Sadam, o mártir da Esquerda

Protestos generalizados contra a execução do ditador

sadam-hussein.jpg

Desde a mais recôndita bologosfera até ao jornal Guardian, passando pelo jornalista António Granado, todo o bom Esquerdista se comoveu com a morte de Sadam Hussein e protestou contra a divulgação das imagens do seu enforcamento. A patética f., jornalista do DN e de causas, achou mal que se tenha feito assim. O anti-americanismo primitivo (primário é demasiado decente) da Esquerda acéfala tem destas coisas: chora a morte de ditadores, santifica assassinos e abençoa massacres, desde que sejam cometidos em nome do povo e contra o imperialismo. Não me lembro de ver esta gentalha protestar contra a transmissão de imagens de reféns degolados por terroristas maometanos ou soldados americanos abatidos a tiro por snipers iraquianos. Ou manifestar-se contra os milhares de condenados à morte na China.

31 Responses to Sadam, o mártir da Esquerda

  1. Quanto à menção aos soldados americanos, eles estão em território estrangeiro ocupado (o Iraque). Os iraquianos têm o dever de matá-los. Como os senhores portugueses também teriam o dever de matar o invasor estrangeiro. Ou a padeira de Aljubarrota estava errada?

  2. Anónimo diz:

    Fuck that asshole

  3. Lourenco Franca diz:

    Sr. João Paulo, quanto a mim não está em causa a origem dos assassinados ou o território onde se deram, apenas o facto de as imagens passarem na TV para quem as quiser ver. Porque caso contrário, e se de uma pura questão de nacionalidade se tratasse, o que iria o Sr. dizer das dezenas de funcionários das ONGs ou empresas que já viram o seu pessoal degolado em frente a câmaras de televisão para todo o mundo ver a fama dos muçulmanos e dos seus pacatos costumes… Ou contra isso o Sr. já não se insurge? É só por serem americanos no Iraque? E funcionários da RAI (ou outras agências)? E membros da Cruz Vermelha em missões humanitárias aos milhares de refugiados iraquianos? Esses já não lhe interessam? E já agora, a Padeira de Aljubarrota não matava portugueses! Ou já nos esquecemos dos milhares de iraquanos mortos por conterrâneos seus (diariamente em atentados e assassinatos em massa)?…
    Quanto ao Sr. Anónimo, da próxima vez assine que lhe fica bem melhor!

  4. Quis eu com o meu comentário exaltar o direito de resistência de um povo que teve o seu território invadido, de matar os seus invasores. Não comentei o fato de ocidentais estarem sendo degolados, porque o Ocidente, em geral, com suas atitudes está colhendo o que plantou. Quem semeia vento, colhe tempestade. Eu faria a mesma coisa se o Brasil estivesse sendo invadido por tropas estrangeiras. Infelizmente o ódio que o Ocidente plantou nas terras do Islam está colhendo também pessoas de bem, que ali estavam a trabalhar. Vide o caso do meu patrício Sérgio Vieira de Melo. Quero lembrar que quando o brasileiro José Maurício Bustani presidiu um órgão internacional, ele estava conseguindo uma solução que não passasse pela invasão do Iraque. Mas os Estados Unidos e a Grã-Bretanha se insurgiram contra ele. E o demitiram. E o Iraque foi invadido. Quem resiste ao invasor, não tem nada a perder, pois joga com os seus meios. E os norte-americanos e os britânicos vão sair de lá DERROTADOS, com a graça de Deus. Agora quanto a dizer que os meus compatriotas mataram, não sei disso, até porque o BRASIL (sou brasileiro, católico apostólico romano e professor) não compactou com esses crimes gerados pelo Bush e pelo Blair, com a conivência de quase toda a Europa. Nenhum soldado brasileiro foi enviado para lá, graças a Deus, e nesse particular nos sobrou o bom senso, pois qualquer presidente brasileiro se recusaria a agredir um país irmão. Fosse Lula ou José Serra. A padeira de Aljubarrota matou castelhanos que estavam invadindo o País para anexá-lo a Castela, como o senhor deve saber melhor do que eu. Portanto, exerceu o seu direito de resistência contra o invasor.

  5. Miguel Ângelo F. M. Valério diz:

    Nunca iria por em causa a culpabilidade de Hussein, a brutalidade e inumanidade das suas acções, mas não poderei aceitar a pena de morte para o mesmo, visto que considero que a pena de morte deveria ser excluida de qualquer código penal. Contudo, também não é de admirar que esteja presente no código penal do Iraque se tivermos em conta a participação dos diplomatas norte-americanos no processo (um país onde, infelizmente, a pena de morte ainda é uma pena usual, como o era no estado do Texas enquanto G. W. Bush foi governador do mesmo).
    Que fique claro que não sou (como está na moda) anti-americano. Quem me conhece sabe que é um país que eu gosto, que cientificamente e na área da minha profissão (trabalhador social) está 30 anos adiantado em relação a Portugal (ou seremos nós que estamos 30 anos atrasados…).
    Mas sendo sincero, também não consigo gostar de G. W. Bush (preferiria o seu pai, ou Clinton – ele ou ela, como acredito que acontecerá nas próximas eleições), embora não fosse, à partida, contra a intervenção no Iraque, desde que as ditas provas fossem verdadeiras e… existissem.
    Dentro de todas as possibilidades de penas de morte (admito que não conheço quais as presentes no código penal iraquiano) esta consegue ser a mais aberrante.
    Concluindo, por uma questão de direitos humanos, não deveria existir pena de morte em nenhum país. Mesmo em situações onde existiram quebras e ataques constantes aos direitos humanos ao longo de décadas (como é o caso), mas nunca poderá ser através da quebra dos direitos fundamentais do ser humano que colocamos justiça nesta situação…

    PS: Como vi escrito num blog (não me lembro qual) acho que todos deviam concordar com a transmissão das imagens. Os que não concordam com a pena de morte, para ficar provado (como ficou) a inumanidade do acto. Para os que concordam, nada devem ter a dizer por verem algo normal…

  6. Ó João Paulo, então você aplaude o assassínio de Sérgio Vieira de Melo…

  7. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    A necessidade de invadir o Irak è discutivel, mas não è esse o maior problèma nem o maior erro dos americanos.

    Alem de haver grupos de bàrbaros ligado à Alquaeda sem divida nenhuma, o maior erro dos americanos foi a dissolução por completo do exèrcito incluìndo todos os oficiais, dos servicios sercretos e da administração inteira, mais os forças policiais. Isso tudo no quadro de um paìs onde existe antagonismos muito fortes por ambas das partes.

    Foi fazendo isso, que concretamente os americanos que não tinham enfretado uma verdadeira resistencia que se encontraram na postura de invadores.

    Pois praticamente todo o exercito iraquiano entrou em clandestinidade, mais as forças policiais, servicios secretos etc…

    En vez de ter feito um programa de reconciliação national, destruìram todas as estruturas do estado como as suas redes essençiais, substituindo-as por gente sem exeperiencias e sem legitimidade. Agora teem que se enfrentar as forças mais agueridas do paìs numa guerra de guerillha sem farda tentando reconquistar a sua legetimidade.

    Conclusão, sao os pròprios americanos por ignorançia e incompetençia que criaram as condições da sua pròpria e futura derrota !

    Jà pensava isso bem antes que o James Baker o tenha dito !

  8. Parece que as pessoas não lêem todo o meu comentário. A má fé faz com que se atenham a uma frase solta. Não aplaudo nunca aplaudi a morte do Sérgio Vieira de Melo, mas quando lembro que ele era representante da Organização das Nações Unidas e que esta é tida como um mero instrumento dos agressores americanos, porque nunca que as agressões aos povos árabes são punidas. Um povo que tem o seu país ocupado pelo estrangeiro tem não só o DIREITO como a OBRIGAÇÃO de resistir. Logo, que os ocidentais saiam de lá. Se não querem os islâmicos aí, é preciso que o Ocidente retire todo o seu pessoal de lá. Mas isto é a coisa mais difícil, pois precisam tanto do petróleo! O senhor maquina zero disse que eu aplaudo a morte do Vieira, e o senhor aplaude os assassinatos que as tropas americanas têm feito lá, as torturas de pessoas do povo, e estupros de mulheres? Quer dizer que com iraquianas e islâmicas pode? Ah! Europa, Ah! D.João I, que foste abrir a caixa de Pandora, quando ocupaste Ceuta. Quem semeia vento colhe tempestade. Temo pela Europa, pois mais cedo ou mais tarde o Islão há de ocupá-la. Se no século XVII, em que a maioria dos meios atuais de comunicação não existia, foi possível chamar os holandeses para ocupar o Brasil, e hoje, com a Internet, com o fácsimile, com a televisão, o rádio e tudo mais? Teria sido melhor que cada um ficasse no seu continente. O mundo seria muito melhor, se os europeus não tivessem colocado as suas mãos na América, na África, na Ásia e na Oceania. Quantos povos, hoje exterminados que poderiam estar entre nós. Se não querem que a resistência iraquiana mate, saiam de lá, ora pois!

  9. João Paulo Ferreira de Assis diz:

    Por favor não nos venham com esta história de civilização, que a Europa trasmitiu a sua civilização aos povos atrasados, pois o que vocês fizeram foi dar aos islâmicos o direito de querer impor a sua civilização aos europeus. De nada adiantou terem submetido esses países. Quando se tornaram independentes voltaram às raízes. O que está a acontecer no Iraque nada mais é do que o efeito das ”missões civilizadoras” com que a Europa brindou os continentes mais atrasados. Não querer tropas estrangeiras a ocupar o país é um direito semelhante ao que os senhores portugueses têm de não quererem os imigrantes.

  10. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    @ João Paulo Ferreira de Assis

    “…pois o que voces fizeram foi dar aos islamicos o direito de querer impor a sua civilização…”

    Concordo parfeitamente !

    Pois a colonização dos povos islamicos foi transmitir de um certo modo uma modernização quando estes povos presos das suas pròprias contradições jà estavam abalados, sabendo que durante sèculos eles jà se tinham auto proclamado como os nossos inemigos hiriditarios.

    Pois a colonização fez esquecer uma guerra perpètua que demora dez de hà 14 sèculos, mas hoje è somente o principio !

    Principalemente por ignorancia demagogia em França importamos essa guerra inter-religiosa entre o Occidente e o Oriente.

    Muitos vão dizer que fasso generalidades, mas uma coisa è certa para quem conhece a història dos povos islamicos, è que as minorias ultra-violentas sempre conseguiram tomar o poder contra os demais !

  11. Não podemos cair no erro de tornar Saddam um mártir. No entanto, a sua morte às mãos de um tribunal cuja legitimidade é muito discutível não pode ser apludida. Aliás, qualquer pena de morte é capaz de me arrepiar. O mal não se combate com o mal.

  12. João Paulo Ferreira de Assis, se os portugueses não fossem até ao Brasil, hoje você andava nú, pelo Amazonas abaixo, com uma penas de pássaro na cabeça, a tratar apendicites com cânticos e danças mágicas. Você é, basicamente um débil mental, como a maioria dos brasileiros que têm aparecido a comentar neste blogue. Estas deficiências mentais devem ser da subnutrição crónica que afecta grandes áreas desse país. Trate-se e cure-se, que eu não tenho paciência para quem aprova assassínios como o que vitimou o seu compatriota Sérgio Vieira de Melo.

  13. Ó santinho Pedro Morgado, em que mundo você vive? Havia mas era de apanhar com um gang pela frente que lhe “riscasse” a cara com uma naifa e partisse um braço com um taco de basebol, para se curar dessas ideias à la Jea-Jaques Rousseu e seus bons selvagens… Fosse um adulto que violasse e matasse uma filha sua de cinco anos de idade e a ver se o arrepiava assim tanto a pena de morte…

  14. Saiba que eu estaria muito melhor andando nu, do que com esta carga européia no meusangue, que faz de mim um branco. Enquanto os meus ancestrais indígenas curavam o cálculo renal com o chá de uma planta chamada de quebra-pedra, os senhores pretendiam curá-lo com uma beberagem de mel, sementes de laranjas velhas (colhidas em maio, podendo ser) e ”meia-onça de ESTERCO DE RATOS moído e peneirado”, deixando a serenar por nove dias, e depois dar uma colher aos doentes a cada manhã e noite. Esta pérola se encontra num livro que eu tenho aqui em casa, chamado ”Thezouro de Prudentes”, cujo autor é Gaspar Cardoso de Sequeira, médico que estudou em Salamanca. A edição é de 1702, em Évora. Bom, quanto a ser um débil mental a carga genética influi muito. Ah! ia me esquecendo, enquanto no início do século XVIII a ciência já tinha admitido o Heliocentrismo, Portugal e Espanha estavam a ensinar que o sol gira em torno da terra, que existe céu empírio, ceu cristalino etc. Os progressos na medicina se devem a cientistas de países anglossaxônicos. Interessante é que o senhor não aceita, como bom nazista, que se duvide dos seus postulados. Acabei de ver pela resposta malcriada que o senhor deu ao senhor Pedro Morgado. Ah! quanto a subnutrição crônica não é meu caso, pois peso 110 quilos. Engraçado, o Brasil é tudo o que dizeis, mas porque tantos portugueses vêm fazer a vida aqui? São dois milhões de portugueses no Brasil e cerca de 80.000 brasileiros em Portugal. Se fôssemos repatriar uns e outros, seu país entraria em colapso.

  15. Jaï bettancourt de carvalho diz:

    “esta carga européia no meu sangue, que faz de mim um branco…”

    “…meus ancestrais indìgenas…”

    Sem desfazer o valor dos indios, essa contradição è mesmo revelatòria de um nivel filosofico e cultural a baixo de tudo !

    “… mas porque tantos portugueses vêm fazer a vida aqui ?… ”

    Simplesmente porque os portuguêses no Brasil não encontram oposição que chegue à sua força de trabalho e sempre souberam trazer aos brasileiros aquilo que mais nescessitavam. A imigração portuguesa è que semper levou o Brasil à força do punho a estar menos mal do que pior !

    ” Se fôssemos repatriar uns e outros, seu paìs entraria emcolapso. ”

    Do Japão, Canada, Estados Unidos, Alemanha, França e Inglaterra a bandeira portuguesa està bem alta no céu, somos considerados como um dos maiores povos no mundo e todos nos consideram como um mais para o pais deles !

    Por traz da maior parte da industria e das infrastructuras brasileiras assim como os comèricos estão portugueses ou descendentes.

    Não valia a pena que o Brasil torna-se independente sò por isso !

    Lembre-se que à ablição da escravatura por os portugueses que os brasileiros não desejavam sucedeu-lhes a ditadura militare brasilò-brasileira ! E hoje em dia, se vocês continuarem no caminho onde estão correm o perigo de ver outra vez os militares ao poder !

  16. Bettancourt: respondendo a você, que é um dos poucos dentro deste blog que tem se pautado pela boa educação, não quis eu colocar em ponto de menos respeito a colaboração dos portugueses. Mesmo porque eu descendo de muitos deles, que são pelo menos 80% das minhas linhagens. É verdade que se todos tivessem continuado cada qual no seu continente de origem, o mundo estaria muito melhor, claro que menos desenvolvido, mas não haveria este colapso dos recursos naturais que estão sendo sacrificados à ambição do lucro rápido. Se cada um tivesse ficado no seu continente, meu ancestral João Ramalho, natural de Vouzela, teria feito vida com a sua esposa, Catarina Fernandes das Vacas (que a correspondência da Companhia de Jesus perpetuou), e Potira, a índia companheira de João Ramalho teria sido dada em casamento a um goianá, que era a sua tribo. Talvez eu seria hoje um Inca, porque à chegada dos portugueses, partes do Brasil já haviam sido conquistadas por Topa Inca Yupanqui, e eles estavam já enviando batedores para se expandir rumo ao Paraguai e as outras partes do Brasil. Se cada um tivesse ficado no seu continente, os espanhóis não teriam chegado também às Américas. E, é claro, que a lei da ação e da reação, que é natural, não estaria agindo hoje em toda a Europa. Concorda o senhor comigo que os que os olhos não vêem o coração não sente? Os povos que foram colonizados não estariam sabendo da prosperidade da Europa e não cogitariam de aproveitá-la. Os portugueses tiveram seus méritos na construção do Brasil, não vamos cometer a injustiça de negá-los. Mas os negros também participaram, sendo que alguns deles eram metalúrgicos em África, e foram aproveitados por seus senhores para burlar as proibições do célebre Alvará de 05 de janeiro de 1785, que proibiu as manufaturas no Brasil, e que é muito comentado pela historiografia. Senhor Bettancourt, estou me retirando deste blogue, mas o faço tendo de si uma boa lembrança. Ao maquinazero, peço que não perca as estribeiras quando lhe faltarem os argumentos, aceite o seu erro, como eu aceitei ao ser chamado de ignorante (não era caso para tanto, por ser irrelevante para mim eu me ocupar com o Oriente Médio). Eu estava errado e aceitei a crítica. Desejo a você, ao Miguel Ângelo, ao Pedro Morgado, à Vera, ao Lourenço um feliz ano novo, cheio de felizes realizações, e que cada um consiga o que mais almeja. Adeus, não volto mais.

  17. Meu caro João Paulo Ferreira de Assis: você é mesmo um débil mental. Tem vergonha de ser quem é. Mate-se, que é a melhor solução para gente com problemas mentais dessa gravidade. Ou então dispa-se e vá viver para o meio dos índios, onde a esperança média de vida anda pelos 45 anos. E adeus. Não volte mais, que não faz cá falta.

  18. Sinto não poder atender suas sugestões.

  19. Olhe lá, ó João Paulo Ferreira de Assis, você não disse que se ia embora e não voltava mais? Caramba, ao menos tente ser um homem de palavra e cumprir as promessas que faz…

  20. Senhor Maquina Zero: não quero mal a si, e nem desejo que Vossa Senhoria queira mal a mim, temos opiniões divergentes, eu sei, eu não o persuado nem o senhor a mim. Um brasileiro e um português jamais podem se indispor. E eu quero me despedir, tendo a certeza de que Vossa Senhoria não me quer mal. Um pedido por favor: vi que o senhor já tem filho estudando na Universidade, portanto, já deve estar pela meia idade. Não se enerve com as asneiras que aparecem, admito que algumas de minha lavra, pois se o senhor for ficar nervoso com tudo que lê, pode lhe sobrevir a qualquer momento um sério problema de saúde. Saiba que nós humanos não vamos reformar o mundo. Vivamos a nossa vida e deixemo-los.

  21. Lourenço França diz:

    Deve-vos dizer que esta é das páginas da net que com mais interesse leio sempre que tenho possibilidade. Foi, contudo, a primeira vez que escrevi neste fórum. Foi certamente a última. Não quis ser indelicado com o Sr. João Paulo Ferreira de Assis mas apenas mostrar o meu ponto de vista diferente. Não sabia que era brasileiro e julgo não tê-lo ofendido na sua identidade nacional – tanto me faz que seja comunista, varguista, lulista ou outro ista qualquer.
    Mas quero que se saiba que eu sou Português e defendo a minha Pátria de todas as maneiras que posso. Não me custa admitir que advogo a frase (tantas vezes deturpada): Deus, Pátria e Família. E a minha identidade nacional muitas vezes a revejo neste blog. Infelizmente não compactuarei com um sítio onde o próprio webmaster é o primeiro a baixar o nível da discussão chamando alguém de débil mental. Na minha opinião devia procurar elevá-lo e continuar a mostar com o seu blog as enormes atrocidades e segregações que se verificam no nosso país onde quase é crime ser Português!

  22. pro-americano. diz:

    Caro João Paulo Ferreira de Assis .
    Olhe que há por aí muita paranóia anti-americana por tudo e por nada.
    É a mentalidade dominante.
    Mas se formos a ver bem, mesmo com erros disparates e outras coisas menos boas, a América é das poucas coisas boas que houve na história e há no presente.
    A América sacrificou-se e sacrifica-se para que no médio-oriente também haja uma europa ou uma américa, isto é , para que as pessoas possam viver e conviver bem.
    Na história, poucos fizeram isso. Sacrificarem-se pelos outros para que os outros ficassem melhor.
    Isto mexe muito com os ditadores e candidatos a ditadores. E os ditadores são os mais activos. E quando uma mentira é repetida mil vezes parece verdade.
    No fim da América destituir um ditador e dar a oportunidade de as pessoas se poderem expressar livremente o Sr e outros ainda vêm dizer que a América está contra as pessoas !? Ganhe juízo, já tem idade e corpo para isso.
    As armas de destruição em massa existiam e existem, senão eles não se andavam a matar uns aos outros.Quanto às armas materiais, era só uma questão de tempo, pois aquela mentalidade rapidamente as produziria.
    A América, infelizmente, nos últimos 100 anos foi quem mais e melhor ajudou o islão e os muçulmanos. Veja o que eles eram antes da influência americana e o que são hoje. O que tinham, quanto viviam, quantos eram. Mas o mafoma foi um autêntico agente do diabo, põe tudo e todos em conflito. Isso tem e deve ser dito e enfrentado.

  23. ”Ganhe juízo. Já tem idade e corpo para isso”.

    Os Estados Unidos foram os campeões da democracia… noutras partes. Na América Latina, que eles consideram o seu ”quintal”, ”pátio traseiro”, eles incentivaram muitas ditaduras… de direita. Só deixaram de apoiá-las quando viram que não mais lhes convinha. Todas as torturas que foram cometidas contra os dissidentes políticos no Brasil e em outros países foram ensinadas por Washington. Eles, por exemplo, fizeram retirar da grade curricular das escolas brasileiras, o Latim, o Espanhol, o Francês e o Italiano. E a qualidade do ensino piorou, sob o Ministro da Educação (escolhido por Washington) Flávio Suplicy de Lacerda. Eis a lista de alguns presidentes democráticos derrubados por Washington: 1948, Rómulo Gallegos (Venezuela) e José Luiz Bustamante Rivero (Peru), 1952 Carlos Pío Socarrás (Cuba) 1954 Federico Chávez (Paraguai) Jácobo Arbenz y Guzmán (Guatemala), Getúlio Vargas (Brasil, já tinha sido deposto quando suicidou), 1955 Juan Domingo Perón (Argentina) 1957 Daniel Fignolé (Haiti), 1962 Arturo Frondizi (Argentina), 1963 Ramón Villeda Morales (Honduras), Carlos Julio Arosemena Monroy (Equador) 1964 João Belchior Marques Goulart (Brasil), 1965 Juan Bosch (República Dominicana), 1966 Arturo Illía (Argentina), 1971 Juan José Torres (Bolívia) 1972 Velasco Ibarra (Equador), 1973 Juan María Bordaberry (Uruguai), Salvador Allende Gossens (Chile),1976 María Estela Martínez de Perón (Argentina), 1978 Juan Pereda Asbún (Bolivia), 1979 Lídia Gueiler (Bolívia). Não disse todos porque seria muito cansativo. Além do mais, o Brasil, apesar dos seus sacrifícios na Segunda Guerra Mundial, foi excluído do Plano Marshall. Foi o único país que enviou tropas para a Itália, para integrarem o Quinto Corpo do Exército Americano. Por isso que a América Latina detesta os Estados Unidos. Você pode gostar deles porque eles não patrocinaram no seu país nenhum golpe liberticida. Fico com minha opinião, que acho melhor. Você fique com a sua, e veja que nem maioria no Congresso o Bush tem mais. Além do mais, um dos precursores da Independência do Peru, D.José Baquíjano y Carrillo”, disse diante do Vice-Rei D.Agustin Jaurégui y Aldecoa que ”O bem mesmo deixa de sê-lo se se estabelece contra a opinião pública. Melhorar o povo contra sua vontade sempre foi o pretexto da tirania. O povo é uma mola que forçada além de suas possibilidades arrebenta destroçando a mão imprudente que a oprime”. Isto foi dito em 1781 na época da violenta repressão espanhola aos movimentos de independência das suas colônias. Melhorar o povo contra sua vontade, é isto que os americanos fazem no Iraque, e tentaram fazer no Vietnam.

  24. Meu prezado senhor Lourenço França: o senhor não me ofendeu em nada. Eu é que ao lhe responder, tomei a nuvem por Juno, e não vi que quando o senhor empregou as palavras ”seus compatriotas”, o senhor se referia aos morticínios que sunitas e xiitas cometem-se mutuamente. Muitas felicidades.

  25. Meu caro Lourenço França: tem toda a razão! Fui excessivo e pouco educado ao chamar débil mental ao sr. João Paulo Ferreira Assis. Aqui fiacm as minhas desculpas.

  26. pro-america diz:

    ” Os Estados Unidos foram os campeões da democracia… noutras partes. ”
    Valha a verdade, o Sr ainda não acredita em toda a paranóia anti-americana que por aí anda. Sempre lhes reconhece algum valor.
    Os males da América também existiram e existem noutros países, regiões e impérios e sociedades, e em muito maior quantidade.
    E os benefícios da América nem sequer têm comparação com o de outras sociedades e culturas. Porque quando há problemas graves neste mundo, a América sempre faz alguma coisa para os enfrentar. Nem sempre da melhor maneira, mas tenta e faz.
    Enquanto que a maioria acobarda-se ou submete-se aos maiores tiranos e tiranias.
    Quanto aos ditadores no mundo latino-americano, eles não foram de esquerda porque pura e simplesmente o esquerdismo estava pouco divulgado nessas alturas. Nessas análises há muita cobardia e prostituição mental. Não se fala nem se quer falar nas heranças culturais de violência que existem quer na cultura latina quer nas culturas pré-colombianas. É tudo culpa da América. É mais fácil culpar o outro do que fazer a auto-critica, que é muito mais incómoda.
    Politicamente, a América também foi influenciada pela politica de 5 nações índias.
    Como vê os valores da América não são de origem europeia.

  27. pro-america diz:

    “Como vê os valores da América não são de origem europeia.”
    digo:
    “Como vê os valores da América não são só de origem europeia.”

  28. Você ainda tem seguidores?

    Que tristeza!

  29. Anónimo diz:

    Ainda há prostitutos intelectuais, cobardes e conspiracionistas ?
    Que vergonha !

  30. piloto diz:

    LOURENçO FRANçA JUNTE-SE A NOS NACIONALISTAS (vá ao site do P.N.R)

  31. Anónimo diz:

    Saddam Hussein: Grande Líder e Mártir!
    Saddam Hussein: Legítimo Presidente do Iraque.
    Vida Longa a Saddam!
    Saddam está no PARAÍSO!
    Felizes aqueles que conhecem e lutam para ver a VERDADE triunfar!
    FORA INVASORES DO IRAQUE e de QUALQUER PARTE DO MUNDO!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: