Agradecendo ao carrasco

odete_santos.jpg

Assisti, com alguma estupefacção, ao rosário de hossanas e lambedelas vindos de parlamentares de todos os quadrantes, quando a deputada comunista Odete Santos deixou o Parlamento. Não fosse a coragem de muitos portugueses e o apoio das democracias ocidentais, em 1975, e Odete Santos nunca deixaria o Parlamento. Aqueles que a aplaudiram nunca teriam lá posto os pés, se o partido de Odete Santos tivesse conquistado o poder em Portugal, nessa altura. Os elogios à deputada comunista esquecem que ela, tal como os seus colegas de partido, tudo fizeram para impedir a existência de uma democracia parlamentar em Portugal.

Excertos da entrevista de Bernardino Soares, líder da bancada parlamentar do Partido Comunista Português, ao Diário de Notícias:

DN: Consideraria que na Coreia do Norte vigora um regime comunista?
BS: Temos falado nisso em vários congressos… julgo que o que caracteriza a questão do Coreia do Norte, neste momento, é a difícil apreensão do que se passa, de facto, naquele país.
DN: Difícil apreensão? Os dados que dispõe não são suficientes para poder dizer, por exemplo, se a Coreia do Norte é uma democracia?
BS: Tenho muitas reservas em relação à filtragem da informação feita pelas agências internacionais.
DN: Ao ponto de não poder dizer se o país é democrático?
BS: Sim. Tenho dúvidas que não seja uma democracia.

(…)

DN: Cuba, que é um caso que conhece melhor, serve de modelo ao PCP?
BS: Não creio que deva haver modelos, mas admito que em Cuba há uma intensa participação da população na vida política e que esse povo tem tido uma luta heróica contra os desígnios norte-americanos que o faz enfrentar um embargo de várias décadas, por vezes criminoso. E mesmo assim, consegue ajudar países menos desenvolvidos, como fazem em África. Esse esforço é de louvar.
DN: Louvaria também a liberdade de expressão?
BS: Aqui há uns tempos vi um líder da oposição dar uma entrevista, no seu pátio em Havana, a uma cadeia de televisão internacional, dizendo que não havia liberdade de expressão. O exemplo fala por si.
DN: E prisioneiros políticos, existem?
BS: Não tenho conhecimento.
DN: Nem lhe interessa ter?
BS: Com certeza que sim, mas também julgo que não há presos políticos em Cuba.

 

3 Responses to Agradecendo ao carrasco

  1. camilo diz:

    Porquê tanta admiração, o PC ter “um” Bernardino Soares?!!!
    Acaso o PS não tem também “um”… Tino de Rans?!!!
    Eu sabia… eu sabia que o fecho dos hospitais Miguel Bombarda e Júlio de Matos iriam trazer gravíssimos problemas a estes partidos políticos…
    Eu sabia!!!

  2. camilo diz:

    Quanto a Odete Santos, vai continuar a sua vocação política no…
    Parque Mayer.

  3. camilo diz:

    Quanto a Bernardino Soares…
    É pena não ter que pedir asilo político à Coreia do Norte…
    Ou ao paraíso de Cuba… de Fidel Castro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: