Mais leituras edificantes – Diário de Notícias

vietnam_girl_napalm.jpg

Num artigo de opinião na edição de hoje do DN, Nuno Severiano Teixeira, que até já foi ministro da Administração Interna – foge, cão, que te fazem barão…- desanca nos EUA a quem acusa de unilateralismo e arrogância internacional. Nuno Severiano Teixeira pertence áquela classe de políticos europeus para quem o Diabo está na outra margem do Atlântico e Bush é um sério candidato a genocida. Nuno Severiano Teixeira cita exemplos do sucesso da propaganda de Esquerda: na Europa e no Japão, nove em cada dez pessoas ouviram falar de Guantánamo e Abu Ghraib. E lembra que a imagem do iraquiano nú puxado pela trela por uma militar americana tornou-se um ícone tão forte como o da menina vietnamita que foge nua pela estrada de um ataque de napalm – imagem que ilustra este post.

Nuno Severiano Teixeira está enganado, em matéria de posicionamento partidário. O que não é de admirar, nesse "centrão" cinzento que engloba hoje PSD e PS. Anda por lá tudo o que só aspira a poder, comendas e comezainas. Este tipo de discurso é mais típico desse saco de gatos ideológico que é o Bloco de Esquerda. Mas nunca se deve menosprezar a capacidade de cuspir no próprio prato de sopa, imagem de marca da Esquerda. O horror que vive na outra margem do Atlântico conseguiu derrotar a maior ameaça à Liberdade que marcou todo o século XX, o Comunismo. O medo de que consiga fazê-lo ao Terrorismo incita gente como o Nuno Severiano Teixeira a encher páginas de jornais com prosas de nítida má qualidade e raciocínios torpes.

Se o inefável Nuno Severiano Teixeira fosse mais honesto, politicamente, deveria lembrar o que aconteceu à criança vietnamita, anos depois do "triunfo" dos libertadores do Vietname do Sul. Mas isso não lhe convém. A única coisa que lhe interessa é o "retrato" dos americanos, enquanto monstros. Porque esta jovem é hoje cidadã canadiana, após ter fugido do seu país, tal como centenas de milhar de desesperados. Na altura – lembram-se? – chamavam-lhes "boat people". Arriscavam a vida, tal como os balseros cubanos, para abandonar o "paraíso" construído pelos comunistas. O mesmo paraíso que os 50 mil mortos americanos naquela guerra tentaram evitar. Quem fica mal na foto, ó Nuno Severiano Teixeira, é você, com o seu anti-americanismo primário.

9 Responses to Mais leituras edificantes – Diário de Notícias

  1. Anónimo diz:

    o que aconteceu a crianca no vietname ou aos vietnamitas desculpa as atitudes tomadas pelos americanos!!!
    o tipo de argumentacao a k o sr.MZ nos tem habituado e tipico duma crianca de 8 anos!!!! mete pena!!!

  2. Da boca das crianças sai a verdade…

  3. Anónimo diz:

    mais uma argumentacao acriancada!!!!!

  4. Ana diz:

    Reflexão bem estruturada, sem dúvida. Mas permita-me discordar. Já Hitler, Mussolini e Salazar diziam que o comunismo era a grande ameaça do século. A meu ver, a grande ameaça não é o comunismo, mas sim o capitalismo defendido por fascistas sob a capa da luta pela democracia. A imagem do iraquiano é disso exemplo, sim. Porque democracia nunca houve lá no Iraque (nem vai haver tão cedo), mas também não há armas de destruição maciça. O que há é muito petróleo…. Portanto, não acredito que os americanos (e aqui estou a falar dos governantes, não dos pobres coitados que dão a vida literalmente por um país que retribui com uma bandeira dobrada ) foram para lá embalados no espírito de salvadores da pátria, tal como não foram para o Vietname.

    Só mais uma coisa: “centenas de milhar” não existe. E para não pensar que estou a inventar: vá a http://ciberduvidas.sapo.pt/php/resposta.php?id=7162

  5. Anónimo diz:

    Pois. Democracia é bom para brancos, certo? Nunca houve (nem vai haver tão cedo), escreve a Ana…

  6. Ana diz:

    Para o senhor ‘Anónimo’: se o senhor acha que num país como o Iraque, completamente destruído, com atentados diários e mortos nas estradas é possível instaurar uma democracia num tempo próximo, acho que vive num mundo cor-de-rosa. A democracia não é boa só para brancos. Mas usar a democracia como pano de fundo para a invasão de um país não me parece certo…. (lá estou eu com o meu anti-americanismo….)

    Mas acredito que a democracia é possível no Iraque. Mas não agora, não com outros países à perna. De facto, na 1ª Guerra do Golfo metade dos iraquianos opinaram que preferiam a via democrática. Mas os EUA não fizeram caso disso. Para mais informação, ler Noam Chomsky, mais propriamente “A Manipulação dos Media”.

  7. Anónimo diz:

    Arrrrghh! Noam Chomsky! Meu Deus! Tão baixo que este debate desceu! Desisto! Antes o Fernando Rosas, que é tão fanático como o Chomsky, mas fala português…

  8. Jordão diz:

    Vá lá, o Canadá ainda vai aceitando uns imigrantes.

  9. Pois. Quando descobre que esses mesmos imigrantes estão a conspirar para tomar de assalto o Parlamento e decapitar ali o primeiro-ministro, arrependem-se por ser tão tolerantes…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: