numa pocilga.

  186. Vera diz:

    Sim, porque os pretos não são não brancos…

  187. Vera diz:

    Anti-Caturice, o nosso país não é mais avançado porque fracassou na revolução industrial. A monarquia, como na grande maioria das vezes, não soube dar conta do assunto nem sequer aproveitou as riquezas das Colónias para melhorar a vida do povo. Ao não acompanhar a Revolução industrial, foi o fiasco. O país foi ficando cada vez mais atrasado. Veio a república, que não conseguiu resolver o problema, a 1ª guerra Mundial só agravou as coisas. Veio a ditadura…o Estado Novo.. Máquinas?Tecnologia? nada comparado com a europa. Hoje? a prioridade de alguns partidos parece ser os estrangeiros que chegam para dar prejuízo… OS da ciÊncia, investigação, vão para fora.. Daí querermos travar a “fuga de cérebros”. Temos bons portugueses, o problema é que muitos não estão ao serviço do país.

  188. Anti-caturrice, cessa esse imundo asneiredo que te polui a boca mais ainda do que ela já está. Deixa lá os Portugueses viverem do que lhe apetecer, do passado se quiserem, e trata de ti, já que, se os Portugueses vivem do passado, os Brasileiros não têm nem passado nem presente de jeito. E estar a querer responsabilizar D. João VI por causa da vossa imbecil e obscena miséria, da vossa corrupção endémica, da vossa criminalidade abjecta, é mesmo típico de atraso de vida terceiro-mundista. Ora tenham mas é vergonhas nas ventas e assumam que se o vosso país é um buraco de esterco, a culpa é mesmo vossa.

    Quanto à tal «parasitagem« portuguesa, vê-se que não percebes corno do que falas. Os Portugueses sempre foram esforçados, senão no trabalho, seguramente na guerra, Por isso é que, com escassa população, controlaram o vasto território brasileiro e lançaram as bases para que viessem depois outros povos europeus fazer o que de melhor o Brasil ainda vai tendo.

  189. Anti-Caturice diz:

    Gostaria de respostas às perguntas que fiz!

  190. Ana diz:

    Isto é mesmo macabro….

    Só uma coisa: o facto deste tpo de discussões se passar na Internet, não desculpa os pontapés na gramática.

    A Língua Portuguesa é tua também!!! Não a assassines!!!!

    Como futura jornalista, nunca poderei compactuar com xenofobias, racismos. Mas o que realmente me mete medo num país que se diz desenvolvido, é a completa ignorância. Se eu pudesse dar bom-senso a todos os que justificam a miséria do nosso país pelo facto de termos cá imigrantes, dava.

    Quanto às opiniões aqui retratadas que parecem sair de um folheto do PNR, não vou comentar. De repente senti-me numa aula de História. E como eu sou uma portuguesa que se interessa pelo presente e futuro do país, em vez de estar a remoer em glórias passadas e a culpabilizar os imigrantes pela crise do país. vou trabalhar

    E tenho dito

  191. Vera diz:

    Para perceberes o presente e saberes como agir no futuro precisas de conhecer o passado. Senão, corres o risco de te acontecer o mesmo que o ao Sr. Bush e a alguns dos comentadores deste blog.

  192. Cara Ana, fico satisfeito que tu, como futura jornalista, afirmes nunca pode pactuar com xenofobias e racismos. Espero que consideres racismo o tipo de comportamento através do qual se ofende, ataca, insulta ou menospreza uma raça. Qualquer que ela seja, branca, ou preta.
    Quanto ao problema da xenofobia, já perdi a esperança que tu consideres que os portugueses têm o mesmo direito a defender a sua identidade cultural que os caboverdianos, os hindus ou os índios do Brasil…

  193. Anti-Caturice diz:

    Não disse “parasitagem” portuguesa, disse que quando o parvo D. João VI covardemente fugiu para o Brasil, levou consigo a nauseabunda corte que o acompanhava, esta sim, uma laia de parasitas da pior espécie, que influenciou sim, negativamente, o Brasil. Os problemas do Brasil são culpa dos brasileiros, é óbvio, agora que houve uma contribuição, por parte da classe dominante portuguesa, que transmitiu ao Brasil seus vícios, como o nepotismo, a noção de que trabalho é só para negros,etc, isso não se pode negar que houve. Por certo que isto não nos exime de nossas responsabilidades. Quanto ao vosso problema com imigrantes indesejados, é consequencia mais que natural, que populações de ex-colônias tencionem viver no país que os colonizou, principalmente pelo idioma, e também por factores sociais, não é problema exclusivo de Portugal, vejam o caso da França, e principalmente da Inglaterra, que tem imigrantes de todas as partes do mundo, sendo que alguns bairros londrinos são exclusivamente jamaicanos ou indianos. É algo que não devia vos espantar tanto, o que me espanta é que os ingleses, tidos como preconceituosos, estão se portando em relação aos imigrantes de maneira mais digna que muitos de vocês, sendo que muitos ingleses são filhos de jamaicanos, caribenhos, nigerianos, indianos, e nem por isso, deixam de serem cidadãos ingleses. Isto é um sinal de civilização!

  194. Vera diz:

    ” sendo que muitos ingleses são filhos de jamaicanos, caribenhos, nigerianos, indianos, e nem por isso, deixam de serem cidadãos ingleses. Isto é um sinal de civilização!”

    Er…se esse sinal de “civilização” não se desse por cá nós não reclamávamos tanto…

  195. Cbr diz:

    O que o senhor apelida de “portando de maneira mais digna” não será antes subjugação? ou “portando-se de maneira desvirilizada”? ou “portando-se como galinhas que fogem da raposa no seu galinheiro?” ou “falta de amor proprio?” ou “têm medo de perder a paz? (mal sabem eles para o que caminham).
    O senhor chame-lhe o que quiser. “O mais cego é aquele que não quer ver”. “Aqueles que vêm a semente do mal e a regam, no fim serão envolvidos nos seus ramos “

  196. Cbr diz:

    O senhor mora cá, em Portugal?

  197. Anti-Caturice diz:

    Meu caro Cbr, gostaria de saber como vocês poderão resolver o problema dos imigrantes que tanto vos incomodam. Expulsando-os, criando guetos, instituindo uma espécie de “apartheid”, proibindo a entrada de cidadãos pretos e não-brancos em Portugal, vejo que és uma pessoa sensata, entendo suas preocupações, afinal de contas, mesmo no Brasil há um forte preconceito contra negros e mesmo com nordestinos que emigram para o sul. Mas é uma questão extremamente complexa. Compreendo a sua vontade de preservar vossa cultura, mas será que os imigrantes tem tamanha força que conseguirão destruir uma cultura milenar, creio que não, e espero que não caiam no erro de culpar os imigrantes por tudo de ruim que acontece em vosso país.

  198. Cbr diz:

    Caro anti-caturice, já disse algumas vezes, que expulsar os imigrantes não é uma solução sequer a tomar em conta. Há muios que cncerteza serão pessoas bastante amáveis e honestas. O que sugeri, é que, quem vem para Portugal para estar à espera de viver do nosso sistema de segurança social, ou para se dedicar ao crime, ou com a mentalidade de que ja que vivemos numa “era multiculturalista” pode chegar cá e impor-se aos que ja ca estavam, então aí, lamento mas o multiculturalismo torna-se uma utopia; esses senhores deviam, naturalmente, ser convidados a sair.
    A criminalidade sempre houve em Portugal! Agora um facto é indiscutivel: desde que as fronteiras estão abertas o crime aumentou bastante, meu caro. Só refiro isto porque acho ser preocupante.
    Quanto à sua ultima questão, eu infelizmente receio bem que sim. è so uma questão de tempo, se o senhor reparar. As nossas taxas de natalidade são muito baixas e as pessoas hoje em dia já não ligam tanto a isso de preservar a cultura. Se vir o caso françês, vai ver que isto é mais ou menos verdade.
    Já me chamaram varios nomes, mas eu na verdade só quero que os meus filhos e os filhos deles mantenham a nossa forma de ser, a nossa cultura… No fundo nós todos, como seres humanos, não gostariamos de saber que nos imortalizemos de alguma forma?

  199. Tenho absolucta certeza de que esta discussão estúpida não há de nos adiantar em nada diz:

    Enquanto estamos a teclar, quantos novos marginais não estão a entrar em nossa terra???

    Outra: como evitar tanta emigração de portugueses a partir de melhor planejamento economico e social???

    Afinal, só o pragmatismo é que resolve e não palavras soltas na Internet!!!

  200. Cbr diz:

    Então e isso passará pelo quê, diga lá…

  201. Vera diz:

    Bolas, inventor de nicks, ainda não te fartaste? ainda duras?

  202. JAIR FONSECA diz:

    LIMA PERU 23 DE FEVEREIRO
    UNS DOS POUCOS DESCENDENTE DE PORTUGUESES EN PERUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUOLA SOU UM PERUANO MAS DESCENDENTE DE TATARAAVO PORTUGUES MAS JA NAO TEMOS CONEXAO EU NAO ACHO Q SOU PORTUGUES PORQUE MINHA SANGUE JA TA MIXTURADA MAS FICA ALI . MAS TENHO COSTUMES E FALO PORTUGUES

  203. vitoria diz:

    vcs os portugueses são dignos de pena…

  204. Cara Vitória, o que é que uma alemã como você faz num desbate destes????

  205. loucos! diz:

    sinceramente tenho vergonha como ser humano!não sabia que as pessoas que pensam como a maioria de vocês tivesse a coragem de exprimir tão mediocres pensamentos (estamos em pleno século xxi), tenham vergonha na cara!!

  206. carioca diz:

    Eu sou brasileiro, sempre gostei de Portugal e das coisas portuguesas, entendo o desconforto dos portugueses com a grande quantidade de imigrantes em terras lusitanas, embora não se deva esquecer que os portugueses estão espalhados, como imigrantes por quase todo o mundo, mas dito isso, incomodou-me, já me vão dizer que os incomodados que se mudem, mas continuando , decepcionei-me com a quantidade de opiniões que, mais que xenófobas, são preconceituosas e discriminatórias, isto é muito triste e significa talvez que Portugal está a mudar muito e para pior, custa-me a crer que as opiniões aqui relatadas representem o pensamento médio portugues, se assim for, estão a trilhar um mal caminho, que vide o que ocorre em outros países, na própria Europa, não levará a bom termo. Peço a todos que meditem sobre o assunto, espero muito mais de um povo que deu novos mundos ao mundo.

  207. Jean diz:

    o nacionalismo incorporado….
    sem limites, sem razões….

  208. ML diz:

    Carioca, felizmente as pessoas que pensam como o autor e maior parte dos comentadores deste blog, são uma minoria na sociedade portuguesa. Portugal pode estar a ir por muitos maus caminhos, mas pelo do Nacionalismo/Xenófobo não é. Um abraço.

  209. PORTUGAL VAI ACABAR ASSIMILADO PELOS IMIGRANTES diz:

    ACORDEM PORTUGUESES!!!

  210. raquel santos diz:

    sobre a america latina

  211. DeutscheBrasilianer diz:

    Sou brasileiro, sulista, moro em Blumenau, SC. O Brasil só é o que é graças à imigração européia. Os melhores IDHs estão no sul (população majoritariamente euro-descendente), e praticamente o PIB de São Paulo (com a cidade mais italiana do mundo, e no censo com uma população 70% branca), que é de vital importância para o Brasil.

    Resumindo, se separassemos o “Brasil branco” do “Brasil pardo”, o “Brasil pardo” seria uma Bolívia, ou até algo pior. Claro que haveria de fazer-se uma limpeza nos subúrbios de SP… empurrando a nordestinada parda pra fora.

  212. DeutscheBrasilianer diz:

    A junção Sul/SP seria a solução… melhor PIB (que carrega o país nas costas) e melhor IDH (nível leste europeu)… E de quebra nos livrariamos desta política imunda e deste Lula nordestino de merda!!
    Pagamos impostos e mais impostos, que vão pros bolsos destes políticos espertalhões, e também para sustentar as esmolas aos nordestinos, pobres flagelados, arruinados afro-descendentes… pff

    SUL LIVRE JÁ!

  213. Só que este teu sonho é impossível de acontecer. Melhor você cair na real e sair do Brasil e ir para a sua Europa branca, a ver se lá o tratam melhor. Por mais nórdico que você seja sempre será um imigrante sul-americano, que está roubando um posto de trabalho ao germânico legítimo. Quanto aos impostos eles não caem porque a Federação Brasileira de Bancos não quer. Por isso mesmo ela pressionou os parlamentares para rejeitar o projeto do nordestino, Deputado Flávio Rocha, do Rio Grande do Norte. Se aprovassem, da Febraban não sairia mais um único centavo para as campanhas. De medo de ficar sem dinheiro é que deputados e senadores rejeitaram o projeto. Lula em 2002 só ganhou porque Serra não teve este segundo plano real para fazer-se vencedor. Deixe de ódio porque a mão-de-obra barata dos nordestinos é interessante para vocês do Sul. De mais a mais os nordestinos já estão deixando São Paulo por vontade própria.

  214. Mais: no Brasil nem a Família Imperial é racialmente pura. Depois que o Christian Settipani aplicou a epigrafia como ciência auxiliar da genealogia, as genealogias das casas reais européias se entroncaram nos faraós do Egito, que se casaram com princesas negras, da Núbia. Logo, não se tome assim de ódio pelos mestiços, porque você ser um deles, mesmo com a sua autoproclamada origem germânica.

  215. Na última frase ficou faltando o verbo poder: ”pode ser um deles”.

  216. DeutscheBrasilianer diz:

    [i]“Só que este teu sonho é impossível de acontecer. Melhor você cair na real e sair do Brasil e ir para a sua Europa branca, a ver se lá o tratam melhor. Por mais nórdico que você seja sempre será um imigrante sul-americano, que está roubando um posto de trabalho ao germânico legítimo.”[/i]

    Apesar da dupla cidadania, sabe que minha identidade não é convictamente européia, mas também tenho plena ciência de que não sou um brasileiro como você, minha identidade é para com os países do cone sul, países como Uruguai e Argentina, de população majoritariamente euro-descendente, com IDH ótimo, e mais civilizados.
    Prefiro minha identidade teuto-brasileira, o orgulho de ser filho de imigrante alemão.
    Esse trabalho (de imigrar para países como Portugal) compete a vocês, nordestinos flagelados, afro-descendentes arruinados, vocês são os que imigram, pois até qui são tratados como lixo, são a escória, e em qualquer lugar do mundo serão, não adianta… melhor voltares para o sertão da Bahia, ou de qualquer outro estado arruinado do nordeste, ficar quietinho lá, coletando lixo ou sei lá o quê.

  217. Obrigado pela sugestão, mas eu vou ficar onde estou mesmo. Aqui no Brasil, minha pátria amada, estremecida, que eu tanto amo com toda a veemência. Tem quinhentos anos que os meus antepassados chegaram aqui. Os seus chegaram há quase 200 anos. Sugeri que você fosse para a Europa, porque lá você viveria entre civilizados, embora seu porte nórdico não fosse suficiente para o livrar dos skinheads alemães, que começaram a perseguir até mesmo os seus compatriotas do lado oriental, mesmo só tendo decorrido 37 anos de separação (1945/1992). Agora quanto a sua sugestão de ir para o Nordeste, eu a dispenso, até porque várias partes do Nordeste como o oeste da Bahia e o semi-árido já foram ocupados pelos ”deustche brasilianer” aí do sul, que foram em busca de novas fronteiras agrícolas, sem se preocupar se os estados do Nordeste são flagelados, arruinados ou sei lá o que. E lá eles estão prosperando.

  218. DeutscheBrasilianer diz:

    Devo lutar pelo MEU país, o sul!
    Tenho identidade, sou da etnia TEUTO-brasileira, não preciso imigrar… Apenas lutar pela liberdade do meu “país”.

  219. Ainda respondendo: a sua idéia de separatismo é impossível de se concretizar, pois não só a Constituição do Brasil o impede, ao prever a indivisibilidade do território nacional (cláusula pétrea), mas a política, o poder econômico e a mídia são contrários. Depois o que acontecerá com os sulistas que estão no Nordeste? eles vão querer regressar ao sul uma vez separado o Brasil. E vocês acham que depois que o Governo Brasileiro investiu milhões na construção de Itaipu, nós vamos deixar esta hidrelétrica para vocês graciosamente? E depois, os baianos ainda não esqueceram o genocídio de Canudos, em 1897, perpetrado por tropas do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná, quando os soldados degolaram até mulheres e crianças. E as matérias primas das outras partes do Brasil, vocês acham que as terão de graça depois da separação? Como estrangeiros que passarão a ser, terão de pagar por elas. Além do mais há a questão do reconhecimento internacional. Para o Timor Leste, ocupado pela Indonésia, se tornar independente, foi uma vida, apesar do genocídio que lá se verificava. Durante anos a comunidade internacional ignorou o sofrimento dos timorenses orientais. É mais fácil esses países reconhecerem a soberania de um território indígena do que a de uma região que faz parte do Brasil desde antes da Independência.

  220. DeutscheBrasilianer diz:

    “…seu porte nórdico não fosse suficiente para o livrar dos skinheads alemães…”

    Por acaso nunca viste meus cabelos doirados, ou meus olhos azuis, ou minha pele e traços, nem se quer uma lasca de unha, (ainda bem! xD) para afirmares isto.

    Neste caso, a solução seria ficar de boca fechada.

  221. DeutscheBrasilianer diz:

    Bah!
    Já pagamos a cada dia, somos nós que pagamos as esmolas dos nordestinos arruinados…

    Além do mais, o aqüífero guarani está situado nesta área, em nossa área… prederiam uma reserva aqüifera muito importante… bah! sem o sul, o resto não passaria acho que nem de Bolíva.

  222. Em verdade eu não te conheço, mas da mesma forma que eu posso presumir que você seja um nórdico, pelo nickname adotado, vc também pode presumir que eu sou um negro retinto, e será se sou mesmo? Você citou o aqüifero guarani, mas numa campanha de independência vocês teriam de dá-lo em garantia aos credores internacionais, para receber um empréstimo que pudesse fazer frente a todas as despesas que uma campanha separatista exige, ou será se os soldados não se alimentam, os veículos militares não se movimentam sem combustível, ou numa guerra não se tem de fazer a propaganda para ganhar a opinião pública? Concluo dizendo que é uma luta inglória. Os Farroupilhas chegaram a essa conclusão em 1845, quando fizeram a paz com o Império. Se vc conhece História deve saber que um dos motivos da guerra foi o governo imperial ter-se recusado a taxar as importações do charque argentino e uruguaio, devido ao fato de este entrar a preço mais baixo no mercado brasileiro. As outras províncias do Império não aceitaram que se taxasse pois o produto nacional (isto é, do Rio Grande do Sul) era mais caro devido à inferioridade das pastagens em relação às uruguaias e argentinas, e ao trabalho escravo, contraposto ao trabalho assalariado naquelas repúblicas.

  223. Estive lendo a polêmica acima, e me ocorreu lembrar que todos os países da América Latina, Brasil inclusive, tiveram, para se garantir a independência, de contrair vultosas dívidas externas. Não sei se hoje isto seria possível, pois os bancos internacionais têm muitas ligações com os governos. Mesmo que assim não fosse, no caso de ocorrer uma guerra de independência no território que deseja se libertar, só para reconstruir a infra-estrutura seria necessário recorrer aos recursos externos. E é aí que reside o perigo. As agências internacionais têm classificação de riscos, desde AAA até D. Quanto maior for o risco, piores serão as condições de um empréstimo internacional. De qualquer modo é um assunto polêmico este do separatismo, de que nem as nações mais desenvolvidas se livra. A França, a Grã-Bretanha, a Itália, o Canadá são países desenvolvidos que têm fortes movimentos separatistas.

  224. DeutscheBrasilianer diz:

    Sou muito orgulhoso de ser um teuto-brasileiro, pelo meu fenótipo nórdico e pela qualidade de vida em meu estado… talvez o que nos restaria seia uma unificação com a Argentina ou algo parecido…
    Mas bah, fui longe hein… mas não entorpeçamo-nos, um dia o sul será independente… Pela bravura de nosso povo teuto-descendente sei que sim.

  225. O sul de fato tem o melhor IDH, mas a maior produção de riquezas está no Sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Mais da metade do PIB brasileiro está no Sudeste. Cor da pele nesse caso não é determinante. O Centro-Oeste está a se fazer uma área agrícola importante, e os sulistas já perceberam isso. Ou seja, que o Centro-Oeste tomará do sul a posição de segunda região em importância econômica no Brasil. Melhor é se render às evidências.

  226. Carioca diz:

    Incrível!Não estávamos adebater sobre Portugal? O que aconteceu? Que invasão foi essa patrocinada por este nazistóide que se intitula “dói tche” ou coisa semelhante? Recomendado ao indigitado que leve sua dor para outro canto, os germânicos discriminam portugueses, espanhóis e mediterrâneos em geral, portanto “Vade retro” satanás, ninguém pode ser duas coisas, se quer ser, é porque nenhuma é…se é para falar em inferiores, estes foram os antepassados do Hitlerzito que indo ter ao Brasil, país mestiço, deixaram de ir ao Canadá, Estados Unidos, Austrália e mesmo a Argentina e Chile, talvez por sua própria inferioridade em competir com pseudo-iguais, teutônicos? É os tomates, apenas ralé e o seria em qualquer país, como aliás está claro pelo vocabulário do indivíduo que sente dor.
    Por fim, só resta acrescentar que, embora o nome, sou gaúcho e o catarina sabe muito bem que, para nós, inferior é ele e mesmo na piada racista, que diz que Santa Catarina separa o Rio Grande do Sul de toda a porcaria que vem em cima, esta seria a única função deste estado. Tire o cavalo da chuva, dolorido, nós nunca nos juntaremos com vocês.

  227. DeutscheBrasilianer diz:

    ashuahsuashuashuahsua
    Dando uma de gaúcho agora? Sei que o és! hahaha
    E quando foi que eu disse que SC separa o RS da porcaria…
    Até estimei o valor de SP, o PIB.

    E outra, o Brasil é terra de ninguém, posso fazer daqui minha terra, região onde predomina os teutônicos…
    Brasileiro é apenas rótulo, mas ao fim, cada brasileiro tem sua essência.
    Dos que não tem e/ou a desconhecem, são os ralé, que vão pra Portugal e outros países mais. xD

  228. Deustche Brasilianer: Já existem muitos teuto-brasileiros que se casaram com famílias açorianas. Eu possuo o livro ”Pamplonas em Santa Catarina”, de Nélson Vieira Pamplona, que é filho de catarinense oriundo de açorianos e de uma teuto-brasileira. O direito de sonhar com uma pátria livre é incontestável mas pense que para obter isso o quanto custará, pois o País Basco, que nada tem a ver com a Espanha, ainda não conseguiu. Os Curdos também não, e convenhamos, eles são em muito maior número do que os teuto-brasileiros, que para manterem a identidade teriam de ir casando entre si, e só entre si. Digo que a luta para se separar do Brasil será inglória, porque não é de interesse dos grandes conglomerados financeiros, nem da mídia e muito menos dos políticos. E os gastos excessivos que uma campanha destas gerará para a população que quer se separar? Vc já pensou? Ainda que a separação se faça por uma guerra vitoriosa, por certo haverá necessidade de reconstruir a infra-estrutura destruída durante a guerra. E isto custaria dinheiro, talvez a renúncia ao aqüífero guarani em benefício dos banqueiros internacionais. Outra questão é que dificilmente o Brasil abriria mão de Itaipu, que tanto custou aos cofres públicos e a tantos sacrifícios obrigou todos os brasileiros. Por fim, devo lhe lembrar que a situação de o voto dos nordestinos, dos amazônidas e do Centro-Oeste valer muito mais do que o do Sudeste e do Sul, foi criada por um teuto-brasileiro típico, o Presidente Ernesto Geisel. Por isso, nós com uma população muito maior, somos sub-representados em Brasília. Para resolver isso passaria por uma mobilização de todos os sete estados do sul e sudeste. Saudações.

  229. Martins diz:

    Há muito não via tanto preconceito, tanta ignorância junto. Portugal, agora parte da Europa, quer esquecer o quanto já se meteu pelo mundo e fechar as portas para nacionalidades e etnias que em outros tempos eram as de seus ‘anfitriões’, como se as dívidas não fossem dele. Xenofobia, Racismo, Brutalidade. Como desdenhar da Alemanha Nazista? Mais corajoso e honesto seria apoiar publicamente. Ê povinho que não garante as calças que veste.

  230. Alex diz:

    Sr. Martins já reparou na língua com que estamos a comunicar? Se esses povos são tão zelosos da sua identidade, porque não podermos ser nós, os Portugueses da nossa? Querem que paguemos pelos erros do passado?? Todos os “meninos-coitados-marginalizados-do-bairro-social” vivem muito, mas muito melhor cá, do que no seu país de origem, quer nos dias de hoje, quer no passado. O colonialismo já morreu há anos. Acabou! Deixem de lado a cantiga do coitadinho, porque homens e mulheres, portugueses e portuguesas como eu, que não se identificam com a cultura actual da extrema direita, não podemos de deixar de concordar com muitas das questões que são colocadas, nomeadamente pelo PNR. É sufocante vivermos com a pressão social do pensamento único. Na nossa sociedade ensina-se e cultiva-se o português a sentir vergonha do seu passado, enquanto que ao africano é desculpado o facto de sentir raiva dos “pulas”. Quem está mal que se mude. Gostava de saber porque não tem repercussão na imprensa portuguesa a perseguição que são alvos as portugueses em Angola, a extorção ao chegar ao aeroporto de luanda, a extorção por parte dos polícias. É vergonhoso. Se os angolanos gostaram tanto da independência porque não a concedem a Cabinda, que não é nem nunca foi Angola? Para terminar deixo os seguintes factos (Factos Reais!) à consideração de todos:

    – Durante o período da expansão portuguesa e europeia comercializaram-se homens como escravos. Eram os chefes africanos locais que os capturavam, na maioria das vezes às etnias inimigas.

    – A escravatura não foi invenção dos portugueses nem dos europeus. Esta já se praticava em África há séculos, com rotas definidas.

    – Porque é que se eu quiser comprar uma casa tenho de ter emprego fixo, arranjar fiador, pagar 300/400 ou 500 euros de renda enquanto “outros” vivem em habitações sociais camarárias e pagam a irrisória quantia de 10/20 ou 30 euros de renda??Setúbal,onde vivo, é a camâra municipal mais individada do país, essas habitações são uma parte considerável do total habitacional.

    – “Preto” significa racismo; “pula”não

    – Nunca se ouviu e viu um gang de africanos a roubar por terem fome. A não ser que se alimentem de Hondas Civic e FIATS Uno e Punto, telemóveis e de ténis da Nike.

    – Nunca, nunca, mas nunca se ouviu falar de um gang de portugueses, brancos a praticar assaltos constantes a negros: quer em comboios, quer nas ruas, quer em praias.

    – Estes jovens africanos que proliferam um pouco pelo nosso país, não todos mas uma grande parte, não sentem nenhuma raiva, descriminação ou racismo. Apenas gozam de duas coisas: De um completo sentido de impunidade, que uma franja da nossa sociedade insiste em suportar; e de um complexo de inferioridade para com os portugueses, que eles próprio terão de saber lidar.

    – Tomara todo o emigrante do mundo, nomeadamente o português na África do Sul, gozar da segurança, do bem-estar e das boas condições de vida que Portugal oferece aos emigrantes. E o que nos é reservado? Uma ingratidão constante, cega, burra e racista de uma franja particular de imigrantes, que falam a língua portuguesa.

    – Tudo isto são factos.

    – Agora vejam de que lado está a raiva e a razão.

    -

  231. Katiana diz:

    Olha Alex o Portugues tem uma vicio muito feio, que no meu país Angola usa-se muito que é “APANHAR A PATA”, por exemplo na Africa do Sul eles têm que ter um sul africano como sócio, isso é, o portugues la faz a sua vigarice, o Sul africano não gosta e por isso faz o ajuste de contas, mata, e isso acontece muito no meu país. O Portugues é muito cambalacheiro. Por isso quando não sabes a realidade que acontece quando o Portugues ta noutro país não digas nada…

    Em termos de nacionalidade, eu tenho um conhecido que vive ca desde os 3 meses, hj ele tem 26 anos, se dizem que depois de viveres 6 anos em Portugal adquires a nacionalidade Portuguesa, porque Portugal rejeita dar-lhe a nacionalidade? isso gostaria muito que explicassem.

  232. Há já uns tempos que não vinha a este posta – até porque a quantidade de comentários que tenho, na maior parte dos meus posts, imposssibilita que eu re-comente. Mas vou fazê-lo agora, respondendo a (um a um) alguns comentários que me chamaram a atenção

  233. Cara Katiana:
    Acho que está a cair no erro em que muitas pessoas caem, generalizando caracteristicas individuais de pessoas que você conheceu. O Luandino Vieira, por exemplo, que é angolano de origem portuguesa. e é um dos maiores escritores angolanos, também merece a sua classificação de “cambalacheiro”?
    Eu estive em Angola durante a Guerra Colonial, como soldado. Na minha companhia havia soldados angolanos, negros, de quem fiquei amigo – o que acontece a quem combate lado a lado. Perdi o rasto de quase todos, com excepção de um deles que, vários anos depois da independência, emigrou para Portugal. Já nos reencontrámos várias vezes, nos almoços de confraternização que o pessoal da companhia organiza, anualmente.
    Curisoamente, tenho um irmão que está em Angola. Tinha a vida dele organizada aí, e resolveu ficar depois da independência. Adoptou a nacionalidade angolana, foi mobilizado durante a guerra contra a Unita e é hoje um oficial de alta patente das Forças Armadas Angolanas. É cidadão angolano, mas de origem portuesa. Também o classifica como “cambalacheiro”?
    Você refere o caso de um amigo seu que vive cá desde os 3 meses de idade e diz que Portugal rejeita dar-lhe a nacionalidade. ISSO É IMPOSSÍVEL!!!
    Desculpará, mas há algo errado com isso. Primeiro, porque a lei diz, claramente, que um cidadão estrangeiro que viva cá há mais de seis anos e que fale a língua portuguesa, tem direito à atribuição da nacionalidade portuguesa

    O pedido de aquisição de nacionalidade pode ser apresentado em qualquer Conservatória do Registo Civil. Com as condições que o seu amigo tem, não há NENHUMA HIPÓTESE de o seu pedido de aquisição de nacionalidade ser rejeitado, A NÃO SER QUE TENHA COMETIDO ALGUM CRIME E TENHA SIDO CONDENADO A PENA DE PRISÃO IGUAL OU SUPERIOR A TRÊS ANOS.
    Portanto, se o seu amigo tem o cadastro criminal limpo e apresentou o pedido, não é possível que tenha sido rejeitado. Sugira ao seu amigo que contacte o Alto Comissariado para a Imigração, que eles dão apoio jurídico grátis, para resolver este tipo se situações.

    Já agora, se o seu amigo seguir a sugestão, faça-nos um favor: já que referiu o caso, aqui, diga-nos também o que é que o Alto Comissariado para a Imigração disse ao seu amigo…

  234. Caro Martins:
    Quando diz que, neste blogue, há “Xenofobia, Racismo, Brutalidade” e compara o que aqui é escrito com a Alemanha nazi, refere-se ao conteúdo dos meus posts, ou aos comentários de terceiros? É que, se a sua referência é ao conteúdo dos meus posts, desafio-o a CITAR UMA FRASE DE CONTEÚDO XENÓFOBO OU RACISTA. Frases brutais, no sentido de terem críticas fortíssimas, há muitas. Mas estão todas DENTRO DA LEI.
    Nenhuma das queixas que já foram apresentadas, junto do Ministério Público, contra este blogue e contra mim foi considerada precedente, até agora, pelo MP.
    A jurisprudência estabelecida determina que eu não sou responsável pelos comentários aqui colocados, embora, se detectar um comentário que viole a lei ou se alguém me solicitar, expressamente, que apague um comentário por constituir violação da lei -e se, de facto, o conteúdo desse comentário constituir uma violação da lei – eu tenha a obrigação de o apagar.
    O Ministério Público seguindo as linhas fundamentais dessa jurisprudência, reconhece que a liberdade de comentar é um dos atributos fundamentais do exercício do direito de Opinião na Internet – um direito constitucionalmente protegido e que nada pode coartar, diminuir, condicionar ou reduzir, “a anteriori”.
    O MP reconhece também que a Liberdade de Expressão, na “blogosfera”, tem atributos, formas e meios específcos de ser exercida. Daí que considere que, no caso de have comentários violadores da lei, caberá a quem se sinta atingido queixar-se, depois de solicitar ao responsável pelo blogue, que apague o referido comentário e caso este não atenda à sua solicitação. A jurisprudência estabelecida determina também que o responsável por uma página da Net, aberta a comentários sem quaisquer limitações, deve ter a preocupação de verificar, dentro dos limites da sua capacidade, se os comentários colocados na sua página são ou não violadores da lei e, caso ache que sim, deve apagá-los.
    Portanto, CITE LÁ UMA FRASE XENÓFOBA OU RACISTA, DA MINHA AUTORIA. Mande um email ao Ministério Público, com cópia dess frase. È suficiente para o Minsitério Público abrir um processo-crime, porque a defesa de ideias racistas é crime público. ACEITA O DESAFIO?

  235. Caro “negro brasileiro”:
    Falou pouco, mas falou bem. Só discordo da fiabilidade histórica dessa teoria, que faz entroncar as genealogias das casas reais europeias nos faraós do Egipto. Repare: não discordo da sua asserção, segundo a qual as casa reais europeias não são “raça pura”, se é que isso existe…. Há provas históricas de miscigenação de membros das famílias nobres portuguesas, incluindo as famílias reais, com mulheres árabes, aqui em Portugal. Não sei a tese específica da miscigenação com faraós do Egipto estará tão provada como isso.

  236. Caro ML:
    Faço-lhe o MESMO DESAFIO que fiz ao “Martins”: CITE LÁ UMA FRASE XENÓFOBA OU RACISTA, DA MINHA AUTORIA. Mande um email ao Ministério Público, com cópia desss frase. É suficiente para o Ministério Público abrir um processo-crime, porque a defesa de ideias racistas é crime público. ACEITA O DESAFIO?

  237. Caro carioca:
    Não vejo (nem eu próprio sinto ou penso isso). Vejo que a maioria dos portugueses encara a maioria dos imigrantes brasileiros com simpatia. Mas também vejo três factos concretos e reais, perante os quais as pessoas reagem, umas dentro da lei e do respeito que todo o ser humano merece, outras de forma extremista. Incluo-me nas primeiras.
    Esses dois factos são:
    1 – Portugal não pode abrir completamente as fronteiras a todos os brasilerios que queiram imigrar para cá. A disparidade populacional e geográfica é tão grande que, se isso fosse feito, pderiam vir para Portugal 1 ou 2 milhões de brasileiros. Concordará comigo que, um país com 10 milhões de habitantes, não pode absorver, num curto espaço de tempo – e falo de 5/10 anos – uma população imigrante que coresponde a 10 ou 20% da sua população total. Portanto, há que colocar limites ao número de imigrante (brasileiros e quaisquer outros) que querem vir para Portugal;
    2 – É indiscutível que um imigrante está sempre disposto a trabalhar por um ordenado inferior ao ordenado pago aos cidadãos do país para onde imigra (o que aconte, por exemplo, com os muitos milhares de portuguese que têm ido, nos últimos três anos, trabalhar na construção civil, em Espanha). E aí, a responsabilidade de combater este problema pertence às autoridade do país de acolhimento. Os espanhóis são muito duros na penalização de quem emprega imigrantes ilegais ou paga salários inferiores aos estabelecidos na lei a imigrantes legais. Em Portugal, somos de mais brandos costumes e fecham-se os olhos a isto, o que resulta negativo para os próprios imigrantes, pois gera algum ressentimento de quem não tem emprego, mas não está disposto a trabalhar por menos que o salário mínimo nacional.
    3 – Também é verdade que, entre uma larguíssima maioria de gente honesta e trabalhadora, vêm alguns marginais. O mesmo acontece com os portuguese que imigram para o Brasil – e estou a lembrar-me do Militão, o imigrante português que assassinou seis compatriotas seus para os roubar. O fenómeno dos assaltos nos semáforos e do “car-jacking”, por exemplo, é um fenómeno muito recente em Portugal e a maior parte dos indivíduos presos pela polícia, nos primeiros casos, eram brasileiros (hoje, a técnica já se “naturalizou” e os criminosos portugueses já a praticam também.
    Mas, em termos gerais, não há antipatia pelos imigrantes brasileiros, em Portugal. E as minhas opiniões pessoais, expressas nos textos que eu aqui publico, não vão nesse sentido. Não me posso responsabilizar pelas opiniões de terceiros! E, de facto, as opiniões críticas que aqui você viu, são de outras pessoas, não são minhas! E não correspondem, NEM DE LONGE ao “pensamento médio português”, como você refere.
    Não se esqueça – porque nós, portugueses, também não nos esquecemos – do que canta Chico Buarque, no seu fantástico “Fado Tropical”:
    “Guitarras e sanfonas
    Jasmins, coqueiros, fontes
    Sardinhas, mandioca
    Num suave azulejo
    E o rio Amazonas
    Que corre trás-os-montes
    E numa pororoca
    Deságua no Tejo…”

  238. [...] A Katiana desafia alguém a explicar-lhe isso. Eu comentei as acusações racistas e xenófobas da Katiana (para as quais chamo a atenção do Sr. Procurador-Geral da República…) e expliquei-lhe tudo, sobre a “alegada” recusa de Portugal em dar a nacionalidade ao seu amigo, aqui: [...]

  239. [...] e as políticas discriminatórias que roçam o racismo e a xenofobia. Veja este comentário meu, aqui. O que acontece com frequência é que basta um pessoa dizer que a imigração tem que ser [...]

  240. Camões diz:

    Se festejaram os golos de Inglaterra deveriam de ir para o caralho do país deles.
    A minha avó nasceu em Cabo Verde depois foi para a Angola e foi expulsa, depois do meu avô ter morrido em África, com a minha mãe que era criança só porque eram Brancas.
    Morte á Descolonização

    Os Pretos são (a maioria existem uns poucos aceitáveis, com valores) uns racistas e uns mal agradecidos.

  241. Camões diz:

    Atenção Portugueses! Europeus! Africanos! Extraterrestres Verdes e Linda Reis!
    Há aqui um Brasileiro que diz:
    Que o Brasil é um país pacífico
    Que os Portugueses não são Arianos (Arianos não são só louros de olhos azuis com ares apaneleirados, por exemplo os Persas e a esmagadora maioria dos Europeus são Arianos, tal como alguns Indianos do Norte, Afegãos etc. Pena que alguns sejam corrompidos pelo Islamismo)
    Que os Portugueses não são hospitaleiros (A pretalhada atingiu 1 milhão e ainda só um foi morto por motivos racistas, nós eramos menos em Angola quando começaram a decapitar Portugueses no Norte de Angola)
    Voçês têm tanta gaja boa no Brasil, só não deixem que os pretos as comam para estragar os genes á próxima geração.

  242. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx diz:

    CAMOES, leia cuidadosamente o que tenho para lhe dizer e reflicta se, certo/errado…
    Finalmente, voce acaba de revelar porque que tem tanto ODIO AOS PRETOS!
    Bem me parecia que havia aqui um FORTE SENTIMENTO DE REPULSA E VINGANCA OCULTO. Nao e por mero acaso que as pessoas reagem a determinadas situacoes (segundo dizem os psicologos). Eu lamento profundamento o que aconteceu com a sua mae em Angola! Na minha modesta opiniao, voce tem toda a razao!
    Mas, por favor, examine serenamente os factos que motivaram toda uma serie de acontecimentos que ocorreram no passado, em termos politicos, economicos e sociais! As convulsoes que explodiram com inicio em 4 de Fevereiro de 1961 conduziram a um processo de retaliacao ainda mais violento, onde morreram milhares de pessoas inocentes; Brancos, Pretos, homens, mulheres, criancas, velhos, etc. indiscriminadamente. Nao encontro qualquer justificacao pelo erros cometidos por uns e por outros, mas, muito sinceramente, ha muitas pessoas involvidas, que podiam ter evitado este genocidio, esta desgraca!… Infelizmente, a violencia gera violencia!condenavel, absolutamente condenavel, porem a quem atribuir culpas agora!

  243. Vocês fundaram este país.
    Se ele faliu como nação, aceitem o fato de que vocês o fundaram…
    Maldita hora em que vocês tiraram os negros da África, sintam-se culpados.

    Eu nao herdei seu sangue maldito. E sou branco, e muito orgulhoso disso…

    Vocês, europeus sujos, insultam a América, pois temem a dura realidade de que um dia seremos (e ja somos) muito mais poderosos do que vocês.

    Isso é fato, apenas aceitem-no… Mesmo roubando toda nossa riqueza natural de ouro e prata, somos um gigante país em ascenção. Cabem 10, não 20, porque não 30 portugais dentro de São Paulo, a quarta maior metropole do mundo.

    Seu dia chegarás, e verão toda a indignação que sucumbimos estes anos.

    Minúsculo e insignificante país, a nível de ser patético. Verás que de todo ouro roubado de nós custará seu sangue impuro.

    Não se julguem arianos, seus imundos.

    Principalmente, vocês falharam em papel de ser o fundador desse país…

    ORGULHO DE SER BRASILEIRO.

  244. D. Sebastião II diz:

    Nós tememos a América porque a Europa está a ficar cada vez mais parecida com a América.

    Egraçado estes desvarios Brasileiros, de coitadinhos, de colonizados…
    Façam-se Homens!
    O Brasil não passará de uma merda enquanto vocês continuarem a culpar os outros pelos VOSSOS erros. Façam-se Homens!

  245. Vany diz:

    Portugal n rejeita a nacionalidade a quem vive cá à anos, apenas existe uma lentidao no processamento dos documentos, nada mais

  246. Azerzino diz:

    Sou Brasileiro e falo a vocês. Hoje o Brasil é uma nação dominada pelo pensamento mediocre de que somos vítimas do exterior ou vítimas uns dos outros.

    Não é nossa culpa se nossa cultura privilegia a desonestidade e a violência. Não é culpa dos ladrões o fato de que roubem ao invés de trabalhar e lutar por melhorias.

    Se deixamos de ganhar algo, se não conseguimos o que queremos, não é nossa culpa e tampouco significa que nem todos possam ter. É culpa de alguem que tirou isso de nós.

    É assim qe pensamos, é assim que vivemos. Se os portugueses por acaso pensam diferente. EVITEM a chegada de mais brasileiros. Nunca um brasileiro vai se sentir bem no país de vocês pois, além de tudo isto, possuimos um nacionalismo besta de que somos o melhor povo (e melhores vítimas) do mundo.
    O Nacionalismo de vocês também é besta, mas pelo menos usem isso para se cuidar… (E não se esqueçam dos Portugueses que patrocinam a imigração e estão pouco se lixando para tudo isso).

  247. D. Sebastião II diz:

    Azerzino,

    “Hoje o Brasil é uma nação dominada pelo pensamento mediocre de que somos vítimas do extrior e vítimas uns dos outros.”

    Aí está uma grande verdade e um grande problema! Mas num país com cerca de 190 milhões de habitantes, há diversas formas de pensar, concerteza.

    “Não é nossa culpa se nossa cultura privilegia a desonestidade e a violência”
    Há diversos tipos de Brasileiros e o que é culpa de uns não é culpa de outros. Mas já que o Brasil se quer manter sob o signo de um povo (embora artificial) Brasileiro têm de assumir todos as culpas como povo. A cultura é o povo que a faz. Agora, num país como o Brasil em que há diversos povos, a cultura vai ser uma coisa longe de agradar a todos.

    “Não é culpa dos ladrões o fato de que roubemao invés de trabalhar e lutar por melhorias”
    É culpa deles, sim senhor.

    “É culpa que alguém tirou isso de nós”
    Isso não é culpa, isso é desculpa e vai na mesma linha da tua crítica de que são vítimas de um pensamento medíocre, culpando os colonizadores, os Estados Unidos e os extraterrestres pelos vossos problemas. É culpa vossa por que deixaram que alguém vos tirasse isso de vós.

    “EVITEM a chegada de mais Brasileiros”
    Há Brasileiros e Brasileiros e a população de origem Europeia do Brasil, que fala Português correctamente, que por qualquer razão quer voltar para a Europa e que quer trabalhar é, a meu ver o tipo de imigrante mais bem vindo a este país, devido aos mínimos choques culturais que daí podem advir. Agora, não são estes (principalmente) que para cá imigram mas quem para cá vem são aqueles que vêm para cá a pensar que foram os Portugueses que trouxeram os seus antepassados de África para o Brasil, ou que os Portugueses invadiram e destruiram a sua terra de índios, etc. (não é que isto esteja errado, mas se vêm para cá cheios de ódio, não vão trazer dnada de bom ao país, certo?). Agora andamos por aqui meio fustrados porque a política da U-E. gira em torno de uma mudança populacional na Europa para erradicar qualquer tentação de Nacionalismo. Praticamente, não controlamos as nossas fronteiras e não temos uma palavra a dizer sobre quem é aqui bem vindo ou não, temos de (v)os aguentar a todos!

    “… possuímos um nacionalismo besta…”
    O Nacionalismo não é “besta” quanto muito é mal direccionado.
    Aora um país como o Brasil não tem nacionalismo porque o único tónico em comum de toda a sua população é falarem Português (e olha que uns…) por isso eu defendo uma “Europeização do Brasil” e defendo uma apróximação entre o Brasil e Portugal, agora isso será extremamente complicado e com certas camadas da população a reproduzirem-se de tal maneira e a votarem em Lulas… o vosso futuro é negro (tal como o nosso)…

  248. patricio diz:

    caros leitores deste site lee a maioria dos comentarios hoje dia09.12.08 sou angolano vive muitos anos em portugal digo q muitos portugues ou a maioria sao racista sei k nao sao todos mas uma boa parte mas esqueçem-se k portugal e um pais d imigrante e sempre forao

  249. D. Sebastião II diz:

    Aía onde eu começei a bloggar! E a largar comentários na blogosfera!
    Nesses tempos isto era muito mais animado!

    Patrício, vocês e que nos expulsaram de Angola á catanaa so por não sermos tão escurinhos, depois de vos termos legado tudo o que seja Civilização e nós é que somos racistas?

    Vós vindes cá roubar, violais as nossas mulheres mais indefesas, etecetra e não há qualquer reacção da nossa parte e nós é que… eu tenho quase a certeza que o Patrício não rouba muitas vezes e não costuma violar raparigas mas, e o Patrício, não atenta contra Portugal?
    Porque são os Portugueses racistas? Será que não podemos ter a puta da nossa terra, é isso? Fdx…

  250. Ronaldo Pereira da Rocha diz:

    Vocês portugueses ainda querem falar bobagens,se não fosse a Inglaterra;hoje nem ´´nação“seriam,seriam uma espécie de País Basco piorado,pois a Espanha teria engolido Portugal.E agora vivem das esmolas da Alemanha e UE.

  251. Ronaldo Pereira da Rocha diz:

    Lixo da Europa,inventaram um idioma e nem sabem falá-lo de forma correta,precisaram do sotaque da maior colônia para aperfeiçoá-lo.Piores que Albânia e Irlanda,ACHAVAM QUE ERAM UM ´´PAÍS“RICO.HAHAHA

  252. Ronaldo Pereira da Rocha diz:

    Faz o que o FMI MANDAR HEIN SENÃO NÃO TEM GRANA.

  253. Ronaldo Pereira da Rocha diz:

    Se o Brasil tem problemas e tem ,pelo menos pode resolvê-los;já Portugal nem isso pode,é igual aquela estória do bêbado e da mulher feia,hoje ele está ébrio,amanhã não mais já a mulher feia sempre estará.

  254. Ronaldo Pereira da Rocha diz:

    Pronto é só ouvir a verdade e o tal do Caturo e seue fãs loucos se calaram.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: