Ponto de ordem sobre os comentários neste blogue

A técnica do “agent provocateur”

Meus caros amigos e adversários [*]:

O termo “agent provocateur” é, obviamente, de origem francesa. Mas confesso que não tenho ideia da época e/ou contexto em que surgiu. O objectivo de quem vem aqui injuriar pessoalmente o autor do blogue e os comentadores que comigo concordam é impedir o debate de ideias (fugindo disso como Maomé do toucinho) e transformar as caixas de comentários num espectáculo degradante. Não caiam na esparrela. Sugiro que façam como eu. Cada injúria e/ou insulto leva uma curta resposta (ofensiva, sim, mas sem palavrões) e ponto final.

Máquina Zero

[*] Em matéria de confronto de ideias, práticas políticas e convicções religiosas, distingo adversários de inimigos. Combato os primeiros e sempre terei consideração e respeito por eles, tanto na vitória como na derrota. Os inimigos, são para liquidar. Ou seremos nós os liquidados. [ATENÇÃO: contém imagens chocantes]

56 Responses to Ponto de ordem sobre os comentários neste blogue

  1. Soli diz:

    MZ agora está armado em santinho… Os posts que insultam e injuriam podem ser removidos pelo autor do blogue. Quem cala, consente. Se concordar comigo, que os posts podem ser removidos, espero que não seja selectivo e prime pela imparcialidade.

    Quem não o conhece, poderá pensar que o seu blogue infame está a ser vítima de provocações!

    Está aqui (neste blogue) bem documentado o “santinho” que é o MZ de Alcochete!

  2. Ó Soli, nunca tomei a iniciativa de injuriar ou insultar seja quem for, neste blogue. Vai lá buscar um exemplo, anda lá… Nunca chamei “merdoso” a ninguém, como tu me chamaste, mais do que uma vez, Dei resposta só a quem me insultou e aí, ó Soli, como diz o povo, “para filho da ****”, filho da **** e meio”. Tu é que as pediste, embrulha e vai até Meca. No teu caso, por exemplo, se bem te lembras, levaste o troco certo, com moedas e tudo…
    E mesmo assim, não utilizei palavrões, como se pode confirmar aqui e aqui.
    Ficaste furioso? Olha, se fosses uma pessoa normal, eu dir-te-ia que, se não queres ser insultado, não insultes! Mas o teu problema – e o de muito muçulmanos fanáticos e extremistas como tu, é que a simples existência de gente como eu – católicos… – já é um insulto… Olha, o que é que queres que te faça? Este planeta, pelos vistos, começa a ser demasiado pequeno para vivermos todos aqui…
    Quanto a armar-me em vítima e em santinho, isso não é possível. Não sou muçulmano.

  3. Embora não partilhe, normalmente, das suas opiniões e ideologia(s), a verdade é que este é um dos males da blogosfera…

    Associo-me (será uma das poucas vezes… mas enfim…) a este seu combate, por uma blogosfera mais limpa (de insultos…)

    Cumprimentos

  4. Lidador diz:

    Bem,, eu admito que cultivo a arte do insulto e quando o faço procuro que seja com com superioridade.O insulto pode ser uma arte.

    Infelizmente nem no insulto os filhos de mafoma revelam estatura, limitando-se a arrotar postas da mais lamentável vulgaridade.
    Uns indigentes ressabiados a fermentar complexos de inferioridade.

    Mas neste caso do soli, nem sequer exerci a sublime arte do insulto.
    Limitei-me a dizer verdades.
    Percucientes e dolorosas, é verdade, mas se um gajo é flho de mafoma e compadre do profeta pedófilo, não sobra a mínima dúvida que tem o pensamento mumificado e pensa que o mundo é um museu de história natural.
    A verdade é insultuosa?
    Bem ninguém os manda atascar-se numa “religião” e numa “filosofia de submissão” que é a burrice em estado puro.

  5. Soli diz:

    maquinazero disse: “Ó Soli, nunca tomei a iniciativa de injuriar ou insultar seja quem for, neste blogue. Vai lá buscar um exemplo, anda lá… E mesmo assim, não utilizei palavrões”.

    Quem cala, consente como você já disse. Os seus apaniguados insultam. ameaçam e demonstram o ódio racial e religioso e você como autor do blogue permite. Desconfio que ralvez até alguns dos anónimos seja você mesmo, Fique claro, eu não vim ao seu blogue de livre vontade. Só escreví para defender a minha honra e fui mesmo contido, só chamei-lhe o que você demonstra ser. Então você colocou aqui os links de proxies anonimadores para quê? Para que os seus amigos racistas os usem para fugir à justiça?

    Quanto ao neto dos mouros, o amestiçado Lidador que negue a sua identidade!

  6. Lidador diz:

    Diz o impagável filho de mafoma que escreve para defender a sua “honra”.
    Ora chamar “honra” ao complexo de inferioridade só lembra a marmelos enxertados em corno de profeta pedófilo.

    Quanto aos mouros, foram corridos à batatada, como é evidente.
    Os nossos maiores fizeram um bom trabalho e é por isso que hoje somos um país menos mau.
    Não temos petróleo, mas Alá , que deve ser uma boa bosta, quando meteu o petróleo todo debaixo do rabo islâmico, esqueceu-se de acabar o trabalho e encheu aquilo de gente que não vale uma bossa de camelo.

    É por isso que aquilo não sai da cepa torta.
    Dá para acreditar que os flhos de mafoma limpam o rabo com a mão?
    POis é verdade.

    Cerdos e asininos.

  7. Soli diz:

    Coitado de sofredor neto de mouros. Há maior probabilidade de você ser descendente de Maomé do que eu. Eles os mouros deixaram as suas sementes.

    Além do mais, você deve ser uma fresca vítima de pedofilia. O padre fez-lhe “brincadeiras” enquanto aprendia o catecismo? Se tem saudades revisite-o e deixe de andar frustrado com esta conversa de pedofilia.

  8. Soli diz:

    Repito o que já escrevi e que o mouro Lidador ignorou:

    Lamento ter de lhe dizer, que mesmo a chamada população indígena, os Iberos, que primeiro colonizaram a Península Ibérica vinham do Norte da África. Fixaram-se na região da Andaluzia e depois migraram para o Tejo e o Douro e para as costas do Mediterrâneo. Possivelmente eram descendentes de Libio-camitas.

    Um europeu nórdico a quem contei sobre os protoracistas que vagueiam por estes blogues, deu-me um sorriso sarcástico dizendo “os mouros da Europa já esqueceram-se que são mouros?”. Retorquiu acrescentando: “É como os povos de pele escura do Subcontinente Indiano que pensam que são arianos 😉 . Para que se entretenha sobre a sua ascendência mostro-lhe este link:

    http://www.agavelar.ccems.pt/matematica/Imprensa/todossomosnobres.htm

    Fique alegremente altivo a pensar que não é mouro, ou judeu (primo semita do árabe) 😉

  9. Lidador diz:

    Já vi que o filho de maafoma não descodificou a mensagem de comiseração e exortação aos bons costumes que fiz o favor de lhe enviar.

    Em vez de agradecer a minha magnanimidade e beijar a minha mão, pôs-se para aí ao peido e coice, o que não é próprio de pessoas bem educadas , preocupadas com a paz mundial, , as andorinhas, etc, e tementes a Deus Nosso Senhor.
    Ora faz parte do meu código estar sempre pronto a auxiliar quem precisa do meu apoio material ou do meu amparo moral, e não evitar as situações que possam acarretar-me incómodos.
    Pratico a camaradagem e sou generoso na vitória.
    E é do alto desta imensa superioridade que lhe faço de lhe ensinar que sendo muçulmano é obviamente mais bronco que um cabo de vassoura ou então talvez o problema seja algum copo a mais que tenha emborcado.
    Desculpe lá a franqueza , mas se não tem cachola para aguentar um copo de 3, porque se mete na copofonia?
    Uma porra quando se nasce torto…

    E assim sendo fico num dilema do caraças: se não respondo às suas bostadas passo por malcriado; se respondo não sei que lhe dizer, para não o amachucar demais. Por favor, tenha mais consideração por este seu shaib, a quem a paciência não sobra para decifrar patuá de musseque.
    É certo que ao princípio ainda pareceu capaz de alinhar umas ideias um pouco mais elaboradas que o habitual relincho, mas depois não resistiu à tentação de sealambazar com a vertigem da asneira e o resultado vê-se.
    Lamento não estar aí ao seu lado, quandolhe dão esses ataques de rebaixolice, para lhe amansar o lombo com meia dúzia de sopapos, mas são os problemas do universo virtual. Fica a intenção, mas nem sabe o que perde, porque aqui o seu benfeitor teve como mestre o saudoso Ferraz, Deus o tenha, e aprendeu algumas coisas sobre distribuição de milho.

    Bem, entrámos agora na época dasa parições .Tempo de sacrifício, de contenção, de penitência. Tempo que deve ocupar a castigar a carne pecadora, em silêncio mortificado, em vez de se pôr para aí a mandar vir, a arreganhar a dentuça e a bostejar o corão por tudo e por nada. Tempo de recolhimento e reflexão, durante o qual se deve lavar por dentro e por fora, e aproveitar para amansar o espírito rebelde , deixando-se de merdas duma vez por todas.
    Deve tb deitar-se mais cedo e ver menos pornografia . Já sabe os excessos de onanismo a que isso o pode levar, pá.

    E o profeta não gosta disso…depois não há 70 virgens huris, mas apenas 70 corões a malhar-lhe a mona todos os dias.
    Ah, e um camelo cheio de rebarba, quando chegar à hora de alçar o rabo para Meca.

  10. piloto diz:

    Estes porcos islamitas so olham a sua corja , mas os povos ibericos tanto são do norte de africa como do norte da europa.

  11. Maquineta, continuas a plagiar-me e tens de deixar-te de isso! E o teu catolicismo é, como direi?, templário de mais para os nossos tempos, por isso guerreiro, por isso, ideológico de mais para ser espiritual e, portanto, satisfatório. Há ainda um catolicismo manso como uma pomba e prudente como uma serpente a que te podes converter. É preciso abandonar as armas do diabo, entre as quais essas da hipérbole e da mentira.

    Saudações Adversárias, Maquineta Zerone!

  12. asdtg diz:

    Antes de mais, uma muito boa tarde a todos !

    Muito embora, só muito raramente, tenha feito comentários neste Blog, tive o cuidado de indicar logo na minha primeira participação, o meu email.

    Tbm não gosto de comentar com o meu nome profissional, porque isso me retiraria alguma privacidade, e podia mm ser visto como uma forma baratinha 🙂 de trabalhar para a visibilidade, o que me parece perfeitamente dispensável.

    Por outro lado, estando de má-fé, qualquer maluco/a se pode lembrar de começar a comentar com nomes, completos, verdadeiros, mas alheios !

    Finalmente, como leitora assídua deste espaço, que considero, como já aqui disse, um espaço de liberdade ! no qual sempre fui livre de discordar ! num estilo, nem sempre bem aceite, noutras paragens,

    uma vez que o tema, são os ” comentários “, não queria deixar de dar a minha opinião, colando, aqui o link para uma outra, da qual partilho, da autoria de um Insigne Magistrado Judicial, sobre o regime jurídico da blogosfera: http://informaticadodireito.blogspot.com/2006/03/regime-jurdico-da-blogosfera.html

    com os meus votos de continuação de bons debates !

    ( asdtg.adv@gmail.com )

  13. Portugal já perdeu a identidade diz:

    genética original e hoje está a perder a única coisa que lhe restou:

    a cultura…

  14. Berbere Sengenetalis diz:

    Fico muito mais descansado por finalmente ter sido comprovado e assumido por membros da comunidade muçulmana que o Mohometa era irmão de um Símio de Bondo. Felizmente alguma evolução ao fim destes milhares de anos.

  15. Soli diz:

    Símios são teus pais seu mentecapto!

  16. 786 diz:

    Portugal perde a cultura porque pessoas que se acham superiores, começam a insultar todas as pessoas e quando dizem que limpamos o r__o com a mão está bem enganado, a nossa religião diz para 1º limparmos com o papel higiénico e só depois lavarmos com água, a nossa religião é também um código de vida e ensina-nos até as + pequenas coisas, e deixe me dizer que foram, como disse um comentador, os mouros que vos ensinaram o que é o papel higiénico. e já agora o que será que limpa melhor? a água ou o papel higiénico? Se fosse o papel certamente não era necessário o banho…e ficáva-mos todos com um cheiro não muito agradável.

  17. Lidador diz:

    Mas olhe lá, ó 786, você acha que Deus, se existe, anda preocupado com a maneira como um muçulmano limpa o rabo?

    Você acha normal que a forma de limpar o rabo, seja decidida pelas opiniões de um cameleiro que há mais de 1000 anos limpava o rabo às pedras e lavava as mãos na areia?

    Mas será que não se dá conta do ridículo?

  18. Miguel diz:

    Epah, boa pa ti…O que é que isso interessa? De facto a cultura islamica ja foi das mais avançadas do mundo (embora muito a base de ter absorvido culturas avançadas como a greco-romana atraves dos ditos bizantinos, e a persa) e o califado de cordoba era no seu o tempo estado mais avançado da Europa…mas isso ja va la vai meu amigo..Ha muitos anos mesmo!

    Avancem com o Mundo em vez de ficarem para atras agarrados ao vosso “livro sagrado”.

  19. Miguel diz:

    Lol, o meu comentario nao era para o Lidador, mas sim para 786.

  20. 786 diz:

    O mundo é que avançaria agarrassem-se ao livro sagrado.Já alguma tentou dar uma vista de olhos no Alcorão? Como não deu não sabe do que fala e vai atrás da opinião de pessoas que só querem lucrar com os muçulmanos no fim de contas voces estão a ser iludidos por uma falsa realidade, pense + por si e tire as suas próprias conclusões baseadas na verdade e não na deturpação.

  21. Lidador diz:

    Ó 786, mas então há não sei quantos biliões de idiotas agarrados ao corão, obrigados a encorná-lo, balançando-se como autistas e a verdade é que nenhum desses países avançou coisa que se visse.

    Avançam apenas no atraso, na miséria, na violência, e na estupidez.

    A verdade?
    Mas você pensa que é o dono da verdade?
    Você, um submisso que em pleno sec XXI aceita bovinamente como “verdades” as masturbações mentais de um qualquer moamed, comerciante arvorado em profeta.

    A verdade?
    Já ouviu falar do teorema de incompletude?
    Acredita mesmo que é verdade aquilo que lhe meteram na mona?

    Não percebe que apenas lhe lavaram o cérebro com a mais rettrógrada ideologia produzida pelo sapiens?

    Faça-se um favor.
    Rasgue as páginas do corão, use-as para limpar o rabo e leia mas é livros de fisica , matemática, filosofia, etc.

    Se todos os muçulmanos usassem a própria cabeça em vez de seguirem a receita de um borrabotas qualquer que viveu no meio de camelos há mil e tal anos, estavam hoje bem melhor.

    Assim, estão condenados, incapazes de acompanhar a modernidade.
    No beco da história.
    E o terrorismo é apenas o estertor de toda um a cultura apanhada na armadilha da religião.

    Cresça e faça-se homem.
    Deixe de ser felah!

  22. Miguel diz:

    Lol, eu ja li passagens do Corão, e tal como a Biblia achei uma banhada sem sentido, salvo algumas excepçoes. Basicamente as (poucas) partes que falam de tolerancia e isso. De facto o Islao ate devia ser bastante progressivo para a Arabia do seculo VII, mas sinceramente era ai que devia ter ficado essa obra.

    Depois tem a lata de me dizer ppara pensar por mim proprio, raramente fazendo eu o contrario, e por muitas vezes questionando-me daquilo que supostamente é verdade, sempre tentando aprender mais sobre o mundo, enquanto o senhor esta agarrado a esse livro, lol.

    P.S. Bom comentario do Lidador.

  23. 786 diz:

    Lidador “cresça e faça-se homem”? já lhe pensou que pode estar a falar com uma mulher e não um homem? Lá está falam do que não sabem baseando-se em conjecturas. Para todos que lêem este blog só tenho uma coisa a dizer

    la ilaha illallah muhammadur raçulullah

  24. 786 diz:

    Eu como pessoa muçumana não posso maltratar alguém só porque tem outras crenças mas se essa pessoa agride-me a mim e à minha religião eu posso e devo fazer algo, como tenho vindo a fazer ou seja propago a minha religião e tento esclarecer as pessoas em relação ao islão, e + uma vez digo, eu não falar do que os outros fazem porque não sei em bases se argumentam. É de lamentar que insultem o Profeta Muhammad saaw , o islão e quem faça parte dele, desde que entrei neste blog nunca insultei ninguém nem as suas religiões e nem o devo fazer porque a minha religião diz que temos que ser tolerantes e pacientes e repeitar as opções dos outros. Só peço a quem queira discutir que o faça tendo maior informação.

    http://muslim786islam.blogspot.com

  25. Ó Sóli, já estás a meter os pés pelas mãos. Primeiro, dizes que eu insulto as pessoas, depois já reconheces que NUNCA VISTE INSULTOS DA MINHA INICIATIVA (apenas respostas a gente que me insultou primeiro, como tu, que no primeiro post teu aqui, te limitaste a chamar-me “merdoso”…). Para tentar emendar a asneira, vens agora dizer que que NÃO SOU EU QUE INSULTO, SÃO OS MEUS “APANIGUADOS”. Ó Soli, és uma caixinha de surpresas! És uma dos principais animadores – no sentido humorístico – da caixa de comentários deste blogues. Continua por aqui. Não nos abandonmes, porque a vida na blogosfera, sem ti, era muito menos divertida… Além disso, tu és o melhor defensor que o Islão podia ter. COm defensores assim, o Islão não precisa que o ataquem…

  26. Lidador diz:

    Caro 786, usei o termo homem, na acepção de ser humano, tal como a expressão “homo sapiens” ou “homossexual”, etc.

    Se não entende isto, mais uma razão para deixar de bater com o corão na mona e começar a ler livros sérios.

    Quando diz que como muçulmano não pode maltratar ninguém, então explique lá à malta como se deve ler a surata IV, versículo 76:” Matai os idólatras onde quer que os encontreis” .
    Matam-se os idólatras sem os maltratar?
    E os atentados terroristas islamicos que varrem o mundo desde há umas décadas?
    Em que planeta é que você vive?
    Não são bons muçulmanos?
    E quem é você para sentenciar o que são os “bons muçulmanos”? Quem lhe disse que você é que é o verdadeiro muçulmano e não o Mhoamed Atta e a nebulosa que o apoiou e o aplaude?

    Todavia, se você é mulher, pior ainda.

    O islão segrega as mulheres. Confina-as a espaços rigorosamente separados dos dos homens, impoe-lhes a reclusão nos seus lares inibindo-as de participar activamente na vida pública, e oculta-as atrás de veus “protectores”
    O principio fundamental deste estatuto-o qawama- determina que os homens, como género, são os guardiões das mulheres, consideradas tb como género, e por isso superiores a estas.
    Porque inferiores, as mulheres não podem muito naturalmente beneficiar dos mesmos direitos que assistem aos homens. Desde logo as mulheres muçulmanas não são livres para escolher os seus maridos-podem ser forçdas a casar-se com os individuos escolhidos pelos seus guardiões, e não podem, em caso algum contrair matrimónio com um não-muçulmano.
    As relações entre esposos são pois claramente desiguais. Os maridos assumem a tutela das mulheres e estas devem mostrar-se merecedoras daquela protecção sendo obedientes e acatando serenamente as admoestações-muitas vezes feitas de forma violenta.
    A virtuosa obediência das mulheres impoe-lhes entretanto que aceitem como natural a poligamia dos maridos aos quais é aberta pela Sharia a possibilidade de casar com várias mulheres. Isto é uma clara desigualdade (as mulheres são obrigatóriamente monógamas) e revela a pouca importância reconhecida pela Sharia às mulheres, que aí surgem convertidas em peças mais ou menos fungíveis ao dispor dos desejos dos homens.
    Como mães são tb minimizadas. A guarda dos filhos menores cabe aos pais aos quais é confiado o exercício do poder paternal em caso de divórcio. E se a mãe for uma não-muçulmana, não pode participar na educação dos filhos, que lhe são subtraidoso logo que atinjam uma idade que lhes permita compreender a religião.
    Os homens podem divorciar-se a qq momento e sem qq restrição, bastando-lhes repudiar as esposas.
    Estas , em contrapartida só podem conseguir o divórcio contra a vontade do marido, por decisão judicial que comprove que o homem atentou contra a Sharia..
    A mulher herda apenas metade do homem..
    Em atenção à sua debilidade congénita as mulheres não são admitidas como testemunhas em processos que tenham por objecto crimes graves e nos demais casos o seu depoimento vale apenas metade do dos homens.

    Se é mulher, devia ter vergonha de em público, defender e preconizar a superioridade de filosofias, sistemas e culturas que , relativamente à mulher:
    A subalternizam.
    A avaliam em camelos.
    A metem num harém , para uso e usofruto do dono.
    A tratam como um cão , umas vezes de estimação, outras sem estimação nenhuma.
    A excisam.
    A obrigam a andar atrás do dono.
    A impedem de rir e de cantar.
    A matam á pedrada ou a decapitam por “adultério”.
    A não deixam ir à escola.
    A não a deixam ser tratada por médicos.
    A obrigam a ver o mundo aos quadradinhos por detrás de uma elegante rede posta à altura dos olhos.

    Mohamed Atta, chefe dos atentados do 11 de Setembro,, deixou esta piedosa frase no seu testamento:

    “No meu funeral não quero seres impuros, isto é, animais e mulheres”

    Citando de cor Oriana Fallaci, ( Raiva e Orgulho) “Se algumas mulheres são assim tão lorpas que aceitem infâmias, pior para elas”

  27. _Soli_ diz:

    Se Muhammadd Atta disse no seu testamento “No meu funeral não quero seres impuros, isto é, animais e mulheres”, o dito testamento foi forjado, porque nenhum muçulmano considera sua mãe (porque é mulher) como um ser impuro, ou mesmo as mulheres como impuras.

    Também parece caricato, se este homem sabia que ia morrer totalmente carbonizado porque haveria de escrever sobre o seu funeral? Mas isto é irrelevante

    Diz-se que Muhammad Atta, iniciou o seu testamento com as palavras: “Em nome de Deus, de mim e de minha família”, algo que nenhum muçulmano dirá. Acho que o suposto testamento merce pouca credibilidade.

    Quanto ao amor que Lidador tem pelas mulheres, que primeiro mostre o seu desgosto pela existência no Ocidente da prostituição em larga escala (diz-se em milhões de mulheres a ser exploradas), do tráfego de seres humanos, pedofilia (talvez a causa do rapto da pequenina Madeleine no Algarve, Portugal), etc.

  28. Lidador diz:

    Impagável solidência.

    Segundo percebi, se algo não está de acordo com o que você acredita, é obviamente falso.
    Como não se trata de lógica booleana, nem fuzzy, só pode ser , ou lógica islâmica, o que é em si mesmo um paradoxo, ou estupidez em estado puro.
    Inclino-me mais para a segunda.

    Desconhecia também que é caricato que alguém, sabendo que vai morrer, escreva umas coisas, nomeadamente um testamento, coisa que, em lógica islâmica, só se faz sabendo-se que não se vai morrer.
    Um cabo de vassoura ficaria vexdao se a sua( do cabo) inteligência fosse comparada à do caro fiho de mafoma.

    Relativamente às mulheres, noto coom satisfação que não foi capaz de contestar nada do que eu descrevi e usa a pueril táctica de assobiar para o ar e comentar o estado das unhas de quem lhe está a apontar algo.

    Meu caro, prostituição e abusos existem em todas as sociedades. Mas umas, particularmente aquela onde vivo, considera isso um mal e usa a lei e a educação para combater o flagelo.

    Outras, como a jurássica “cultura” muçulmana, mete em letra de lei a subalternização e perseguição de metade da sua população, gente “impura”, e recomenda-a até, como modelo.

    Os países muçulmanos da Península Arábica, continuam hoje, no séc XXI, a tolerar a escravatura dos negros, negócio onde foram precursores e que nunca interromperam.
    Pedofilia?
    Mafoma era pedófilo..casou com Aisha de 9 anos.

    Vá lá, deixe de ler panfletos mentirosos e pare de dar com a cabaça no corão e informe-se da realidade.

    Você está a defender a ideologia mais bárbara e obtusa que o sapiens criou.
    Mafoma estava certamente com prisão de ventre quando ejaculou essa imensa bestialidade que é o corão.

    Envergonhe-se!

  29. anon diz:

    Radix lecti Lidador,

    Plenus stercoris es.. Quo usque tandem abutere patientia nostra?

  30. leitor diz:

    “…Mafoma era pedófilo..casou com Aisha de 9 anos….”

    Ó Lidador, não caia nos argumentos do depravado!

    Acha que aquilo foi “casar”?

  31. Soli__ diz:

    Rex anon,

    Ratio et consilium propriae ducis artes. Lidador est non gradus anus rodentum! De gustibus non est disputandum.

    Soli

  32. Lidador diz:

    Cara solidência, já vi que perdeu o pio.
    Não se arme em sofisticado com pueris latinismos copiados da internet, porque de sabichões de copy-past, enfunados com sabedorias alheias, já há que baste.

    Se o ridículo fosse música, você era o homem dos sete instrumentos.

    Minus habens!

    Quanto à religião retrógrada na qual está prisioneiro é obviamente pacífica e o mero facto de os seus praticantes degolarem pessoas, lapidarem mulheres, atirarem aviões contra prédios, fazerem explodir bombas em comboios, creches e autocarros, matarem escritores, cineastas, pessoal de ONG, destruírem ícones de outras religiões (por exemplo, Bamyan), matarem os apóstatas, amputarem e chicotearem os criminosos suspeitos, etc, etc, e tudo isso em nome de Alá, são meros “fait divers” que de modo nenhum nos devem desviar as atenções do que nos ensina o xeque Munir:
    -O islamismo é uma religião de paz e tolerância e o resto é conversa da treta.

    É verdade que nas suas versões mais picantes, a música e a dança são estritamente “haram” (proibidas), mas o verdadeiro crente pode e deve dançar alçando repetidamente rabo, exactamente à altura do nariz de outro verdadeiro crente, envolvido na mesma dança.
    Talvez aos nossos olhos (ou narizes) a coisa não pareça muito agradável, mas eles gostam e não nos compete a nós, cafres, discutir os gostos islâmicos, sob pena de os ofendermos (e eles ofendem-se muito facilmente..ui, ui) e desatarem aos berros e esgares, ao mesmo tempo que chegam o isqueiro a centenas de bandeiras das quinas nas pacíficas ruas de Ramalah (o que, se formos ver bem, apesar de contribuir para o aquecimento global, é bastante lucrativo para a indústria têxtil do Vale do Ave).
    Todavia, ao mesmo tempo que o pacífico rebanho de Alá excomunga à bala a música nos respectivos domínios (no Afeganistão dos taliban, na Somália, etc) na terra dos cafres (nós), os tolerantes muçulmanos sacrificam-se ao ponto de não se importarem de usar líricas musicais para nos explicarem os valores supremos de que se orgulham.
    A título de exemplo, registe-se o imenso amor ao próximo e a incomparável tolerância que emana deste extracto da lírica hip-hop “Bring Back Islam” de um grupo islâmico chamado “Soldiers of Allah” .
    O nome do grupo é um bocado marcial e em português não rima lá muito bem, mas o que importa é a mensagem e só os cegos não vêm aqui uma profunda declaração de respeito pelo outro, de paz e de fraternidade entre os homens.

    “Não há Califado. Para onde estamos a caminhar?
    Sem Islão estamos a stressar, é preciso a bênção de Alá implementar, é o que eu estou a recomendar.
    Fora com este esquema dos cafres (nós).
    Tragam o Islão para a cena. Vamos unir a Ummah, seguir só o Corão e a Sunnah (tradição do profeta).
    Mesmo que o mundo dos cafres se una, eles não podem parar esta Ummah.
    Nós amamos o Islão mais do que amamos a vida.”

    Noutro tom, mais rockeiro de intervenção, mais “Carlos Alberto Moniz, versão Força Companheiro Vasco”, temos aqui esta, do “britânico” Aki Nawaz , no album “All is War (The Benefits of G-had)”

    “I Reject
    Reject your thieving foreign policies
    Reject your elitist congregation
    Reject your mini skirt liberation
    Reject your concept of integration …
    Parasites
    But revenge will be mine, with my last breath
    I will rise to curse you
    Because you, you dogs and parasites have made us helpless
    Cookbook DIY
    I’m strapped up cross my chest bomb belt attached
    Deeply satisfied with the plan I hatched
    Electrodes connected to a gas cooker lighter”

    Em suma, muito amor, muita paz , muita compreensão o que prova que o islamismo é de facto uma cerejeira maravilhosa, e se só brotam dela cogumelos venenosos e tartufos, isso deve-se apenas ao mais incompreensível dos acasos, ou à maldade dos cafres, e do Bush e do Blair.

  33. soli diz:

    Embora não tenha sido eu a publicar quem escreveu como Soli__ (não achei graça da impersonação) estou totalmente de acordo com ele. Os rafeiros ladram (totó, peidor, martelo, etc. ) e a caravana passa! Eles todos são: Non gradus anus rodentum!

    Acho que a frase correcta em latim é: “Lidador non est gradus anus rodentum!”. “non” é depois de “est”

    MZ você censura insultos de alguns, mas mantém de outros. São os seus valores ocidentais, a dualidade de critérios?

  34. soli diz:

    Lidador,

    Quando podeces te regi eorum fecerunt?

  35. António Marcelo diz:

    Soli maçador, deixa-te de mouraquices. Dás nojo!

  36. soli diz:

    Martelo, aka Lidador, aka peidor, aka totó, se o que escreví é muito intelectual para o seu cérebro de ervilha, deverei explicar-lhe o que significa? Para que não faça mais perguntas, traduzo:

    “Quando é que os asnos te fizeram um rei?”

    Acrescento: “Semper in excremento, sole profundum qui variat.”

  37. António Marcelo diz:

    Entina sámel. Láhara tabbón inma.
    Entina ahmák. Oróh taaté!

  38. soli diz:

    Immanissimum ac foedissimum monstrum!

    Tradução caro cérebro de ervilha: Monstro mal-educado e pútrido!

  39. Stran diz:

    Só uma duvida existencial:

    Se o Ocidente é moralmente superior, se nós enquanto sociedade num todo, desprezamos essas actitudes, porque é que continuamos a apoiar esses regimes?

  40. António Marcelo diz:

    Skaat, haluf! Skaat hará arbí! Sekrán!

    Iéhia Portugal rumí!

  41. soli diz:

    Obesa cantavit

  42. Lidador diz:

    Boa pergunta caro Stran, porque razão é que gente como você continua a apoiar e a compreender esta ideologia retrógrada e assassina?

    A meu ver há 3 possíveis explicações:

    Avançado estado de dhimmitude.
    Estupidez congénita e galopante.
    A teoria que já expliquei no meu blogue sobre a sexualidade atípica de quem odeia a própria cultura e se sabuja às dos outros.

    Ou então, uma combinação disto tudo.

    Espero tê-lo ajudado a conhecer-se a si próprio, ou em latim, que está agora na moda neste blogue, “nosce te ipsum”.

    Ou uma combinação das duas…ou então a ter

  43. soli diz:

    Ai já entendeu “peanut head” que o que se escreveu acerca de sí (e os seus variados posts com outros nomes) é latim? Os mortos da 1ª e 2ª guerras mundiais (especialmente do holocausto), a dizimação das populações autóctones das Americas, da Australasia, são obras da ideologia “retrógrada e assassina”?

    Quanto aos problemas sexuais que atribui a outros (talvez você seja um paradigma presente) dou-lhe um conselho: Fac ut vivas!

  44. António Marcelo diz:

    E o teu caro profeta bandoleiro e salteador de caminhos, que roubava as caravanas dos coreichitas na Meca, que espalharam a sua heresia a golpe de cimitarra, que submeteram a Península Ibérica e a metade da Europa Oriental onde só deixaram miséria e atraso.

    De maneira nenhuma quero justificar a escravatura, mas os árabes foram os mestres dos europeus em saquear a África e em escravizar os seus habitantes. Lembras-te do que faziam nas costas mediterrâneas da França, Itália, Espanha, no Algarve, nos arquipélagos atlânticos dos Açores e da Madeira onde vinham roubar, buscar escravos e mulheres para os seus haréns? Lembras-te dessa turma de piratas e mouros de pacotilha que se queixavam quando os cristãos, fartos das suas pilhagens conquistaram e colonizaram o norte da África?

    Deixa-te de mouraquices Soli. Chega de mentiras e manipulações. Cada povo tem aquilo que merece.

  45. Stran diz:

    Depreendo então, meu caro Lidador, que tem em linha de conta esses factos quando especula nas bolsas?

  46. Lidador diz:

    Já agora, seria interessante que o filho de mafoma explicasse o que aconteceu aos berberes, hoje reduzidos a párias no seu território, sob dominação árabe, e ao Reino do Mali.
    Ah, e aos arménios do califado…. e aos muçulmanos negros do Darfur…é só o maior genocídio da História, depois do holocausto, e das “experiências sociais” comunistas na URSS, China, Cambodja e Coreia do Norte.

    E porque razão a esmagadora maioria dos mais sangrentos conflitos se passa hoje no mundo islâmico e nas zonas onde essa “civilização ” atrasada, retrógrada e maléfica, faz fronteira com as outras.

    Há conflitos com os Hindus, com os Judeus, com os ortodoxos, com os chineses, com os cristãos, enfim, com toda a gente. Só escapa o Japão, porque não há lá filhos de mafoma.

  47. soli diz:

    Os bérberes estão vivos e bem. Não precisam da sua falsa solidariedade.

    Quanto aos conflitos armados é mentira que só os muçulmanos estão a combater. Esqueceu-se dos movimentos de guerrilha na Amércia do Sul, no Sri Lanka, vários movimentos na India como em Nagaland. Até há pouco na Irlanda?

    Quanto ao Darfur, há mais casos na África. Em Moçambique mais de 200.000 moçambicanos morreram na guerra civil com mais de 1,5 milhões de refugiados. A Renamo e o Frelimo não são movimentos muçulmanos.

    Lidador deixe de ser como avestruz. A guerra de Caxemira deve-se à maioria muçulmana naquela parte da India não querer fazer parte da India, mas também não quer ser parte do Paquistão. Com os judeus, estes são os colonizadores. Os muçulmanos e os cristãos descendentes dos filisteus e outros povos nativos combatem os invasores judeus vindos da Europa.

    Quanto ao resto nem vale a pena discutir consigo, porque você começa logo a insultar. A sua má educação é tamanha, talvez porque você foi criado assim e a vida não lhe ensinou nada.

  48. Miguel diz:

    Stran, o “ocidente” nao é moralmente superior. Isso para mim nem existe. Agora eu gosto de viver numa sociedade laica, democratica e livre e como tal o Islao (e praticamente todas as religioes) perturbam-me. Dessa forma, tal sociedade sera superior para mim, enquanto o Islao sera o meu pesadelo.
    Nao sei o que quer dizer com apoiar-mos, eu nao apoio ninguem, quem o faz sao certos governos seguindo (bem ou mal) os seus interesses…como é suposto ser.

    Soli, obviamente que as guerras mundiais foram actos retrogados e barbaros. Nao havia nenhuma razao para essas guerras (e muitas outras) terem ocorrido. Em certos casos, quando a nossa sobrivencia estam em perigo podera ser necessario recorrer as tais medidas. Nao vou estar com moralismos. Tenho a certeza que os meu antepassados mataram para sobreviver. No entanto, se puder evita-lo, fa-lo-ei.
    Eu ate compreendo a luta dos Palestinianos por examplo. Se a minha terra tivesse ocupada e eu fosse tratado como um cidadao de segunda tambem lutaria. Mas rembentar autocarros com inocentes? Nao sei nao…

  49. Miguel diz:

    Ah, esqueci-me. Pois pois, os berberes estao bem como quem diz. Apos seculos the Arabizaçao, ja nao restam la muitos no Norte de Africa, nem para falar nos problemas que tiveram (e têm) em manter a cultura e a lingua deles.

    No entanto, isto é mesmo que se passou com os Romanos (ate aqui por exemplo). Eu nao vejo “mal” nisso.

    Agora ai de qualquer arabe ou muçulmano que me vier falar do ocidente imperalista…leva logo um cabeçada, para ver se vai aprender historia.

  50. Lidador diz:

    Com que então solidência, os berberes estão bem?
    E os judeus são invasores?
    Então diga-me lá como é que a mesquita do rochedo está sobre as ruinas do templo judaico de Jerusalém?

    Não me diga que os judeus chegaram lá, e tudo fizeram para meter as ruinas do templo debaixo da mesquita.

    Já percebi que a natureza não o dotou de uma rede neuronal aceitável, mas não acha que foi exactamente ao contrário?

    Sabe que os judeus já estavam na zona, milénios antes de sequer haver muçulmanos?

    Não sabe que maomé foi salvo e acolhido em medina, justamente pela comunidade judaica à qual, aliás, pagou logo a seguir com traição e morte, como é vulgar entre os arabes?

    Não sabe que maomé copiou a maior parte do seu corão dos ensinamentos da seita judaica dos nazoreus, que aliás vêm referidos no corão como “naçara”?

    Aliás, dizem que o prório cristo era nazoreu…e não “nazareno”.

    Ou seja, o lamentável maomé, além de plagiar as teorias dos judeus, mordeu a mão que o salvou e alimentou.

    Não admira que a doutrina que deixou seja caracterizada pela vîolência, imoraliadde, hipocrisia a barbarismo.

    Razão pela qual os países muçulmanos são os mais retrógrados do planeta, situação só disfarçada enquanto durar o petroleo de alguns.

  51. Miguel diz:

    E nem só os judeus, mas tambem os cristãos. Era o que não faltava no Medio Oriente e mesmo na Arabia. No Norte de Africa tambem. Acho piada falarem das cruzadas imperialistas. Entao esqueceram-se que alguns seculos antes tinha sido o imperialismo arabe/muçulmanos que tinha conquistado a zona? Depois queixaram-se quandos os cristaos foram la tentar reclamar..que eram agressores e mais nao sei o que.
    Independentement das cruzadas terem sido um borrada (so prejudicaram os cristaos do oriente, aqueles que supostamente iam proteger e fez-se alguns actos extremamente barbaros) a motivaçao por detras era perfeitamente viavel. Muitos historiadores ate pensam que naltura a terra ainda era maioritariamente cristã.

  52. Lidador diz:

    Caro Miguel, podemos até imaginar como viveriam melhor estas pessoas prisoneiras de uma cultura primitiva e que procuram por todos os meios fugir para a Europa.
    Se o Islão não tivesse imposto a sua doutrina retrógrada e jurássica naquelas terras, provavelmente teríamos hoje o Mediterrâneo como um lago interior de uma zona próspera e pacífica.

    Infelizmente a maldição de mafoma abateu-se sobre o Norte de Africa. As terras que foram o celeiro do império romano e onde despontou uma civilização como Cartago, estão hoje condenadas à fome, à miséria, ao analfabetismo, à violência e à falta de perspectivas, prisioneiras da estupidez cósmica de uma religião parada no tempo.

  53. Miguel diz:

    Hum…nao sei.
    O Islao nao me parece ser mais retrogado que o Judaismo e ate o Cristianismo (supostamente a mensagem de Jesus tambem esta no Corao, sendo ele o segundo profeta mais importante). A questao é que tanto os Judeus como a Europe souberam ver que de facto essas religioes têm muita porcaria, e deram a volta por cima (e no nosso caso ainda com algun sangue pelo meio). Nao tenho duvidas nenhumas de que muito muçulmanos nao querem ca jihads e destruir o ocidente e mais nao sei o que, e que quere liberalizar a sua religiao, fazer andar as coisas para a frente simplesmente. Mas certos elementos querem o oposto. Como disse e bem, as pessoas de la tambem sofrem com o islamismo. Milhares se nao milhoes mesmo de muçulmanos morreram e continuam a morrer as maos de fanaticos do islao, verdadeiras bestas humanas. Ainda recentemente houve aqueles atentados na Argelia e em Marrocos, ja para nem falar do Iraque. Ou mesmo na sharia. Ora essas pessoas, sao os nossos aliados.
    Nao devemos cair no erro de que aquilo é tudo a mesma merda e sao todos iguais.

    Quanto a este soli nao sei. Ainda nao o vi dizer nada de jeito como ja vi alguns “muçulmanos”. Nao sera certamente um bom “aliado”.

    Ponho muçulmanos entre haspas porque como ja disse o verdadeiro muçulmano é o fanatico, como em todas as religioes.

  54. Lidador diz:

    Miguel, já aqui expliquei que islamismo não é apenas uma religião como as outras, mas um sistema ideologico completo, inseparavel da politica.

    Se não entendermos isto, seremos sempre tentados a fazer paralelismos e comparações com outras “religiões”.

    As outras religiões são da esfera privada.Cada um tem a sua, ou não tem e pode mudar se lhe apetecer. A apostasia não tem como pena a morte, como preconiza o islamismo. Não são ideologias totalitárias e de cariz político. Já foram, mas já não são há muitos séculos. Essa a grande diferença. E a razão pela qual o Islão está parado há 1400 anos.

    Há quase um século, Kemal Ataturk extingiu o Califado Otomano, numa tentativa de fazer entrar a Turquia na modernidade, após constatar a incapacidade das instituições islâmicas para acompanhar o progresso .
    Mudou o alfabeto, proibiu o uso de vestuário “islamico”, fartou-se de cortar cabeças e deixou o exército com a missão draconiana de velar pela laicicidade do estado.
    Apesar disso a Turquia balança…
    E um pouco por todo o mundo islamico lado foram introduzidos conceitos ocidentais de nacionalismo e democracia que lhe eram profundamente estranhos.
    Alguns dirigentes muçulmanos importaram depois os conceitos ideológicos do marxismo. Hoje a generalidade dos países muçulmanos continua enredada na corrupção, no autoritarismo, na miséria e nas malhas de uma demografia explosiva que não encontra respostas por parte dos respectivos sistemas políticos.

    A velha classe dos ulemas faz o diagnóstico de decadência, mas aponta como solução um glorioso regresso às origens, feito de exaltação religiosa, da absolutização da Sharia e de um repúdio veemente do “espírito materialista e decadente do Ocidente.”
    É o “Ressurgimento Islâmico” a menina dos olhos de uma larga maioria da intelectualidade islâmica. Para estes apologistas do regresso ao útero, o processo de reislamização deverá devolver ao Islão o amor próprio, fragilizado pela cultura estrangeira e pelas pretensões modernistas de uns quantos muçulmanos perdidos na ilusão do brilho ocidental.
    Esta é a bandeira dos movimentos islamistas, e não as questões conjunturais de Israel , do Iraque, ou do petróleo.
    O Ressurgimento Islâmico, que passa pelo fim dos nacionalismos e pela reinstalação do Califado , promete futuros gloriosos de leite e mel, numa Umma universal e pacífica, submetida directamente a Alá..
    As simpatias dos muçulmanos têm vindo a ser captadas por estes grupos que oportunísticamente chamam a si a assistência social e a educação islâmica e antecipam as necessidades básicas. E sobretudo oferecem uma solução espiritual feita de fé.
    O facto é que, com estes métodos e com a demonização do Ocidente, apoiada por tolos úteis do próprio ocidente ( basta olhar para alguns cromos que aqui postam) conseguiram milhões de adeptos, tanto entre as elites instruídas, como entre os indigentes. E vão liquidando os outros.

    Não, meu caro, as religiões não são comparáveis. Eu não sou cristão, mas reconheço que a civilização a que pertenço só é possível porque tem a moral cristâ no seu lastro cultural.

  55. António Marcelo diz:

    «Independentemente das cruzadas terem sido um borrada (so prejudicaram os cristaos do oriente, aqueles que supostamente iam proteger e fez-se alguns actos extremamente barbaros) a motivaçao por detras era perfeitamente viavel. Muitos historiadores ate pensam que naltura a terra ainda era maioritariamente cristã.»

    Os cruzados criaram uma casta de origem europeia (eram chamados francos) que escravizou a população local, ainda cristã na sua maioria, apenas pelo facto de não serem católicos. Foi por isso que foram reconquistados com tanta facilidade pelos árabes. Não estavam motivados para defenderem esse regime corrupto.

    Outra solução teria sido esvaziar as judiarias de Europa, repovoar Palestina com eles e criar um Estado independente judeu-cristão que com certeza teria resistido todas as agressões islâmicas, à semelhança do actual Estado de Israel. Aquilo teria suposto a reconciliação definitiva com o povo judeu e teria poupado milhões de mortos.

  56. Stran diz:

    Não te entendo Lidador, até consegues fazer uma análise minimamente decente mas depois estragas com os teus dogmas. Estas religiões são comparáveis em muito. O islamismo radical actual não difere muito do catolicismo da Idade Média. Nesse aspecto são comparáveis. E também ambos são muitas vezes utilizados para justificar as maiores barbáries.
    A questão de comparar actualmente as duas religiões é um pouco tendenciosa e de facto são actualmente pouco comparáveis. A Igreja católica perdeu o seu peso politico, não por vontade propria mas por iniciativa dos próprios cidadãos que a remeteram para a sua esfera privada. No entanto o mesmo já foi criticado pelo próprio papa Ratzinger, que quer ver o retorno da religião à esfera politica.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: