25 brancos, uma negra e um mestiço claro

Será que o Expresso ou o jornalista Jorge Fiel são racistas? 

27promessasexpresso.gif

O jornalista Jorge Fiel – um bacano que não gosta que o tratem por senhor, embora tenha 50 anos – percorreu o País de lés a lés para falar com 27 pessoas “que tinham em comum serem ainda razoavelmente anónimas (…), já terem dado provas do imenso potencial de talento que encerram, e serem relativamente jovens – ou seja, com menos de 27”. Ao folhear a revista do Expresso de 30 de Dezembro de 2006, olhei para o mosaico de fotografias e pensei no que diria a colunista do jornal Público, Faranaz Keshavjee, perante aquela profusão de rostos brancos. Qualquer coisa como isto: só se encontra “diversidade (…) cultural, racial e humana nos transportes públicos ou quando contratamos empregadas domésticas. Entre os ricos, poderosos e sábios, eles nunca aparecem”.

Imagino os saltos que não daria esse líder ímpar da comunidade africana portuguesa, o Fernando Ká e as frases que lhe sairiam da boca! Qualquer coisa como isto: “É escandaloso que os políticos emergentes do 25 de Abril não tenham ainda percebido que Portugal é um país multirracial desde a sua fundação e não podem continuar a ignorar esta incontornável realidade, sob pena de serem apelidados de ignorantes da génese da sua própria história como povo.” E nem consigo imaginar o que bradaria o austero e gélido Louçã, do alto do seu sacrifício constante pelo povo, como o bem demonstra aquele rosto esquálido e aquele semblante torturado (e um sorriso quente para qualquer imigrante que possa aumentar a sua base eleitoral). E olha a peixeirada que não faria aquele senhor com ar estranho que fala em nome do SOS Racismo, o Falcão? Tantos brancos? Meu Deus! Será isto o retrato do povo português?

De facto, dos 27 rostos, 25 são definitivamente brancos, um é descendente de africanos aí em terceira ou quarta geração (um mestiço muito claro) e a 27ª é negra. Acontece que, para além de única negra, também é a única estrangeira – angolana, de passagem por cá, onde a mãe está a concluir uma especialização em Cardiologia. Parece-me que o vetusto Jorge Fiel se baralhou um pouco com alguns dos critérios. Sabemos que foi procurar 27 talentos já floridos, mas não completamente desabrochados. Não percebemos porque escolheu 26 portugueses (incluindo aqui uma jovem luso-inglesa) e um estrangeiro (que, aliás, nem é imigrante e deixa claro que irá regressar a Angola, mal a mãe tenha o ‘canudo’ nas mãos).

Não percebemos como foi feita esta selecção nacional de talentos, onde há uma judoca, mas não aparece nenhum dos fantásticos jovens que despontam no nosso futebol! Era para ser só cérebro, sem músculo? Então que faz lá a judoca?
Mas terá Jorge Fiel andado a escolher brancos de tez meridional, deixando de lado negros, mulatos, pardos (como dizem no Brasil) indo-paquistaneses, chineses, magrebinos, loiríssimo eslavos de olhos azuis e tantos outros matizes raciais que povoam este nosso rincão? Custa-me a acreditar!

Querem ver que este é mesmo o retrato do povo português? Que os membros das minorias étnicas não caucasianas são isso mesmo – uma minoria tão minoritária que nem se vê numa selecção de excelentes e promissores jovens? Ó Diabo! Coitado do José Miguel Júdice, o homem que se sente mais marroquino que sueco! E se for assim? Que fazer das teses de que somos um país multirracial? Onde meter aquelas fotos do ACIME, com tanta gente de cor diversa e a alegria de sermos todos diferentes e todos iguais – imagens distorcidas do País, que retratam apenas a realidade dos subúrbios de Lisboa e de algumas das cidades algarvias.

Ó “cota” Jorge (já que não gostas que te chamem senhor…) explica lá à gente da blogosfera como foi feita esta escolha dos 27 magníficos, ou alguns desses alucinados de Esquerda que por aí andam, à solta e sem açaimo, ainda te chamam racista…

16 Responses to 25 brancos, uma negra e um mestiço claro

  1. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “””Imagino os saltos que não daria esse líder ímpar da comunidade africana portuguesa, o Fernando Ká e as frases que lhe sairiam da boca! “””

    Fernando Kà, considerado na Guinè como um racista notòrio !

    Não sei se Kà è o seu verdadeiro nome, mas è parcido ao movimento racista françês chamado a “trubu kà” braços françês da sinistre “Nation of Islma” e o sur leader o Kémi Shéba extremista e racista paranoìquo !

  2. Essa é outra estratégia dos prosélitos do multiculturalismo; dar a impressão, transmitir a ideia, de que nada muda em termos demográficos em Portugal, na sua geografia humana, com a entrada maciça de alógenos, aliás, basta recordar que as cifras apresentadas nas recorrentes sondagens encomendadas indicam que a população imigrante pouco varia, esquecndo propositadamente as naturalizações e aqueles que, nascidos em Portugal, são portugueses de BI, sem, no entanto, se sentirem enquanto tais.

    Parabéns pelo novo grafismo e subtítulo.

  3. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    @ arquofuturista

    Debate que ilustra muito bem aquilo que acabas de dizer.

  4. Veliberalino diz:

    Entretanto, no Congresso americano, a Bíblia já pode ser substituida pelo Corão.

  5. asdtg diz:

    Aqui fica uma opinião da qual partilho, sobre o Racismo ! e que vou usar para responder a este post da MZero !

    E uma muito boa tarde a todos !

    asdtg

    “O racismo é uma consequência do medo, que o desconhecido provoca numa pessoa…

    Ao medo podemos responder de muitas formas…

    podemos responder-lhe com a coragem – e a coragem só é verdadeira, quando há medo…

    e na falta desta,

    podemos responder com a construção de todo o tipo de barreiras protectoras, externas, mas sobretudo, internas…

    e o Racismo é uma delas!!!

    O Racista não precisa de enfrentar os seus medos, em relação aos indivíduos de outros Países, Culturas ou Religiões…

    ele encontrou a forma de não ter de o fazer, tentando acabar com a causa do seu medo… ignorando-a, menosprezando-a, perseguindo-a…

    O Racismo é de todas, a mais elementar manifestação de fraqueza humana…

    O Racista precisa de um mundo feito à sua medida, para poder sobreviver…

    Ele teme os desafios, teme tudo o que não conhece e não é capaz de compreender…

    Os gritos e a violência pró-racista são o hino dos que se querem numa redoma, que os proteja de tudo o que os assusta… e incomoda… ” o hino dos fracos “…

    Um animal que se sente assustado, torna-se ruidoso e agressivo… assim se comporta o homem, quando se sente assustado e ameaçado, pelos seus próprios fantasmas…

    Talvez por isso, quando assisto a manifestações de pânico interior, proclamado em voz alta, ou aos gritos, ou pela agitação dos gestos, em manifestações pró-racista, ou funcionando como tal, não consiga sentir revolta, mas apenas pena…

    Estas pessoas, tão frágeis, e aparentemente ameaçadoras, vivem sufocadas por fantasmas que as atormentam, e vão para as ruas gritar a sua raiva e o seu desespero, tentando afastar de si, o que só existe na sua imaginação…

    Gente que consegue olhar-se no espelho e ver-se branca ( branca é a neve )…

    e que consegue, ver gente negra ou gente preta… em gente com um tom de pele diferente da sua…

    Gente que não percebe que o preto e o branco, são cores autocolantes, que não se colam à pele de ninguém, porque já nasceram coladas aos fantasmas que habitam as suas almas…

    É preciso prevenir o Racismo, como se previne uma doença grave, evitanto que ela se instale na alma e no coração dos fracos… e dos ignorantes…

    É preciso dar ao homem, desde cedo, a capacidade de vestir a pele dos outros homens… que nasceram do outro lado do globo, noutra cultura, com outros costumes, outras religiões…

    É preciso ensinar, formar, promover todo o tipo de experiências que permitam ao homem conviver com realidades muito distintas, sem se deixar vencer pelo medo…

    Mas, não é só dos tons diferentes de pele, que o homem tem medo, é tb de outros sinais…

    as cores da pobreza, assustam os ricos…
    as da riqueza, os pobres…
    as dos heteros, assustam os homos e os bis…
    e as destes, assustam os heteros…
    as do Benfica, os do Porto… etc
    as do Norte, os do Sul…
    as dos presos, os bem comportados…
    as dos drogados,
    as dos doentes com HIV
    as dos emigrantes
    as dos imigrantes
    as dos velhos
    as dos enfermos
    enfim… quando somos fracos… tudo o que seja diferente e nos provoque algum medo, é mau… e deve ficar o mais longe possível.

    Este é o caminho dos fracos, que se fazem fortes, mas o Mundo não é dos fracos nem dos fortes, é de todos… e na convivência humana não há lugar para os fantasmas de cada um…

    Cabe pois, a cada um de nós, livres de fantasmas, contribuir para essa visão humanista, que tão bem resulta da MESA, posta pelo IPAV ( a mesa mais linda que já vi até hoje :))

    UMA MESA COM LUGAR PARA TODOS todos, todos, mas mesmo todos… porque a
    a imigração… é apenas, mais uma das faces da convivência humana…”

    http://portugalglobal.blogspot.com/2005_07_01_archive.html

  6. PP&I diz:

    Um animal que se sente assustado, torna-se ruidoso e agressivo… assim se comporta o homem, quando se sente assustado e ameaçado, pelos seus próprios fantasmas…

    Talvez por isso, quando assisto a manifestações de pânico interior, proclamado em voz alta, ou aos gritos, ou pela agitação dos gestos, em manifestações pró-racista, ou funcionando como tal, não consiga sentir revolta, mas apenas pena…

    Estas pessoas, tão frágeis, e aparentemente ameaçadoras, vivem sufocadas por fantasmas que as atormentam, e vão para as ruas gritar a sua raiva e o seu desespero, tentando afastar de si, o que só existe na sua imaginação…

    Extraordinária descrição dos terroristas suicidas islâmicos, ó asdtg. Nem eu faria melhor.

  7. Bem, parece que toda a gente concorda com o facto de a selecção do Expresso reflectir a composição racial do povo português….

  8. asdtg diz:

    I. Independentemente da raça, um terrorista racista, é igual a todos os outros ! por dentro, pelo menos : ) E, para quem já assistiu a uma autópsia, não é difícil imaginar a que ponto somos tão diferentes, e a f i n a l tão iguais !

    II. ” (…) foi o mesmo Homo sapiens que se diasporizou no mundo inteiro, diversificando-se culturalmente ao infinito. Não nasceu qualquer espécie nova. Todos os genótipos são interfecundáveis. As diferenças somáticas entre as raças são secundárias, as diferenças cerebrais, se existem, são epifenomenais e estatisticamente insignificantes. Não é impossível que as diferenças entre os resultados dos testes estupidamente chamados de inteligência possam traduzir estatisticamente ligeiras diferenças de aptidões entre raças, mas supondo que isso se pode garantir, teria uma significação miserável, quer dizer, unicamente significante para o miserável racismo, que pretende traduzir a diferença em hierarquia, e que exprime a sua inferioridade moral por meio de um complexo de superioridade. Portanto o que é importante é que a diferença racial tenha alterado tão pouco a unidade cerebral do Homo sapiens. Ela também aletrou muito pouco a unidade afectiva. Apesar da diáspora, todos os seres humanos se exprimem fundamentalmente pelo sorriso, pelo riso, pelas lágrimas. Eles dispõem não só dos mesmos meios de expressão, mas também exprimem uma mesma natureza afectiva, e isto apesar dos floreados, das variações, dos estereótipos, das codificações, das ritualizações, que as culturas introduziram no sorriso, no riso e nas lágrimas. (…) cfr. Edgar Morin, in O Paradigma Perdido: a natureza humana.

    Uma boa noite a todos !

    asdtg

  9. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    @ asdtg,

    Inventaste a àgua morna ?

  10. asdtg diz:

    Não se iluda Exmo Jaï : )

    A água está no Mundo; e tudo o que está no Mundo, arrisca-se a aquecer e a arrefecer, quando menos se espera !

    Ora vejamos,

    o Terrorismo tem raça ? Ou serão simplesmente, os Extremistas de todas as raças, que precisam de ser travados, em nome da convivência pacífica, num Planeta que começa a ficar um pouco curto ?

    Ou, como há bem pouco tempo, alguém me dizia:

    ” Não há nada que justifique o Terrorismo, mas há coisas que o podem explicar !
    Se não chegassem todos os dias ao outro lado do Mundo, fotos e reportagens, que dão conta da insanidade total que se vive no Ocidente – se os homens e as mulheres não se despissem e não se (re)produzissem tanto, em plena rua, em massa, clamando por atenção, aos gritos e recorrendo a gestos, objectos, próteses, disfarces, caretas e movimentos, que ofendem qualquer conceito de sexualidade, por mais liberal que ele seja… – talvez os Senhores do Terrorismo Árabe, não vissem as suas acções, como uma missão sagrada de higienização total da ” Prostituta da Sociedade” Ocidental -plagiando a expressão de um Ilustre Colega ! ”

    O que explica, não justifica, mas pode levar a uma repartição da culpa !

    asdtg

  11. Bem, parece que toda a gente concorda com o facto de a selecção do Expresso reflectir a composição racial do povo português….

  12. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    Missão sagrada de higienização total da ” Prostituta da Sociedade”

    Não vejo bem onde està a insanidade da sociedade ocidental, mesmo se não concordo com certas coisas, as pessoas na sua grande maioria são mais inteligentes do isso.

    A final quer dizer que a liberdade è que è responsavel do terrorismo islamico ?

    E por falar de racismo e dos medos, são a penas lugares comuns partilhados por a grande maioria das pessoas, muito raro encontrar pessoas com medos irraçionais que destingue o racismo bàsico.

    Não se luta contra o racismo dando lições de moral e de filosofia. Prevenir o racismo è evitiar de transformar os suburbios como se vê em Paris em colonias de povoamento com dizenas de cidades povoadas a 80% por estrangeiros onde os bairros são verdadeiros territòrios ocupados.

    Não hà, infelizmente nenhuma filosofia e moral que resiste a provocação. O combate anti-racista tem que ser feito com responsabilidade porque è uma coisa muito sèria e prigosa, no caso contrario è assim que se dão as guerras civìles, piore as guerra inter-étnicas.

    Depois temos tambem a estigmatização unilateral do racismo brancos perante a povoações que o são bem mais, criando assim antagonismos irreversìves. Lutar contra o racismo è fazer gestões pragmaticas tendo em conta todos esses crìtèrios, não por morais abstratas elaboradas por pequenos burguêses esquerdistas no fundo de um escritòrio por demagogia politica e clientelismo, neste caso não se ferà a economia de uma explozão de xenofobia.

  13. asdtg diz:

    Um dos maiores erros que nos impede de avançar nas discussões é cair na tentação de classificar as outras opiniões como ” lições de moral e de filosofia “.

    O “actual estado de coisas” resulta da postura de cada um de nós – certa ou errada – é com isto que podemos contar: para deixar tudo como está, ou para tentar começar a mudar alguma coisa, em nós…

    O maior problema da Humanidade, e isto no meu humilde entender, é a profunda ignorância do Homem em relação à própria condição Humana.

    Reconhecer antes de tudo,

    . que a Pessoa Humana tem Direitos Fundamentais inalienáveis; e que Direitos são esses …

    . que a defesa da Vida Humana e dos Direitos Humanos são os Valores Fundamentais da Humanidade !

    . que a Vida Humana e os Direitos Humanos só podem ser ofendidos, se disso depender a defesa de outras Vidas Humanas e ou outros Direitos Humanos equivalentes!

    Isto é no fundo, a defesa e a promoção do Primado da Pessoa Humana e da Vida Humana.

    No dia em que todas as Religiões, e em que todos os Ordenamentos Jurídicos, centrem a sua “razão de ser” nesse Primado da Pessoa, as diferenças entre o modo de viver de todos os Povos da Terra serão de mero folclore.

    Logo que todos os Homens da Terra tenham assegurada uma Vida com um mínimo de segurança, conforto, educação, e sobreTudo, com um mínimo de Dignidade, então sim, será possível recomeçar sem culpa, uma Nova Era de Verdade, sem Mentira e sem Hipocrisia !

    E para responder ao seu post, Exmo Jaï, se em cada Estado, cada Governo centrar a sua actuação na defesa dos Direitos Humanos dos seus residentes, nacionais ou estrangeiros, de acordo com as mais avançadas Teorias dos Direitos de Personalidade, em cada cidade, em cada bairro, muita coisa poderá ser feita, se houver vontade por parte das entidades públicas, das empresas e das famílias.

    O enfraquecimento gradual das influências religiosas nas decisões dos Estados, e nas decisões de cada um de nós, é cada vez mais urgente ! porque, em último termo todas acabam por apelar a uma Vida para além da morte, de Felicidade Eterna… conquistada muitas vezes à custa de sacrifícios humanos próprios e alheios que não servem o Homem, nem a Humanidade !

    E já era tempo de perceber, que as Religiões só fazem algum sentido, quando estão ao serviço do Homem e da Humanidade !

    Fora disso, nada justifica que em nome de uma Religião se sacrifiquem Vidas Humanas ou os Direitos Fundamentais da Pessoa Humana – isto é próprio de uma religião canibal que se alimenta da carne dos próprios fiéis e dos infiéis… de forma indiscriminada ! poupando apenas, os líderes espirituais, que para mártires escolhem sempre os mais fracos… da cadeia “alimentar” – da máquina que os mantém.

    E um bom fim-de-semana a todos !

    asdtg

  14. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    Em termos de citações esqueceu-se desta :

    ” A liberdade de uns acaba quando começa a dos outros”

    Você disse :

    ” No dia em que ….”

    “Logo que todos os homens da terra tenham…”

    ” Se houver vontade por parte…”

    Você è idealista, humanista, mas como diz o ditado françês ” Avec des Si on mettrait Paris en bouteille ”

    O essential se queremos mudar a sociédade e o mundo em geral, è em primeiro lugar comprehender o nosso tempo e sociedade na qual vivemos, obviamente imperfeita, se não fizermos isso, as ideias mais elevadas que sejam são pura utopia conduzindo direitament à frustração, não saber viver o momento presente è no futuro a fonte do fatalismo.

    “… religião canibal que se alimenta da carne dos pròprios fiés e dos infiéis…”

    Pois, a religião è que està ao servicio dos homens, e não os homens que estão ao servicio da religião !

  15. asdtg diz:

    Exmo Jaï, não me lembro de ter feito uma única citação no meu último comment .

    Mas essa da Liberdade, nunca será demais lembrá-la : )

    No mais,

    acho que não podia ter sido mais prática e actual : ) ao escrever o que há pouco aqui escrevi, e que reitero:

    – O “actual estado de coisas” resulta da postura de cada um de nós – certa ou errada – é com isto que podemos contar: para deixar tudo como está, ou para tentar começar a mudar alguma coisa, em nós…

    O maior problema da Humanidade, e isto no meu humilde entender, é a profunda ignorância do Homem em relação à própria condição Humana.

    Reconhecer antes de tudo,

    . que a Pessoa Humana tem Direitos Fundamentais inalienáveis; e que Direitos são esses …

    . que a defesa da Vida Humana e dos Direitos Humanos são os Valores Fundamentais da Humanidade !

    . que a Vida Humana e os Direitos Humanos só podem ser ofendidos, se disso depender a defesa de outras Vidas Humanas e ou outros Direitos Humanos equivalentes!

    Isto é no fundo, a defesa e a promoção do Primado da Pessoa Humana e da Vida Humana.”

    É para isto que os Estados de Direito Democráticos existem; e todos os cidadãos são chamados a fazer a sua parte ! e por pouco que pareça, falar nos problemas, ouvindo, lendo e dando opiniões, já é um bom começo…

    Há poucos anos atrás, era impensável, que sem sair do conforto das suas casas, cidadãos dos quatro cantos do Mundo, pudessem trocar opiniões – em tempo quase real – sobre os grandes desafios que se colocam ao Homem …

    e no entanto, aqui estamos fazendo isso mesmo ! num espaço que não sendo o nosso, nos faz sentir bem-vindos, mesmo quando discordamos abertamente do teor dos posts que comentamos.

    Se isto não é já um sinal e um princípio de mudança efectiva, o que será ?

    asdtg

  16. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “… falar nos problemas, ouvindo, lendo e dando opiniões, jà é um bom começo…”

    Concordo !

    Somente no mundo onde vivemos distinguir a verdade do falso è uma tarefa extremamente dificìl, bem mais do que julgamos.

    Neste mundo as verdades são relativas e as generalidades não servem para todos, acreditar no mundo perfeito è utopia, porque a perfeição não existe e ainda da bem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: