Quinta da Fonte, o nosso primeiro ‘banlieu’

O início da intifada imigrante em território nacional

estatisticassef01.gif

A ficção costuma ir para além da realidade. Não há muito, escrevia aqui, com uma forte dose de ironia, que a Brigada Mista Independente, uma unidade altamente operacional do Exército Português, iria sair de Santa Margarida para ser colocada em Lisboa, a fim de colaborar com as autoridades policiais na vigilância e controle dos “bairros difíceis” – eufemismo para designar zonas maioritariamente habitadas por africanos, ciganos e imigrantes do Norte de África.

Ainda a “tinta” desse post não tinha secado e já a PSP se via em bolandas para controlar uma turba de bandidos no bairro da Quinta da Fonte, também conhecido por Bairro da Apelação, ali na fronteira entre os concelhos de Loures e Odivelas.
De acordo com a Câmara de Loures, o bairro tem as seguintes características: “(…) uma população multicultural, com especial incidência de naturais dos países africanos (Cabo-Verde, Angola, Guiné, Moçambique, que representam cerca de 40% da população), mas também de etnia cigana (cerca de 40%) e nacionais (20%). (…) Cerca de 90% da população é beneficiária do R.M.G. No bairro, existe ainda uma cooperativa de habitação com casas maioritariamente habitadas por nacionais.”

Algumas perguntas, no rescaldo desta operação, que obrigou a PSP a mobilizar mais de meia-centena de agentes

11 Responses to Quinta da Fonte, o nosso primeiro ‘banlieu’

  1. dlm diz:

    O problema está na imigração, mas não em toda a imigração, o MZ já ouviu falar de alguma revolta de imigrantes indianos?

  2. piloto diz:

    deporta-los

  3. Meu caro dlm, a imigração indiana é condicionada por razões históricas, políticas e religiosas e traduz-se num fluxo reduzido de pessoas com capacidades intelectuais, académicas e financeiras acima da média. Daí termos uma comunidade bem integrada, sem problemas, integração essa reforçada por aspectos culturais específicos. Mas atenção: quando falo em indianos, estoua apenas a referir-me a pessoas originárias do sub-continente indiano e culturalmente hindus. Não falo de muçulmanos de origem indiana que, com os seus acólitos de origem paquistanesa, constituem a espinha dorsal das estruturas clandestinas da Jihad em Portugal.
    E além disso, a imigração é sempre um problema quando ultrapassa determinada ddimensão. Há uma “massa crítica” de imigrantes, que varia de comunidade para comunidade e a partir da qual os conflitos são inevitáveis.

  4. wildfaun diz:

    276 mil imigrantes? Pensei que seriam muitos mais… Mas também esses números não contam com os pretos e ciganos “portugueses” suponho eu.

  5. wildfaun diz:

    Eu também não tenho nada contra a imigração indiana, desde que de hindus e em número não muito elevado. Já conheci alguns indianos a viver cá e pareceram-me todos trabalhadores e honestos…

  6. As estatísticas, meus caros, são “suavizadas”. Neste rol não se incluem as pessoas a quem foram atribuídas autorizações temporárias de residência (cerca de 150 mil…) nem os inúmeros tipos de visto (estudantes, tratamento médico, empresário, etc, etc)

  7. The Studio diz:

    Sempre ouvi falar em mais de 500.000 imigrantes, fora os ilegais. No entanto, qualquer pessoa dos PALOPS ou Brasil pode pedir nacionalidade Portuguesa ao fim de 6 anos em Portugal e naturalizar-se legalmente (como o Deco), ou naturalizar-se sem preencher os requisitos (como o Obikwelu, Makukula e Amunike). Além disso, quase 50% dos partos no hospital Amadora-Sintra são de mulheres imigrantes, e esses bebés também já contam como Portugueses. De uma forma ou de outra, dá sempre para maquilhar o número das “minorias étnicas” que em muitas zonas já se converteram em maiorias.

  8. Brasileiro diz:

    Fico procurando daqui do Brasil sites que tratem da atual situação explosiva entre os islâmicos e a Europa, de preferência páginas portuguesas (por causa do idioma). Poxa, cada página mais direitista que a outra. Racismo contra não-portugueses, ataques ao socialismo. Idéias conservadoras pra caramba.

    Vocês conhecem a piada do seqüestrador português?

    O Seqüestrador Português

    Depois de alguns anos no Brasil, Joaquim estava passando por sérios problemas financeiros e resolveu partir para o mundo imundo do crime.

    Depois de algum tempo de planejamento, ele foi até o Parque do Ibirapuera, em São Paulo, agarrou um garotinho e falou:

    — Isto é um seqüestro! Pegue este bilhete e entregue para o seu pai!

    O bilhete dizia “Seqüestrei seu filho! Deixe dez mil reais amanhã, atrás da moita da praça central. Ass: Joaquim”.

    No dia seguinte, o seqüestrador português foi até a praça central e encontrou o dinheiro, acompanhado de um bilhete: “Aqui está o seu dinheiro. Mas não posso acreditar que um português possa fazer isto com outro. Ass: Manoel”

  9. Stran diz:

    Estas são apenas algumas respostas às perguntas colocadas:

    “# Porque razão ainda há idiotas que adoram o multiculturalismo, quando o próprio presidente da Junta de Freguesia, José Henriques Alves, garantiu ao Correio da Manhã que “a mistura de moradores ‘de diferentes hábitos culturais’ tornou-se explosiva”, na Quinta da Fonte?”
    Porque esses “idiotas” adoram o progresso, a tolerância e aprender com outras culturas. E esses “idiotas” também sabem que o multiculturalismo não é despejar os imigrantes todos num canto.

    “# Porque razão se continuam a importar imigrantes dos países africanos, quando está mais que provado que a sua integração na sociedade portuguesa é um fracasso?”
    A integração dos imigrantes dos Paises Africanos não é um fracasso. Quem o afirma não sabe do assunto e manda bitaites.

    “# Porque razão se continuam a importar imigrantes, quando o desemprego entre eles tem aumentado, em média, 5,6 por cento ao ano e a maioria dos imigrantes desempregados são africanos?”
    Saber a razão porque a maioria dos imigrantes desempregados são de paises Africanos é facil e está ao alcance de qualquer pessoa que pare 5 segundos para pensar sobre o assunto ou tenha essa capacidade. A maioria dos imigrantes em Portugal são originários dos países Africanos por isso o mais natura é que a maioria dos imigrantes desempregados sejam originários de paises africanos também.

    “# Porque razão a Câmara de Loures apoia a actividade de um grupo de artes marciais (o Grupo de Capoeira Alto do Bairro da Apelação), naquele bairro problemático?”
    Porque razão é que não deverá apoiar?

  10. Andamos nós a pagar impostos para este tipo de gente. É inquestionável a diferença cultural entre os imigrantes, e podemos dividi-los assim: os que vêm para cá para trabalhar, e os que vêm para cá sobreviver… Espero que a mudança nas regras de atribuição do RMG sirva para alguns desses meninos comecem a fazer alguma coisa de útil pela sociedade.

  11. […] O conflito étnico que tem lugar na Quinta da Fonte veio pôr a descoberto uma realidade há muito conhecida das populações que habitam na cintura urbana de Lisboa. Uma realidade de violência conhecida pela nossa população, que resulta ser a principal vitima da mesma, e que é igualmente do conhecimento das autoridades e dos diversos órgãos de informação, entidades que procuram na sua grande parte, e de forma cúmplice, escamotear os múltiplos episódios de violência racial protagonizados pelas populações alógenas instaladas em solo português. Basta recordar as palavras encomendadas pelo investigador Jorge Malheiros que no anterior ano assegurava a não existência «de guetos étnicos ou gangs na Área Metropolitana Lisboa». Muito a propósito da Quinta da Fonte e dos acontecimentos semelhantes que ali ocorreram no ano transacto, relembro as muito pertinentes observações do blog Máquina Zero. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: