Milícias muçulmanas executam jovem de 13 anos por estar a ver um jogo de futebol

Não, não é uma notícia da Fox News. É da Al-Jazeera, a detentora dos direitos exclusivos de propaganda da direcção da Al-Qaeda. No passado domingo, homens armados ao serviço dos Tribunais Islâmicos invadiram um cinema em Mogadíscio, onde centenas de pessoas se preparavam para ver a transmissão televisiva do jogo entre o Chelsea e o Liverpool. Na óptica destes muçulmanos, a televisão é um crime. Vai daí, dispersaram a multidão ao tiro e mataram um jovem de 13 anos.

Então a Comunidade Islâmica de Lisboa (CIL) não faz um comunicado sobre isto? Não toma posição? É este o Islão que a CIL representa? O xeque David Munir e o xeque Daud Ismael concordam com esta actuação? Esta actuação não é contrária aos princípios da religião islâmica? O que acha disto o senhor que se identifica como “Julio Pomar”, que começou por me insultar, aqui, num comentário a um post meu. Meu caro “Júlio Pomar”, um dos membros da direcção da CIL, Ismael Loonat, integra um grupo fundamentalista, os Tabligh Jamaat, que, na revista Al-Mahdina, escreveram, preto no branco, que a televisão e música eram pecados, para um muçulmano.

Não acha legítimo que me sinta inquieto? Qual a diferença entre os Tabligh Jamaat, em Portugal, e as milícias dos Tribunais Islâmicos, na Somália? Partilham, pelo menos, de uma posição idêntica, em relação à televisão: é pecado, haram, e, como tal, proibido. Na Somália, correm a tiro quem vê jogos de futebol. Por cá, ainda não…

11 Responses to Milícias muçulmanas executam jovem de 13 anos por estar a ver um jogo de futebol

  1. MZ os actos criminosos perpetrados na Somália, primeiro com o bárbaro assassinato da freira e agora deste jovem não são de admirar já que a violência irracional é parte inerente à própria cosmogonia islâmica. Os dissimulados islâmicos em Portugal bem podem fazer o seu papel de incompreendidos, de amantes da paz e tolerância, disposto ao diálogo interreligioso, mas nós sabemos bem o que lhes vai na intimidad dos seus pensamentos, nas conversas que à boca pequena mantêm e como desejam ver a bandeira do crescente imposta no parlamento, tornando a nossa, outrora orgulhosa nação e respeitadora da herança recebida dos antepassados, num nojento califado.

    Não posso deixar de citar este episódio hoje ocorrido. Ia eu na rua conversando com um amigo, nomeadamente sobre estas polémica devido às acertadas e corajosas declarações do Papa, eis que um individuo se intromete dizendo que os crsitão fizeram pior que os muçulmanos. Respondemos-lhe educadamente que tinhamos de recuar séculos para fazer tal comparação, já que não se sabe de caso algum de um cristão fazer-se munir de um cinto de explosivos e arrebentar com um café ou autocarro. Não é que o imbecil me responde que o islão é a religião em maior crescimento no mundo e que o futuro será islâmico inxallah! Óbvio que apenas lhe pude dizer que somente lhe desejo a sorte daqueles que têm morrido degolados nas mãos dos islâmicos. O pulha calou-se e afastou-se… Estes colaboracionistas do inimigo invasor e colonizador não podem senão ter uma resposta contundente e demolidora, porque para hoje gentalha como ele podem dizer na língua de Camões o que ele disse muito sangue português foi derramado frente à moirama.

    Resistência e Reconquista!

  2. eu diz:

    Os dissimulados islâmicos em Portugal bem podem fazer o seu papel de incompreendidos, de amantes da paz e tolerância, disposto ao diálogo interreligioso, mas nós sabemos bem o que lhes vai na intimidad dos seus pensamentos, nas conversas que à boca pequena mantêm e como desejam ver a bandeira do crescente imposta no parlamento, tornando a nossa, outrora orgulhosa nação e respeitadora da herança recebida dos antepassados, num nojento califado.

    Resta passar esta mensagem, porque em Portugal a comunidade islâmica ainda é pouco numerosa, e por enquanto ainda é fashion ou seja são uma vitima do imperialismo americano, devemos estar solidários com eles em detrimento dos nossos.

  3. eu diz:

    Estes colaboracionistas do inimigo invasor e colonizador não podem senão ter uma resposta contundente e demolidora, porque para hoje gentalha como ele podem dizer na língua de Camões o que ele disse muito sangue português foi derramado frente à moirama.

    Mas este gajo era português?

  4. Sim, sim, porteguesíssimo, branquinho da silva. Um converso quase de certeza e um colaboracionista na certa.

  5. Não como há como os conversos para resvalar para o extremismo. Não tendo nascido de pele escura nem sendo filhos da 25ª mulher de algum homem de negócios saudita, os conversos precisam de se afirmar com maior violência, para provarem que não são muçulmanos de segunda.

  6. Vera diz:

    Quem sabe não era um convertido..Digo isto pela expres~sao do inxalá e pela maneira como se teve que intrometer e defender o islão. Cristão não era…ateu tb não me cheira..

    Eu ontem tb descobri uma coisa curiosa. Conheço uma pessoa cujosde ascendência árabe,Ela tb tem feições árabes, obviamente, mas sempre me pareceu uma pessoa mt calma, que nem ligava muito a religião. No outro dia, descubro, depois de lhe perguntar directamente, que era islâmica convicta. Que ia à mesquita, não bebia alcool, não comia carne de porco, rezava, fazia o Ramadão, lia o Corão todas as noites e adorava aquilo porque lhe dava um outro sentido à vida. Enfim..uma pessoa tão calma, que de repente criou aquela genica para falar do Corão..concordando com o que as escrituras diziam (e pelo q tenho lido não é mt boa coisa). Bom..estranhei… é claro que ela tb me disse que não concordava com as atitudes de países extremistas, mas pelo que tenho visto, o próprio corão não parece ser mt pacifista. Estou enganada?

    O mais “engraçado” é que tenho um trabalho para apresentar sobre “Guerra e Terrorismo”… na frente dessa pessoa..

    BOMB

  7. Cuidado! Não chame terrorista a Bin Laden, nesse trabalho!

  8. Vera diz:

    Pois…mas a professora (de ciência política, empenhada em promover valores democráticos) já fez questão de dizer que exige tolerância e que vamos ter que nos auto-censurar nas aulas, para não ofender valores dos outros.. democracia, auto-censurar, não chamar as coisas pelos nomes.. é assim mesmo!

  9. Minha cara Vera, isso dava uma história interesante para partilhar com a blogsfera… Sabe o que tem acontecido nos EUA, em situações idênticas? Os alunos gravam as aulas e colocam podcasts na net…

  10. Vera diz:

    É que nem era preciso filmar (embora haja situações completamente surreais, que só visto msm) Bastava um gravador.. Com todas as contradições. Ou mesmo analisar o programa das dsiciplinas de ´ciência política, principalmente na área de teoria política. Vê-se a quilómetros que aquilo mas parece uma evangelização de esquerda (peço dscp aos católicos pela comparação).
    Ao memo tempo que diz ter como objectivo a implementaçã de sentido crítico dos estudantes, faz uma propaganda cerrada de uma das vertentes. Diz promover a democracia mas quer auto-censura e proibe a utilização dos pronomes “nós” e “eles” (pergunto-me cm me nos vamos expressar)..
    Ah, já para não falar das DITADURAS de direita e dos REGIMES de esquerda..sim, que aqueles não querem nd com repressões né..
    Enfim, aventuras das aulas de política (qd aidan só tive 3)..nem quero imaginar qd chegar o fim do ano!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: