(III) Notas soltas, 14 de Dezembro de 2006

Imigrantes: integrem-se ou regressem

O primeiro-minsitro Tony Blair traçou as linhas gerais de uma nova política de integração, num discurso cujo título é esclarecedor: “O dever da integração – Partilhando os valores britânicos”. Esta frase faz-me lembrar uma das poucas coisas inteligentes (e perceptíveis..) que o ex-Presidente Jorge Sampaio disse: “é preciso que aquilo que nos une seja mais do que aquilo que nos separa”. Calha bem lembrar aqui que a Noruega foi o primeiro País – e não sei se será ainda o único – a criminalizar o casamento forçado. Algo que não sei se será crime em Portugal…

Crime e penas

O homem que baleou um soldado da GNR no rosto, ferindo-o gravemente, foi condenado a 16 anos de prisão. O padrasto de Daniel, uma criança deficiente de 6 anos de idade, morta devido a abusos sexuais do mesmo padrasto, foi condenado a 12 anos de prisão. No primeiro caso, trata-se de um homem de 60 anos. Saírá da prisão com 70 anos. O padrasto de Daniel tem 17 anos. Na pior das hipóteses, sairá da prisão com 29 anos. Terá muitos anos pela frente para voltar a violar crianças. Parabéns aos nossos juízes e legisladores.

Morte ao Natal e ao Cristianismo

O aeroporto de Seattle, nos Estados Unidos, recolocou várias árvores de Natal, que tinham sido retiradas depois de protestos de um rabi, que queria tratamento igual para símbolos da religião hebraica. A “Operation Christmas Child”, uma organização humanitária britânica que envia donativos para crianças de países atingidos pela fome e desastres naturais, decidiu abolir quaisquer símbolos cristãos das encomendas que envia. Ainda na Inglaterra, três em cada quatro empresas deidiram proibir as decorações de Natal, por receio de ofender pessoas de outra fé. A câmara municipal de Viena proibiu a utilização da imagem de S.Nicolau (o equivalente ao nosso Pai Natal) nas festas organizadas nos infantários da sua responsabilidade. Apenas UM em cada CEM cartões de boas-festas vendidos na Grã-Bretanha contém mensagens alusivas à componente religiosa do Natal. Há cartões que se limitam a desejar um “Feliz Dezembro”.

Portugal imune?

Não deixa de ser curioso como Portugal passa – aparentemente – ao lado do extremismo islâmico. Mais curioso se torna quando lemos notícias como esta, da detenção de 11 extremistas islâmicos ligados à Al Qaeda, em Ceuta. E também é interessante lembrar que Portugal faz parte do território que a Al Qaeda pretende reconquistar, o Al Andalus (que inclui toda a Península Ibérica). Porque será que tenho a sensação de que alguém anda a dormir? No caso do Reino Unido, paradoxal é o único termo que me ocorre para classificar o comportamento das autoridades britânicas, que permitiram o desenvolvimento das mais bem organizadas redes terroristas islâmicas, debaixo da protecção dos ‘dhimmi’ locais.

Imigrantes rejeitam juramento de fidelidade

A larga maioria dos imigrantes que adquirem a nacionalidade norueguesa recusaram-se a prestar o juramento de fidelidade ao país que lhes concede a cidadania, um pormenor revelador do carácter mercantilista que a nacionalidade tem, para estes indivíduos. Com efeito, apenas 10 por cento dos imigrantes aceitaram participar nas cerimónias públicas que marcam a aquisição da nacionalidade, no próximo dia 17 de Dezembro. O juramento de fidelidade à Noruega, à comunidade norueguesa, aos direitos humanos e às leis do país foi abolido, há cerca de 30 anos. Recentemente, as autoridades recueraram este juramento, que passou a ser voluntário para os recém-naturalizados. Um dado interesante: 22 por cento dos imigrantes residentes na Noruega estão desempregados. Em Oslo, capital da Noruega, a percentagem sobe aos 44 por cento. É agradável viver num país com um sistema de segurança social tão bom…

Ingleses iguais aos nazis
Um dos mais conhecidos membros da comunidade islâmica escocesa afirmou que os britânicos são iguais aos nazis. Osama Saeed referia-se ao tratamento que os muçulmanos têm, por parte dos britânicos, que classificou como sendo igual ao tratamento dado pelos nazis aos judeus. Este indigente mental é também o porta-voz de uma organização conhecida pelas suas posições anti-semitas e fundamentalistas, a Muslim Association of Britain.

Democrata imbecil

O homem escolhido pelo Partido Democrata norte-americano para presidir ao Comité Permanente sobre Informações da Câmara dos Representates (“House of Representatives Permanent Select Committee on Intelligence”) revelou-se também um indigente mental de dimensões apreciáveis. Silvestre Reyes disse, entre outras imbecilidades, que a Al Qaeda era uma organização xiita e não sabia o que era o Hezbollah.

Juíza simpática e azul

Lá para  fim de uma notícia que destaca o facto de Carolina, a ex de Pinto da Costa, ter um sistema de segurança organizado pelo pai, ex-fuzileiro, lê-se algo de espantar: Pinto da Costa refugiou-se em casa de uma juíza sua amiga, quando soube que tinha um mandato de detenção para responder no processo do Apito Dourado, afirma o Correio da Manhã. O jornal garante que a Polícia Judiciária sabia destas movimentações e que a juíza amiga do presidente do FC Porto também sabia que ele era procurado pela Justiça. Para entrar em casa de um magistrado, é preciso um mandato de busca especial, acompanhado por um juiz de um tribunal superior, se a memória não me falha. É o que se chama um porto seguro…

9 Responses to (III) Notas soltas, 14 de Dezembro de 2006

  1. Mike diz:

    Podemos ou não concordar com o actual ordenamento juridico nacional.

    Podemos ou não concordar com as penas estabelecidas em determinados casos.

    Mas não me parece justo e intelectualmente honesto que se ponham em causa os juizes (como o faz na “secção” Crimes e Penas) visto que são apenas um órgão que tem por obrigação seguir o legislado.

    Ponha em causa quem legisla, mas quem aplica apenas pode fazer isso mesmo, aplicar de acordo com o legislado.

    Não digo que a pena será a correcta, mas a verdade é que num país onde o cúmulo juridico é de 25 anos, aplicar uma pena de 12 anos a um menor (legalmente falando – visto que criminalmente existe um regime especial até aos 21) não é habitual em portugal.

    Normalmente a pena aplicada seria menor.

    Cumprimentos.

  2. Caturo diz:

    Ó MZ, francamente, há aqui notícias que só por si davam um tópico com pano para mangas.

  3. Caturo diz:

    O primeiro-minsitro Tony Blair traçou as linhas gerais de uma nova política de integração, num discurso cujo título é esclarecedor: “O dever da integração – Partilhando os valores britânicos”.

    Sinal do desespero da Esquerda liberal… começam a perceber que a imigração é um veneno mortal e que lhes vir a dar cabo da sua sociedade liberal… especialmente se os imigrantes em questão pertencem mais à ummah («nação islâmica») do que a qualquer nação europeia…

  4. Caturo diz:

    O padrasto de Daniel, uma criança deficiente de 6 anos de idade, morta devido a abusos sexuais do mesmo padrasto, foi condenado a 12 anos de prisão.

    Não é aceitável que não haja prisão perpétua ou até pena de morte para casos destes.

    E dar uma dúzia de anos a quem viola uma criança deficiente até à morte, é em si mesmo uma decisão obscena.

  5. Caturo diz:

    Ainda na Inglaterra, três em cada quatro empresas deidiram proibir as decorações de Natal, por receio de ofender pessoas de outra fé.

    Caso paradigmático que mistura cobardia politicamente correcta e renúncia a si mesmo, muito típica do internacionalismo militante que alimenta complexos de culpa nos Europeus e uma «obrigação moral» de dar a outra face quando agredido pelo estrangeiro…

  6. Caturo diz:

    também é interessante lembrar que Portugal faz parte do território que a Al Qaeda pretende reconquistar, o Al Andalus (que inclui toda a Península Ibérica). Porque será que tenho a sensação de que alguém anda a dormir?

    A dormir, ou, quem sabe, a ocultar informações, para que o Povo não acorde…

    Em Portugal, talvez mais do que noutros países, a Esquerda controla a comunicação sucial e os jornalistazinhos estão muito bem disciplinadinhos, não cagam fora do penico, e quando os seus donos politicamente correctos lhes mandam calar a boca, eles obedecem e acabou, passam as notícias ao lado do País…

  7. Caturo diz:

    A larga maioria dos imigrantes que adquirem a nacionalidade norueguesa recusaram-se a prestar o juramento de fidelidade ao país que lhes concede a cidadania

    Significativo, de facto. É este o resultado da imigração em massa – encher o País de «cidadãos» destes, que nem sequer se dignam mostrar lealdade para com a terra que os acolhe. Foi assim que Roma caiu e é assim que o Ocidente está a morrer.

    Já agora, tinha interesse fazer um levantamento das proveniências daqueles que mais se recusam a prestar esse juramento de fidelidade…

  8. Caturo diz:

    Um dos mais conhecidos membros da comunidade islâmica escocesa afirmou que os britânicos são iguais aos nazis. Osama Saeed referia-se ao tratamento que os muçulmanos têm, por parte dos britânicos,

    O que não se percebe é porque é que esta gentinha quer ficar em Inglaterra, já que os Ingleses são tão odiosos…

    Não se percebe… ou até se percebe… é que para esta maralha, «a Inglaterra não pertence aos Ingleses, pertence a Deus» (sic, palavras dum clérigo muçulmano a viver em Inglaterra)… e já se sabe a que Deus é que os muçulmanos se referem…

  9. jaibettancourt diz:

    No caso do jovem condanado a 12 anos de prisão, em França nem se quer tinha 5 anos e num estabelicimento especial para menores !

    O Caturo disse “imigração de massa”, assim os politicos nem se apercebem que criaram bairros que são apenas “colonias de povoamento” depois falam de “integração” num quadro urbano onde não tem jamais nada a ver com o paìs onde estão a viver.

    Os arabes a minha volta (conheco milhares) teem tendencia a considerar os portugueses um pouco igual a eles (gostam todos muito de mim), somente eles ignoram que os portugueses são extremamente individualistas, bem mais que os françêses e espanhois, de vez em quanto eles apercebem-se disso, mais, comecam a compreeder que temos uma forte personalidade de gente inteira, assim depois começam a flipar completamente, pois è assim que se vê a que ponto são cobardes, porque a unica coisa que eles percebem è o colectivismo, è perciso saber que a sociedade muçulmana è uma sociedade TRIBAL !!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: