“Convidado de Honra” confirma: muçulmanos autorizados a bater na mulher

beating-islam.jpg

O “Convidado de Honra”, muçulmano portador de passaporte português que tem defendido, aqui, a superioridade moral do Islão, confirma que O ISLÃO PROÍBE O MARIDO DE BATER NA MULHER, MAS AUTORIZA O MARIDO A BATER NA MULHER PARA LHE PROTEGER OS DIREITOS. Confusos? É normal, estamos a discutir com um muçulmano. Aqui fica parte do raciocínio citado pelo “Convidado de Honra”, numa tradução feita por ele (Nós desiludimos o CH: “Vêm uma coisa e escrevem outra, típico de mentes fechadas e preconceituadas e sem abertura e tolerância para com os diferentes.”)

  • Legenda: “…Men have authority over women. They dont have this authority in order to beat women but in order to protect the women’s right…”
  • Tradução: …Os homens têm autoridade sobre as mulheres. Não têm esta autoridade para bater nas mulheres mas para lhes proteger os direitos…
  • Legenda: “…But when does the beating come?”
  • Tradução: …Mas em que circunstâncias é que se pode bater?
  • Legenda: “…The beating comes after the admonition. Which lasts a long period of time, and after sending the wife to a separate bed. Only after this does the beating come. And to whom? To the disobedient wife and disobedience is disregarded to the truth…”
  • Tradução: …Pode bater depois da admoestação que dura há muito tempo e depois de mandar a esposa para uma cama separada. Só depois disso se poderá bater e a quem? À esposa desobediente e desobediência é desconsiderada à verdade…

Perceberam agora? Nós é que não temos “abertura e tolerância para com os diferentes”! Não se pode bater nas mulheres mas pode bater-se nas mulheres…. Alá é grande, mas o nosso Convidado de Honra consegue ser maior…. A mulher dele é que deve ser uma mulher feliz, com um marido destes…

23 Responses to “Convidado de Honra” confirma: muçulmanos autorizados a bater na mulher

  1. Caturo diz:

    Que um mafomético completamente à rasca e apanhado em flagrante delito de parvoíce demagógica diga coisas dessas, não surpreende demasiado.

    O que ENOJA e REVOLTA é que a esquerdalha intelectual tuga, eu europeia em geral, esteja calada que nem rato do esgoto a respeito deste tema e não levante uma uma palavra sequer contra os valores da maralha islâmica.

    Quer isto dizer que a Esquerda abamdona os valores que costuma defender histéricamente, batendo no peito como anti-fascistas de longa data, arvorando-se em juízes da humanidade – a Esquerda abandona esses valores (liberdade de expressão, emancipação feminina) em prol do «valor» do amor-ao-outro-a-todo-o-custo, o dar a outra face quando agredido pelo escuro alienígena.

    Enoja, repugna – o próprio gesto de omissão colaboracionista esquerdista incita, só por si, à REVOLTA. Parece que estão mesmo a pedi-las…

  2. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    Convidado de honra diz !

    “””Tradução: …Os homens têm autoridade sobre as mulheres.”””

    Pessoalemente, eu não considèro ter alguma autoridade sobre a minha mulher, e não quero ter !!!!!

    A minha relação ela, è com dois seres livres e individuais e independentes, que escolheram viver juntos e mais nada !!!!

    Na filosofia do convidado de honra, o homem é que tem sempre razão, e em nenho caso o homem faz coisa errada !

    Mas na maior partes do tempo o homem, muitas vezes não tem razão !

    Serà que a mulher poderia bater no homem ?

    O homem não passa de um tutor frente a uma criatura inferior !

    Isso è que é igualidade !

    Como è que no sèclo 21 se pode ter tanta mediocridade intelectual ???

    Estamos vendo que o islão não passa duma sub-cultura bedouìna !

  3. Saraiva diz:

    Com os cristãos a cantiga é outra:

    “Angela Nardino, aceitas Dean Cumanno como teu legítimo marido para amar, honrar e obedecer até que a morte vos separe?”, pergunta o padre.

    (Efésios 5)

    22 Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor;

    23 porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo.

    24 Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos.

    http://paginas.terra.com.br/religiao/inacio/Bhtml/49Efes05.htm
    .

  4. Saraiva diz:

    Jaï bettancourt de carvalho,

    Será o cristianismo igualmente uma sub-cultura beduína?

  5. ambas as duas “religiões do Livro” são mais parecidas do que gostariam de assumir… Sabe-se que Maomé contactou com bizantinos e que conheceu as suas questões (virulentas) internas sobre a idolatria, e que isso estaria aliás na raíz da proibição radical da representação humana na Arte Islâmica.

    Paralelismos, como este, não faltam…

    Ambas são religiões formadas pelas mentes de homens, e de épocas em que as mulhares poucos mais eram que apêndices reprodutores dos homens, por isso, referências assim são comuns… Aliás, quase todas as chamadas “grandes religiões” são sexistas, excepção apenas no Budismo, onde esse subalternização e inferiorização não tem paralelo nos textos, nem na teoria “teológica” nem, na prática.

  6. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    O islão è a unica religião que decreta abertamente no al-corão, que os cristã e judeus são gente ruìm, perversas, responsavèls de todo o mal, e que se deve de dominar !

    Não hà religião nenhuma que se compare tanto as outras culturas e religiões para as stigmatizar !

    Em França 70 % dos muçulmanos nas cadeias, porquê ?

    Dès de pequenos os muçulmanos aprendem aos filhos, que a francesa è uma p..a. Então quando vão à escola téem uma relação special com essa professora considerada como tal, assim como qualquer autoridade que não seja muçulmana !

    Disso resulta a hyper-delinquencia das pessoas de origem muçulmana.

  7. Vera diz:

    à partida já sabemos que os livros agrados dizem coisas que nos dias de hoje são impensáveis. Foram escritos há centenas e centenas de anos. Cabe a cada um interpretá-los sim..mas também cabe ao crente saber que deve é praticar o bem, e saber adaptar os livros às épocas históricas. Um crente, por mais que o seja, não vai estar no século XXI a cumprir à letra o seu livro sagrado segundo um princípio discriminatório mas comum há centenas de anos..só porque o livro o diz! O crente tem é que praticar o bem, e nem sempre os livros sagrados transmitem os melhores valores em alguns aspectos. Assim como o crente não tem que concordar com tudo o que é dito no livro sagrado, só porque é daquela religião. De qualquer forma, o cristianismo começa a conseguir fazer isso..ao contrário do islamismo. Daí, hoje em dia o islamismo ser visto como um fanatismo por muitos, como um cultura que espezinha direitos humanos e política com o seu livro sagrado, só porque alguém há muitas centenas de anos o escreveu… ao contrário do cristianismo nos dias de hoje.

    P.S.: Sou agnóstica.

  8. N10 diz:

    Se o corão fosse um livro justo, então as mulheres é que deviam ter o direito de bater nos homens.
    O ser fisicamente mais fraco é que devia ter a lei a seu favor.
    Mas se assim fosse muita porradinha teria levado aquele maomé.
    Muita vez teria trabalhado o rolo da massa.
    Mesmo assim deve ser por receio que eles embrulham a cabeça em panos.
    Para amortecer.
    Nunca se sabe, quando a mulher que é um ser inferior e receptivo ao diabo, pode ecomeçar a fazer justiça por mãos próprias.

  9. Saraiva diz:

    Jaï bettancourt de Carvalho,

    Nos EUA 70% dos negros (cristãos ou ateus) nas cadeias, porquê?

    Terá alguma coisa a ver com a pobreza?

  10. Vera diz:

    “Mas se assim fosse muita porradinha teria levado aquele maomé.”

    ahahah, bem dito!

    MZ, eu sei que não tem nd a ver com o tema do post, mas cm é sábado à noite e uma pessoa não foi sair, fica em casa a divagar e volta e meia descobre umas aberrações..
    Acabei de descobrir, no site do Centro de Informação Europeia Jacques DElors que…há uma versão hiphop do hino da Europa… Muita gente diria “e dps?” Eu, por razões óbvias (pessoais), fiquei parva com esta aberração…

    2º Se os senhores aqui forem casados ou tiverem uma revista Vogue do mês de novembro aí em casa deêm uma espreitadela às páginas da Portuguesa que vivia em Paris e se mudou para Ramallah, porque ficou encantada com a cultura árabe, com as danças de mulheres encobertas que não tocavam nos homens por milímetros, e que se acabou por mudar para Ramallah, pois confessa ter mais saudades daquela cidade do que alguma vez teve de Portugal. Adora dar aulas no instituto francês de Ramallah e ter que usar um lenço por cima das calças para não se notarem muito as formas, adora ser culturalmente obrigada a deixar a porta aberta se receber uma visita masculina..adora saber que está numa cultura que está sempre a olhar para ela e a qualquer momento a pode rejeitar por coisas mínimas (tolerância em pessoa), q lhe diz que com aquela idade já não arranja marido (32 anos)e mais umas quantas coisinhas pouco naturais aqui pelas nossas bandas. ENA! Ramallah é mesmo fixe..devia começar a ficar na moda querermos recriar esse ambiente nas grandes capitais da moda!
    Ah, e vejam tb a página que diz qq coisa sobre KUDURO NA BURAKA.. onde elogiam a fantástica mistura do kizomba com sons electrónicos, e o facto de passarem kuduro em discotecas cm lux e mts outras para o público em geral e não só o angolano, a fantástica cultura de bimbalhice que (citando) “até há bem pouco tempo não tinha saído dos ghettos”.. Isto é tão bonito..oh gente, mas Madredeus para quê? PAra quê a guitarra, o violino, o piano..qd temos estas obras de arte divulgadas e de consumo fashionmente obrigatório por revistas internacionais como a Vogue…

  11. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “””Nos EUA 70% dos negros (cristãos ou ateus) nas cadeias, porquê?”””

    Em França a partir dos 25 anos o estado dà-te 450 euros durante toda a tua vida, e paga-te 80% da tua renda, e tens a CMU (couverture maladie universelle), quer dizer todos os tratamentos de saùde de borlex !

    Todos os drogadinhos com os dentes todos podres a 100 % teem dentadura nova num valor de 2000 euros tudo gratis, a maior parte das pessoas que trabalham não téem direito a esse luxo.

    Eu recebo uma prima do estado descontada do RIS para que eu continu aguentado o meu trablho e recebo todos os anos (em vez de pagar o RIS) um cheque de 40 euros.

    O imão Bouziane expulso de França, com as suas duas mulheres e os seus 16 filhos recebia sem trabalhar 3000 euros por més em ajudas sociais !

    Em França toda gente come !

    Os EUA estão muito longe de ter esse tipo de sistèma social que è o mais generoso no mundo, e sabemos que téem um grande problèma com a drogua que eles pròprio intreduziram para quebra as revoltas socias.

    Então amigo Saraiva vamos comparar aquilo que é comparavèl.

    Sabendo que hoje em dia a França tem mais crimes e delitos que os EUA.

    Hà 5 anos a tràz veio uma delegação do FBI a França, para avisar as autoridades do prigo que corre a Europa a nivèl dos novos mercados da cocaïna e da tremenda aumentação dos delitos e principalement de crimes de sangue, onde a França està mais em baixo do que os EUA, e de facto o preço da cocaïna baixo a mais do dobro, a grama estava à 900 francos e agora està na volta de 300 ou 400, e esta a inundar o mercado.

    Mas essa comparação mesmo inadequada é tambem interessante, porque em conclusão jà vimos muito mas não vimos nada, o pior està na frente !

  12. Saraiva diz:

    Estados Unidos têm quase dois milhões de presos.

    O número presos nos Estados Unidos atingiu o nível mais alto de todos os tempos e deve superar a marca de dois milhões até o fim do ano.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2001/010326_prisao.shtml

  13. Saraiva diz:

    EUA é o país democrático de maior população carcerária, com mais de dois milhões de presos (principalmente negros e latinos), um quarto da população mundial.

    O número de presos aumentou 50% em dez anos. Há 690 presos por cada 100 mil habitantes, enquanto a média européia não chega a 100 reclusos por cada 100 mil.

    Uma terça parte dos jovens negros está encarcerada ou com julgamento pendente. O sistema de prisões legaliza a repressão racista. Um negro tem 33% de chances de passar pela cadeia uma vez na vida, frente a 4% têm os brancos.

    http://www.ucm.es/info/solidarios/ccs/arti_por/mascaras/nao_a_pena_de_morte.htm

  14. Vera diz:

    A população americana na cadeia deve é ser de quase 3 milhões. Têm 1% da população presa.

  15. Caturo diz:

    Nos EUA 70% dos negros (cristãos ou ateus) nas cadeias, porquê?

    Terá alguma coisa a ver com a pobreza?

    Não. Os emigrantes portugueses em França eram paupérrimos, viviam em barracas, e, mesmo assim, não cometiam os crimes que os norte-africanos cometem actualmente. Aliás, a percentagem de portugueses presos em França é ainda mais baixa do que a dos próprios Franceses, e, claro, muitíssimo mais baixa do que a dos norte-africanos.

    Tem é a ver com impunidade: tanto os negros como os norte-africanos, e demais não europeus, são constantemente desculpabilizados pelo sistema politicamente correcto, daí que sintam as costas quentes para abusar da lei e agredir os cidadãos nacionais.

    Mais ainda: a essa desculpabilização sistemática, junta-se a culpabilização dos brancos devido ao passado colonial europeu. Isto só reforça a arrogância dos não europeus.

  16. Saraiva diz:

    Não Caturo! Em todos os casos tem a ver com a pobreza. Simplesmente a 1ª geração de emigrantes presta-se a tudo mas as seguintes já não. Daí os encarceramentos de todas as raças e credos. O único ponto em comum é a pobreza.

  17. Caturo diz:

    Não, não é a pobreza. Se fosse a pobreza, então havia tantos portugueses como norte-africanos nas prisões francesas.

    Se fosse a pobreza, então havia tantas gangues de jovens brancos, portugueses e sobretudo do leste, como há de jovens negros.

    Portanto, não são todas as raças e credos que estão na prisão.

    E atenção que nem todas as minorias são atreitas a frequentar assiduamente as celas dos países ocidentais… nos EUA, por exemplo, onde os orientais amarelos chegaram paupérrimos, há comparativamente pouquíssimos orientais (chineses, japoneses) nas prisões.

    Portanto, o ponto em comum não é a pobreza, e sim a discriminação positiva em favor das «minorias» não europeias provenientes dos países africanos e asiáticos recentemente colonizados. E, quem sabe, talvez haja outras condicionantes, porventura de índole propriamente racial, mas não quero entrar nisso agora.

    Atenção também à influência anti-ocidental e, nesse contexto, anti-social, do Islão: a diferença de comportamento, em Inglaterra, entre indianos hindus e indianos e paquistaneses muçulmanos é por demais conhecida – os hindus tendem a ser brilhantes alunos e gente pacífica, precisamente o contrário do que se passa com os mafométicos.

  18. Caturo diz:

    Simplesmente a 1ª geração de emigrantes presta-se a tudo mas as seguintes já não

    E esta parte, claro, tresanda ao bafio da teoria da treta que é a da «luta de classes». Até parece que os filhos dos imigrantes são mais explorados do que os filhos dos nacionais, aldrabice pura e facilmente desmentível.

  19. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “””O único ponto em comum é a pobreza.”””

    Eu tambem pensava assim !

    Mas o que se passe em França è a taxa anormalement elevada da delinquençia dos magrebinos !

    Mas isso até dà vontade de rire, porque hà mais de 100 que os françês jà tinham identificado essas caracteristicas dos magrebinos.

    Mas existem muitos magrebinos bem intergrados, assim tambem tenho muitos amigos magrebinos que me dizem a mais de 20 ano, que se a França continuar a acolher mais àrabes a coisa coisa degenerar !

  20. Não posso deixar de concordar com o Caturo. Se a pobreza fosse a razão, os portugueses em França enchiam as cadeias. Nunca se viu nada tão miserável como os “bidonvilles” que os portugueses construíram, na década de 60. E onde estão hoje os filhos desses portugueses? Nos bairros da classe média, a serem assaltados pelos filhos dos imigrantes marroquinos e africanos. Será porque a 2ª geração de portugueses também se prestou a tudo, como os pais? E o resultado, qual foi? A sua argumentação prece-me muito fraca, Saraiva. Não há guetos nem bairros de barracas de imigrantes ucranianos ou russos, em Portugal. Porque será? Porque nós somos racistas? Ou porque os agregados familiares africanos, normalmente, são constituídos por uma mulher sózinha e sete ou oito filhos de 4/5 pais diferentes, entre outras razões ligadas a comportamentos próprios da cultura africana?

  21. o leitor assiduo diz:

    mas oh makina zero….se calhar tambem nao e’ comparavel(na generalidade) falar dos africanos que aqui chegam com os ucranianos….embora vindos de situacoes muitas vezes identicas a nivel financeiro..ja nao se pode dizer o mesmo a nivel de educacao e formacao.

  22. Vera diz:

    DScpem a intromissão… Mas, vêm de níveis educacionasi diferentes sim.. porque acha que preferimos os ucranianos?
    Já agora, acha que os nossos portugueses tinham mais do q a 4ª classe?
    Portugal não tem que aturar esse tipo de comportamentos.

  23. O meu caro leitor assíduo, os portugueses que iam para a França também bnão sabiam ler nem escrever. Não é uma questão de educação, mas sim de cultura…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: