Recados muçulmanos

maomebomba.gif

Já aqui tive partidários desta religião da paz com alguma piada. Um deles alegava que um grupo de escuteiros pode ser designado por “grupo fundamentalista”, porque são pessoas que também seguem um fundamento. Claro está que, na maioria dos casos, o problema consiste num insuficiente domínio da língua portuguesa, que não permite qualquer tipo de discussão, dada a óbvia dificuldade de assimilar os conceitos e ideias mais simples. Outro, dizia que culpar o Islão do terrorismo é o mesmo que dizer que todos os espanhóis são terroristas, porque a ETA existe no país basco e o mesmo se diria de todos os irlandeses, porque o IRA existe na Irlanda. Não é possível discutir e debater com pessoas que revelam uma tão grande incapacidade de raciocinar mediante processos lógicos.

Um dos indivíduos menos inteligentes com que já tropecei, um tal Convidado de Honra, deixou aqui uma confissão patética, bem reveladora do perigo que são os muçulmanos para qualquer país ocidental democrático. Diz ele que a religião islâmica é a única que aceita a coexistência (??) de outras religiões. Mas a seguir acusa-nos de sermos sempre nós a provocar, como fez o Papa, recentemente (!!!), afirma que foi preciso que os mouros nos ensinassem a usar o papel higiénico, e diz que nós só nos manifestamos para fazer greves e paradas de homossexuais.

O que sobra, destes recados todos, é o desespero trágico de quem é absolutamente incapaz de conviver com valores actuais e com o mundo moderno, com o debate e diversidade de ideias, ficando-se pela lapidação e pelo tratamento animalesco das mulheres, a quem enfiam um saco pela cabeça abaixo. De facto, os explosivos plásticos e a Kalashnikov são das poucas contribuições do Ocidente que o Islão aceita de braços abertos. Porque será?

42 Responses to Recados muçulmanos

  1. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “””foi preciso que os mouros nos ensinassem a usar o papel higiénico”””

    Os mouros não uzam papel higiénico !

    Não è uma piada, mas è realidade, eles limpam-se com a mão e àgua.

    “””e paradas de homossexuais.”””

    Uma grande parte dos muçulmanos jà tiveram relações homossexuais, e a falta de mixidade faz com que a sodomia é frequentement praticada em terra do islão. O muçulmano tambem sabe ser muito carinhoso.

    “””e diz que nós só nos manifestamos para fazer greves”””

    Em terras do islão o trabalho não è considerado como um valor, e a unica referencia em termos de trabalho no al-corão è o statuto dos escvravos e a sua codificação.

    “”” a Kalashnikov são das poucas contribuições do Ocidente “””

    Pois, eles não teem capacidade industrial para fabricar qualquer arma que seja e munições, tambem não teem vontade de se lotar de qualquer capacidade industrial, e esses tipos de trabalhos são contrarios ao espirito do islão.

    O problèma è quem lhes vende as armas e com que dinheiro ?

  2. Caturo diz:

    Diz ele que a religião islâmica é a única que aceita a coexistência (??) de outras religiões

    E é verdade sim senhor.
    O Islão aceita a coexistência de outras religiões.

    Desde que, bem entendido, os adeptos dessas outras religiões estejam SUBMETIDOS aos muçulmanos.

    É assim que o Islão legisla: o não muçulmano tem, ou de se converter à religião islâmica, ou então tem de pagar um tributo (jyzia) aos muçulmanos, em troca da sua protecção…

    Sim, é protecção paga. Sim, tem «uma certa parecença» com aquilo que uma certa organização do sul de Itália fazia e faz…

    Sim, foi isso que se passou nesse «paraíso» que foi a Ibéria muçulmana, essa «idade de ouro» da tolerância humana… tolerância, mas com os cristãos e os judeus submetidos, tratados como cidadãos de segunda (dimi) e brutalmente esmagados e chacinados quando se revoltavam…

    Aliás, a tolerância relativamente às outras religiões só se aplica às chamadas «religiões do livro». Porque os pagãos, adoradores de ídoles, são pura e simplesmente obrigados a converter-se ou então são massacrados. Veja-se o que acontece actualmente em Darfur, contra os negros animistas.

  3. Caturo diz:

    Ah, e é falso que só o Islão aceite a coexistência de outras religiões. O Hinduísmo também o aceita, tanto que a Índia sempre foi palco de tolerância religiosa.

    Sempre o foi… até os muçulmanos chegarem.

    Os muçulmanos começaram a atacar a Índia no século VIII. Desde então, não mais deram descanso aos Hindus. Acabaram por invadir grande parte do subcontinente indiano, com custo de milhões e milhões de vidas hindus e destruição de cerca de três mil templos hindus. Praticamente todos os conflitos religiosos na Índia derivam da presença islâmica.

    Porque será?…

    Será por causa… da Palestina?
    De Israel?
    Do… Bush?…

    Não creio…

  4. Vera diz:

    só lhe faltava dizer que os foram os muçulmanos que inventaram os talhares, a ideia de cada pessoa comer no seu prato e ter a sua própria toalha de banho… e que aidna hoje praticam tudo isso!
    Quanto às paradas gays…~primeiro, nem podem fazer paradas..e sendo gays o mais provável era irem para a forca. ASsim ficam em casa entretidos e não gastam dinheiro em tatuagens de borboletas…

  5. Convidado de Honra diz:

    Tantos comentários, mas nenhum deles credível. Enfim. Continuem.

    Os mouros ensinaram sim a utilizar o papel higiénico (não sou eu que digo é a história que conta, se não gostam paciência) mas que mais tarde deixaram por não ser higiénico. Se um pássaro lhe defecar na cabeça, de certeza que basta limpar com papel, não precisa de água, pois não? e se for o senhor a defecar?

    Em relação à Índia, que sabe o Caturo sobre a Índia? acredite que a religião que manda beber urina de vaca (Hinduísmo) não é grande coisa! E a guerra entre Índia e Paquistão foi por causa de Kahimira (guerra político-económica), não tem nada a ver com religião, apesar da maioria das evocações às guerras pelos próprios políticos esteja baseada na religião.

    “É assim que o Islão legisla: o não muçulmano tem, ou de se converter à religião islâmica, ou então tem de pagar um tributo (jyzia) aos muçulmanos, em troca da sua protecção…”

    Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Moors

    “…The remaining Muslim were forced to leave Iberia or convert to Christianity….”

    Espero que perceba inglês.

    Em relação à cara Vera, sem comentários.

  6. Convidado de Honra diz:

    Em relação a “Recados muçulmanos”, maquinazero, não me diga que um intelectual como o senhor precisa de ajuda para se defender de um menos inteligente?!

  7. Mas falei na sua argumentação a alguns amigos e eles não acreditaram que existisse alguém como você, meu caro Convidado de Honra

  8. Caturo diz:

    Em relação à Índia, que sabe o Caturo sobre a Índia?

    E você, o que sabe?

    Vejamos:
    acredite que a religião que manda beber urina de vaca (Hinduísmo) não é grande coisa!

    Comparação perfeitamente imbecil, inteiramente primária. Já agora, o Hinduísmo não exige que se beba urina de vaca. Mais: o Hinduísmo não obriga os não hindus a beber urina de vaca… mas o Islão quer-se impor em toda a parte. E acredite que uma religião que manda tratar como pessoas de segunda aqueles que não são dessa religião, não é seguramente grande coisa.

    Já para não falar duma religião que manda o marido bater na mulher se esta se portar mal… e duma religião que faz com que se corte a mão a um simples ladrão…

    Pois, é sempre a mesma: o Islão.

    E a guerra entre Índia e Paquistão foi por causa de Kahimira (guerra político-económica), não tem nada a ver com religião,

    Tem e sempre teve TUDO a ver com a religião, porque se trata de sacar mais um território à Índia, subtraindo-o assim à influência formalmente hindu e colocá-lo definitivamente sob poder islâmico. Por isso é que o terrorismo muçulmano nessa região costuma vitimar hindus, para que estes fujam do território, e depois aparecerem os «moderados» a exigirem um referendo para decidir a quem é que Caxemira deve pertencer, claro, com maioria islâmica é uma maravilha…

    Quanto ao que se passou na Ibéria aquando da Reconquista, está a esquecer-se que os Hispânicos já não são oficialmente cristãos. Além disso o Cristianismo não manda que os infiéis paguem imposto por não serem cristãos.

    E que mandasse – isso porventura desculpa o Islão?

    E dizia você que os comentários anteriores ao seu não eram credíveis… é que você não disse nada de jeito.

  9. Caturo diz:

    Ah, e já agora, se gosta de ler a Wikipedia, fique a saber que o papel higiénico foi inventado pelos Chineses, não pelos árabes.

    Records of human usage of toilet paper first appeared in China, during the 14th century.

    The classic 16th century satirical novel Gargantua and Pantagruel by François Rabelais contains references to various toilet paper alternatives. For example, in the 13th chapter of the First Book, titled “How Grandgousier realized Gargantua’s marvelous intelligence, by his invention of an Arse-wipe,” the giant Gargantua, while still a child, tries dozens of different methods for wiping his bottom, including paper, but unfortunately he finds it “leaves some chips on his ballocks”. Finally he discovers the best method:

    But to conclude, I say and maintain that there is no arse-wiper like a well-downed goose, if you hold her neck between your legs. You must take my word for it, you really must. You get a miraculous sensation in your arse-hole, both from the softness of the down and from the temperate heat of the goose herself; and this is easily communicated to the bum-gut and the rest of the intestines, from which it reaches the heart and the brain.

    The first factory-made paper marketed exclusively for toilet use was produced by Joseph Cayetty in the United States in 1857.

    Espero que saiba ler Inglês quando o texto passa das duas linhas…

    http://en.wikipedia.org/wiki/Toilet_paper

  10. Caturo diz:

    Quanto às urinas, enfim, o «convidado de honra» acha mal que se beba urina de vaca… se calhar, até prefere beber urina de camelo, como o profeta Maomé ordenou em certa passagem dos seus escritos:
    The Prophet (peace and blessings of Allaah be upon him) told them to drink the milk and urine of camels, and they recovered and grew fat. In the story it also says that they apostatized and killed the camel-herder, then the Muslims caught them and executed them. Narrated by al-Bukhaari (2855) and Muslim (1671).

    http://www.islamicaweb.com/archive/t-48369

  11. Vera diz:

    “Tantos comentários, mas nenhum deles credível. Enfim. Continuem”

    EXPERIMENTA IR À MAURITÂNIA E FICAR EM CASA DE NATIVOS ÁRABES, E DEPOIS VÊM-ME DIZER SE É MENTIRA!

    Falar do que não se sabe dá nisso…

  12. Vera diz:

    “Em relação à cara Vera, sem comentários. ”

    Sem comentários porque não conheces. Se conhecesses, se já lá tivesse ido, sabias que comem do mesmo tacho e que usam todos a mesma toalha de banho, por considerarem que depois do banho já estão limpos. ASsim como as crianças mal entra um adulto na sala saiem logo, e deixam de ver os desenhos animados, ao contrário das de cá que fazem birra para ver bonecos à hora do telejornal. ASsim como as mulheres consideram os pêlos algo maléfico, e assim como no ramadão fazem festas de noite para comerem o suficiente para aguentar o dia todo….

    Isto mostrou mesmo ignorância sobre o tema que a partir de agora te descredibiliza por teres mostrado que afinal não so conheces assim tão bem.

  13. Vera diz:

    Isto faz-me lembrar uma vez um tipo com quem falei, que não acreditava que os pretos em África ocupavam as casas dos ex-colonos e faziam fogueiras no meio da sala com tábua do soalho de madeira..
    Acaha que tava a rebaixa-los…limitem-me a reproduzir uma situação verdadeira que aconteceu em várias casas deixadas pelos portugueses.. Tenoh lá culpa que andem a queimar soalho para a fogueira..olha q coisa..

    São culturas, no caso dos islâmicos, são situações que acontecem em África, no caso da fogueira. É pouco “fashion” cá? é..e depois? Isso quer dizer que não é verdade?

  14. Convidado de Honra diz:

    Cara Vera,

    Já agora porque ficou em casa de nativos árabes, será que os cristãos não a queriam em casa?

    E lá porque alqueles senhores faziam significa que todos os muçulmanos fazem?!

    Minha senhora, isto não tem nada a ver com cultura nem religião, mania de misturar as coisas.

    Em relação ao Caturo, defina 1º um “simples ladrão”.
    É um pedinte que rouba pão num supermercado, ou uma pessoa que assalta um banco? Deverá haver outras manerias de roubar que não conheço pois não é a minha área.

    “…religião que manda o marido bater na mulher se esta se portar mal…”

    O que prefere: bater na mulher quando esta se portar mal (cometer adultério) ou matá-la para comprar uns cigarros?

    Em relação ao maquinazero, esses sim, serão de certeza seus amigos.

  15. Convidade de Honra diz:

    Uma ideia:

    Vá ao Google e escreva “marido mata mulher” e diga-me se algum desse maridos é muçulmano.

  16. Caturo diz:

    Convidado de honra, as suas intervenções pioram de mensagem para mensagem. Agora já chegou ao ponto do ridículo de comparar casos esporádicos, que acontecem e SEMPRE acontenceram em TODO o mundo… já chegou ao ponto de comparar isso com as REGRAS duma religião?

    Não acha que já está no campo da franca parvoíce, sem ofensa?

    Ou tem ainda esperança de enganar alguém?

    Será que nesse exemplo, ocorrido na China, o homem tinha autorização religiosa para fazer o que fez?
    Nem para bater na mulher, quanto mais.

    Mas o cúmulo dos cúmulos é dar a entender que os muçulmanos não matam esposas… está a brincar?
    Já ouviu falar do que se passa no Paquistão, no Irão, etc., etc., etc.?

    E de esposas queimadas com ácido no Paquistão, já ouviu falar?

    E a respeito das violações em barda ocorridas no Paquistão, porque a lei exige que a mulher muçulmana, para se queixar duma violação, apresente quatro testemunhas masculinas muçulmanas, e, se falhar, é presa por perjúrio, motivo pelo qual GRANDE PARTE das mulheres presas no Paquistão, foram presas por terem sido vítimas de violação e não o terem conseguido provar depois de apresentarem a acusação?

    Já agora, e os assassinatos de mulheres muçulmanas na Europa por questões de «HONRA»?…

    Não há lado nenhum do planeta onde se trate as mulheres tão mal como no mundo islâmico. Mas você e quejandos arranjam maneira de ocultar isso, desviando as atenções, porque, com ódio à América, e, no fundo, com ódio ao Ocidente, tomam o partido do Islão.

    Que nojo.

  17. Convidado de Honra diz:

    “Never wrestle with a pig…”

    o resto já conhece.

  18. Convidado de Honra diz:

    E acha que essas violações e homicídios têm autorização religiosa??

  19. Meu caro COnvidado de Honra, você continua com o mesmo problema: uma incapacidade enorme de dominar a língua portuguesa. Sei que você não tem culpa das suas origens e da educação que lhe deram. Mas não teve já tempo de melhorar um pouco? Há tantos anos que vive numa sociedade desenvlvida e evoluída, que coloca à disposição das pessoas cursos npara adultos, por exemplo. Porque não tenta melhorar a sua capacidade de expressão verbal e escrita? Talvez assim possamos falar da mesma coisa e evitar esta situação ridícula – para si! – de nós estarmos a falar de aviões e você responder com anões.. São coisas diferentes, sabia?

  20. Quanto à autorização religiosa, meu caro Convidado de Honra, há um hadith do seu profeta que autoriza o assassínio do muçulmano que se converter a outra religião. Em que ficamos? A sua religião autoriza o assassínio dos convertidos ou esse hadith não tem valor?

  21. Convidado de Honra diz:

    Meus caros,

    Simplesmente não vou comentar mais nada para lhes ensinar, cabe a cada um ir à busca do conhecimento.

    Mas ficam estas últimas dicas.

    – O Islam tem pequenos (saghira) e grandes (kabira) pecados.
    Alguns dos grandes (kabira) pecados são os seguintes: homicídio, adultério, opressão, traição, etc.

    Os direitos da mulher no Islam

    Sim isto deve ser tratar de forma animalesca, com certeza.

    Agora diga-me quem são os melhores cristãos, os papas, os cardeais, os padres, as freiras ou voçê?

    Se são estas as pessoas que seguem o cristianismo à risca então porque é que:

    As freiras andam cobertas da cabeça aos pés, tal como as muçulmanas que seguem à risca.
    Com a excepção de que as freiras não se podem casar. O que é um direito de qualquer mulher no Islam – o direito de obter satisfação sexual pelo marido.

    Os padres, cardeais, e papas também não se podem casar. O que é um direito de qualquer homem no Islam – o direito de obter satisfação sexual pela esposa.

    No Islam a mulher tem o direito de manter a sua identidade e o seu nome após o casamento, não tendo de mudar o último nome, para que não seja considerada propriedade do homem.
    O que não acontece no cristianismo.

    Dê um espreito para se informar melhor

    Agora entenda o seguinte:

    No Islam não há hierarquias

    Logo, no Islam não há papas, nem padres nem freiras, e por isso, cada muçulmano tem o dever de ser o exemplo.

  22. Convidado de Honra diz:

    Meus caros,

    Simplesmente não vou comentar mais nada para lhes ensinar, cabe a cada um ir à busca do conhecimento.

    Mas ficam estas últimas dicas.

    – O Islam tem pequenos (saghira) e grandes (kabira) pecados.
    Alguns dos grandes (kabira) pecados são os seguintes: homicídio, adultério, opressão, traição, etc.

    Os direitos da mulher no Islam

    Sim isto deve ser tratar de forma animalesca, com certeza.

    Agora diga-me quem são os melhores cristãos, os papas, os cardeais, os padres, as freiras ou voçê?

    Se são estas as pessoas que seguem o cristianismo à risca então porque é que:

    As freiras andam cobertas da cabeça aos pés, tal como as muçulmanas que seguem à risca.
    Com a excepção de que as freiras não se podem casar. O que é um direito de qualquer mulher no Islam – o direito de obter satisfação sexual pelo marido.

    Os padres, cardeais, e papas também não se podem casar. O que é um direito de qualquer homem no Islam – o direito de obter satisfação sexual pela esposa.

    No Islam a mulher tem o direito de manter a sua identidade e o seu nome após o casamento, não tendo de mudar o último nome, para que não seja considerada propriedade do homem.
    O que não acontece no cristianismo.

    Dê um espreito para se informar melhor

    Agora entenda o seguinte:

    No Islam não há hierarquias

    Logo, no Islam não há papas, nem padres nem freiras, e por isso, cada muçulmano tem o dever de ser o exemplo.

  23. Convidado de Honra diz:

    Meus caros,

    Simplesmente não vou comentar mais nada para lhes ensinar, cabe a cada um ir à busca do conhecimento.

    Mas ficam estas últimas dicas.

    – O Islam tem pequenos (saghira) e grandes (kabira) pecados.
    Alguns dos grandes (kabira) pecados são os seguintes: homicídio, adultério, opressão, traição, etc.

    Os direitos da mulher no Islam

    Sim isto deve ser tratar de forma animalesca, com certeza.

    Agora diga-me quem são os melhores cristãos, os papas, os cardeais, os padres, as freiras ou voçê?

    Se são estas as pessoas que seguem o cristianismo à risca então porque é que:

    As freiras andam cobertas da cabeça aos pés, tal como as muçulmanas que seguem à risca.
    Com a excepção de que as freiras não se podem casar. O que é um direito de qualquer mulher no Islam – o direito de obter satisfação sexual pelo marido.

    Os padres, cardeais, e papas também não se podem casar. O que é um direito de qualquer homem no Islam – o direito de obter satisfação sexual pela esposa.

    No Islam a mulher tem o direito de manter a sua identidade e o seu nome após o casamento, não tendo de mudar o último nome, para que não seja considerada propriedade do homem.
    O que não acontece no cristianismo.

    Dê um espreito para se informar melhor

    Agora entenda o seguinte:

    No Islam não há hierarquias

    Logo, no Islam não há papas, nem padres nem freiras, e por isso, cada muçulmano tem o dever de ser o exemplo.

  24. Convidado de Honra diz:

    a

  25. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “””E acha que essas violações e homicídios têm autorização religiosa??”””

    Claro que sim !

    Porque o al-corão quer dizer a “recitação”

    O padre lei a biblìa, mas na mesquita o imam recita o al-corão !

    E isso faz uma grande diferencia !!!

    No islão, não existe intermedarios entre o crente e Deus, quer dizer que não existe entre o crente e o al-corão.

    O verdadeira muçulmano esta-se nas tintas de ter ou não autorização religiosa ou não !

    Ele faz simplesmente o que està escrito no al-corão, jà que o islão negou todas as filosofias e queimou os textos de Avérroès “Ibn Rusd”, antes de o por na cadeia !!!

    No entanto acredito que voçê tenha uma leitura humista do al-corão, è o vosso direito e me felecito com isso, mais não è caso de 90% dos muçulmanos.

    Pior !!!!

    O islão não è sò uma religião, mas tambem um sistèma politico e juridico !!!! para não dizer um sistèma de dominação e de conquista !

    E com todas as suas boas intenciões, você corre o risquo de ser abalado por esse caudal !

    Se voçê não seguir essa meta, corre o risco de ser declarado “kafir” de apostasiar, e no fim corre muitos riscos para a sua vida !

    Bem mais que um infiel como eu !

  26. Vera diz:

    “Já agora porque ficou em casa de nativos árabes, será que os cristãos não a queriam em casa?”

    Não fui eu que fiquei, foi uma pessoa muito próxima de mim. Na mauritânia, como deve saber, a religião predominante é o Islão…e por razões profissionais, essa pessoa acabou por ficar uns dias com eles. Ou tinah que andar à cata de cristãos pelo país?

    “E lá porque alqueles senhores faziam significa que todos os muçulmanos fazem?!”

    São práticas muçulmanas… é uma coisa comum na sua cultura… ou não sabias?

    “Minha senhora, isto não tem nada a ver com cultura nem religião, mania de misturar as coisas.”

    Tem a ver com habitos da sociedade/cultura árabe…

  27. Vera diz:

    Olha que giro..acabei de descobrir que agr um ocidental tem que escolher entre bater na mulher desobediente ou matá-la para comprar cigarros… Ou um ou outro…
    Isto é só recordações: faz-me lembrar o pessoal que defende o Isaltino por estas bandas “ROuba mas faz, os outros roubam e não fazem” como quem diz que temos que escolher entre os ladrões….

  28. Caturo diz:

    “Never wrestle with a pig…”

    Sim, dizem isso, mas, por acaso, a sua lama não me sujou.

  29. Então, ó CONVIDADO DE HONRA? Há ou não um hadith do seu profeta que autoriza o ASSASSÍNIO de qualquer muçulmano que se CONVERTA a outra religião? Tem coragem para RESPONDER a esta questão?

  30. Caturo diz:

    Agora diga-me quem são os melhores cristãos, os papas, os cardeais, os padres, as freiras ou voçê?

    Sou melhor nisto: é que eu não acho que o testemunho duma mulher valha metade do testemunho dum homem.
    Sou melhor também porque acho que o marido não deve ter o direito de bater na mulher.

    Porque será que você se calou sobre isso e tentou desviar a conversa com argumentos da treta, tipo palha? A mulher ocidental tem todos os direitos que você apresentou nesse link.

    Mais: a mulher ocidental não é obrigada a mudar de apelido quando se casa. Ou ainda não sabia disso?

    Mas voltemos ao que interessa: porque é que não responde?
    Sente-se mal?

  31. Caturo diz:

    As freiras andam cobertas da cabeça aos pés, tal como as muçulmanas que seguem à risca.

    Pois. Mas, na actual sociedade ocidental, nenhuma mulher é obrigada a ser freira, não sei se já reparou nisso…

    E no Islão… a mulher pode ser igual ao homem em termos jurídicos?…

  32. Caturo diz:

    Alguns dos grandes (kabira) pecados são os seguintes: homicídio, adultério, opressão, traição, etc.

    Outro «grande pecado» é o chirque, ou seja, a ADORAÇÃO DOUTROS DEUSES QUE NÃO MAOMÉ.

    Ora considerar a adoração doutros Deuses como pecado capital… é PURA INTOLERÂNCIA E FANATISMO.

  33. Caturo diz:

    Por aí se vê como o Islão é um totalitarismo religioso.

    Máquina Zero, não é que lhe esteja a querer dar trabalho extra, mas, se o convidado de honra não responder, era boa ideia fazer uma súmula do que foi dito nesta caixa de comentários e publicar um tópico, como fez para o André Filipe…

    Foi muito educativo, tudo isto…

  34. Convidado de Honra diz:

    “Outro «grande pecado» é o chirque, ou seja, a ADORAÇÃO DOUTROS DEUSES QUE NÃO MAOMÉ.”

    –Sem comentários–

    Em relação a bater na mulher
    e agora Vera, preste bem atenção a este link Violência doméstica aumenta em Portugal

    Estamos com certeza a falar de um país civilizado onde morrem mais mulheres vítimas de violência domestica do que de cancro

    “E no Islão… a mulher pode ser igual ao homem em termos jurídicos?… ” basta ler o artigo completo do link dos direitos da mulher.

  35. Caro Convidado de Honra: perante tão grande manifestação de má-fé para com o seu próprio país, que você não hesita em difamar e insultar, em favor do Islão, este seu comentário merece um destaque especial. Vou colocá-lo no meu blogue, como um post, com algumas peqeunas obversações.
    E peço-lhe que continue a comentar neste blogue. Você é um argumento formidável a favor da necessidade de limitar a actividade dos maometanos numa Democracia.

  36. E olhe, ó CONVIDADO DE HONRA, há ou não um hadith do seu profeta que autoriza o ASSASSÍNIO de qualquer muçulmano que se CONVERTA a outra religião? Tem coragem para RESPONDER a esta questão? Estou a ver que não…

  37. […] O Convidado de Honra é um muçulmano português que nos tem honrado com os seus comentários, neste blogue. Já aqui fizémos referência à sua pobreza gramatical e ortográfica, própria de um imigrante auto-exluído da sociedade onde vive, e também salientámos a sua indigência mental. Mas o Convidado de Honra ainda não nos tinha permitido apreciar uma faceta mais sinistra da sua personalidade: o ódio ao país que lhe dá passaporte (porque nacionalidade é mais do que isso…) e à sociedade em que vivemos (e que, não sendo perfeita, também não achamos que seja tão má que deva ser completamente destruída) […]

  38. Caturo diz:

    “Outro «grande pecado» é o chirque, ou seja, a ADORAÇÃO DOUTROS DEUSES QUE NÃO MAOMÉ.”

    –Sem comentários–

    Quem cala consente.

    Já agora… o que é acontece a quem comete a «chirque»?…

    Assassinato ou submissão.

    Ou, claro, vitória, se o muçulmano for deitado abaixo…

    Em relação a bater na mulher
    e agora Vera, preste bem atenção a este link Violência doméstica aumenta em Portugal

    Isto é dum primarismo atroz – comparar ocorrências avulsas CONDENADAS PELA ÉTICA OCIDENTAL
    com AUTORIZAÇÃO RELIGIOSA PARA BATER NAS MULHERES.

    Porque, em Portugal, o agressor de mulheres é CADA VEZ MAIS CONDENADO.

    E no Islão?

    No Islão passa-se o contrário.

    Estas comparações do convidado de honra parecem as duma novela brasuca em que se queria fazer ver que o Islão era uma religião porreira, e depois cada vez que se apontava uma característica repulsiva do Islão, havia um maometano sorridente a dizer «Ah, e no Ocidente, não fazem isso, mas à socapa?» como se essa imbecilidade fosse algum argumento.

    Não perceber a diferença entre ACTO CONDENADO E PUNIDO e ACTO AUTORIZADO, é pura e simplesmente, ou não entender corno do que se discute, ou querer desviar as atenções.

    “E no Islão… a mulher pode ser igual ao homem em termos jurídicos?… ” basta ler o artigo completo do link dos direitos da mulher.

    Responda você – como é que ousa falar nessa suposta igualdade quando aquilo que o Islão diz é que o testemunho dum homem vale mais do que o de uma mulher?

    Máquinazero, vá apontando que isto sai daqui um artigo… significativo…

    Constato também que o convidado de honra insiste em não responder à questão do assassinato por apostasia… então, convidado de honra, qual é a dificuldade?…

  39. Vera diz:

    “e agora Vera, preste bem atenção a este link Violência doméstica aumenta em Portugal”

    Está-me a querer convencer de que não consegue distinguir crime de tradição cultural?

  40. Vera, desista. O Convidado de Honra, como bom espancador de mulheres, é um bruto semi-analfabeto e, provavelmente, faz apenas o que viu o pai fazer à mãe, nalguma aldeia do Paquistão ou do Bangladesh. Coitado. Nem com vários anos que leva a viver no meio de ocidentais conseguiu civilizar-se, minimamente.

  41. […] O “Convidado de Honra”, muçulmano portador de passaporte português que tem defendido, aqui, a superioridade moral do Islão, confirma que O ISLÃO PROÍBE O MARIDO DE BATER NA MULHER, MAS AUTORIZA O MARIDO A BATER NA MULHER PARA LHE PROTEGER OS DIREITOS. Confusos? É normal, estamos a discutir com um muçulmano. Aqui fica parte do raciocínio citado pelo “Convidado de Honra”, numa tradução feita por ele (Nós desiludimos o CH: “Vêm uma coisa e escrevem outra, típico de mentes fechadas e preconceituadas e sem abertura e tolerância para com os diferentes.”) […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: