Pérolas da poesia contemporânea – Candidaturas para o “Pior Poeta Português de Sempre”

coroa_louros.jpg

Ora vamos lá fazer um intervalo nas coisas sérias e deixar o espírito vaguear pelo supérfluo, pelo ridículo e pelo mais patusco (embora lamentável…) achincalhamento da língua portuguesa, desde que Gutemberg inventou a Imprensa. Presumo que estes sejam os piores “versos” (?) já publicados no idioma de Camões. Mas como a blogosfera é imensa e a minha capacidade finita, apelo aos que me lêm: ajudem-me a encontrar algo de menor qualidade e a escolher o “Pior Poeta Português”…

Aqui estão mais duas sérias candidaturas:

Leiam, dêm umas boas gargalhadas, mostrem aos amigos e usem como exemplo para os vossos filhos, fazendo-lhes ver que, se não comerem a sopa toda, serão como eles, quando crescerem. Até dia 10 de Novembro, aceitam-se mais candidaturas ao “PPP” (“Pior Poeta Português”). A partir de dia 10 de Novembro, proceder-se-á à votação, através de email, de acordo com o regulamento que nessa altura será divulgado. Participa. Vem e traz um amigo também…

211 Responses to Pérolas da poesia contemporânea – Candidaturas para o “Pior Poeta Português de Sempre”

  1. E prémio pior escritor português não há?

  2. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    ” (…) Mas como a blogosfera é imensa e a minha capacidade finita, apelo aos que me lêm: ajudem-me a encontrar algo de menor qualidade e a escolher o “Pior Poeta Português”…, escreve MZ. Caríssimo, não é a pessoa mais indicada para dar conselhos de leitura e não só… A nossa opinião baseia-se pelo que vemos no seu blogue, claro está. Falta de criatividade, erros ortográficos, racismo… Uma cesta bem recheada de maus exemplos. Temos vindo a acampanhar a sua evolução, que tem sido… nenhuma. E claro, a contribuirmos com os nossos comentários…

  3. Ainda estou à espera que você me explique onde é que há uma frase racista, no meu blogue…

    “racismo”:
    s. m.,
    doutrina que tende a preservar a unidade da raça e assenta na suposta superioridade de uma raça que se confere o direito de exercer domínio sobre as outras;
    reacções ou atitudes que se harmonizam com esta teoria;
    mostras de hostilidade face a um grupo social ou étnico.

  4. Continuo à espera…

  5. Vou esperar a dormir, você parece estar com alguma dificuldade em responder… Até amanhã!

  6. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    Você é que parece (parece não, tem mesmo) ter memória curta. Curtíssima, mesmo! A resposta encontra-a no seu blogue. Não é difícil. Encontrou? Não?! Vá, veja melhor. Abra os olhos.

  7. É muito simples responder a essa questão. Alguém que nunca ofende ou critica a sua própria raça e, ao mesmo tempo, procura de todas as maneiras possíveis criticar ou inferiorizar as restantes, dá-se o nome de…? Mas tudo fica ainda mais esclarecido quando lemos no seu blog posts como “Um crime racial esquecido”…se quiser eu aponto-lhe alguns em que as vitimas não constituam pessoas da nossa etnia. E, claro, que dizer “preto”, “branco”, “raça”, “exterminio”, “Hitler”,…não significa à partida racismo, mas o contexto destas palavras encaixam num discurso que ultrapassa o bom senso e a maturidade. O que mais lamento é que, no seu caso, não posso dizer, “deixe lá que isso com a idade passa…”

  8. Minha cara: a referência a um crime racial (cuja existencia está absolutamente confirmada) constitui uma demonstração de racismo? Então a referência aos campos de extermínio nazis é uma manifestação de nazismo? O seu comentário merece honras de post! ainda hoje, irei colocá-lo (e comentá-lo) na página principal deste blogue…

  9. Fico à espera que me aponte os tais posts que são racistas. É curioso, você já é a 10ª ou 11ª pessoa que me acusa de ser racista e a quem eu peço para me citarem uma frase escrita por mim onde seja explícito esse racismo… Mas ainda não consegui uma resposta… Porque será?

  10. Se já sou a décima pessoa a afirmar tal coisa…se calhar até é porque tenho razão naquilo que digo não? Mas enfim… Claro que referir um acto criminoso que realmente aconteceu não é um acto de racismo. Mas quando olho para o seu blog não encontro referências a actos indignos, violentos ou controversos por parte de outros senão os africanos, os mexicanos, os muçulmanos,… Acho que é de uma falta de sensibilidade, para não dizer outra palavra, a maneira como descreve os mexicanos. Eu sei que são imigrantes ILEGAIS e, por isso mesmo, responsáveis por actos criminosos, contudo penso que nem todos os mexicanos devem ser anormais, corruptos, traficantes ou assassinos! Mas, ainda assim, o senhor não encontra nenhuma frase de carácter preconceituoso no seu blog! Ou prefere a negação ou tem apenas vergonha…

  11. Bem, ó Diana Oliveira, então, vamos a ver se percebo! Primeiro, você aponta como exemplo do meu racismo o post “Um crime racial esquecido”. Depois diz que “referir um acto criminoso que realmente aconteceu não é um acto de racismo.” em que ficamos? Você às vezes baralha-se um pouco, não é?
    Acho brilhante a sua afirmação de que eu não faço referência s a actos indignos, violentos ou controversos pornparte de brancos! Se eu flase mal dos barncos, então já não hvia problemas…
    Quanto ao post sobre mexicanos, sabe que as autoridades consulares recomendam que nunca apanhe um táxi nas ruas da Cidade do México? O crime mais frequente, muitas vezes com violência sexual e armas de fogo, é o roubo dos passageiros, por parte dos motoristas de táxi. O México é um país onde a criminalidade, o tráfico de droga, acorrupção atingem níveis inacreditáveis. Esta é a realidade. Mas eu não posso dizê-lo? Porquê?

  12. Você à 11ª pessoa a acusar-me de racismo. Entre as 64.963 que visitaram este blogue. Está em boa companhia.

  13. Mas continua a não encontrar neste blog afirmações discriminatórias? Isso já é mais que “tapar o sol com a peneira”…

  14. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    É mesmo difícil o caro MZ abrir os olhos. Diana Oliveira tem toda a razão, mas o autor deste blogue tem dificuldade de chamar os bois pelos nomes. E depois, quer atirar areia para os olhos dos outros.

  15. Então de modo a não deixar mais duvidas ou a não levantar mais questoes. Penso que o seu blogue é de um caracter neowilsoniano único. Nunca antes visto na historia da blogosfera. A consideração que tem pela natureza humana é deveras incrível! E já que estamos a pegar em exemplos e generalizar devo dizer que, todos os mexicanos são, de facto, muito violentos, visto que há tanta criminalidade no país. Já agora também todos os americanos, porque senão como poderiam os EUA ser uma potência mundial. Ou então, todos os brasileiros são criminosos, porque existgem tantas favelas no país. E finalmente, todos os portugueses são corruptos, ignorantes, incompetentes (etc), só porque alguns já deram exemplo disso! Todos pagam por um, alguns, muitos. É uma filosofia e tanto! Já não é necessário determinado contexto para analisar determinada situação. Vamos simplesmente generalizar em relação a tudo. Ou outra ideia: vamos então condenar toda a humanidade pelos seus erros! Mas sem esquecer as 64.963 que visitaram o seu blogue… Certamente essas devem tar todas de acordo consigo! E como eu não pretendo continuar a fazer parte dessa estatística retiro-me! Pois quem está incomodado retira-se e os seus pontos de vista, realmente, incomodam-me!

  16. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    Diana Oliveira é livre de o fazer, mas de vez em quando dê uma espreitadela e a sua opinião. Sabe que como alguém já disse, pessoas como o MZ mudam de opinião ou de assunto (quando este não lhes convém, por falta de argumentos convicentes…), com um estalar de dedos. E depois, quem é que fica com a razão?! Nós! Vá dando umas tacadas. Pode ser que se faça luz na cabeça de MZ.

  17. Em pleno Sec XXI, existem gravissímos problemas de imigração ilegal, como o senhor faz questão de referenciar vezes sem conta no seu blogue. Sim, existem realmente muitos problemas de imigração dos países do terceiro mundo para os países ditos desenvolvidos. Essas pessoas imigram em busca de uma melhor qualidade de vida; e vêm de áfrica, do sudeste asiático, do médio oriente, da europa de leste e da américa do sul, etc…

    E eu só consigo ver um grande culpado nisto tudo. O mundo cristão, ocidental, ou como lhe queira chamar. O nosso portugalzinho é também um dos culpados desta imigração. Fomos nós que invadimos áfrica, a colonizamos, e lhe tiramos todos os recursos explorando tudo o que havia a explorar, incluindo as gentes africanas, as quais escravizamos e tratamos como animais durantes séculos. Às quais impingimos o catolicismo, abolindo as suas crenças. É este o orgulho que o senhor tem do seu país? Não me venha falar em crimes raciais se não sabe nada de história. E o Brasil? Esse paraíso tropical… o qual nós exploramos! No qual nós exterminamos uma série de tribos indigenas que povoavam o território na época.

    Pois é… chama-me anti-semita, mas se leu bem o meu post, em nenhuma vírgula eu demonstrei algum tipo de anti-semitismo ou não leu a parte do “Quando é que os povos da Palestina, árabes e judeus, vão poder viver em paz?”? Eu apenas demonstrei, aliás, demonstro, afirmo e reafirmo que a corja politica israelita deveria ser presa e condenada por crimes de guerra, por falta do cumprimento das resoluções da ONU, por ocupação ilegal de territórios, por reter presos arbritários sem direito de defesa, pela construção de um muro de apertheid, etc. Só não vê quem não quer. Deixe-me adivinhar, você foi dos que apoiaram a invasão do Iraque? E dos que apoiaram mais recentemente a invasão do Líbano?

    Fala dos muçulmanos como se tivessem o diabo no corpo. Mas tolo sou eu ao pensar que as pessoas ainda podem mudar… Meu senhor, você que se orgulha de ser cristão, bem pode ter vergonha da sua religião. Fala das mulheres muçulmanas, que são relegadas para segundo plano. Tudo bem. Mas e as mulheres cristãs? A inquisição lembra-lhe alguma coisa? As mulheres sempre foram, e continuam a ser tratadas como seres inferiores por esta igreja feita à imagem masculina. Agora que vem o referendo ao aborto, e a igreja nem sequer se deu ao trabalho de disfarçar, apelou ao “não” como voto aconselhado a todo o cristão.

    Num ponto de encontro de barbariades com uma forte vertente preconceituosa o senhor exprime todo o seu pensamento conservador e retrogado. Meu caro Maquina Zero, o seu pensamento é, como já referi, uma vergonha para mim português, uma vez que apesar de me orgulhar do meu país, tenho muita, mas muita vergonha e desprezo pelo seu passado colonialista. E por isso, ao invés do senhor, não critico quem tenta sair do seu país procurando dar melhores condições de vida aos seus filhos e familiares, imigrando para países mais desenvolvidos. Penso que nós todos, estamos em dívida para com África! E devemos, sem sombra de dúvidas, acolher aqueles que tentam fugir da morte. Porque enquanto o senhor e mais uma elitezinha de portugueses nacionalista, continuarem a ver os africanos, os mexicanos, os brasileiros, os europeus de leste, os asiáticos (etc) como criminosos, então estes haverão de ser sempre colocados em guetos e serão escravizados.
    Em vez de, diarimente, colocar lixo no seu blogue, deveria sim, parar e reflectir um bocado. Talvez assim conseguisse escrever artigos em condições e não apenas deixar-se influenciar pelo império, e transcrever, traduzindo, as ideias deste no seu blogue.

    Por isso é que é esta guerra é da ignorância. Da ignorância dos povos que apenas se deliciam com o telejornal das 20h. Da ignorância daqueles hitlers, que querem ver o mundo livre dos pretos, dos amarelos e dos vermelhos. Da ignorância dos pais que só sabem ensinar balelas aos filhos. Não veja só o que está à sua frente, tente ver além. A sua opção de pensamento é um regalo para mim, pois só assim posso dar valor ao que penso e acreditar que realmente, um mundo melhor é possível. E enquanto houver pessoas que pensem como o senhor, a tarefa será dificil, mas é tudo uma questão de tempo.

    Este comentário vem em seguimento do post Guerra da Ignorancia em Balloon comentado pelo senhor MZ.

  18. Bernardino diz:

    Este maquina zero é uma rica pérola. Ai é, é. é uma pérola de se deitar para o caixote mais próximo de nós.

  19. Espero que o Tiago Pregueiro já tenha preparado um quarto, na sua casa, para acolher alguns imigrantes africanos,já que ele considera ser essa a obrigação dos portugueses. Mas pasme-se! o jovem considera escandaloso que a Igreja seja contra o aborto?!?!? A Igreja não tem direito a ter posição? Grande democrata….

  20. Ah calma lá amigo. Não meta os pés pelas mãos. Eu não disse isso. Sabe ler? Então se sabe ler, não tente distorcer o que eu escrevi.

    “Agora que vem o referendo ao aborto, e a igreja nem sequer se deu ao trabalho de disfarçar, apelou ao “não” como voto aconselhado a todo o cristão.”

    A Igreja tem todo o direito a ter uma posição! Mas essa já é mais que sabida, e nem é vale a pena comentar. Agora o que me espanta é uma igreja que se diz superior e institucionalmente modernizada, aconselhar os seus crentes a votar no “nao”. Isso não é liberdade de escolha, isso é tentativa de influenciar os outros!

  21. Bernardino diz:

    Cheguei há pouco tempo a este blogue mas pelo li, e já li muito. O MZ não sabe ler e distorcer o que as pessoas dizem é o que de melhor ele e o seu movimento de Direita sabem fazer. Por isso, não estranhe Tiago Pregueiro.

  22. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    A Igreja Católica tem todo o direito de ter a sua posição, em relação ao aborto. Mas, é evidente, que ao dizer para votarem Não, está a influenciar. Quem é que poderá ter dúvidas deste facto, que já tem barbas. Só o caro MZ.

  23. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Permitam-me entrar na discussão…

    Penso que importa referir-mos o que entendemos por racismo. Neste caso e segundo a literatura internacional será necessário a presença de três aspectos:

    “- A “naturalização” de um grupo, que tem como base a identificação de elementos de um grupo com base nas suas características físicas naturais;
    – A percepção do “outro” como uma ameaça;
    – O apelo a medidas de protecção, discriminação ou segregação.”

    Assim, não considero que existam posts racistas neste blog, talvez alguns posts mais xenófobos do que outros… Na realidade, considero que é através da leitura do blog em si, na conjugação de todos os posts, que se verifica aquilo que poderá ser definido como uma atitude racista…

    Será que, e deixo as questões para debate…

    Os imigrantes estão a invadir-nos?
    Os imigrantes vêm roubar empregos e fazer baixar os salários?
    Os imigrantes vêm desgastar a nossa segurança social e são parasitas a viver de subsídios?
    Os imigrantes estão associados ao crime?
    Os imigrantes trazem-nos doenças?
    Os imigrantes “ilegais” são perigosos?
    Os imigrantes rejeitam Portugal?
    Os imigrantes vão colocar em risco a nossa cultura e as nossas
    tradições?

    a resposta SIM a estas questões, como parece ser intenção (pelo menos em algumas das questões), deste blog (e não de determinados posts em particular) é que torna assumida uma postura racista e xenófoba…

    …desculpem ser tão directo…

    Já agora, e antes que venha esta acusação, ideológicamente sou de direita, mas não de extrema-direita…

    Um abraço a todos

  24. Meu caro: Você pergunta, por exemplo, se os imigrantes nos trazem doenças. Eu digo-lhe que do total de imigrantes residentes em Portugal, os portadores de SIDA provenientes de África são 84 por cento do total. E que no Algarve, p.ex., os africanos são apenas 27 % dos estrangeiros, mas representam 70 % dos casos de SIDA notificados.
    Este estudo científico, portanto, é racista, certo? Porque responde sim à sua questão.
    Solução? a) Não fazer estudos científicos; b) Alterar o resultado dos estudos científicos, quandos os resultados são racistas; c)Lamentar que as nossas crianças/jovens estejam entregues a docentes como o Miguel Valério…

  25. Já agora, de acordo com um estudo do ISCTE, de Maio de 2002, a maioria dos jovens negros, embora nascidos em Portugal, não se identifica com os portugueses. Mais uma resposta afirmativa para o seu questionário. Já são duas, ambas resultantes de estudos científicos.
    Mas sou eu que sou racista ou sao estes estudos científicos que são racistas?

  26. Finalmente alguém de direita que mostra que afinal não só são os esquerdistas que pensam que este blog tem uma grande componente xenofoba e racista… E este hein? E agora? Já não se pode defender dizendo que é mais um esquerdista a ataca-lo.

    Muito bem, Miguel Valério.

  27. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Caro MZ:

    Em relação ao comentário #25:
    1) O estudo que apresenta refere, realmente, uma incidência maior de casos de HIV/SIDA na população imigrante.
    2) Não refere contudo, o momento do seu contágio…
    3) Aliás, chega a referir que “Nos países desenvolvidos há evidência de que o VIH se está a mudar para as comunidades mais pobres e desfavorecidas, com as mulheres em particular risco de infecção” e que “Dados epidemiológicos europeus mostram que a proporção de novos casos de SIDA em migrantes está a aumentar.”
    4) Será, assim, correcto identificarmos o problema como unica e exclusivamente “deles”?
    5) Não poderá ser devido ao fenómeno de exclusão em que são colocados no país que os recebe, devido a determinadas mentalidades que defendam ainda o determinismo biológico?

    Em relação ao comentário #26:
    1) Identificar não significará o mesmo que rejeitar… Eu posso não me identificar consigo, mas não significa que o rejeite enquanto membro da espécie humana. Concordará certamente comigo…
    2) Os motivos pelos quais tal acontece, poderão estar relacionados com o anterior ponto 5)

    Permita-me ainda algumas observações:
    1) Já nos habituamos ao facto de tentar justificar as suas opiniões, através do aproveitamento de partes das suas fontes. Como deverá saber as partes (e a sua soma) não são igual ao todo;
    2) Em momento algum pus em causa a sua actividade profissional… Aliás, nem sequer se qual é. Aliás, nem sequer sei o seu nome verdadeiro. Assumo as minhas atitudes e comportamentos, sem ter problemas no facto das pessoas saberem quem eu sou…
    3) Fique ciente que não defendo o contrário de si, como normalmente costuma supor a partir de outros comentários. Apenas defendo que os assuntos não serão como refere… Digo isto para que não venha referir que eu digo que a culpa é dos portugueses… apenas disse que não será apenas da população imigrante…

    SOLUÇÃO… Continuar a realizar estudos científicos, metodológicamente correctos, em que ao referenciá-los o façamos sem retirar apenas as partes que corroboram as nossas afirmações…

    Um abraço a todos…

  28. E o ISCTE? Também é racista? E as professoras Domitília Faria, Assistente Hospitalar de Medicina Interna do Hospital do Barlavento Algarvio e Helena Ferreira, Assistente Graduada de Saúde Pública, da Comissão Distrital de Luta Contra a Sida/ARS do Algarve? Também são racistas?

  29. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Acho que já lhe respondi no post anterior…

  30. Resumindo, meu caro amigo de Direita: a culpa não é de ninguém, o problema da exclusão existe e devemos aumentá-lo, continuando a importar imigrantes que constroem guetos como a Cova da Moura, certo?

  31. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Será que a única forma de impedir o processo de exclusão é excluindo a sua vinda…

  32. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Ainda em relação à ideologia…

    Penso que um dos aspectos presentes em todas as ideologias é o respeito pelo ser humano…

    Assim, não compreendo o aspecto pseudo-ideológico deste “debate” de ideias

    Apenas o referi, para que não dissessem, como justificação para as minhas palavras que… “é de esquerda…”

  33. Portugal é lindo e mais nada... diz:

    “Resumindo, meu caro amigo de Direita: a culpa não é de ninguém, o problema da exclusão existe e devemos aumentá-lo, continuando a importar imigrantes que constroem guetos como a Cova da Moura, certo?”, diz MZ. Errado! Muito errado! Nota 0!

  34. Bernardino diz:

    Ainda o maquina zero diz que não faz discriminações. Irra!!! O melhor é bater com a cabeça numa parede para ver se se faz luz.

  35. […] “Penso que nós todos, estamos em dívida para com África! E devemos, sem sombra de dúvidas, acolher aqueles que tentam fugir da morte.” – diz o Tiago Pregueiro, a propósito da imigração proveniente de África, num comentário feito neste blogue. […]

  36. Ora aí está uma questão interessante, colocada pelo Miguel Valério: será que a única forma de impedir o processo de exclusão dos imigrantes é excluindo a sua vinda? Volto ao exemplo europeu, onde o fenómeno da imigração é mais antigo. O que se passa em França e na Alemanha? Quais são as comunidades que se integraram e quais são as que construíram guetos? Porque razão comunidades diferentes tiveram destinos diferentes, na mesma sociedade de acolhimento?

  37. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    A minha resposta à questão que coloquei, e que estava (penso eu) implícita no meu comentário anterior é simples:

    NÃO

    Não é essa a forma de combater a exclusão. Obviamente que a questão da exclusão e outros problemas associados têm que ser trabalhados e interpretados correctamente, sem extremismos de qualquer espécie.

    Só desta forma (em conjunto e em diálogo intercultural) será possível elaborar e promover estratégias eficazes e eficientes para (tentar) colmatar e diminuir este problema que é a exclusão social da população imigrante em Portugal.

    O papel, por exemplo, do mediador sócio-cultural (aprovado recentemente em Portugal) poderá ser fundamental para o sucesso e para o atingir dos objectivos, ou seja, para a integração social desta população no nosso país…

    Um abraço.

  38. apenas me continua a intrigar porque razão devemos ampliar um problema que já atinge uma dimensão preocupante – a exclusão qeu afecta a comunidade africana. Por cada família que consegue sair desse círculo vicioso, surgem cinco, recém-chegadas dos seus países de origem. Evaziar um ocenao com um dedal é complicado.

  39. nasci no guetto diz:

    ………………………no coments

  40. nasci no guetto diz:

    a razao da exclusao social deve se ao soberbo desempenho do governo em ajudar kem mais precisa pk nem toda as pessoas k vivem nestes “guettos” vivem da criminalidade muitos sao pessoas de bem k so kerem ter uma casa decente….

  41. Camões diz:

    Tu, que nasceste no guetto não achas que essa minoria de bem deveria estar numa zona com mais condições?
    Então que cada imigrante ou filho dessa gente, apanhado a cometer ilegalidades seja imediatamente deportado para o Sul do Sahara com o país de origem dessa gente a ter uma nota acerca dos crimes que ele cometeu.

    NACIONALIDADE PORTUGUESA PARA AFRICANOS NÃO LUSOS NÃO!!!!!!!!!!1

  42. Camões diz:

    Africanos Lusos são aqueles Portugueses que saíram da sua pátria para colonizar e levar religião e desenvolvimento a África, num gesto de solideriedade e altruísmo para com aqueles povos.

  43. nasci no guetto diz:

    isto e pra ti camoes “essa gente “n se resume aos afrikanos como toda a gente sabe existe os ciganos os da europa de leste k tb vivem nesses “guettos” a resolucao de muitos problemas e de kem e humano e ker ajudar nao e individuos como tu camoes k ao tentar dar a sua opiniao critica etc so gera mais confusao pk o k acabaste de dizer nao faz kualkuer sentido, e logo ve se k es dakeles brancos nacionalistas k ker a forca ter o portugal todo “branco” mas enfim ainda existe gente insignifikante…

  44. nasci no guetto diz:

    correccao “dessa gente”

  45. nasci no guetto diz:

    brancos “descobrem” África, escravizam-nos + d 500 anos! os africanos lutam pela independência e vcs dxam td estragado pra África s auto-foder nas maos d ditadores! prendem os imigrantes em ghettos (k sao 1 convite pro crime a tds os jovens) e dps têm a lata d dizer k somos tds macacos?! fds, s a ignorancia mata-s n tinha d ler esta merda k vcs racistas escrevem! a vcs era mandar-vos tds PRO INFERNO (refiro-m a racistas, nao aos brancos)

  46. Camões diz:

    Tu, que nasceste no guetto não achas que se ajudariam os negros levando-os para a sua terra? que penso ser-lhes querida, para que vivam entre os seus?
    Eu não quero expulsar daqui os pretos todos, só aqueles que não estão aqui a fazer nada. Se a terra não é deles vão-se embora. Eu tenho amigos negros e alguns deles até nem fazem nada e esses, de certeza seriam mais felizes em África. Outro problema é a corrupção genética, eu moro perto de um guetto e vejo algumas europeias com filhos de negros e isso revela duas coisas:
    1- Que são pessoas (essas mulheres) que tiveram grandes problemas e a sua vida resultou nessa degradação.
    2- Ou então simplesmente (MUITO MAIS GRAVOSO) os pais não ensinaram a essas pessoas qual é a sua identidade, mulheres como Heidi Klum que se deixaram corremper pelas vias do multiculturalismo degradam o seu povo.
    Não entendo o porquê de mulheres europeias quererem ter uma vida com homens africanos, eu por exemplo, acho as mulheres africanas geralmente muito mais feias do que as europeias, judias e outras.

  47. Camões diz:

    Primeiramente, eu não me considero racista porque acho que, apesar da superioridade civilizacional Euro-Judaico-Cristã e da incomparável beleza das mulheres judaico-arianas um africano é antes de tudo um ser Humano que tem direito á vida e a sentir-se feliz.
    Só não acho que tenham direito a entrar em terra alheia e tornarem-se nos parasítas que hoje se tornaram pois a nível económico nem vale a pena falar, depois vêm para cá e querem ser alguém, eu tive vários familiares emigrados e nenhum deles foi para a terra dos outros (exceptuando a América que é dos Europeus e de alguns indigenas) querer ter tantos direitos como os outros, um imigrante deve querer voltar para a sua terra, se vem para cá criar raíses deve ser alguém que tenha de provar a sua boa intenção e dignidade e nunca pode por em causa a qualidade de vida da população autóctone. Sabes quantas vezes me roubaram auto-rádios nos últimos dois anos? Guetto-nigga-boy?
    6 se pensares que tenho três carros e cada auto-rádio custa em média 180-200€ vais ver que… enfim por duas vezes os assaltantes foram vistos por vizinhos e uma terceira foram impedidos de roubar por um vizinho que, por acaso era negro e eu evidentemente fiquei-lhe agradecido. Mas e os assaltantes eram… também AFRICANOS!
    A vida é injusta não é?
    Eu nunca roubei um auto-rádio a um preto, sabes quantas vezes me tentaram assaltar ifrutiferamente? Quatro e só uma vez foi um grupo de brancos´.
    A minha mãe, avó, avô, irmão mais novo já foram assaltados em plena luz do dia e porque grupo étnico? AFRICANOS
    Nunca fui roubado por ciganos e nunca ninguém de leste me fez mal, a minha namorada é ucrânaiana e até penso que Portugueses e Russos, Ucrânianos, Eslavos em geral partilhamos a mesma linha de valores, com os africanos não é bem assim, e não me venham falar da língua!!!
    Povos superiores (civilizações) sempre escravizaram inferiores, da mesma raça ou não, sejam eles Egipcios (que há a possibilidade de terem sido negros e escravizaram Hebreus, Líbios, enfim); Gregos que escraizavam Trácios, Romanos que escravizavam Germanicos e Caucasianos (do Cáucaso), enfim houve uma época em que Europeus escravizaram Africanos mas só os Europeus acabaram com a escravatura que continua a ser praticada em África ou no Haiti. Ou será que não?
    Não foram os africanos que se escravizaram primeiro uns aos outros? Não foram os chefes lá da vossa nobilissima civilização africana que trocaram dezenas de escravos e quilos de Ouro por uns poucos panos? Não foram os africanos que se escravizaram uns aos outros antes dos Europeus terem aí chegado?
    Nega o que quiseres, ó preto, mas a tua (será que pode ser assim considerada)civilização era increvelmente mais imperfeita, mais atrasada do que a dos Romanos ou Etruscos no inicio de 500 a.C.

  48. Camões diz:

    Se prender imigrantes só porque vivem no guetto é um convite ao crime para todos os jovens, das duas uma, ou esses jovens deveriam ir para a prisão ou então haveriam sim, de serem recambiados para a terra deles onde deveriam ser encarcerados par não violentarem também os seus compatriotas. porque a cima de tudo um Africano é um ser Humano e um Afro-Europeu é apenas um ser humano perdido, longe de casa.

  49. Sydnei diz:

    “Africanos Lusos são aqueles Portugueses que saíram da sua pátria para colonizar e levar religião e desenvolvimento a África, num gesto de solideriedade e altruísmo para com aqueles povos.” Você só pode estar brincando…

  50. Camões diz:

    Au, a cima de tudo, considero-me Português, seguidamente Europeu mas também um bocado Africano uma vez que a minha geonologia recente é a seguinte:
    4 bisavós Portugueses, nascidos na Beira Baixa, dos quais apenas uma pessoa se veio instalar nos arredores de Lisboa e hoje, com 98 anos quer ir morrer á terra, deixada ao abandono pelas gerações mais novas.
    1 bisavô nascido em Trás-os-Montes que posteriormente migrou para Angola
    1 bisavó que migram tão cedo para Angola que, segundo meu Avô, não se lembrava da terra que a viu a nascer.
    1 bisavô nascido em Cabo Verde filho de um casal Minhoto.
    1 bisavó que nacseu em Cabo Verde, sendo a quinta e única filha de um casal proveniente da Irlanda a nascer em África. Este facto, a meu ver não mina a minha Portugalidade, apesar da minha mãe se afirmar Angolana de Nacionalidade Portuguesa.

  51. Camões diz:

    Pois não me venham com a peta do colonialismo
    Os pais dos meus bisavós cabo-verdianos eram pobres em Portugal, através do trabalho os seus filhos, foram adquirando mais poder económico e alcançaram uma qualidade de vida muito superior á minha pois 1 grande casa com quintal perto da Praia na cidade do Mindelo e outros edificios que tinham edificado legalmente por toda a ilha; na década de 30 eram dos poucos a dispor de um carro em Cabo Verde e ofereceram vários empregos aos negros quer tenha sido na construção, no negócio da família ou na criadadagem para a casa.

    Eu, sou tão africano que até tenho negros na minha família pois o meu bisavô Cabo Verdiano era mais velho que a minha bisavó e como tal teve filhos bastardos com negras antes do casamento. e hoje em dia eu dou-me com os descendentes desses meio-irmãos da minha avó, que são negros, tal como tenho alguns bons amigos negros e até penso que seriam mais felizes em África, pobres mas felizes pois eu perfiro ser pobre que ser preso e é para a prisão que caminham 60 ou 75% dos africanos jovens que conheco.

    Pois estes meus bisavós morreram pelo que a minha avó teve de ir para Angola, para casa de uns primos pois uma senhora jovem não deveria ficar por si só nem em casa de pretos.
    A minha avó que se viu obrigada a vender parte dos bens encntrou-se em Angola sem futuro, mais pobre e teve de ir venendo os seus bens ao longo da sua vida para sobreviver porque não ficou para sempre em casa dos primos.

  52. Camões diz:

    (cont.) A Guerra Colonial começou com os pretos a matar os brancos por racismo, para os expulsar das suas terras de há 500 anos (Terras que são o passado da minha família e as quais eu deveria ter o direito de as visitar como se fossem minhas, como se fossem parte integrante da minha pátria) e para ganharem uns trocos cedidos pelos Americanos e Soviéticos. (Ora, isto é racismo porque os Portugueses ajudaram os povos de África levando-lhes uma língua de gente civilizada falada por todo o mundo, cidades de gente Humana, edificios majestosos, algumas riquezas apesar de poucas e uma religião de luz, the right one, JÁ PARA NÃO FALAR de que os Portugueses em África aquando do 25 de Abril eram 1 milhão, o mesmo número de africanos que agora está em Portugal e nenhum Português obriga as crianças negras a ver cabeças decapitadas de negros como a minha mãe viu de brancos aos 14 anos quanda estava afastada da mãe a trabalhar com uma prima na cruz vermelha no norte de Angola, pois vós que se acham maltratados vão pesquisar como os outros europeus, nomeadamente os belgas tratavam os africanos no Congo)

    O (pouco) engraçado é que a minha avó perdeu todos os bens que vendeu em Cabo Verde pelo que só tinha os seus bens de Angola até ter sido selváticamente expulsa de sua terra, Angola Portuguesa, depois do 25 de Abril, quando tinha acabado de comprar uma casa em Angola com o dinheiro dos bens de Cabo Verde.
    A minha avó diz que no dia em que embarcou uma multidão de negros gritava:
    “Esta na hora, está na hora
    De voçês irem embora” enquanto que alguns negros insultavam os Portugueses que partiam. A minha avó voltou a Portugal pobre como nunca se viu na vida só com uma misera renda que lhe chegava de uma casa em Cabo Verde e o seu salário de “chefe dos correios ultramarinos”. Pois hoje a minha avó vive num lar que cobra 1400€/mês quando ela recebe 750€/mês e o Estado não comparticiopa por duas razões:

  53. Camões diz:

    (cont.)
    Voltando atrás a minha mãe hoje é professora mas trabalhou para pagar o curso, os Portugueses viam mal os retornados, culpavam-nos pelos até pela morte dos seus entes queridos na guerra, POIS MORRERAM COM HONRA, BRANCOS E PRETOS E AMARELOS QUE COMBATERAM DO LADO DO IMPÉRIO NUM MUNDO DE ESQUERDA EM QUE A EUROPA NÃO AGUENTAVA O PESO DOS SEUS IMPÉRIOS, e depois ainda tenho de ouvir pretos complexados e pior ainda, brancos vendidos! E sim, custa-me ver porrtuguesas carregando filhos de negros na barriga, que degradação, que degeneração!!!

  54. Camões diz:

    (cont.)
    Mas o que mais me doeu foi ver aquela pessoa que nos permite tudo na infância, que nos dá tudo, amor, carinho, brinquedos, doces mesmo que não tenha dinheiro para o fim do mês. Essa pessoa era uma prima da minha Avó nasida em Angola que morreu repentinamente na Amadora aos 89 anos mas, três meses antes de morrer começou a falar repetidamente de Angola, que queria ir para a sua terra, para Luanda ver como estava aquilo, que não se importava mais com a guerra porque o que ela queria era morrer lá em paz. Hoje o seu corpo está no cemitério da Amadora, está enterrada longe de onde os seus pais, nacidos em Angola estão enterrados.
    POIS ELA FOI EXPULSA DA SUA TERRA PELOS MESMOS PRETOS QUE REINVINDICAM HOJE PORTUGAL COMO A SUA TERRA E QUE TÊM NO MEU PAÍS, NÃO RARAS VEZES MAIS DIREITOS QUE EU, revoltante!!! Pois dói-me tanto ou mais ver a minha bisavó de 98 anos nascida no interior do país dizer que vai para a terra mas não pode porque o interior deste país não tem condições de vida, é votado ao ostracismo e está tão degradado como a Cova da Moura… Tão?
    Vão ver a Escola primária da Cova da Moura! Hão de me dizer porquê que a Cova tem uma escola em tão boas condições enquanto que no coração do país, o Interior, se fecham escolas e as que as há estão muito degradadas.
    POIS CADA PORTUGUÊS QUE CONTINUA NO INTERIOR DEVERIA TER O DOBRO DO APOIO DADO A UM AFRICANO MAS NO ENTANTO SÃO VOTADOS AO OSTRACISMO, O MEU BEM HAJA A ESSES COMPATRIOTAS!
    Se é que Portugal tem futuro e contra todas as evidências eu quero acreditar que sim, esse futuro passa pelo nacionalismo.
    Quem é o racista agora, preto estúpido.

  55. Camões diz:

    Dei-me agora conta de que “o sócio que nasceu no guetto que se calhar desvaloriza o valor da minha casa por estar tão perto” acusou-me de querer ver “Portugal todo branco”.
    Jovem, eu sei que provávelmente nem sequer lerás isto mas digo-vos desde já que eu não quero ver Potugal todo branco. O verde do nosso campo, o azul dos nossos mares, as cores das nossas montanhas, ver Portugal todo branco é igual a ficar cego e eu não desejo isso a ninguém quanto mais a mim próprio. O que eu desejo é que o povo de Portugal, que por acaso é branco, tenha direito ao seu país e que a haverem imigrantes que sejam aqueles com que mais nos identificamos em termos histórico-ético-culturais, Europeus Cristãos ou Judeus que não me fazem diferença.
    O povo Português é branco? olha azar!!

  56. Camões diz:

    Maquina Zero gostava que lesses a minha resposta áquele que naseu no guetto e a comentaste pois tu e a Vera são os mais equilibrados daqui, por quem eu me pauto e tomo como exemplos a segur.

  57. Camões diz:

    Peço desculpa pelos erros.
    Vinha humildemente pedir aos comentadores mais equilibrados daqui do sítio, o Máquina Zero e a Vera que lessem e comentassem a(s) minha(s) resposta(s) áquele que nasceu no guetto pois considero-vos como exemplos a seguir.

  58. Teixeira diz:

    Camões? Só vês de um olho?

    ^^

  59. Camões diz:

    Para aqueles que nascem no gueto, sejam pretos, brancos, amarelos, verdes, a Linda Reis ou até mesmo o Castelo Branco:
    Eu que gostava de saber porque me tomam como um racista é que eu não me considero um e tenho medo de vir a ser, também gostava de saber porque me chamam ignorante, se por acharem giro ou se porque são mais iluminados, poi então venho humildemente fazer novo pedido:

    Por favor, povo do Gueto, iluminem a minha alma pois tenho uma ânsia insaciável de saber mais para assim poder fazer as melhores escolhas por mim e por esta nação que se afunda. Se sou nacionalista, racista ou a reencarnação do Hitler já nem sei agora qualquer tipo de iluminação é bem vinda á minha alma.

    Por favor, povo do Gueto ilumina-me!!!

  60. Camões diz:

    Senhor Teixeira eu gostava de ter acesso á outra versão, nomeadamente á sua, impota-se de ser o meu olho ferido aquando do combate aos mouros no Norte de África?

  61. Teixeira diz:

    Caro Camões, não quero baralha-lo com a minha “versão” sobre as suas teorias. As suas contradições levariam “séculos” a escalpelar.

    Deixo-lhe apenas para reflexão, uma das suas pérolas:

    “A Guerra Colonial começou com os pretos a matar os brancos por racismo, para os expulsar das suas terras de há 500 anos (Terras que são o passado da minha família e as quais eu deveria ter o direito de as visitar como se fossem minhas, como se fossem parte integrante da minha pátria)”.

    Elucidativo quanto às suas incoerências.

  62. Camões diz:

    Se o direito de ter como pátria a terra dos meus antepassados não me assiste devido a estes últimos terem sido expulsos pelos africanos porquê tenho eu de repartir a minha pátria com os mesmos descendentes desses africanos.

    Senhor Teixeira, eu não tenho medo de ficar baralhado.

    Para que o Senhor talvez me compreenda melhor, eu vou pôr isto assim: As civilizações superiores devem ajudar as mais fracas e ao mesmo tempo tirar proveito dessas civilizações mais fracas. Por exemplo foi benéfico, apróximou-nos da Europa a invasão Romana, com a ocupação Romana tornámo-nos mais civilizados, enfim superiores. Já um retrocesso foi quando para cá vieram os mouros pois afastamo-nos da brilhante Civilização Europeia. Assim, enquanto membro de uma civilização superior não preciso de africanos mas posso sempre ajudá-los a evoluir e foi isso que a Europa fez. É claro que ninguém dá nada de graça mas o balanço final é positivo para os africanos principalmente.

    Se calhar baralhei-o, é que provávelmente até me expliquei mal, se calhar fiquei só pela intenção de o esclarecer mas pode providênciar-mo o seu mail que eu faço-lhe um desenho, dou-lhe uma liçõ de História e depois, as duvidas que lhe forem surgindo serão dissipadas.
    PS: Se por acaso no final de tudo isto não concordar comigo, debateremos e depos se considerar que o senhor tem razão eu pedir-lhe-ei desculpas humildemente.

  63. Camões diz:

    Senhor Teixeira, gostava também que me elucidasse quanto ás minhas incoerências.
    Por acaso também me acha racista ou (este é o meu perferido) a reencarnação do Hitler?

  64. Stran diz:

    Caro Camões,

    É portanto a favor que a sua pátria seja colonizada por alemães, Ingleses, Franceses ou Americanos, para o ensinar a ser civilizado?

    Melhores Cumprimentos,

    Stran

  65. nasci no guetto e sou afro descendente diz:

    talvez se para si seria proveitoso senhor camoes k as k sao mais frakas fossem exploradas pk nao precisamos de ir ate afrika…aki em portugal a kem siga o exemplo..
    e se diz k os ukranianos sao boa peca entao nao conhece algumas das suas facetas como por exemplo um grupo de ukranianos assasinou um jovem brutalmente se kiser promenores….aki na minha zona k por sinal ate era portugues….a uns 4 anos atras um grupo de jovens da europa de leste abordou me com mas intencoes mas mesmo assim nao ando a mandar bocas do genero a pk nao fazem ka nada mandem nos pa terra deles…..sinceramente a resolucao de muitos problemas e meter juizinho na cabeca de muita gente e por ai k temos de comecar…pk eu nasci no guetto fui criado em varios alias a minha familia nao tinha $ para melhores sitios ou entao o governo fazia o favor de nos mandar para os famosos bairros sociais digo mandar…pk normalmente somos tratados como lixo como se nao fossemos humanos pk pra mim so existe uma raca a humana o resto sao juizos…mas mesmo assim nao vivo da criminalidade hj tenho uma vida mais ou menos estavel estudo….

  66. Camões diz:

    Quantos Portugueses assassinam Portugueses? Agora a taxa de criminalidade entre Africanos e Europeus de Leste é incomparável, ou não?
    Mesmo com a maldade dos romenos (que esses suspeito que sejam ciganos)!

    Tratado como lixo sou eu e a maioria dos Portugueses que têm de financiar bairros inteiros a coitadinhos que não podem trabalhar (faz calos) enquanto que os Portugueses em geral têm de pagar, durante anos centenas de milhares de Euros para terem uma casa decente.

  67. Camões diz:

    Não reconheco uma maior civilidade por parte de Americanos, Ingleses, Alemães, Suecos, Suiços. Isso é tudo a mesma civilização, a civilização Europeia.
    Apesar de tudo admiro o povo Inglês pela sua História e pelos seus feitos e, não me importo nada que vanham para cá (como no Algarve), que tragam as Inglesas e que nos misture-mos todos desde que falemos Português (e Inglês como já todos somos obrigados) e que eles não venham impôr para cá os seus protestantismos de meia tigela. Já quanto a gente a Sul do grande deserto Africano…
    continuem a Sul do deserto ou imigrem, mas para Cabo Verde!

  68. Camões diz:

    PS:
    É tão civilizado um Norueguês como um Sérvio, por muito que queiram fazer destes últimos “bichos papões” o problema reside nas oportunidades, se a Suécia tivesse estado sobre domínio Muçulmano…
    Nós acabámos com o domínio muçulmano há quase 800 anos mas ainda vamos atrasados em relação á Europa. Agora Europa deveria era ajudar os seus irmãos no sul dos balcãs em vez de abrir os subúrbios de Paris á escumalha maometana. Estejam atentos neste Verão áquilo que vai acontecer em Copenhaga.

  69. Camões para Stran diz:

    Foi o que aconteceu durante a reconquista ao mesmo tempo que os Mouros eram expulsos e a população Cristã (pelo que não fornicavam/casavam com mouros) liberta ia sendo colonizada por aquilo que muitos intitulam de Galaécia. A verdade é que foi no Norte que naseu Portugal assim como foi nas Astúrias que nasceu a Ibéria.
    A população do Norte (Minhotos, do Porto ou Galegos) colonizou o resto, principalmente o Alentejo mas já com a ajuda dos ditos Lusitanos (Beirões, etc.).
    Daí o sangue não ariano existente no Alentejo ser sensívelmente o mesmo que no resto de Portugal, 15%.
    Só para calar a boca de alguns, é que eu já li neste site que em tempos antigos “habitavam em Portugal tipos Nórdicos e Negróides vivendo lado a lado” ou seja somos uma mistura de pretalhada com louros próprios do Sul da Escandinávia. Pois para que se informem a população Portuguesa é constituida em 20% do haplogrupo I, próprio dos países ditos germânicos. Esse valor é maior que os 15% de sangue não ariano (semita provávelmente mas não se sabe pois na Grécia ou Itália existem valores ainda mais elevados da presença destes genes) e apenas metade dos valores registados na Suécia.
    Quanto áquilo dos Negróides ainda os outros Europeus não tinham visto um preto, já nós tinhamos 10% de população escrava negra no nosso território. A sorte é que aquando da abolição da escratura em Portugal em vez de os libertarem enviaram-nos para o Brasil.

  70. Argh diz:

    O nosso ilustre Camões escreveu que a vinda dos mouros foi um retrocesso pois afastamo-nos da brilhante civilização européia. Ora, é notório para qualquer um que tenha estudado história que os mouros eram mais avançados tecnicamente que os europeus neta época. Uma prova disso é a incorporação à língua portuguesa de numerosas palavras árabes. Não se pode esquecer que enquanto não se tomava banho no resto da Europa e se achava que as doenças eram transmitidas por bruxas, os mouros construiam banhos públicos e divulgaram a obra de grandes filósofos e cientistas gregos, que estavam banidos pela Igreja, esta sim , responsável por séculos de trevas! O califado de Córdoba tinha iluminação às ruas enquanto o resto da Europa estava literalmente na escuridão. Só não vê quem não quer que o domínio mouro foi altamente positivo para a península ibérica. ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~´

  71. Stran diz:

    “Apesar de tudo admiro o povo Inglês pela sua História e pelos seus feitos e, não me importo nada que vanham para cá…”

    Portanto não te importavas que viessem e que fosses obrigado a trabalhar a troco de comida, que te dessem umas chibatadas só porque lhes apetecia, ocupavam a tua casa e obrigavam-te a morar numa barraca, que te violassem a tua irmã ou amiga e no fim ainda dirias “ainda bem que os ingleses vieram para cá”!

    Bem cada um é como quer ser…

  72. Argh diz:

    Outro ponto a se considerar é que desde eras remotas povos do norte da África entraram na península e vice-versa. O percentual “germânico” da população portuguesa deriva sem dúvida das invasões bárbaras, onde numeroso contingente de elementos nórdicos invadiram a península e também à época da reconquista. Agora estude e leia os grandes antropólogos portugueses como Mendes Correa e veja o que eles dizem sobre o fundo genético da população autóctone da península. A origem seria o norte da Africa.

  73. nasci no guetto e dai diz:

    senhor camoes so lhe digo uma coisa nao vou argumentar mais consiguo fale prai k vc kuase se intitula um deus sabendo td ao promenor ainda me pergunto senao sera vc k fez a terra e acabou com extincao dos dinossauros ate esses seriam mais compreensivos k vc faca um favor ja k diz k os pretos deviam voltar para as suas origens diga o mesmo aos portugueses k se encontram por tds os paises muitos deles bem conhecidos america k pertence a europa como afirmou e muitos outros franca suica luxemburgo belgica angola mocambique timor estes sao so alguns…
    senhor camoes digo so esta frase “es ignorante arrogante importante nao !! intitulaste culto mas nao passas dum racista igoista egocentrico sao essas atitudes k um dia te mandam para um caixao tive o desprazer de te conhecer camoes xauuuuuu

  74. Camões para Stran diz:

    Senhor Argh, quero dizer-lhe que trocava os mais de 500 anos de avanço mouro por 600 anos de submissão áquele débil reino Visigodo.
    Tenho de reconhecer que é um facto que naquela altura os muçulmanos eram mais avançados que os europeus, tem toda a razão. Mas como pode ver hoje em dia, os países de religião Islamica sofreram um grande retrocesso? Não terá antes a sua civilizição estagnado porque não se avança destruindo tudo por onde se passa? O único feito tecnológico do mundo islâmico neste século foi a bomba atómica Paquistanesa, Uau! São mesmo úteis á humanidade, devo-lhes tudo!
    Repare-se na situação geográfica da Arábia aquando do surgimento do Islão:
    A Norte tinham florescido (e murchado) grandes civilizações Semíticas, dos Judeus aos Sumérios, Mesopotâmicos etc. A Ocidente teve lugar a civilização Egípcia, a leste a Persa e ainda mais a Norte, a Grega. Rodeados de tanta sabedoria seria preciso que fossem inumanamente estúpidos para não terem aprendido algumas coisas… mas hoje em dia… O Egipto foi completamente suvertido a Turcos, Árabes, Ingleses e da sua antiga superioridade só restam os monumentos e o Islamismo corrompe o povo Persa. Chegará um dia em que haverá liberdade no Irão e então o Islão será lenta mas gradualmente abandonado! Eu queria lembrar-vos que antes daqueles germânicos terem lançado a Europa na Idade Média existia o Império Romano. O Império Romano como civilização superior que foi e, a meu ver, tendo sido a base da Europa de hoje e amanhã, consegu atingir grandes feitos tecnológicos e a Europa veio a perder muito com a sua queda.
    Ou seja basicamente o aue eu quero dizer é:
    Império Romano=10 pontos
    Visigodos e Germanos=2 pontos
    Mouros e afins= 4 pontos
    Só que os nórdicos, germanicos evoluiram, os árabes não.
    Com a queda dos impérios romanos houve sempre uma degradação inerente.
    PS: Acerca do banho, os Lusitanos tomavam banhos quentes uma vez por semana e banhos frios ainda mais frequentemente; Quem inventou os banhos públicos foram os Romanos, os Visigodos mantiveram-nos e os mouros apenas os “remodelaram”.
    Quanto á língua o nosso estracto mais forte ainda é o Latim, o “Árabe” só teve mais força na língua portuguesa que o Germanico ou o Celta por que foi a última língua que se impôs devido a ter sido a língua culta, que a população não dominava mas que a adoptava para designar certas coisas e os avanços da época. Penso que hoje, estrangeirismos em inglês têm o mesmo valor.

  75. Camões para Stran diz:

    Senhor Stran, não é que os Ingleses fossem incapazes de ter esse tipo de comportamento mas vá a uma esquadra da polícia no Algarve e pergunte quantas irmãs de alguém ou amigas de alguém foram violadas por Ingleses.
    Depois vá a uma esquadra da PSP nos arredores de Lisboa ou até em Lisboa e pergunte o mesmo mas mude o termo “Ingleses” para “Africanos”.
    Os números falaram por sí.
    Eu não disse que queria ser escravizado por Ingleses apenas disse que perferia que em vez de Africanos viessem Ingleses. Isso seria especialmente bom se viessem Inglesas em vez de africanos ou africanas. ah!

  76. Camões para Stran diz:

    Peço desculpa pelos erros:
    Os números falarão por sí.
    Eu não disse que queria ser escravizado por Ingleses apenas disse que perferia que em vez de Africanos viessem Ingleses. Isso seria especialmente bom se viessem Inglesas em vez de africanos e africanas. ah!

  77. Camões para Stran diz:

    Ya, é verdade o portugues e o espanhol é filho de um marroquino e uma marroquina que vieram para cá a nado (ela veio nadando com o véu islâmico, não se visse o bigode molhado da senhora).*
    Por amor de Deus eu penso que há muitas semelhanças entre a população Portuguesa, Italiana, Grega etc. Informem-se circula por aí um mapa que mostra claramente (apesar de não conhecer a sua credibilidade, ou quem o fez) que a população Ibérica das zonas onde hoje se fala Catalão e da antiga área de influência Tartéssica, (se calhar nunca ouviu falar, procure Tartessos) é que foi étnicamente Ibera, os bascos não se sabe de quem descendem, talvez descendam de uma população ainda mais antiga que estas, não ariana, sendo portanto o único caso que eu teho ouvido falar de europeus anteriores ás migrações arianas que chegaram aos nossos dias. A população das zonas manchegas são Celtíberas e o resto eram étnicamente Celtas.
    Apesar de tudo acho essa teoria do Norte de África interessante pois aquilo que tenho visto por aí com o mínimo de credibilidade indica que o povoamento da Europa foi feito por aquela entrada hmmm hmm por onde foi Constantinopla.
    Gostaria de mais informações acerca dessa teoria pois a única influência norte africana na peninsula ibérica de que eu tenho ouvido falar antes dos mouros é a Cartaginesa. Gostava mesmo de ter acesso a essa informação. E também acho que nunca se conseguiu relacionar a população Ibera com a Norte Africana. Por Favor INFORMEM-ME!!!!
    * Veho aqui pedir desculpas a todas as mulheres marroquinas.

  78. Camões diz:

    Não respondo ás gentes do guetto porque não quero trocar insultos, quero apenas trocar ideias, se não estão abertos ao diálogo, paciência. No fundo o que eu quero é aprender um pouco mais e espalhar algumas ideia.

  79. nasci no guetto e dai???? diz:

    vou mandar esta po ar kem kiser k apanhe
    em lisboa vejo mais velhos de “raca ariana” a meterem com jovens adolecentes do k propriamente afrikanos mas pronto kada cabeca sua sentenca,,,

  80. nasci no guetto e dai???? diz:

    correccao
    a meterem se ***
    adolescentes***

  81. Camões diz:

    Pois, coitadas das jovens africanas…

  82. Camões diz:

    Argh.
    GOSTAVA MUITO, MAS MESMO MUITO QUE ME DESSEM INFORMAÇÕES ACERCA DA ORIGEM DOS IBEROS.
    APRECIARIA TAMBÉM QUE ME DISSESSEM PORQUÊ QUE ALGUNS DIZEM QUE OS PORTUGESES VIERAM DO NORTE DE ÁFRICA PELO ESTREITO DE GIBRALTAR CONTRARIAMENTE ÁS OUTRAS POPULAÇÕES EUROPEIAS QUE ENTRARAM NA EUROPA PELA TURQUIA E RÚSSIA.

  83. Jaï Bettancourt diz:

    Para Argh,

    O problema dos mouros foram as suas contradiçoes, que dizer que nunca ultrapassaram o cabo de uma minoria èlitista e guerreira, com os convertidos no maximo 120% da povoaçao.

    Por muitos instruidos que eles erram, a penisula muçulmana erra baseada num sistema de segregaçao.

    Quando os muçulmanos chegaram à peninsula, compreenderam de seguida que nao poderiam imporem-se como o fizeram em outros partes em matando uma uma grande parte da povoaçao e convertindo-os à força, por uma razao muito simples, era preciso matar gente demais e economicamente era contra prudutivo.

    Segundo, a grande ignorancia dos europeus dessa època è um mito, os muçulmanos encontraram na penisula uma povoaçao mais cultivada do que os povos que eles estavam acustumados a conquistar.

    Durante esses sèculos a penisula muçulmana foi o teatro de inumeras revoltas sangrantas, bem longe do mito da tolerancia.

    Durante esse periodo, partiam regularemente ràzzias para o Sul de França que alastravam esse pais, onde o objectivo erra de massacrar o povo, ponde-os em escravidao, robar, queimar e destruir o maximo. A razao foi que os muçulmanos perderam toda as suas capacidades de conquistas ao favor dos piores actos de barbaria.

    Pois os muçulmanos eram uma classe elitista guerreira, minoritària e segregaçionista, como no interior da qual, o que sempre foi constante em toda a historia do islao, succediam-se assassinatos uns a tràz dos outros.

  84. Jaï Bettancourt diz:

    A Camoes,

    Os portugueses sao uma coisa, os ibèros sao outra.

    Sabe-se pouco sobre os ibèros porque foram pouco estudados, o mais que sabemos sobre eles sao as povoaçoes do Sul da França no Languedoc Rossillon até ao delta do Rhone, fronteira com o marselhense.

    Os iberos estao instalados na peninsula desde 10 000 anos antes J.C, sabemos que veem da Africa do Norte mas poderiam vir de bem mais longe atè da Asia.

    Existem quatro linguas ibèras, cujo o alfabeto foi decodificado, mas até agora nao as sabemos traduziz falta de textos bilinguos.

    Os lusitanos nao eram pastores pacificos, embora nao serem as tribus mais ricas, era a maiore potencia ibèrica en termos militares, porque viviam principalement da guerra cujo era a sua actividade principal, criavam e cultivavam pouco.

    Os ibèricos eram empregados como mercenàrios nas guerras entre Atenas e Spartes devido a grande qualidade da sua cavaleria. Quando os ibèros enfrentavam os romenos, eles apresentavam-se dois por dois em cada cavalo, ao contacto com o enimigo um combatia ao solo outro combatia a cavalo.

    Os Lusitanos durante 7 sèculos tetaram negociar com os romenos fazer parte do empèrio como aliados mas nao como conquistados, foram apenas submetidos à queda do impèrio no sèculo II.

    De facto nao se pode falar nesse periodo de Ibèros, mas de Celta-Ibèros que se entenderam muito bem criando assim uma cultura mixta.

    Acultura dominante em todo Portugal è cèltica, mesmo no Algarve a pesar de outras influencia.

  85. Argh diz:

    Respondendo ao Sr. Camões

    Os Iberos eram um povo que habitou a península Ibérica na antiguidade. A respeito da sua origem, há duas teorias:

    Uma diz-nos que os Iberos eram os habitantes originais da Europa ocidental e os criadores da grande cultura megalítica que teve início em Portugal, no fim do VI milénio a.C., e se espalhou pela Península Ibérica, França, Grã-Bretanha, Irlanda e Dinamarca, até meados do II milénio a. C. Essa teoria está apoiada em evidências arqueológicas, genéticas e linguísticas. A ser verdade esta teoria, os Iberos teriam sido o mesmo povo dominado pelos Celtas no primeiro milénio a.C., na Irlanda, Grã-Bretanha e em França. A própria Enciclopédia Britânica define os ingleses como descendentes dos Iberos e dos Celtas.
    Alternativamente outra teoria sugere que eram originários do Norte da África, de onde emigraram provavelmente no século VI a.C. para a Península Ibérica (à qual cederam o nome), onde ocuparam uma faixa de terra entre a Andaluzia e o Languedoc (na França). Foram parceiros comerciais dos Fenícios, os quais fundaram dentro do território dos Iberos várias colônias comerciais, como Cádiz, Eivíssia e Empúries. Foram assimilados pelos Celtas no século I a.C. formando o povo conhecido como Celtiberos.
    Iberos – Os Iberos eram um povo pré-histórico que vivia no Sul e no Este do território que mais tarde tomou o nome de Península Ibérica. As ondas de emigração de povos Célticos que desde o século VIII até ao século VI a. C. entraram em massa no noroeste e zona centro da actual Espanha, penetraram também em Portugal e Galiza, mas deixaram intactos os povos indígenas da Idade do Bronze Ibérica no Sul e Este da península.

    Os geógrafos gregos deram o nome de Ibéria, provavelmente derivado do rio Ebro (Iberus), a todas as tribos instaladas na costa sueste, mas que no tempo do historiador grego Herodotus (500 a.C.), é aplicado a todos os povos entre os rios Ebro e Huelva, que estavam provavelmente ligados linguisticamente e cuja cultura era distinta dos povos do Norte e do Oeste. Havia no entanto áreas intermédias entre os povos Célticos e Iberos, como as tribos Celtiberas do noroeste da Meseta Central e na Catalunha e Aragão.

    Das tribos Iberas mencionadas pelos autores clássicos, os Bastetanos eram territorialmente os mais importantes e ocupavam a região de Almeria e as zonas montanhosas da região de Granada. As tribos a Oeste dos Bastetanos eram usualmente agrupadas como “Tartessos”, derivado de Tartéssia que era o nome que os gregos davam à região.

    Os Turdetanos do vale do rio Guadalquivir eram os mais poderosos deste grupo. Culturalmente as tribos do noroeste e da costa valenciana eram fortemente influenciadas pelas colónias gregas de Emporium ( a moderna Ampúrias ) e na região de Alicante a influência era das colónias fenícias de Malaca ( Malága ), Sexi ( Almuñeca ), e Abdera ( Adra ), que passaram depois para os cartagineses.

    Na costa este as tribos Iberas parecem ter estado agrupadas em cidades-estado independentes. No sul houve monarquias, e o tesouro de El Carambolo, perto de Sevilha, parece ter estado na origem da lenda de Tartessos. Em santuários religiosos encontraram-se estatuetas de bronze e terra-cota, especialmente nas regiões montanhosas. Há uma grande variedade de cerâmica de distintos estilos ibéricos.

    Foi encontrada cerâmica ibérica no sul da França, Sardenha, Sicília, e África e eram frequentes as importações gregas . A esplêndida Dama de Elche, um busto com características que mostram forte influência clássica grega. A economia Ibérica tinha uma agricultura rica , forte exploração mineira e uma metalurgia desenvolvida.

    A língua Ibérica era uma língua não Indo-Europeia, e continuou a ser falada durante a ocupação romana. Ao longo da costa Este utilizou-se uma escrita Ibérica, um sistema de 28 sílabas e caracteres alfabéticos, alguns derivados dos sistemas fenício e grego, mas de origem desconhecida. Ainda sobrevivem muitas inscrições dessa escrita, mas poucas palavras são compreendidas, excepto alguns nomes de locais e cidades do III século, encontradas em moedas. Os Iberos conservaram a sua escrita durante a conquista romana, quando se começou a utilizar o alfabeto latino. Ainda que inicialmente se pensou que a língua Vasca era descendente do Ibero, hoje considera-se que eram línguas separadas.

  86. nasci no guetto... diz:

    a cor da pele tem sido argumento de relações sociais de dominação, de legitimação secular de uma violência que vem de cima e perdura no tempo situações de exclusão, de discriminação, de racismo. Violência que outrora se expressava na escravatura e hoje se expressa na marginalização dos direitos cívicos, sociais e públicos, do exercício da cidadania, e se materializa no gueto. Por isso – o fim dos guetos – é a nossa primeira reivindicação. Sociabilização é a emergência cidadã…..

  87. nasci no guetto... diz:

    Dos males gerados pelas exclusões e violências que oprimem, surgem as violências de resposta, individual ou colectiva. E fazem manchetes nos jornais e notícias de abertura em telejornais de qualidade duvidosa, mas eficácia conservadora garantida. “São precisos mais polícias”, “é precisa mais segurança” dizem-nos permanentemente. São sempre precisas mais polícias, para somar violência à violência, numa espiral conservadora cujos arautos identificam jovens imigrantes ao inimigo…..

  88. Miguel diz:

    Quanto a influencias Norte-Africanas na peninsula Iberica esta sao inegaveis, e sao demonstradas pelos estudos geneticos. No entanto, o impacto é bastante pequeno (5% a 10%), e contrariamente do que se possa pensar a maior parte dessas influencias chegou bem antes dos Mouros. Estes ultimos eram na realidade maoritariamente nativos convertidos, enquanto que a elite arabe e berber nao se queria misturar muito com eles. Por outro lado milhares e milhares de mouros e seus descendentes foram expulsos.

    Eu tinha um estudo detalhado das linhagens paternais Portuguesas, infelizmente perdi-o (esta disponivel na net mas custa mais de 30 euros e nao me apetece gastar dinheiro) mas ainda posso lhe mostrar os das linhagens maternais:

    “http://www.stormfront.org/whitehistory/portugal_files/Pereira2000.pdf”

    Nao se assuste com o nome do link, infelizmente é o unico sitio que eu sei onde se encontra o estudo.
    Evidentemente, o haplogrupo em causa é o H6, considerado Nort-Africano. Estranhamente é mais comum no Norte de Portugal do que no Sul (7% das linhagens maternais no Norte, 3% no total), o que indica que provavelmente chegou antes dos “Mouros” estando relacionado com outras migrações. Algumas das linhagens L (tipicamente sub-sarianas, mas tambem encontradas com frequencia no Norte de Africa) podem ter vindo com do Norte de Africa tambem, e nao apenas dos escravos, a principal causa.
    7% das nossas linhagens maternais sao sub-sarianas no total.

    Quanto as paternais, como disse perdi o estudo, mas maior parte sao nativo R1b (60% creio), um pouco de I (que pode ter muitas origens, mas em Portugal creio que é Celta, cerca de 5%). E3b e J sao cada um para ai 10%. O resto é G, F, R1a e ate E3a (negro), embora menos de 1% no caso do ultimo.

    O E3b tem origem no corno de Africa, mas existem varios sub-grupos, nomeadamente um Norte-Africano e um Balcanico. Temos dos dois. Nao sei as percentagens exacta, mas mesmo se for 50/50 da apenas 5% para o Norte Africano, que mais uma vez, parece anteceder os Mouros na sua maior parte.

    J é considerado do Medio Oriente, parte dele tambem pode ter chegado atraves do Norte de Africa, com os Mouros ou nao, mas a maior parte parece ser de Judeus, e de migraçoes do neolitico, aquelas que espalharam a agricultura.

    E pronto é basicamente isto. Portugueses sao na sua maioria nativos Europeus, com algumas influencias do Medio Oriente, Norte de Africa e Africa-subsariana. A excepçao deste ultimo, causado sobretudo pelo absorçao de escravos (escravas na realidade) é tudo bastante normal tendo em conta a nossa situaçao geografica, e obviamente a nossa historia, que tambem explica o caso do DNA negro.

  89. Stran diz:

    Só uma duvida: tanta conversa serve para tentar provar o quê?

  90. Miguel diz:

    Isso é para mim?

    Nada, o Camões tinha duvida sobre as nossas origens, sobretudo a nivel genetico e eu elucidei-o. Se por acaso nao achaste interessante, tenho peno por ti, eu sinceramente acho isto fascinante.

  91. Camões diz:

    Stran, interessa-me saber as minhas origens, a História da Humanidade, enfim fétiches!
    Caro povo do gueto tu não mudas, eu não mudo.
    Primeiro, vós não sois coitados, coitados são aqueles que se vêm para trás nas listas de espera porque a senhora x vai abortar, pelo que, se não gostais da situação em que vos encontrais voltai para as vossas terras que lá esterais melhor.
    Segundo, se fordes Portugueses é simples voltai para as vossas origens pois não acredito que estejais no guetto á mais de duas ou três gerações. O Interior do país necessita população jovem (Nacional, não Imigrante e se for imigrante que seja Judaico-Cristã, Europeia e não Espanhola).
    Terceiro, se quereis o fim dos guetos não os críeis! (Se fores responderes diz lá que guetto é esse que eu já estou a pensar que vives noutro mundo!)
    Quarto, se não tendes nada a temer, se não sois aquelas “bestas horríveis” que nos acusais de vos rotular, porque tendes tanto medo da polícia? A polícia esta aí para ajudar a população e fazer cumprir a ordem!
    E por último, quinto, o jovem imigrante não é o meu inimigo O jovem imigrante é, seja ele negro ou muçulmano o inimigo da Europa, aquele que está a corromper o Continente que a espécie Homo Sapiens melhor soube construir, essa corrupção dá-se a todos os níveis: Cultural, Genético, a nível da Segurança etc. É urgente manter a nossa identidade por isso… ciao!

  92. Camões diz:

    Desde já queria agradecer a Jai Bettancourt, Argh e Miguel por me tentarem ajudar a compreender melhor este tema pelo que vou elaborar um post brevemente para expôr aquilo que aprendi e, se caso disso fazer mais perguntas.
    Desde já eu queria só dizer ao Miguel que nessa cena dos haplogrupos, da genética e isso, eu só tive acesso á vertente masculina mas os valores eram bem diferentes.
    Antes de divulgar os valores que ví e que me ficaram gravados na cabeça queria só dizer que SEI que não está provado que o gene x seja celta e o y seja ariano. Genes arianos são R1a, R1b e I e provávelmente ainda outros pois a Itália e a Grécia têm populações arianas que têm outros genes apesar de que, se um grego tiver 7 bisavôs arianos e o bisavô certo ser turco, vai-lhe dar o gene Turco, isto da genética ainda é muito incerto…
    Contudo os valores que ví e ficaram gravados na minha memória diferem muito dos seus e eram os seguintes:
    R1b = 65%
    I = 20%
    Restantes = 15% dos quais 14,5% eram J, K e EB3 que pertencem a judeus, árabes e mouros, enfim populações de influência semita não indo o ADN africano (Eb3) além dos 10%.

  93. Miguel diz:

    Sim, eu tambem ja vi esses numeros, acho que sao de um teste mais antigo. A diferença é pouca a excepçao do I, que ha muito mais.

    Isso tambem depende do tamanho da amostra e de onde eram.

    Como disse noutro comment, falar em genes Arianos é errado, o que existe é uma cultura ariana, que pouco tem a ver com a nossa. Mesmo se igualares Ariano com (Proto) Indo Europeu, a maioria dos cientistas concordam que R1a é o sinal genetico da sua expansao
    R1b ja ca estava milhares de anos antes de qualquer ariano vir la das estepes e entrar aqui. O mesmo do I acho.

    Sim, as linhas paternais ou maternais a nivel individual valem pouco, pois so vêm um das muitas linhagems que temos, mas a nivel populacional ja sao bastante boas, pois ai temos uma imagem mais completa

    Tambem ha os testes “autosommal dna” mas ainda nao sao muito precisos, e dizem praticamente o mesmo, sobretudo Europeu com um bocado de Medio Oriente, Norte Africano e Negro.

    Ja agora, E3b é Africano, mas nao é negro, estamos a falar de Africanos comos os Marroquinos ou os Argelinos.

  94. Camões diz:

    Sim Miguel, obrigado mais uma vez mas eu tenho outra visão dos arianos, dá uma vista de olhos ao meu mais recente post em multiculturalismo consiste…
    Já agora, se os Celtas falavam línguas arianas e só apareceram na Europa depois das invasões arianas, são arianos bolas!
    O gene R1a é apenas o marcador dos Eslavos!
    Por outro lado já não posso dizer que o R1b é Celta apesar de acreditar que sim, ainda não faz tanto sentido (pelo menos para mim).

  95. Camões diz:

    Quanto ao gene I, é sempre minoritário que seja em Portugal (20%) em Espanha (15%) ou Inglaterra e Suécia (40%).
    Se atendermos á permanencia dos Suevos no Minho, á mistura com a população local e, posteriormente se atendermos á recolonização pós Reconquista, não admira que um quinto da população tenha origem Nórdica.
    Penso até que os dados que eu apresentei são os mais correntes.

  96. Camões diz:

    Sim, a vertente negra por via masculina é inferior a 0,5% mas agora, hoje em dia são para aí uns 10% daqueles com nacionalidade Portuguesa e não param de aumentar…
    Aqui é que eu vejo perigo pois parece-me que 0,5% multiplicaram-se demais ou seja.
    Hoje em dia, a Influência dos Imigrantes Negros em Portugal é superior á dos Mouros que só cá estiveram durante 550 anos contra os 30 anos dos imigrantes negros.
    Assustador, não?

  97. nasci no guetto diz:

    A pior das violências está certamente na questão da selectividade que está no centro das novas políticas estratégicas europeias em matéria de imigração que, tendo como seu fiel seguidor o actual governo português, vem institucionalizar o racismo de uma forma muito subtil e camuflada, como por exemplo:
    Opta-se pela preferência de uns em detrimento de outros a coberto de acordos bilaterais, dá-se prioridade à língua, à cultura, ao passado histórico, à cor da pele, à origem, à religião e ao rendimento das pessoas, numa lógica de puro “apartheid”, fomentando a divisão e o racismo que servem a lógica da instalação duradoura dos imigrantes mais próximos de nós culturalmente, para não falar da palavra “racialmente”, por conseguinte, supondo-se como sendo os mais assimiláveis e, em contrapartida, dar-se um carácter mais provisório e o mais precário possível à imigração de pessoas de quem se diz que nunca conseguirão adaptar-se à sociedade portuguesa.

  98. nasci no guetto diz:

    para miguel
    e o seguinte norte de afrika e onde abitam os afrikanos mais claros mas nao deixam de ser “negros” como os outros tem feicoes de negro cabelo etc.. so o k muda e ligeiramente a cor…

  99. Camões diz:

    Eu queria pôr isto de outra maneira depois de reler o teu post Miguel:
    65%=R1b=Celta= Lusitana e Galácia a Norte do Douro
    20%=I=Germanica Sueva/Visigoda
    10%=E3b=Moura
    4,mtos tipo de certeza mais de 50, tipo 99=J e K principalmente=Judaica e Árabe
    0,muito poucos=Todo o resto, incluindo o mal afamado negro (é melhor referi-lo não venham as gentes do gueto cair-me em cima dizendo que eu quero um Portugal Branco e estou a manipular dados cientificos).
    Podemos assim concluir que a população portuguesa é predominantemente ariana 85%. 99,9% por via da mestiçagem.

    Quanto á distribuição espacial penso que é igual por todo o país devido á recolonização do fim da reconquista com exepção do E3b que esta 70% situado a Sul do Tejo. Ou seja o E3b a Norte do Tejo é de apenas 3%.

  100. Camões diz:

    Povo do guetto se isso que disseste ás 6:53 do dia hoje correspondesse á verdade eu podia dormir quase descansado acerca do futuro desta NAÇÃO!

  101. Camões diz:

    Miguel, esse site que me indicaste não é um pouco racista demais, perdendo assim a sua credibilidade?
    Dizer que todos os impérios e civilizações caem devido á quebra da sua homogeneidade genética ou racial, que podem sobreviver aos maiores catástrofes exceptuando a assimilação racial ou cultural é claramente verdade mas dizer que havia europeus nos States em 7000 antes de Cristo, de haver populações de origem Europeia na América do Sul antes da Idade Média, considerar Nefertiti europeia?
    Não digo que os antigos Egípcios eram negros mas eram bem mais Negros do que são hoje em dia. Tudo bem que Cleópatra era branca, mas os outros…
    Achas o site credível? Fico á espera da resposta.

  102. nasci no guetto diz:

    camoes o gente insignificante deixa te de comedia falamos de seres humanos..OK

  103. Miguel diz:

    Sim Camoes, esse site é extremamente racista, por isso é que disse para nao ligares ao site. É apenas o unico sitio que eu sabia que tinha o estudo on-line, embora eu ja o tenho visto e citado noutros sitios.
    O estudo é de confiança, o site é que nao!

    O facto dos Celtas falaram um lingua indo-european/ariana, nao interessa muito, pois isso tambem falam os Angolanos e certamente nao sao arianos.
    Mas, de facto, alguns sangue ariano ca chegou, pois temos r1a. Que nao é do esvalos, visto que na India por exemplo esta ligado com a expansao ariana.

    nasci no guetto, estas muito enganado, norte africanos nao sao negros, têm de facto uma percentagem elevada de sangue negro (entre 10% e 20%, depende muito da area, da pessoa e do totoloto dos genes), e alguns de facto sao mesmo negros, mas sao uma minoria.

    “http://news.bbc.co.uk/media/images/38290000/jpg/_38290849_teamvliberia300.jpg”

    Se estes gajos sao negros vou ali ja venho, nem se quer sao cabritos (25% negros) quanto mais negros a serio, lol.

    Achas que o Zidane é negro? Que Bouteflika é negro?

    E eu nao tenho problema nenhum em admitir o nosso sangue negro, como podes ver nos meus posts. Mas nao me venhas com tretas, sff.

  104. nasci no guetto diz:

    cada um tem a sua opiniao desde k nao intrefira com o respeito sim concordo k nao sejam tds negros mas sao na maioria afro-descendentes como eu…nao sou propriamente negro mas nao sou propriamente branco no sentido da palavra..
    sr camoes para k saiba nao tenho nada contra os brancos muitos menos os pretos..pk a minha familia como muitas outras de certeza…e composta por afrikanos, portugueses e indianos k kuando falo nestas culturas e etnias falo nos originais…

  105. nasci no guetto diz:

    zinedine zidane e descendente de argelino axo eu mas como tds nos sabemos a sempre situacoes destas como aki em portugal o miguel e o nani nao sao propriamente brancos…

  106. Miguel diz:

    O que é que isso tem a ver? O nani e o miguel sao immigantes, o Zidane e a familia dele sao nativos das montanhas da argelia ha milhares de anos. Nada a ver.

    Toda gente com alguma cabeça sabe que os Norte Africanos fazem parte da chamada raça caucasoide, tanto fisicamente como geneticamente, apesar da importante influencia negroide que adquiriram…

    Ora explique-me la, porque é que um povo que mora num habitat pouco diferente de Portugal (sim, o norte de africa nao é um deserto como veêm nos filmes, as zonas costeiras, onde mora a maior parte das pessoas sao mediterranicas) haveriam de ser negros e nao como os Portuguese? Tendo em conta que os negros sao povos tropicais que moravam do outro lado de um imenso deserto?
    As influencias negroides que eles têm agora deve-se ao contacto trans-sahariano que foi mais tarde estabelecido e a mistura que se seguiu obviamente. A escravatura e subsequente libertaçao dos escravos tambem foi importante, tal como em Portugal….

    No entanto, antes do Sahara secar, ha uns mihares de anos moravam la de facto negros. Quando este secou, a maior parte foi para zonas mais a sul, para a Africa Ocidental. No entanto, alguns pode ter ido para cima. Sendo assim, ja haveria negros no Norte de Africa ha milhares de anos e nao apenas centenas, quando o comercio trans-sahariano foi estabelicido.
    No entanto, tais individuos seriam uma pequena minoria tal como ainda hoje.

    O que diz nao faz sentido, Afro-descendentes nao quer dizer nada, ha muita variedade na Africa.

    Uma pessoas para ser negra, tem que no minimo ser mais de metade negro nao? No minimo…para mim era mais de 90% mas enfim. Ter um bocado de sangue negro nao nos torna em negros, da mesma maneira que um bocado de sangue branco nao torna ninguem branco. Se assim fosse os Portugueses eram negros e os cabe verdianos era brancos, lol.

    Sim, de facto somos todos misturados, mas nao deixam de haver predominancias. Se eu chegasse ao guetto e começasse la:

    “Entao niggas, ta-se bem pretos? Meus brodas!” e que, levava logo um balazio, eles querem la saber que tenho 3% de sangue negro, infelizmente neste caso eu pareceria branco para eles e pronto. O mesmo com a maioria dos norte africanos.

  107. nasci no guetto diz:

    looooooooooooooooooooooooool

  108. nasci no guetto diz:

    tem razao a uma certa logica mas nem td sao factos
    mas eu sou o k no meio disto td nao sou branco muito menos negro 100%
    mas os meus amigos uns me dizem entao preto tas fx outros moreno outros muito raramente branco como ve sao juizos….

  109. Miguel diz:

    Ri-te, Ri-te, lol.

    Mas ja agora, isto de ser negro ou branco (termos que pare mim valem pouco) nao interessa nada, mas de facto os Norte Africanos estao muito mais perto dos Europeus do que dos Sub-Saharianos.

  110. Miguel diz:

    Entao meu, tu és tipo um novo ser humano, o proximo passo, lol. Segundo alguns.

    Mas é o que mesmo? Tipo é assim uma mistura colonial ou assim?

    Eu tenho dois meios irmaos com sangue negro e indiano.

  111. nasci e cresci no guetto diz:

    olha da parte da minha mae sao tds brancos tds de portugal.. ja no lado do meu pai tenho indianos e afrikanos…a mae do meu pai (avo) e goesa indiana pura..o pai do meu pai neste caso avo afrikano puro (tanzaniano)pais k se situa a sul de mocambique salvo erro …so dai ja se ve a mistura de culturas e ideologias crencas etc… mas a realidade e k ambas as minhas familias contestaram o casamento entre os meus pais coisas k hj em dia ja nao acontecem com tanta frequencia pk ja ha tanta gente preconceitosa felizmente somos todos humanos temos todos os direitos…e cito racismo e crime tanto praticado por umas partes como por outras…

  112. nasci e cresci no guetto diz:

    nao***

  113. Camões diz:

    A Tânzania é a Norte de Moçambique, povo do guetto!!!
    No tempo em que as famílias contestavam os casamentos dos filhos é que era bom! Agora, os pais não se importam quem vão ser os netos!!!
    A minha mãe é de Angola (Branca) no entanto a família do meu pai contestou o casamento. É normal os pais preocuparem-se com os filhos e com os netos, não?
    Quando os pais não se importam com os filhos ou abrem a mente de maneira a que qualquer um é bom para a sua filha parece-me que estão em parte a desprezar os filhos, é inerente ao ser Humano preservar o que é seu seja o relógio, o anel, a raça, o credo ou os costumes.
    Caro Miguel isso de se deixar de ser negro por se ter apenas um dos progenitores não negro é extremamente descutível, chame-me racista se quiser mas eu já vi casos de filhos “multirraciais” tão negros como o progenitor negro, mas nunca vi um que pudesse classificar de branco. Eu penso que o gene da “negritude” devfe ser dominante e que para se deixar de ser negro tem de se ser, para aí uns 85, 90% branco.

  114. Caro Camões:

    Você diz: “Hoje em dia, a Influência dos Imigrantes Negros em Portugal é superior á dos Mouros que só cá estiveram durante 550 anos contra os 30 anos dos imigrantes negros.
    Assustador, não?”
    ————————-
    Não vejo as coisas dessa maneira. Assustador é ter guetos como há em França, na Holanda e na Inglaterra, onde as crianças filhos de imigrantes crescem sem sequer falarem a língua do seu país (seu, sim, porque são cidadãos franceses, holandeses e ingleses), completamente à margem das normas e regras legais e culturais que regem a vida em sociedade do seu país. Exemplo disso são os “assassínios para limpar a honra da família”, frequentes entre a comunidade inglesa de origem paquistanesa. Basta uma rapariga namorar com um rapaz que seja de outra raça (por vezes, basta que seja de um clã paquistanês rival) para que a honra da família fique manchada e tenha que ser limpa com sangue.

    Agora, que sejam brancos, azuis, amarelos, negros, castanhos ou de qualquer outra cor, é-me indiferente. Que sejam Portugueses, não apenas de passaporte, mas de coração, isso sim, isso acho fundamental!

    Máquina Zero

  115. Camões diz:

    Sim, concordo máquina zero só que…
    Portugal é branco, não é nem Mouro nem Negro, somos uma Nação bem definida quer étnica quer culturalmente e apesar de podermos assimilar algum número de imigrantes, não temos de escurecer o país, principalmente á custa dos seus milenares habitantes.
    Escusa de me acusar de racismo porque eu sinto Portugal ameaçado por Negros e Muçulmanos porque a emigração amarela e azul tem sido (relativamente) bem absorvida pela sociedade Portuguesa. Voçê sabe isso tão bem quanto eu.

  116. Zé zé diz:

    Isto é só a primeira fase, depois vem a segunda e o MZ vem dizer-me que certos imigrantes que estão aqui á 30 anos são Portugueses de Coração? E aqueles que têm cinco filhos e lhes incutem que têm de arranjar uma branca e desprezar os brancos. Não são a maioria dos imigrantes mas pode fácilmente alastar-se isso á maioria.
    Se um grupo de brancos malucos fartos disto tudo matarem três negros só por matar, mesmo á Manuel Machado, o que acha que a Comunidade da Cova da Moura vai fazer, e depois voçê achará por acaso que o pensamento dos negros de classe média não vai ser, mataram um dos nossos mas nós matamos dois! Isto é o que se passa por toda a Europa e Portugal até nem é um caso grave. Agora com estas petas do Multiculturalismo é que se está a criar um barril de Pólvora desnecessário. Teremos mesmo nos próximos 20-30 anos de rever isto

  117. Camões diz:

    Tão desnecessário como aquele que se criará nos Balcãs dando independência ao Kosovo

  118. nasci e cresci no guetto diz:

    senhor camoes referece a k amarelos e azuis ???

  119. Teixeira diz:

    Camões,

    o que é então para si um racista?

  120. Miguel diz:

    Camoes, se para si um mulato é um negro, problema seu, mas geneticamente nao é, nem fisicamente. Se puser um mulato ao lado de um jovem do congo ele vai parecer um branco para eles. Enfim. é um mulato, esta no meio e pronto.
    E nem era disso que eu estava a falar, mas sim de Norte Africanos que sao 20% negros no maximo, or se eles sao negros nao faz sentido nenhum.

    Quanto ao seu comentario dos pais nao se preocuparem com quem os filhos se casem, nao sei o que tem a ver com raça, eu preferia que a minha filha se casasse com um negro decente do que com um “branco” basofe de merda.

    Quanto a Portugal ser branco, sinceramente nao sei se é branco, nem sei o que isso é, Portugal é Portugal e isso é que o interessa. Eu nao sinto la nada de especial pelos outros “brancos”, tentaram dar cabo do meu pais varias vezes e por isso bem podem ir para p*ta que os pariu.
    Certamente, indentifico-me com a Europa e os valores que ela tem hoje em dia, mas a raça é irrelevante, o individuo é que conta.
    Contudo, confesso que prefiria que Portugal mantivesse sempre um ampla maioria de Portugueses de gema, simplesmente porque sao o meu povo e gosto de me sentir em casa, mas como disse, preferia viver com negros decentes do que com basofes Portugueses.

    Enfim…

    É engraçado falar na Jugoslavia, porque la sao todos iguais, brancos, mas puseram-se a matar uns aos outros simplesmente por razoes culturais/etnicas. Como tenho dito a cultura é muito mais important do que a raça. O problema que os Servios têm com os albaneses nao é a raça, é o facto deste serem muçulmanos e falarem outra lingua…nao serem differentes fisicamente.

    Voltando ao Norte de Africa ou ate outros paises Arabes…apesar de haver ainda algum preconceito quanto a negros, os negros muçulmanos deles sao considerados parte do mesmo povo, pois mais uma vez a cultura triunfa sobre a raça..

    Dá que pensar isto…

  121. Camões diz:

    Miguel… Perferias que Portugal mantivesse uma ampla maioria de Portugueses de gema (…) porque gosto de me sentir em casa.
    Há pois é!
    Agora vê as taxas da Natalidade das diferentes comunidades, a desertificação do país no interior, o ódio mascarado que muitos imigrantes têm a Portugal… isso a mim preocupa-me.
    Mas, por enquanto perfiro que o meu país tenha um largo número de imigrantes do que seja Espanhol! O que mais me assusta é que um dia essa minha mentalidade mude pois quando mudar, não serei eu o primeiro.

  122. Camões diz:

    Miguel, eu creio que os negros são muito mais maltratados e olhados com desprezo nos países árabes. Eles sim, nisso não são como nós, hão de ver como funciona o sistema da Nacionalidade no Koweit.

  123. Camões diz:

    Ora, é verdade que não há pretos na ex-Jugoslávia mas existem diferentes povos.
    Um português não é igual a um Francês, certo?
    Pois é dificil de compreender para um Português que nunca viu a guerra e fala de boca cheia como que se uns povos fossem melhores que outros.
    Não me venham com a guerra colonial pois essa foi uma guerra soft, lá longe…
    É que a última vez que houve guerra em Portugal a sério, foi no tempo de Napoleão, literalmente. Agora nos Balcãs… Houve todas aquelas guerras para se libertarem do jugo otomano no século XVIII e XIX, depois no século XIX houve diversas guerras balcânicas entre os países cristãos já independentes, depois foi a primeira guerra, a segunda e estas últimas guerras na ex-Jugoslávia no século XX.
    Posto isto não acha normal terem ficado alguns assuntos pendentes, por resolver, não achais vós normal, que depois de 300 anos de Guerra os diferentes povos tenham o pé atrás uns com os outros!
    Pois eu acho perfeitamente normal, e acho abominável que se culpe apenas a Sérvia e que se dê de presente a todo o povo Sérvio um futuro de pobreza abjecta para as próximas gerações como se o país nem europeu fosse. Tudo só por causa de um homem! Deixem o povo Sérvio em paz! Kosovo é Sérvio!
    Albaneses e Bósnios Muçulmanos não são Europeus, são Turcos
    O povo Sérvio é parte integrante e grande contribuidor para a Civilização Europeia!

  124. Teixeira diz:

    Caro Camões você não faz a mínima ideia do que foi a guerra colonial para a entender como tendo sido “soft”.

    E reparo também que não sabe ou não quer responder-me sobre o que é para si um racista visto que não se considera como tal.

  125. Camões diz:

    Primeiro, tenho perfeita noção que a guerra colonial foi violentíssima mas não para Portugal que esteve em paz assim como hoje estão os Estados Unidos, foi violentíssima para Angola, Moçambique e Guiné, tal como agora se passa no Iraque.
    O conceito de guerra soft é uma guerra que não destrói o país, neste caso Portugal.

  126. AVISO PARA O “MIGUEL”:

    Neste blogue não são permitidos palavrões. Recoloque a sua mensagem (“Miguel Says: Junho 27th, 2007 at 12:26 am”) sem os palavrões, porque daqui a duas horas ela vai ser apagada.

    Máquina Zero

  127. luigi diz:

    nao foram so esses os paises na guerra colonial :S

  128. luigi diz:

    muitos deles apos a guerra colonial fikaram completamente arrasados

  129. luigi diz:

    um exemplo e a tanzania

  130. Camões diz:

    Miguel, tens toda a razão, um mulato não é um negro mas, para mim é (até ser 80-90% branco) sempre mais negro que branco.
    Lá venho eu mais uma vez contestar os seus dados acerca da genética.
    Nos dados a que tive acesso os Norte Africanos eram:
    75% Berberes ou Norte Africanos nativos
    20% Árabes
    5% Negros de diversas origens

  131. Camões diz:

    Caro Teixeira, para mim um racista é alguém que acha a sua raça superior e com base nisso procura atingir as outras raças, um raçista não respeita o direito á vida e ao bem estar das outras raças. Um racista é alguém que acredita que fora da sua raça as pessoas não passam de lixo. Um racista é incapaz de se dar com outras pessoas exceptuando (algumas) da sua raça.
    Isto é um racista.
    Eu não compactuo com isto logo não me creio um racista, contudo acho que já cá temos pretos a mais em Portugal e Portugueses a menos em Portugal, principalmente no Interior.

  132. Camões diz:

    Estava a escrever outra coisa… mas não resesti é que acabei de ouvir o Louçã no parlamento a falar mal de liberais que odeiam a liberdade e que fogem ás responsabilidades.
    Será que foi hoje que ele se viu ao espelho?

  133. Miguel diz:

    Isto é a recolocação da minha mensagem, desta vez sem as asneiras.
    Eu disse isto a Junho 27th, 2007 at 12:26 am:

    Camoes, se para si um mulato é um negro, problema seu, mas geneticamente nao é, nem fisicamente. Se puser um mulato ao lado de um jovem do congo ele vai parecer um branco para eles. Enfim. é um mulato, esta no meio e pronto.
    E nem era disso que eu estava a falar, mas sim de Norte Africanos que sao 20% negros no maximo, or se eles sao negros nao faz sentido nenhum.

    Quanto ao seu comentario dos pais nao se preocuparem com quem os filhos se casem, nao sei o que tem a ver com raça, eu preferia que a minha filha se casasse com um negro decente do que com um “branco” basofe.

    Quanto a Portugal ser branco, sinceramente nao sei se é branco, nem sei o que isso é, Portugal é Portugal e isso é que o interessa. Eu nao sinto la nada de especial pelos outros “brancos”, tentaram dar cabo do meu pais varias vezes e por isso bem podem ir para um sitio que ca sei.
    Certamente, indentifico-me com a Europa e os valores que ela tem hoje em dia, mas a raça é irrelevante, o individuo é que conta.
    Contudo, confesso que prefiria que Portugal mantivesse sempre um ampla maioria de Portugueses de gema, simplesmente porque sao o meu povo e gosto de me sentir em casa, mas como disse, preferia viver com negros decentes do que com basofes Portugueses.

    Enfim…

    É engraçado falar na Jugoslavia, porque la sao todos iguais, brancos, mas puseram-se a matar uns aos outros simplesmente por razoes culturais/etnicas. Como tenho dito a cultura é muito mais important do que a raça. O problema que os Servios têm com os albaneses nao é a raça, é o facto deste serem muçulmanos e falarem outra lingua…nao serem differentes fisicamente.

    Voltando ao Norte de Africa ou ate outros paises Arabes…apesar de haver ainda algum preconceito quanto a negros, os negros muçulmanos deles sao considerados parte do mesmo povo, pois mais uma vez a cultura triunfa sobre a raça..

    Dá que pensar isto…

  134. Camões diz:

    Voltando ao assunto das populações pré Romanas da Peninsula Ibérica cheguei ás seguintes conclusões:
    1) Os Iberos viviam no Sul da Peninsula e na área em que hoje se fala Catalão.
    2) Os Celtas viviam no norte da Peninsula até á zona Basca. Viviam também no Ocidente principalmente a norte do Tejo e depois expandiram-se para o Sul, sendo que o Alentejo e o Algarve foram extremamente Celticizados.
    3) Os Celtíberos viveram basicamente nas regiões Manchegas.
    4) O outro povo Ibérico eram os Bascos e eram anteriores a estes sendo o único povo Europeu anterior ás invasões arianas que popularam a Europa.
    5) Os Celtas e os Iberos não se misturaram, eram dois povos distintos e consequentementemente dispunham de uma razoável “pureza” étnico-cultural.
    6) Os Tartessos eram extremamente evoluídos quando comparados com os outros povos tendo até um alfabeto próprio apesar de terem sido muito influênciado pelos Gregos.
    7) Os Tartessos vivam na Andaluzia.
    8) Portugal (Galiza é Portugal!) é essencialmente constítuido por dois povos e não um: Os Lusitanos e os Galaécios.

    Agora as questões que gostaria de ver dissipadas:

    1) Como é que os Celtas chegaram aqui se os Bascos e os Iberos bloqueiam o caminho pelos Pirinéus?
    2) Existe alguma possibilidade de os Celtas serem originários da Galiza e portanto os primeiros habitantes da peninsula? Vi isto na Wikipédia e achei muito pouco credível!
    3) No entanto, corrigindo o que alguem me disse em cima, a enciclopédia Britanica fala não de Celtas e Iberos mas sim de Celtas Ibéricos no que toca á ascendência do povo Inglês. É uma impressão que eu tenho será isto possível?
    4) Porquê que dizem que os Iberos vieram através do estreito de Gibraltar mas nunca dizem porque afirmam tal coisa?
    5) Se os Iberos são provenientes de Marrocos, como é que os Tartessos se detacaram tanto das populações Norte Africanas que, a meu parecer, deveriam ser mais civilizadas ainda?
    6) Porquê que não descendemos dos Romanos em grandes números uma vez que as mulheres Ibéricas são lindíssimas?
    7) Os Catalães são Iberos, ou já nem podemos falar assim?

    As respostas serão agradecidas e já se fazem esperar!

  135. Miguel diz:

    Camões, esses numeros que deu para os Norte Africanos, dizem respeito as suas linhagems paternais, se nao estiver enganado.

    75% Berber (E3b), 20% Arabe (J) e 5% Negro (E3a). (tambem por ser o que cada inviduo se identifica como, embora a maioria dos Norte Africanos ve-se como “Arabe”, embora sejam sobretudo “nativos”)

    Ora como ja expliquei, as linhagens, sobretudo quando se olha para uma que apenas é metade da historia, nao mostram a imagem toda e muito menos nao estao a dizer que 75% dos Norte Africanos sao Berberes puros, que 20% sao arabes puros e que 5% sao negros puros. Isso quando muito diz apenas que 75% dos Norte Africanos tem antepassados Berberes, 20% Arabes e 5% Negros. Nao diz nada quanto a percentagem que tal grupo representa no “sangue” dessa pessoa. Nem das outras linhagens todas que ficam por analisar. Para tal servem os testes “autosomal” (nao sei a palavra em Portugues) que esses sim dizem, o que compoem cada invididuo, ou se for um grupo, o que em media compoe cada inviduo.

    E como disse, ainda faltavam ai as linhagems maternais, onde a incidencia de sangue negro é bastante maior (10% a 20%).

    Por exemplo se um teste autosomal a un individuo norte africano desse o seguinte resultado:

    70% Berber, 20% Arabe, 10% Negro. Estas % seriam as % de “sangue” berber, arabe e negro que tal individuo possui. Em de lhe dar apenas uma linhagem, que sinceramente pode ser qualquer coisa, temo a consituiçao exacta da pessoa.
    Se, no entanto, este resultado fosse de um estudo realizado a um grupo, quereria dizer que em media as pessoas desse grupo eram 70% Berber, 20% Arabe, 10% Negro, embora claro individualmente as % variassem, podendo haver individuos que so tivessem sangue de um destes povos ou de dois, e nao dos tres.

    Mas esta ciencia ainda esta na sua infancia, ha ainda muito por avançar

    Se quiser Camoes, posso procurar e ver que resultados deu a Portugal.
    Pois eu ja vi uns testes destes feitos a grupos de Portugueses.

  136. Miguel diz:

    Por exemplo neste site, de uma famosa companhia que faz estudos autosommal vem a media dos resultados de Portugal:

    “http://www.dnatribes.com/sample-results/dnatribes-global-survey-regional-affinities.pdf”

    Ande um bocado para baixo, ate aparecer a Europa, veja a coluna de Portugal e atraves as cores veja o que constitui o Portugues medio..

    No entanto, como disse este tipo de testes ainda esta na infancia, e confesso que os nomes que eles atribuiem a certo ADN meio suspeitos, mas enfim..

    Tambem aparecem os Norte Africanos, se alguem estiver interessado..

  137. Camões diz:

    Agradecia muito que encontra-se isso desses testes “autossomais” pois acho fascinante!!! Eu pensava que isso ainda fosse ficção científica apesar de já ter dado com alguns desses testes, nunca lhes achei importância e, até agora continuo a achar os dados que me ficaram na cabeça credíveis e sou machista que baste para me interessar mais por linhagens paternais que maternais!
    No entanto acho isso um instrumento muito perigoso para o futuro, imaginem que aparecia um Hiltler a querer limpar, todo o sangue judeu? Dá arrepios…

    No entanto gostava de saber mais, como é que se fazem esses testes, são simples ou requerem muita tecnologia?

  138. Camões diz:

    Não consigo entrar no site Miguel!

  139. Camões diz:

    Voltando ao assunto das populações pré Romanas da Peninsula Ibérica cheguei ás seguintes conclusões:
    1) Os Iberos viviam no Sul da Peninsula e na área em que hoje se fala Catalão.
    2) Os Celtas viviam no norte da Peninsula até á zona Basca. Viviam também no Ocidente principalmente a norte do Tejo e depois expandiram-se para o Sul, sendo que o Alentejo e o Algarve foram extremamente Celticizados.
    3) Os Celtíberos viveram basicamente nas regiões Manchegas.
    4) O outro povo Ibérico eram os Bascos e eram anteriores a estes sendo o único povo Europeu anterior ás invasões arianas que popularam a Europa.
    5) Os Celtas e os Iberos não se misturaram, eram dois povos distintos e consequentementemente dispunham de uma razoável “pureza” étnico-cultural.
    6) Os Tartessos eram extremamente evoluídos quando comparados com os outros povos tendo até um alfabeto próprio apesar de terem sido muito influênciado pelos Gregos.
    7) Os Tartessos vivam na Andaluzia.
    Portugal (Galiza é Portugal!) é essencialmente constítuido por dois povos e não um: Os Lusitanos e os Galaécios.

    Agora as questões que gostaria de ver dissipadas:

    1) Como é que os Celtas chegaram aqui se os Bascos e os Iberos bloqueiam o caminho pelos Pirinéus?
    2) Existe alguma possibilidade de os Celtas serem originários da Galiza e portanto os primeiros habitantes da peninsula? Vi isto na Wikipédia e achei muito pouco credível!
    3) No entanto, corrigindo o que alguem me disse em cima, a enciclopédia Britanica fala não de Celtas e Iberos mas sim de Celtas Ibéricos no que toca á ascendência do povo Inglês. É uma impressão que eu tenho será isto possível?
    4) Porquê que dizem que os Iberos vieram através do estreito de Gibraltar mas nunca dizem porque afirmam tal coisa?
    5) Se os Iberos são provenientes de Marrocos, como é que os Tartessos se detacaram tanto das populações Norte Africanas que, a meu parecer, deveriam ser mais civilizadas ainda?
    6) Porquê que não descendemos dos Romanos em grandes números uma vez que as mulheres Ibéricas são lindíssimas?
    7) Os Catalães são Iberos, ou já nem podemos falar assim?

    As respostas serão agradecidas e já se fazem esperar!

  140. Miguel diz:

    Vou tentar responder as suas questoes, mas primeiro vou abordar as suas conclusoes:

    1) Sim, os Iberos viviam principalmente no chamado Levante Espanhol, mas tambem no Sul de Frances. Parece que ate tambem na Corsega, Sardenha e Sicilia…mas basicamente, o que disse.

    2) Sim, esta essencialmente correcto.

    3) Eu confesso que nao sei o que é a manchega, mas os chamados Celtiberos habitavam sobretudo na zona da Meseta Central.

    4) Praticamente errada. As invasoes arianas nao popularam a Europa, quando muito popularam o Nordeste da Europa, o que para o nosso caso é irrelevant. E isto, para quem ariano=(proto)indo-europeus. De facto os Bascos ja ca estavam antes, mas tambem ca estariam os Iberos (creio que mencionou isto mas nao tenho a certeza) e uma miriade de povos que infelizmente nao registaram a sua historia e foram simplesmente assimilados (sobretudo culturalmente). Estou a falar por exemplos dos povos que contruisram antas e dolmenes, que tanto quanto se sabe nao eram nem bascos, nem iberos.

    5) De certa forma sim, mas os Celtiberos nao adquiriram este nome ao calhas. Houve contactos entre os povos celtas e os iberos, trocas culturais e ate mistura..

    6) Aparentemente sim, e alias, acho que nem foram os Gregos que os influenciaram, mas antes os fenicios. Pelo menos todos os alfabetos da Peninsula parecem ter uma origem fenicia, como tambem teve o grego por examplo…

    7) Sim, nessa area, embora o sul de Portugal tambem parece ter sido influenciado, por se terem encontrado ca inscriçoes tartessicas digamos.

    8] Portugal na realidade tinha um miriade de povos. Isso tambem depende da epoca em questao, mas poucos antes dos Romanos chegarem existiam os Lusitanos que eram a tribo dominante na area, tambem havia muitas outras tribos celticas comos os Galaecios, mas tambem os Celtici no Algarve e muitos outros. Eles vêm la todos na Wikipedia. Algumas dessas tribos eram ate nao celticas, provavelmente seriam as tais tartessianas.

    Agora as questoes:

    1) Bem, ha que ver, o que nao faltava era espaço para passar, nao estava la ninguem a bloquear, o controlo exercido sobre os territorios era muito limitado. Depois a cultura belica dos Celtas era bem superior, tinham armas de ferro por exemplo, e como tal seria dificil fazer-lhes frente.

    2) Nao, nao existe possibilidade nenhuma. Esta mais do que estabelecido que os celtas originaram na zona da Austria, Suiça..a chamada cultura Hallstat.

    3) O povo Britanico (isso ingles ja é outra coisa e bem mais complicado explicar) tem algumas ligaçoes a Iberia, porque foi daqui, aparenmente que partiram aqueles que primeiro colonizaram as ilhas. O povo que levou r1b para la. Ora isto foi milhares de anos antes de haver celta ou algo parecido. No entanto, houve contactos entre os povos Ibericos e Britanicos ao longo dos seculos e alguns individuos certamente migraram, mas nada de especial. Os Britanicos tal como os Ibericos foram Celticizados.

    4) De facto, nao se sabe de ondes vieram eles, podem muito bem ate ter sido nativos, do medio oriente, do norte de africa ou da lua até, lol. Ainda ha muito por saber.

    5) Pois como correspondi acima, nao se sabe se vieram de Marrocos, e a sua questao ate parece indicar que nao.

    6)Lol, porque as Italianas ainda sao melhores meu amigo!

    7) Ja nao podemos falar assim, os Iberos sao apenas mais um dos povos que por la passou, e que culturalmente (o que realmente interessa, pois o elemento humano pouco mudou em milhares de anos) ja la vao ha muito…

    E pronto, espero ter sido util.

  141. Miguel diz:

    Hum, nao consegue entrar? Que estranho, se calhar nao tem adobe acrobat, acho que esse programa é necessario…se eu encontrar outro site entretanto ponho aqui.

    Sim, de facto, a informaçao genetica nas maos erradas pode ser perigosa, mas isso é um pouco como tudo creio. Quando muito, qualquer Hitler que va a procura de sangue Judeu na Europa pare exterminar aqueles que o têm, rapidamente desistira pois nao lhe apetecera suicidar-se nem matar 90% da Europa..lol

  142. Camões diz:

    Terras Manchegas são aquelas terras de Castilla-La Mancha que não são Castelhanas, as províncias de Cuenca, Ciudad Real e Albacete. Enfim a meseta central ou apenas parte.
    Obrigado pelas respostas!

  143. C diz:

    Miguel, apesar dos esclarecimentos, tenho algumas questões ainda atravessadas e agradecia a quem as coseguisse dissipar. As questões são as seguintes:
    1) Se os bascos se impusessem aos Celtas seriam aniquilados, certo? Mas se os Celtas os pudessem aniquilar, tinham aniquilado-los. Pelo menos culturalmente se eram assim tão superiores, certo? Continua a não fazer muito sentido…
    2) Porquê que se pode dizer (de forma mto simplista) que a população Portuguesa entre o Tejo e o Douro descende dos Lusitanos, que a Norte do Douro descendem dos Galaécios e não se pode dizer que os Catalães descendem dos Iberos?
    3) Bem visto em relação ás Italianas mas no início os Romanos não eram muito Católicos certo?

  144. Miguel diz:

    De nada, mas ja agora, eu nao sou nenhum especialista, nem historiador, apenas tenho um grande interesse por estes assuntos, e leio bastante..acho.

    De qualquer forma continue a sua busca pelo conhecimento, Camões!

  145. Camões diz:

    Miguel, apesar dos esclarecimentos, tenho algumas questões ainda atravessadas e agradecia a quem as coseguisse dissipar. As questões são as seguintes:
    1) Se os bascos se impusessem aos Celtas seriam aniquilados, certo? Mas se os Celtas os pudessem aniquilar, tinham aniquilado-los. Pelo menos culturalmente se eram assim tão superiores, certo? Continua a não fazer muito sentido…
    2) Porquê que se pode dizer (de forma mto simplista) que a população Portuguesa entre o Tejo e o Douro descende dos Lusitanos, que a Norte do Douro descendem dos Galaécios e não se pode dizer que os Catalães descendem dos Iberos?
    3) Bem visto em relação ás Italianas mas no início os Romanos não eram muito Católicos certo??

  146. Miguel diz:

    1) Sim, mas eu acho que naltura, havia espaço para todos, e isso de aniquilar nao era bem a onda deles. De qualquer forma os bascos enfiaram-se la para o meio das montanhas e ninguem os chateou durante seculos…lol

    2) Oh sim, claro. Nao quis dizer o contrario,. Apenas que de momento, chama-los iberos nao faria muito sentido. tal como chamar-nos de Lusitanos, mas enfim..a propaganda é assim, lol.

    3) Nada Catolicos mesmo. Ninguem era. Como deve saber, os Cristianiasmo so se expandiu graças aos Romanos que o adoptaram, mas apenas seculos depois de terem iniciado a sua expansao..

  147. Miguel diz:

    Oh, esqueci-me de dizer, os Celtas eram superior, mas apenas na cultura belica! No restanto povos como os Iberos eram superiores. Segundo consta.
    Nao sei como seria com os Bascos. Que naltura estava mais espalhados, ate creio que so foram para onde estao agora depois e antes estavam no sul da frança/aquitania, mas pronto eu sei pouco deles.

  148. Camões diz:

    Miguel, tu pareces uma pessoa equilibrada, que é capaz de julgar por sí próprio.
    Tu implicas um pouco com os arianos por isso lê o meu post em multiculturalismo consiste em… 26-06-2007 acerca dos arianos e vais ver que as coisas encaixam-se.
    Depois diz me o que pensas e porquê que durante o século XIX estava na moda falar em arianos e, subitamente depois da queda de Hitler esse assunto se tornou tabu?
    Bem se tiveres paciência é claro.

  149. Miguel diz:

    Eu li isso, alias, eu escrevi uma resposta minha, que incluiu esse assunto, a algo que disseste la, se calhar nao viste. Na thread cinzentos verdes e nao sei quê.

    Quanto ao tabu, o nazismo veio tornar muitos assuntos tabus, e qualquer semelhança com eles é imediatamente condenada. Claro, isto atingie proporçoes parvas mesmo, havendo assuntos importantes que agora nao podem ser debatidos sem que alguem se ponha aos berros a falar de Hitlers e fascistas!
    Mas digo-te, essa admiraçao pelos Arianos, quase sempre teve um cariz racista, (o que nos Europeus nessa altura era muito…) criando uma especie de super raça mitica, quase vinda da Atlantida, da qual nos descenderiamos e os outros coitadinhos eram uns sub-humanos que para ca andavam..
    Porque nessa altura? Porque essa foi a altura em que a Europea praticamente dominava o mundo. Sim, antes disso ja la andava perto, mas no seculo XIX é que começou o dominio a serio da Africa e da Asia. Da America ja nao, mas quem mandava la eram Europeus tambem, logo ia dar ao mesmo. Sendo assim criam-se essas lendas, um pouco para justificar o que se estava a passar.. O homen ariano, criador de todas as civilizaçoes ia agora assumir o papel para o qual existia e controlar o mundo.
    Enfim, uma parvoice desse genero, um bocado a moda do povo escolhido algo recorrente em povos com a mania, lol.

  150. Teixeira diz:

    Camões, você fala fala mas não diz nada. Pelo menos à questão que lhe coloquei. Diz que não é racista – pois eu pergunto-lhe o que é para si um racista já que insiste em afirmar que não o é.

    Depois de me fazer o “favor” de responder, eu argumento consigo.

    Será que é desta?

  151. Camões diz:

    Miguel, se calhar eu deixo-me corromper pelo poder mas, isso não era bom? Não eramos nós superiores cultural e tecnológicamente?

  152. Camões diz:

    Teixeira, eu já respondi mas vou buscar a resposta porque voçê ou é perguiçoso e não a quer procurar ou então teve um dia muito mau e está muito cansado. A resposta que eu dei, foi esta: “Copy pasting”:
    Caro Teixeira, para mim um racista é alguém que acha a sua raça superior e com base nisso procura atingir as outras raças, um raçista não respeita o direito á vida e ao bem estar das outras raças. Um racista é alguém que acredita que fora da sua raça as pessoas não passam de lixo. Um racista é incapaz de se dar com outras pessoas exceptuando (algumas) da sua raça.
    Isto é um racista.
    Eu não compactuo com isto logo não me creio um racista, contudo acho que já cá temos pretos a mais em Portugal e Portugueses a menos em Portugal, principalmente no Interior.

  153. Camões diz:

    Então Teixeira, tens perguiça de abrir os olhos e ver o que está á tua frente?

  154. Miguel diz:

    Camoes, sim “somos” (entre haspas porque somos é muita gente) superiores, mas isso nao implica que podemos fazer o que nos apetece aos outros e andar ai a escraviza-los e coloniza-los, sobretudo da maneira que nos fizemos. Uma colonizaçao sem pes nem cabeça. Com tanta conversa de levar civilizaçao aos coitadinhos nao lhes ensinamos quase nada, pior, discriminamo-los, e agora ve-se os resultados.

  155. Camões diz:

    Nisso não concordo, caro Miguel

  156. Camões diz:

    Se não fosse a colonização eles estariam bem piores!

  157. Teixeira diz:

    Camões,

    tem razão no que diz respeito ao meu cansaço. Não li. Obrigado pelo copy/paste.

    Mas a sua definição de racista enquadra-se naquilo que tem escrito.

    Voltarei amanhã (hj) para responder convenientemente.

  158. Camões diz:

    Esperá-lo-ei Teixeira…

  159. Miguel diz:

    Sim, estariam piores de certa forma, mas podiam estar melhores, não??
    Bem melhores…mas antes tinhamos que nos civilizar as nos proprios acho.
    Sim, o que nao faltava aqui tambem era iliteracia infelizmente.

  160. Camões diz:

    Sr. Teixeira, continuo á espera…

  161. Camões diz:

    Teixeira, então!
    Continuo á espera mas começo achar melhor esperar sentado.

  162. Teixeira diz:

    Camões,

    tenha lá calma que eu não estou de férias escolares e você já escreveu tantos absurdos que eu nem sei por onde começar, ou pior ainda, se tem capacidade para apreender aquilo que lhe tenho para transmitir.

    Não desespere com a espera que eu não sou assim tão importante para que esteja ansioso pela minha resposta.

    Só o facto de até o MZ ter discordado de si, já prova muito das suas contradições e disparates. Isto claro, porque disse inicialmente que se identificava com a linha de pensamento dele.

    Mas voltarei com algo mais substancial. O trabalho chama-me.

  163. Camões diz:

    Longe de mim, querer arrancá-lo do trabalho.
    Primeiro as responsabilidades!

  164. Camões diz:

    Vá Teixeira, estou ansioso que me transmita a sua sabedoria.

    Compreendo que acha que digo diparates agora, não estou a dizer que não aconteceu, só não tenho é ideia de me ter contrariado… Mas isto tinha a haver com qualquer coisa do racismo que eu já nem me lembro bem não é?

  165. Camões diz:

    Stran, corrige-me olha o haver em cima!

  166. Stran diz:

    Caro Camões já vi que o meu comentário já serviu para alguma coisa… lol

  167. Camões diz:

    Oh… Povo do guetto!
    Já tinha saudades vossas!

    Acabou-se o panem et circus?

    Pois, não há futebol… quanto ao pão, ainda vão recebendo as esmolas que a classe otária (média) paga como impostos.

    A vida no guetto é boa!

  168. Camões diz:

    Só compreendo línguas indo-europeias e as que compreendo não são muitas.
    Tente comunicar em:
    Português
    Castelhano
    Astur Leonês
    Catalão
    Francês
    Inglês
    Italiano
    Ou até talvez em Alemão ou Provençal

    A falar assim, não admira que esteja no guetto!

  169. nasci na guetto diz:

    camoes vai po crlh k ta foda gay de merda vai la viver pa tua linda casa!!!

  170. Camões diz:

    yo Grande educação!
    É por essas e por outras que o povo Português (e Europeu) começa a fartar-se dos multiculturalismos.
    Quando existe assim um largo número de alienigenas só dá vontade de os expatriar para a terra que eles tanto amam! E que é tão melhor que a nossa!
    É o que eu digo, o problema é oferecer a cidadania a não impota quem.

  171. Camões diz:

    Maquina Zero, és um racista! Se fosse um coitado de um comuna desiludido com a vida nos seus 75 anos a escrever isso da sua casa a Sul do Tejo, o comentário já teria sido apagado…
    Mas quando é um preto a coisa fica mais complicada, não é?
    Dois pesos, duas medidas.

  172. Camões diz:

    Povo do guetto, vou tentar começar outa vez:
    Tenta ser minimamente educado (se é que compreendes o que digo) e tenta dizer-me:
    Para quê tanta raiva?

  173. Camões diz:

    Não é xau, esvreve-se ciao e deriva do Italiano.
    Quanto á minha morte, ainda falta muito tempo (graças a Deus!). Caso não saibam, a esperança de vida é muito superior fora do guetto! Nos locais civilizados, a esperança média de vida é sempre superior aos 72 anos… ainda falta muito tempo!
    Pelo contrário, acho que a esperança média de vida aí no guetto é bem inferior, será que chegam aos cinquenta? Todavia sempre têm maior longevidade do que se estivessem em África, não é? E ainda se queixam! Deviam era estar gratos!
    Aprendam o ditado:
    Não se cospe no prato onde se come.
    E ganhem educação, já deixaram a tribo, não?

  174. nasci no guetto e o camoes e gay diz:

    olha k prefiro ser preto do k ser gay
    e k os gays nao se adaptam na sociedade e ainda fazem exigencias
    afirmam se iguais afinal de contas eu sou um ser humano e nao sou obrigado a falar com camoes k merecem a minha ignorancia
    voltei e volto a dizer
    xauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

  175. Camões diz:

    É “ciao” e é um estrangeirismo.

    Eu concordo plenamente com o povo do gueto, antes preto, amarelo ou azul que homossexual!
    A raça não conta para a dignidade de um ser humano, já certas opções… se não demonstram uma falta de dignidade, demonstram sem dúvida uma doença.

    PS- É claro que as meninas podem continuar a brincar como quiserem! Não são doentes por isso, apenas brincalhonas (dentro de certos limites é claro)!

  176. Camões diz:

    Toureiro, deves gostar pouco de “machos bovinos”, deves…
    Pretos, agressivos e com mais de 500 quilos.
    É o chamado forCÚado.

  177. Camões diz:

    UUUUUUUU…. ameaças de morte!
    PORTUGAL (ainda) não é como o gueto em que vives, ya?
    Fica bem nigga!

  178. Marco diz:

    Anti-Camões.
    Faz favor de te apresentares, para saber-mos que raio de cultura representas.

  179. Toxico diz:

    haiiooo anti-camoes
    me tb saber fazer rimas e ter os dedos tortos xD

  180. Doctor Metge diz:

    Informe mèdic

    Autor: Doctor Metge
    Categoria professional: Hospital Clínic de Barcelona. Departament de Psiquiatria.
    Data: Dilluns, 6-8-2007

    El pacient és algú que està sent corroït per un esdeveniment que li provoca traumatismes i ansietat. Amb la finalitat de protegir-se, s’aparta de la realitat i es col·loca en una demència protectora, on torna a un estat primitiu o infantil.

    El dement adopta, un comportament no madur. Quan es troba en aquest estat de confusió, es protegeix dels records de la catàstrofe que ho va afectar. Per això, la demència és una defensa contra una mica més insuportable.

    Quan compara als espècimens de la seva raça amb els homosexuals, està interioritzant els valors dels seus enemics i adversaris. Demostra un gran complex d’inferioritat i una total mancada d’autoestima, que faran difícil, si no impossible, la seva reinserció social.

    ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

    Pacient: Anti-camões, també identificat amb els noms “Nasci no guetto”, “Toureiro”, etc.

    Procedència: Portuguès d’origen africà.

    Tractament mèdic recomanat:

    1. Mai respongui a una agressió amb altra agressió, a la violència amb violència. Mostri calma, amistat, bondat i parli amb veu normal.

    2. Romangui amb la persona a la qual ha d’ajudar.

    3. Escolti i parli amb el pacient, acceptant-lo tal com és. Pregunti-li quin li està succeint i com és el seu problema. No arriba a una discussió i no li contrariï.

    4. Agafi-li la mà o abraci’l.

    5. Doni-li consol i ajuda quan ho necessiti.

    6. Alliberi al pacient dels símptomes de la demència, per exemple, fent petites tasques pràctiques conjuntament.

    El tractament amb medicaments deurà efectuar-se en col·laboració amb el metge.

    Es recomana la tornada a la seva terra ancestral, amb la finalitat de que recuperi l’autoestima i que romangui allí per temps indefinit.

  181. Doutor Zinho diz:

    Concordo inteiramente com o bem achado diagnóstico do meu Excelentíssimo colega Doctor Metge de Barcelona.

    O paciente “Anti-Camoões” e restantes alcunhas demonstra uma total perda de auto-estima. Monstra sofrer uma crise da chamada síndroma de Estocolmo quando ousa comparar-se com os gays. Inconscientemente está a colocar os indivíduos da sua etnia no mesmo nível dos homossexuais brancos, interiorizando todos os preconceitos sofridos, e pedindo desculpas por ser o que é.

    A sua despedida Xauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu, provavelmente uma característica cultural e familiar própria, é uma sorte de pedido de ajuda e uma janela aberta à sua afligida personalidade.

    Em casos de grave inadaptação, muito comum nos habitantes dos guetos (1) recomenda-se um rigoroso tratamento hospitalar e a longo prazo, o regresso à terra ancestral. Ainda não foi descoberto um alívio definitivo para tão grave doença.

    (1) Com a palavra gueto derivada do dialecto veneziano «borghetto» (pequeno burgo, povoação) de maneira nenhuma persigo dar a este vocábulo o menor tom despreçativo.

  182. Professor Zito diz:

    Excelentíssimos Senhores:

    Peço desculpas por não concordar totalmente com o esclarecido diagnóstico que emitiram. Os senhores consideraram o assunto apenas desde o ângulo de vista da psiquiatria.

    As vossa Excelências não tiveram em conta o ponto de vista das ciências naturais e da biologia, a minha especialidade. Os seres vivos quando forem deslocados e colocados num meio exótico, fora do seu habitat natural, podem reagir de dois modos:

    1.-) Se o novo habitat não fosse totalmente incompatível, podem multiplicar-se indefinidamente, tal como acontece com esses simpáticos roedores que pululam na ilha de Porto Santo, ou essas flores amarelas de origem neozelandesa que enchem a ilha de São Miguel, nos arquipélago dos Açores.

    2.-) Só podem existir num meio criado artificialmente, como estufas ou reservas naturais ou procurar eles próprios um meio sustentável, tal como acontece com os chamados guetos, fora dos quais a sobrevivência deles é largamente arriscada. Não há, em consequência, uma conduta anormal.

    Infelizmente esta última adaptação gera muitos confrontos e despesas sociais que nem sempre podem ser assumidas. É conveniente fazer um estudo prévio com respeito a conveniência de estabelecer ou não tais habitats.

    Cumprimentos.

  183. Professor Zito diz:

    desde o ângulo de vista…

    Novamente desculpas. Queria dizer «desde o àngulo da psiquiatria».

  184. Camões diz:

    Quero dizer que concordo plenamente com todos os Doutores.
    Exceptuando o Dr. Catalão (Talvez porque ainda não viu a sua nação livre…):

    “Português de origem Africana”

    Ora, o toureiro, anti-camões e nasci no guetto são:

    AFRICANOS DE BILHETE DE IDENTIDADE PORTUGUÊS!!!! OK?

  185. Camões diz:

    Dr. Catalão.

    OK Voçê não se importa de ser castelhanizado… problem seu!

    Agora gostava que me explicasse(is) o que têm os españoles contra os Sul Americanos.

    É que a meu ver um Argentino é um Espanhol na América! Mais gente para construir esse vosso Imperium Hispanicus.
    E, por exemplo… ontem, no canal Telehit, estavam três Mexicanas que até eu queria levar para casa!

    Saudações Ibéricas!

  186. Camões diz:

    PS- Dr Zito…
    Está Hilário. E sem dispensar o dito rigor científico!
    🙂

  187. Doctor Metge diz:

    O que têm os portugueses contra os brasileiros? Sempre ando a ver neste blogue uma troca de insultos entre os cidadãos de ambas as nações. Qual é a razão?

    Portugal existe graças ao Brasil, graças ao facto de ter conquistado um império e espalhado a sua língua e a sua cultura. Aquilo permitiu a Portugal conservar a sua auto-estima e resistir a ocupação castelhana e os reis Filipes. Sem o Brasil, Portugal seria uma província espanhola, e o Presidente da República apenas um Presidente duma “Junta Autonómica” qualquer.

    À semelhança do galego, o português seria uma língua em vias de extinção, apenas falada pelo campesinato, que, complexado, se envergonharia dela e utilizaria cada vez mais castelhano.

    Vocês odeiam aos brasileiros porque são muito numerosos e Portugal não pode acolher tanta gente? Isso acontece aqui também com os sul-americanos. Além disso, numa imigração descontrolada vem a Europa o pior de cada casa, muitos delinquentes, mafiosos e gentes desarraigadas.

    A comunidade brasileira em Espanha até há pouco tempo tem sido bem acolhida e integrada. Tão bem integrada que eram praticamente invisíveis. Porquê? Porque a maioria eram de origem europeia e de um nível cultural alto. Surpreendentemente os espanhóis conhecem mais do Brasil do que de Portugal. Em Madrid há mesmo uma emissora de rádio a emitir em português brasileiro para os imigrantes dessa nacionalidade.

    Bem cedo já não será assim. O estabelecimento de vistos para os hispano-americanos está a provocar que as máfias de tráfico humano estejam a buscar clientes no Brasil, cujos cidadãos podem viajar por 90 dias sem prévia autorização. Esse descontrolo trará as mesmas consequências do que com os outros. Às bandas «latinas» como os «Latin Kings», «Nhetas», ou «Dominicans don´t play», teremos que acrescentar «Os Reis cariocas», «Brazilians will overcome» ou algo parecido.

    Esqueça esses nacionalismos de torre sineira (de curtos horizontes). Lembre-se da fábula dos dois coelhos que discutiam se os cães que os perseguiam eram galgos ou podengos. Temos um problema comum e devemos enfrentá-lo juntos. Caso contrário e muito antes do que imaginam, já não restarão Catalunhas, Galizas e occitánias que libertar. Seremos engolidos numa maré global e despersonalizada. Seremos nós que viveremos em reservas do mesmo modo que os índios americanos nos USA.

    Ser catalão e ser espanhol ao mesmo tempo não é contraditório.

  188. Camões diz:

    Concordo plenamente com os dois primeiros parágrafos mas o Galego não está em vias de extinção, é falado por mais de 250 milhões de habitantes e é das línguas europeias que mais possibilidade tem de crescer!

    Galego=Português
    Castelhano=Andaluz=Mexicano que é diferente de Astur-Leonês. Ok?

    Não existe ódio entre Portugueses e Brasileiros. O problema é que muitos dos Brasileiros que para cá vêm são pobres e estúpidos ao ponto de pensarem que Portugal destruiu o Brasil. São o que de pior há no Brasil!
    Ou então não são de origem Europeia e há uma grande incompatibilidade Cultural. E outros problemas. Agora a Espanha não tem importado Mayas ou Azetecas mas sim (acho eu) Argentinos, Chilenos e outros maioritariamente Europeus.
    Daí não haver incompatibilidade cultural, certo?

    Primeiro unimo-nos contra o mal comum! Nunca pus isso em dúvida, agora os Españoles também não nos parecem muito amigos…

    Lutemos, no entanto contra eles! E clebremos a nosasa aliança, caro Dr. Catalão!

    No entanto se ser Catalão não é diferente de ser espanhol e se Portugal faz parte da Hispânia os Portugueses também são Españoles.

    Eu sou a favor de uma Hispânia forte e que se afirme na Europa (acho injusto que um país que pouco fez pela Europa como a Polónia tenha o mesmo que a Espanha na U.E.), não sou a favor de um Império Castelhano.

  189. António Marcelo diz:

    Uma tarde andávamos a passear a minha mulher e eu nos arredores da Torre de Belém em Lisboa. Encontramo-nos com dois turistas espanholas que pareciam perdidas e comentaram:

    – Vamos perguntar a «esses» se ete cais tem saída.

    – Oye, ¿sabes si esto tiene salida?

    Incomodei-me duplamente. Em primeiro lugar pelo facto de não pedir desculpas, já que não sabiam se éramos portugueses ou compatriotas (não estávamos obrigados a compreender o espanhol) e depois, por esse tuteio grosseiro e desprezativo.

    – Bien sur, mesdames -disse com o melhor dos meus sorrisos- si vous voulez prendre un bain vous n’avez qu’à continuer tout droit. N’ayez pas peur. L’eau est chaude.

    – Bien, bien… Merci.

    – Pas de quoi, madame!

    – O que disse esse francês? Disse uma delas.

    – Não sei… Que continuemos para a frente…

  190. António Marcelo diz:

    Senhor Camões:

    Não sou um «Doutor catalão», nem Zinho, nem Zito. Queria era gozar com esse patético pateta que insultou e ameaçou de morte a outro participante. O facto de escrever em catalão foi para acrescentar a burla. Amar o meu país não significa de maneira nenhuma menosprezar os meus vizinhos. A experiência demonstra que o conhecimento mútuo apaga muitos preconceitos.

    A anedota real que contei é mais uma prova do grau de isolamento que existiu entre dois países irmãos. O português tem sido em Espanha uma língua exótica comparável com o chinês ou finlandês. Quando comecei a estudar a vossa língua há dez anos, tive de comprar um livro e uns cassetes intitulados «Le portugais sans peine», porque não havia em castelhano. Não havia livros nem jornais, mesmo nas povoações fronteiriças. Hoje em dia a situação está a mudar. O estudo do português acrescentou-se consideravelmente em Espanha. «El portugués sin esfuerzo» já foi traduzido ao castelhano. Ninguém fala aqui em Impérios nem anexações. As declarações de Saramago e inquérito de “O Sol” foram comentados com grande cepticismo.

    E repito mais uma vez. Nem sempre as fronteiras dos estados coincidem com as fronteiras étnicas ou linguísticas. Poucos países vão renunciar à perda de uma parte considerável do seu território. Pensar noutra coisa é condenar-nos a décadas ou mesmo séculos de guerras, confrontos e sofrimentos sem fim. Foi por isso que as nações europeias criaram a U.E., para acabar para sempre com os conflitos fratricidas que devastaram o continente europeu.

  191. António Marcelo diz:

    «Encontramo-nos com dois turistas espanholas…»

    Valha-me Deus! Sempre a cometer o mesmo erro.

    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas
    duas turistas ……

  192. António Marcelo diz:

    O galaico-português manteve-se até meados do século XIV, quando desapareceu a lírica comum galaico-portuguesa e a língua falada em Portugal, já estabelecida a Corte em Lisboa, começou a afastar-se gradualmente do galego.

    O galego actual encontra-se fortemente castelhanizado e dividido em dialectos. O padrão actual, que segue a ortografia castelhana é uma refundição artificial destas variantes. A língua escrita é ainda mais semelhante e compreensível (também os espanhóis compreendem uma grande parte do português escrito), mas a pronúncia é totalmente diferente. A pronúncia galega parece-se bastante com a castelhana e muitos galegos são incapazes de compreender na sua totalidade o português falado. Apesar das diferenças isso não acontece com portugueses, brasileiros e africanos, ou com castelhanos e andaluzes, espanhóis e sul-americanos.

    Sem ignorar as grandes semelhanças, falar de uma só língua é, por consequência, bastante arriscado.

  193. Camões diz:

    Caro senhor António Marcelo.

    Eu não sei se o senhor é Castelhano ou Catalão. Voçê parece ser um patriota Espanhol, senhor de uma cultura invejável (É inglês, françês, Português, catalão, Castelhano, etc).

    Quanto á sua anedota… eu padeço do mesmo mal pois mal um español vem hablar comigo neste canto do mundo em Castelhano não vai ouvir castelhano, a minha reacção é responder-lhe em bom Português o mais depressa possível ou então dizer Que? em Español umas tantas vezes… Se for em Galego o trato é outro… mas em Português, um Português mais soft.
    Mas se eu for a Espanha (Galiza e resto) falo Português até os españoles compreenderem o que quero. Por exemplo, uma vez em Mérida, com temperaturas superiores a 42º, a minha pessoa necessitava de un sombrero, não obstante cheguei a uma pequena loja e pedi um chapéu! Tive de fazer linguagem gestual várias vezes e mesmo assim teimavam em vender-me um “champô” (para lavar o cabelo).
    Outros casos os há em que os españoles não entendem mesmo o que quero e nem aí eu falo castelhano, mando-lhes com um Inglês á cara… o mais British possível que a maioria fica a olhar feita parva, mas há sempre alguém que entende (alma iluminada!).
    Todavia, é sempre hilário ouvir um castelhano-falante a hablar english.

    Anedota: Uma vez em Londres, numa camioneta típica Inglesa, estavam umas 30~40 pessoas de várias nacionalidades (Ingleses, Portugueses, Argentinos, Italianos, Alemães, etc.). Todas elas estavam na camioneta educadamente, falando com os seus amigos e familiares até que chega um grupo de españolas na casa dos 25~35 anos. Chegam aos gritos a hablar el castillano, mantêm-se aos gritos, cantam enfim… causam uma barafunda, parecia um grupo de ciganas no metro de Lisboa.
    A meio da viagen uma lembrou-se: Onde é que se sai em (qualquer coisa num péssimo inglês)? Vira-se a outra e diz em espanhol: Pergunta aí a essa “japa?” (Japonesa). Uma vira-se, hablando um péssimo inglês para uma japonesa onde era a tal saída e a Japonesa responde-lhe em Castelhano. A japonesa teve como resposta uns gritos histéricos (de agradecimento) devido a ela ter falado castelhano e depois a espanhola do mau inglês (talvez a única que o sabia falar) ainda tem a lata de dizer á japonesa que tem de melhorar o Español!
    Valha me Deus!

    Então pronto, vamos imaginar que os Espanhóis e os Portugueses são dois países amigos:
    1)O que se passa em Olivença?

    2)Porque negam a dualidade Portugal/Galiza?

    3)Era necessário castelhenizarem o Galego de tal forma? Apenas para que a população perca identidade?

    4)Porque necesstiam tanto da Galiza, da Catalunha, do País Basco? Se não é para terem mais poder, para que é?

    5)Se é apenas para terem mais poder, porque não hão vós de anexar este cantinho á beira-mar plantado?

    6) Cumprimentos e
    Saudações Hispânicas
    (Não somos Gregos, somos Romanos! lol)

  194. António Marcelo diz:

    Desculpe. Agora não tenho tempo. Responder-lhe-ei amanhã.

    Sou castelhano, de Madrid, mas gosto muito de conhecer outras línguas e outros países, o que não significa que queira trazer o mundo para casa como pretendem esses tolos multi-culturalistas ou da esquerda decadente.

  195. António Marcelo diz:

    O senhor lembra-me um escritor francês que dizia: «Amo tanto a Alemanha que desejo que existam duas, ou mesmo três». Isso que diz da Galiza e da Catalunha é uma verdadeira obsessão. E o Norte? E o Alentejo, os Açores, as Beiras, ou o seu bairro? Com estas histórias não chegaremos a lugar nenhum. O ultra-nacionalismo, levado às últimas consequências não tem fim. É por isso que eu sou patriota, mas patriota europeu. E isso não significa que não ame a minha terra.

    Olivença, porquê não? O senhor esqueceu Hermisende, em Zamora, que foi portuguesa até 1.640 e onde ainda falam português transmontano. Mas porquê não perguntar antes a essas pessoas se realmente desejam voltar a serem portugueses? Porquê o Governo português não reivindica oficialmente a posse destas povoações? Fizeram-no alguma vez nestes cinquenta últimos anos?

  196. António Marcelo diz:

    O senhor conhece pouco da imigração estrangeira em Espanha. Em 1975 éramos 35 milhões de habitantes. Hoje em dia 43 milhões. Tendo em conta que a natalidade está a cair, donde saíram esses 8 milhões de mais?. São imigrantes, filhos de imigrantes e imigrantes nacionalizados, que já não se incluem nas estatísticas.

    Segundo cifras oficiais, na actualidade encontram-se aqui mais de 3 milhões de estrangeiros, sem contar os ilegais.

    (No comentário precedente enviei um anexo com cifras oficiais).

    Os americanos de origem crioula são pouco numerosos. Argentinos chegaram muitos na época da ditadura, mas hoje em dia a sua chegada encontra-se estagnada. A maioria destes sul-americanos são índios, mestiços e mulatos. Se alguma vez o senhor viajar a Madrid ou a Barcelona, dê uma volta no metro. Se o metro lisboeta é cheio de africanos, os metros destas cidades encontram-se cheios de mouros, pretos e índios. Em determinadas horas e em determinadas linhas os naturais somos cada vez mais minoritários.

    O governo espanhol não é capaz de expulsar os ilegais. Muitos países de origem (nomeadamente africanos e asiáticos) fazem burla dele e não admitem repatriações. Os irregulares ficam num limbo legal até uma nova regularização. Se não houver, a lei prevê uma regularização automática (o chamado enraizamento) passados três anos de ilegalidade.

  197. António Marcelo diz:

    A pressão migratória é enorme. É uma invasão em toda regra. Chegam por terra, mar e ar. A política do Partido Popular e depois dos socialistas foi desastrosas. As legalizações sucessivas não arranjaram nada. Criaram um efeito de chamada e criaram mais avalanches.

    As barcas de pescadores (cayucos) procedentes da África negra (Senegal, Mali, etc.) continuam a chegar. Em 2006 chegaram 30.000 ilegais às Ilhas Canárias. Um em cada três barcos perde-se no oceano. Não é difícil calcular a cifra de mortos, inédita desde o fim da guerra civil. Uma fraqueza sem limites disfarçada de falsa humanidade criou esta tragédia sem precedentes.

    Em Fevereiro deste ano apareceu nas ilhas Barbados, no Mar Caribe, um barco com 13 cadáveres mumificados. Perderam o rumo e fizeram a mesma travessia que Cristóvão Colombo e no mesmo tempo (dois meses) mortos de fome ou de sede. Isto foi ocultado pela censura de facto que existe nestes assuntos, mas alguns jornais falaram entre linhas.

    Passados 40 dias de internamento são libertados. Uma parte deles trabalha na economia submergida, outros emigram para o norte e passam para a França. Abandonados à sua sorte vadiam sem rumo pelos campos e pelas ruas das grandes cidades. Em Madrid existem acampamentos nos parques situados nas proximidades do Paço Real. Em Valência vivem debaixo das pontes do antigo curso do rio Túria.

    Enfim, uma delícia!

  198. António Marcelo diz:

    É fácil imaginar a delinquência e marginalidade que isto provoca. Nas cadeias espanholas a metade dos detidos são de origem estrangeira. Porém é um milagre que nestas condições o nível de insegurança não seja ainda mais grande.

    E os assaltos à cerca de Melilha em 2005? Centenas de africanos ao grito de «Viva Zapatero» ecoado pelos guardas fronteiriços marroquinos que faziam burla dos espanhóis, atravessavam diariamente a cerca com a ajuda de escadas artesanais perante a impotência dos soldados, sem munição e desarmados com antecedência, que eram facilmente atropelados por essa multidão africana.

    Em várias ocasiões vários estados da U.E. Têm pensado na possibilidade de expulsar a Espanha do Tratado de Schengen.

  199. António Marcelo diz:

    «Eramos pocos y parió la abuela». Se isto não for suficiente, alguns dirigentes socialistas pensaram em outorgar a nacionalidade espanhola aos descendentes dos mouriscos expulsos por Felipe IV. Calcula-se que existem “apenas” dez milhões no norte da África, alem dos falsos mouriscos que tentariam entrar por esta auto-estrada. Esta medida, largamente aplaudida pela comunidade islâmica, foi adiada por causa do custo eleitoral que supunha (os espanhóis somos bastante borregos mas ainda não atingimos esse nível de mansidão).

    «Os imigrantes reviveram a economia espanhola», «O milagre económico espanhol deve-se a eles», «O nível de natalidade é muito reduzido e se não existirem imigrantes teremos de recortar as pensões de reforma», «Graças a eles pudemos adiar uma reforma laboral inevitável» diz a direita. Em resumo, «precisamos voltar à época da escravatura para melhorar». E a auto-intitulada esquerda? Enchem a boca com palavras como «solidariedade», «multiculturalidade», «mestiçagem» e outras bobagens. A semelhança com o casamento homossexual, as opiniões contrárias encontram-se proscritas, a imprensa, rádio, televisão, etc. Bombardeiam-nos com estes slogans e aqueles que não participamos dessas opiniões somos acusados de «xenófobos», «fascistas», e um monte de «ismos» demais…

    Além disso fazem uma afirmação e em seguida a contrária: «Estas medidas são insuficientes e é preciso reduzir as pensões e adiar a idade de reforma aos 70 anos. Os imigrantes criam muito trabalhos mas causam também muitas despesas sociais».

  200. António Marcelo diz:

    Em 2005 centenas de muçulmanos que pediam a legalização ocuparam a Sé de Barcelona. Foram grandemente aplaudidos por esses «tolerantes» que gostam pedir «papéis para todos». Utilizaram as pias baptismais como urinários, as capelas como sanitários e não profanaram os sacrários porque os cónegos tiveram tempo de evacuá-los. A requerimento do Bispo, foram despejados passados vários dias. Ninguém foi detido nem expulso.

    Nasci numa sociedade homogénea com pequenas diferenças regionais que alguns pretendem transformar em abismos não franqueáveis. Agora, todas aquelas coisas impossíveis, esses pesadelos que víamos nos filmes americanos já são reais.

    Amigos portugueses, não tenciono incomodar-vos mais. Passados dez anos, quando eu me reformar, dar-me-ão a vossa licença para emigrar ao arquipélago dos Açores, longe do mundanal ruído, de preferência às Ilhas das Flores ou do Corvo? É um lugar calmo, encantador, um lugar ideal para viver longe dos guetos e deste mundo global no qual já não consigo me adaptar.

    Obrigado pela vossa paciência e desculpem os erros gramaticais.

    Até ver!

  201. mahou é fixe! diz:

    Passados dez anos, quando eu me reformar, dar-me-ão a vossa licença para emigrar ao arquipélago dos Açores, longe do mundanal ruído, de preferência às Ilhas das Flores ou do Corvo? É um lugar calmo, encantador, um lugar ideal para viver longe dos guetos e deste mundo global no qual já não consigo me adaptar.

    Meu estimado amigo de Espanha- tarde de mais, essas pérolas do Atlântico estão actualmente a ser invadidas por brasileiros, como aliás todo o Portugal Continental. Lamento, mas daqui a 10 anos vai encontrar muita escumalha e podridão por aqueles paradisíacos territórios. Não que seja vidente ou possua especiais capacidades de premonição, é uma constatação dos resultados dessa gente sem condições para viver fora das favelas.

    Em todo o caso, será evidentemente, muito bem vindo!

  202. Camões diz:

    Caro António Marcelo.

    Pois, então bem vindo á luta!

    Espanha tem (ainda) mais problemas que Portugal nesse aspecto.

    Isso não impede que a elite que chama os terceiromundistas a Espanha sonhe em ser aclamada como Imperatore Hipanarium em Portugal e Espanha.
    Aliás, como não conseguem ser aclamados por Bascos, Catalães e Portugueses, chamam os teceiromundistas na esperança de um dia serem aclamados por pretos, mouros e ameríndios.

    Só uma questão, quando se fala de problemas com Sul Americanos e manifestações contra Sul Americanos, aí em terras de Filipes, que Sul Americanos são esses?
    Argentinos e Uruguaios ou Mayas e Azetecas?

    Vós aí em terra de Filipes fazem distinções entre Mayas e Argentinos?

    Saudações Hispânicas

  203. António Marcelo diz:

    Nem máias nem astecas. São incas, do planalto andino. Claro que fazemos distinções entre a gente do Cone Sul e o resto! A maioria dos argentinos são descendentes de europeus, espanhóis, italianos e emigrantes da Europa Central.

    Nos anos 70 e 80 do século XX chegaram vários milhares, fugitivos das ditaduras. A maioria deles pertenciam à extrema esquerda peronista ou eram simpatizantes do trotskismo, além de antigos guerrilheiros. Houve alguns confrontos culturais. Nomeadamente porque os argentinos são gentes orgulhosas e teimosas. Vinham aqui famintos e apavorados e aparentavam fazer-nos favor. Os seus descendentes confundem-se com o resto da população. Isso não acontecerá com esses peles-vermelhas auto-intitulados «latinos» que estão a nos invadir.

    E não se alarme com o Imperator Hispanorum. Os espanhóis ignoram onde fica Portugal, desconhecem o português, não sabem nada de Olivença, de Aljubarrota, dos Filipes, de Godoy, de Napoleão, de Afonso Henriques… Mesmo aqueles que vêm comprar toalhas ou fazer turismo, viajam nas mesmas condições que as bagagens. Podem percorrer o mundo, mas não percebem nada, não se inteiram de nada.

    Claro! Quando venho passar férias ao vosso país, tenho de evitar os meus conterrâneos. Apesar de dizerem que o português é uma língua muito fácil e que não é preciso estudá-la, quando vêem que posso falá-la, colam-se como selos e é muito difícil afastá-los.

  204. António Marcelo diz:

    Caro Camões:

    Nem todos os espanhóis falam espanhol em Portugal. Por exemplo, a minha mulher mais cosmopolita, já que em pequena foi emigrante na Alemanha, por razões que não consigo atingir, fala italiano.

    Uma vez, indo de comboio de Lisboa a Coimbra chegou o revisor. Eu encontrava-me na cafetaria e guardava os bilhetes. Ela disse-lhe:

    – Il mio marito si trova nel bare.

    Meu sogro é também muito educado. Uma vez, num supermercado no Algarve cumprimentou muito amavelmente à empregada da caixa.

    – Buon giorno, signorina. Come vai?

    Muito atencioso disse uma vez em Lagos a duas empregadas que vinham arrumar o apartamento:

    – Buona sera, signorine.

    As “signorinas” riram às gargalhadas, mas não pareciam incomodadas. O resto da conversa decorreu metade em espanhol, metade em italiano.

    Cumprimentos.

  205. António Marcelo diz:

    «Aliás, como não conseguem ser aclamados por Bascos, Catalães e Portugueses, chamam os teceiromundistas na esperança de um dia serem aclamados por pretos, mouros e ameríndios.»

    Caro Camões:

    Um comentário muito engraçado. Ri às gargalhadas. Lembra-me aquele parágrafo de Cervantes:

    «Feliz idade e feliz século aquele onde sairão à luz as minhas famosas façanhas, dignas de entalhar-se em bronzes, esculpidas em mármores e pintadas em telas para a memória do futuro».

    Não concordo na sua totalidade, mas é uma grande verdade. No entanto, Catalunha, País Basco e a Galiza vão converter-se numa terra de mouros, índios e outros e Portugal em Pretogal.

    Além disso merece ser entalhado-em bronzes e esculpido em mármores.

    Muito criativo!

    HA, HA, HA, HA, HA!!!

  206. Camões diz:

    Mas é o que se passa, hermano!
    Os partidos de Esquerda têm o monopólio da política Portuguesa por três razões:
    -Medo de se ser considerado fascista (e é mau?) conduz á inexistência de direita
    -O apêgo da direita á elite de esquerda, enfraquece e descredibiliza a direita
    -A existência de grupos de marginais que se intitulam de Nacionalistas, não ajuda (qual ETA).
    -O Facilitismo que a Esquerda oferece, seduz muitos desenraizados sem valores, gente que gosta de abortar, drogados, gente que se sente atraído pelo exótico
    – E claro, as hordas de Imigrantes e seus descendentes com BI Português não votar em quem apregoa Nacionalismo, para eles o PS ou o PSOE é extrema direita, a maioria vota PCP e principalmente Bloco de Esquerda (e isto porque ainda não foi criado o partido RESPECT!).

  207. Camões diz:

    Mas é o que se passa, hermano!
    Os partidos de Esquerda têm o monopólio da política Portuguesa por três razões:
    -Medo de se ser considerado fascista (e é mau?) conduz á inexistência de direita
    -O apêgo da direita á elite de esquerda, enfraquece e descredibiliza a direita
    -A existência de grupos de marginais que se intitulam de Nacionalistas, não ajuda (qual ETA).
    -O Facilitismo que a Esquerda oferece, seduz muitos desenraizados sem valores, gente que gosta de abortar, drogados, gente que se sente atraído pelo exótico
    – E claro, as hordas de Imigrantes e seus descendentes com BI Português não vão votar em quem apregoa Nacionalismo, para eles o PS ou o PSOE é extrema direita, a maioria vota PCP e principalmente Bloco de Esquerda (e isto porque ainda não foi criado o partido RESPECT!).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: