Bem prega Frei Al Gore

02/27/2007

Uma verdade MUITO inconveniente

algore.gif

A mansão de AL GORE, o peralvilho que anda pelo mundo fora a pregar o pânico do aquecimento global e a suplicar a todos nós, idiotas, que poupemos energia e vivamos uma “vida verde”, GASTA POR MÊS, EM ELECTRICIDADE, o que uma FAMÍLIA MÉDIA norte-americana GASTA, POR ANO. A factura MENSAL da ELECTRICIDADE de Al Gore, revelada pelo “Tennessee Center for Policy Research”, ronda os 1.350 dólares norte-americanos (1.025 euros, 205 CONTOS…) Mas o consumo de energia do paladino do ambiente não se fica por aqui. A factura MENSAL de GÁS natural ATINGE valores astronómicos também: 1.080 dólares norte-americanos (820 euros ou 164 CONTOS). Mais depressa se apanha um esquerdista que um coxo.


Reflexões em noite de Óscares

02/26/2007

oscar-1.jpg

Hoje, como habitualmente, a Esquerda e o lobby gay do mundo do espectáculo unem-se para premiar certas coisas que o senso comum do cidadão normal abomina. A fim de que o resultado não seja tão escandaloso, alguns filmes e actores com verdadeira qualidade e talento também levam uma estatueta dourada. Al Gore e a sua fitinha de ficção política catastrófica, “An Inconvenient Truth”, vão sair em ombros. Vários premiados e apresentadores dirão as imbecilidades do costume em relação à guerra no Iraque, insultando George Bush. A maricagem prefere sempre ajoelhar e rezar a combater. As Dixie Chicks fizeram escola, nessa matéria.

Algum idiota mais arguto terá palavras de apoio para Barak Obama, o político negro que só os brancos consideram negro. A larga maioria dos negros acha que ele é branco, porque foi criado pela mãe e pelos avós (brancos) depois do pai desaparecer, como é frequente na comunidade negra norte-americana. E a acreditar no Google, têm razão. Uma busca com black+Obama dá 4,2 milhões de referências, enquanto a dupla white+Obama produz 5,3 milhões de resultados. Não tentei o Yahoo, mas presumo que os resultados seriam idênticos.

Por cá, Carmona Rodrigues está pior do que o túnel do Metro no Terreiro do Paço, Correia de Campos fecha urgências hospitalares num dia e abre-as no outro, Marques Mendes parece cada vez mais pequenino, Paulo Portas desliza, na sombra, punhal debaixo da túnica, olhos postos nas costas de Ribeiro e Castro. Britney Spears, a virgem do pop-rock anda mais pedrada que o Eminem nos seus bons tempos de “Eight Mile Road”. A (má) companhia de Paris Hilton atirou a rapariga para as ruas da amargura e fez saltar a tampa aos licitadores do Ebay, que já andam a oferecer milhares de dólares pelos cabelos da menina.

José Mourinho abichou mais um troféu, em jogo que parecia o Fânzeres contra o Arrifanense – tudo à chapada no final. A liga dos primeiros não foge muito à Liga dos Últimos, o meu programa desportivo preferido. Pacheco Pereira dita o fim dos jornais em papel, no Abrupto. Já agora, recomendava-lhe a leitura de “O Ano 2000”, de Herman Khan”, “O choque do futuro” e “A Terceira Onda”, ambos de Alvin Toffler. Tudo gente com mania de prever o futuro, que se espalhou de forma monumental. Nenhum deles imaginou o que seria a febre de lançamento de uma PSP3 ou do seu concorrente, o Wii. Muitas outras coisas que imaginaram não existem, deixaram de fazer sentido ou tornaram-se inúteis, com outros avanços tecnológicos. Acertaram em tantas como números do Euromilhões que eu adivinho, semana após semana.

Em Leiria, trocaram os nomes a dois pacientes e deram como morto um idoso que está vivo, o que pregou um susto (ia dizer de morte, mas é uma redundância…) à família. Cristiano Ronaldo está cada vez melhor, o Carnaval continua a animar (e a matar…) no Brasil, Ramos Horta revela ser masoquista ao candidatar-se à presidência de um agrupamento de tribos primitivas com a mania que é um Estado, xiitas e sunitas matam-se alegremente (e abundantemente) no Iraque, o presidente do Irão, Ahmadinejad, quer acabar o trabalho que Hitler deixou incompleto, o soba do último bantustão à face da terra, Alberto João Jardim, parece cada vez mais alucinado, Helena Roseta, tolinha e bem-intencionada, como sempre, juntou-se a uns totós para se manifestar exigindo habitação para todos (mais um Mercedes descapotável, férias trianuais em Bali e reforma ao 45 anos…).

A OPA da Sonae sobre a PT parece uma telenovela brasileira, enquanto a sua congénere sobre o BPI se assemelha mais àquela versão do Padrinho que metia cardeais, bispos, o Papa e quejandos, enquanto o enfant terrible da nossa política, Marcelo Rebelo de Sousa, se diverte a lançar gasolina na fogueira, ao antecipar decisões do Conselho de Estado. E sabem que mais? O Conselho da Europa acha que o Supremo Tribunal de Justiça errou ao admitir que os castigos corporais são considerados lícitos desde que moderados e com fim educacional. Nada de afinfar uma bolachada no rebento, um carolo no catraio, um tabefe na rapariga ou um estaladão no ganapo. Educar, a partir de agora, só com teoria. E uma boa noite de Óscares para vocês, também.


Aquecimento global: caça às bruxas

02/23/2007

Meteorologista perseguido por duvidar das teses de Al Gore

O Governador de Delaware, Ruth Ann Minner, proibiu ao meteorologista do Estado, David R. Legates, a utilização do seu título profissional, porque este cientista discorda das teses alarmistas sobre o aquecimento global. O facto de David Legates não concordar com a Governadora do Estado de Delaware levou-a a puxar dos galões e impôr esta proibição. Mais um sinal de como o debate sobre as razões do aquecimento global adquiriu contornos de perseguição religiosa, com os defensores de Al Gore a rivalizarem com os acólitos de Torquemada.


Ártico derrete e Antártico congela

02/22/2007

Adeptos do aquecimento ignoram arrefecimento do Pólo Sul

A teoria do aquecimento global é a menina dos olhos da Esquerda. Compreende-se. Permite que odeiem ainda mais a América, essa pérfida democracia que deitou abaixo a União Soviética, o sol das suas vidas. A histeria e o fanatismo quase religioso substituíram os dados científicos e o raciocínio, sempre que se aborda o problema das alterações climatéricas. A jornalistada de Esquerda baba-se de gozo e lambuza os teclados dos computadores, com previsões aterradoras, por causa do degelo do Ártico, vulgo Pólo Norte. Acontece que, lá mais para o Sul, as coisas são diferentes. Imagine-se que no Antártico, o gelo não derrete.

Oooooppps! O que eu fui escrever! E lá salta a ofegante matilha da Esquerda, autênticas hienas, aos gritos roucos: “Fascista! Partidário de Bush! Apoiante do grande capital!” É a isto que está reduzido o debate sobre as alterações do clima: ou concordas com o Al Gore ou és um criminoso. No entanto, a jornalistada com palas nos olhos não sabe que as zonas geladas, no Pólo Sul, aumentaram em 8 %, desde 1978. A mesma cambada que faz páginas alucinadas com a notícia de que as aves, no hemisfério Norte, estão a regressar mais cedo das suas migrações, esquece que os pinguins de Adélia chegam agora aos seus locais de postura com mais de uma semana de atraso. Leiam, meditem e pensem quatro vezes antes de embarcar na histeria ambientalista que enche os bolsos a Al Gore e outros oportunistas.