Maometanos exigem direito a rezar na Catedral de Córdoba

nonmuslimsmeca1.gif nonmuslimsmeca3.gif

Spanish Muslims have appealed to Pope Benedict XVI to allow Muslim prayers inside Cordoba Cathedral, which was a grand mosque until the thirteenth century, to give an example of inter-faith unity.’What we wanted was not to take over that holy place, but to create in it, together with you and other faiths, an ecumenical space unique in the world which would have been of great significance in bringing peace to humanity,’ the Federation of Islamic religious entities (FEERI) said in a letter to the pontiff cited by Reuters.”

O cinismo destes muçulmanos não tem limites. Estes hipócritas são os mesmos que impedem qualquer não-muçulmano de se aproximar de Meca. Justifica-se cada vez mais uma Nova Cruzada, uma Cruzada de valores, de cultura, de firmeza e de rejeição perante a ofensiva destes apoiantes de assassinos e bombistas e dos traidores que com eles colaboram.

8 Responses to Maometanos exigem direito a rezar na Catedral de Córdoba

  1. Caturo diz:

    Gostaria de saber se esses mesmos muçulmanos também acham que a Haghia Sophia devia ser devolvida aos cristãos…

    Já agora, os muçulmanos não têm direito nem a uma nem a outra, uma vez que em ambos os casos só tomaram conta desses dois espaços por intermédio das suas conquistas imperiais.

  2. Deixem rezar na Haghia Sophia que assim já se faz a troca, filhos da p…

    Se a perderam há séculos, azar o deles, agora é “nossa”.
    Voltem para o buraco de onde saíram e prostrem-se lá.

  3. filomeno diz:

    Valerosa postura del Obispo Asenjo

  4. antónio Marcelo diz:

    Os muçulmanos construíram a mesquita sobre os alicerces de uma antiga igreja visigótica previamente demolida. A suposta liberdade religiosa no Al-Andalus consistiu num status quo para evitar represálias na populações cristãs e muçulmanas em territórios inimigos. Almançor saqueou a Sé de Santiago e levou os sinos à mesquita de Córdoba para serem utilizados como lâmpadas. Quando a cidade foi reconquistada a mesquita voltou a ser igreja e os sinos devolvidos a Compostela.

    Muitos cristãos (muladis) adoptaram o islamismo para não serem cidadãos de segunda classe, sujeitos a impostos e sem a possibilidade de progredir socialmente. Mesmo assim houve uma guerra racial, ou seja, um levantamento de conversos ao Islão contra a casta dirigente de origem árabe ou norte-africana, sanguinariamente abafada, uma guerra civil dentro da Hispánia muçulmana.

    Si os muçulmanos entrarem nesse edifício, tarde ou cedo os cristãos seriam expulsos dele. Dar liberdade àqueles que dizem abertamente que Al-Andalus deve voltar às mãos islâmicas é tolice e suicídio.

    Os mouros apenas compreendem uma linguagem: aquela que falaram os “Reis Católicos” e o seu bisneto Filipe III, os primeiros com a tomada de Granada e o segundo com a expulsão dos mouriscos da Península Ibérica.

    A Reconquista foi a maior epopeia dos povos ibéricos que recusaram aceitar uma cultura e religião estranhas. É ridículo desvalorizar essa luta de tantas gerações. O islamismo não conseguiu enraizar na Europa, não só em Espanha mas nos países submetidos ao império turco. Apenas ficaram algumas minorias nos Balcãs.

    A civilização muçulmana teria esmorecido e estagnado na Ibéria e afinal teríamos acabado convertidos em colónias da França ou da Inglaterra que teriam realizado a Reconquista que os ibéricos não tinham sido capazes de fazer. Ou pior ainda, um campo de batalha de potências estrangeiras tal como aconteceu na Itália anterior ao Risorgimento.

    O guru dos muçulmanos espanhóis, Al-Mansur Escudero, é um antigo comunista, um eterno “buscador da verdade” que alimenta o seu auto-ódio abraçando qualquer causa contrária ao valores em que foi educado. A maioria dos renegados convertidos ao Islão são mulheres casadas com muçulmanos ou antigos esquerdistas intelectualmente órfãos depois da queda do comunismo.

    Menos discursos brandos e mais auto-estima.

  5. António Marcelo diz:

  6. PEDRO YANNOULIS diz:

    Magníficas as manifestações acima, notadamente as que falam, com toda propriedade: “Antes de demandar pela restituição da Mesquita de Córdoba, restituam Santa Sofia à Cristandade”. Como grego, desde sempre pensei dessa mesmíssima forma, quando em Espanha ouvi a respeito da pretensões islâmicas. Mas, para o Islã, as vias são de apenas uma mão… apenas as que os beneficiam! Quanto às também mencionadas “minorias muçulmanas nos Bálcãs”, o que é verdade, é porque infelizmente estamos no séc. XXI, e nada se pode fazer. Estivéssemos no séc. XVI, já teríamos escorraçado esses renegados, tal como fizeram os ibéricos!

  7. Anónimo diz:

    esta discussão é completamente infrutífera, mas se for para eleger o povo a quem se deve devolver a mesquita-catedral, eu voto no judeu! afinal, parece que foram eles os primeiros a construir um templo naquele sítio…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: