Os jogadores de xadrez e o “gangue das seis e meia”

bdias_xadrez.jpg

Na escola secundária Bartolomeu Dias, em Sacavém, 92 alunos participaram num torneio de xadrez, em 25 de Março de 2003, como ilustra a imagem. Há dias vi, na SIC, uma turba de selvagens – seguramente mais de uma centena – todos negros, escoltados pela polícia, saindo da mesma escola em direcção ao bairro onde moram, a Quinta do Mocho (3.500 habitantes, 98 por cento africanos). No site da SIC, deparo com uma notícia com este título: “Polícia acompanha vítimas de agressões“. O título é imbecil, e totalmente contrário ao texto. Mas enfim, no jornalismo português de hoje, já nada surpreende.

Mesmo assim, o autor da reportagem, um tal André Antunes, faz de pé-de-microfone e permite que jovens negros acusem a polícia de os agredir sem razão, se disparar contra eles sem motivo. Claro. Aliás, a selecção dos candidatos a polícias, em Portugal, dá prioridade aos psicopatas e aos loucos, de maneira a ter agentes da autoridade que cheguem a uma escola secundária e desatem a bater nos alunos, sem razão e que disparem sem motivo, sempre que vêm jovens negros.

Onde vão buscar estes jornalistas, destituídos de cérebro? Fazem-lhes uma lobotomia total, na Universidade?

8 Responses to Os jogadores de xadrez e o “gangue das seis e meia”

  1. Os “jovens” da foto que estão a jogar contra brancos devem ter ganho o jogo fora do tabuleiro (“xé soçe se não me deixas ganhar furo-te todo e gamo-te os trocos e quê”), só pode.
    Penso que na Universidade não devem lobotomizar os (futuros) jornalistas, pelo menos a minha instituição (pública) tem um curso dessa natureza e conheço bastantes alunos com opiniões a puxar para o lado deste blog ou pelo menos para posições contrárias à lavagem cerebral. Já nas faculdades do Sistema com licenciaturas desta área, tipo FCSH/UNL ou a ESCS, não garanto nada. Penso que a trepanação/lobotomia começa nas redacções dos jornais, rádios, televisões e afins, normalmente encabeçadas por senhores lá postos pelos senhores do capital e do “establishment”.

  2. Pedro diz:

    Penso que na Universidade não devem lobotomizar os (futuros) jornalistas, pelo menos a minha instituição (pública) tem um curso dessa natureza e conheço bastantes alunos com opiniões a puxar para o lado deste blog ou pelo menos para posições contrárias à lavagem cerebral.
    Comentário por Zé Canivetes — Novembro 27, 2006 @ 3:28 am

    A situação começa a alterar-se, o paradigma que a esquerda e o politicamente correcto estabeleceram, começa a ser posto em causa pelas gerações mais jovens.

  3. Já não era sem tempo…

  4. é que o sistema mediático adora a vitimização… e as acusações torpes e frequentemente infundadas contra a Polícia também são do gosto de muito jornalista sempre mais preocupado com a “cacha” do que com a Informação…

    Que crédito merecem estas fontes?

    E aquele bando de inuteis que sentados nos degraus de uma escada reclamava dinheiro do Estado para um “projecto” musical? Qual é a ideia, temos que lhes pagar para não andarem a traficar e a assaltar? É isso? Temos que ficar reféns desta gente e pagar-lhes tributo à maneira que os romanos pagavam aos visigodos para que estes não os invadissem?

  5. Meu caro, vejo que ficou tão chocado como eu… E a argumentação antecedente? “Nós precisamos de ser empurrados.. queremos fazer coisas, cantar dançar.. mas precisamos de ajuda”.. E trabalhar? Coisa que nem lhe passsa pela cabeça…

  6. Vera diz:

    Será que não percebem que com esse tipo de jornalismo estão a prejudicar a polícia, a sua autoridade e a sua decÊncia? Depois admiram-se qd determinados jovens não respeitam os polícias, qd os insultam, agridem e provocam…

    e pagar-lhes tributo à maneira que os romanos pagavam aos visigodos para que estes não os invadissem? ”

    Pior que no tempo dos romanos..hoje em dia paga-se para eles invadirem! Basta ver o caso de Vila de Rei…(Qualquer dia decidem mandar vir mais homossexuais (n que tenha alguma coisa contra eles)..para equilibrar as coisas..criar um ambiente mais multicultural..)

  7. Pedro diz:

    Nós precisamos de ser empurrados.. queremos fazer coisas, cantar dançar.. mas precisamos de ajuda”.. E trabalhar? Coisa que nem lhe passsa pela cabeça…

    Comentário por Máquina Zero — Novembro 27, 2006 @ 3:41 pm

    Aguardam os subsídios estatais e demais campanhas de integração que consistem em financiar e levar nas palminhas das mãos estes estrangeiros que têm mais privilégios que os nossos jovens.

    Obviamente, a obrigatoriedade do Estado financiar, e recrutar as cabecinhas pensadoras das nossas élites culturais e universitárias, para acomodar as exigências desta gente nem se discute. Abre-se assim caminho a que estas pseudo élites ganhem maior relevo na vida pública.

  8. A RAÇA MEDITERRANEA VAI SE EXTINGUIR E SER ASSIMILADA PELOS MOÇAMBICANOS, ANGOLANOS E AFINS.

    ESTE É O GRANDE FUTURO DE PORTUGAL ATÉ 2050???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: