O “banlieu” já chegou a Portugal

04/28/2010

Parque das Nações:
“Confrontos envolvem sempre imigrantes”

Pânico no bairro do Pica-Pau:
“Tumulto na margem Sul”


Maioria branca nos EUA a caminho do fim e outras notícias animadoras

12/17/2009

“The estimated time when whites will no longer make up the majority of Americans has been pushed back eight years — to 2050 — because the recession and stricter immigration policies have slowed the flow of foreigners into the U.S.”

“The Muslim population growth rate since 1989 is between 40 and 50 percent, depending on ethnic groups. Today Russia has about 8,000 mosques while 15 years there were only 300 mosques. According to statistics, by the end of 2015, number of mosques in Russia will cross 25,000.”

Elisabeth Sabaditsch-Wolff is an Austrian anti-jihad activist who is facing a “hate speech” charge for one of her recent presentations on Islam.”

“HUMAN rights watchdog Amnesty International has called on Saudi Arabia to stay a sentence of 40 lashes handed down against a 75-year-old woman for breaching the kingdom’s sex segregation rules.”

“A junior French minister has told young Muslims living in France they should dress properly, find a job and stop speaking slang. Opposition politicians from the left denounced the comments by the minister for families, Nadine Morano, as racist.”


Multiculturalismo à solta

04/21/2009

cartoonvirgens

Geert Wilders vai lançar uma sequela do filme Fitna, que tanta polémica causou entre os pulhas e adeptos do suícidio ocidental (e aqui não posso deixar de destacar esse exemplo nojento que dá pelo nome de Daniel Oliveira, frequentador das marchas do orgulho gay, mas que não critica um único país árabe ou africano onde os gays são enfocados…)

Em Londres, gangs de jovens muçulmanos divertem-se a caçar adolescentes ingleses e espancam cidadãos incautos, para além de violar mulheres. Em Blackburn, as delícias do multiculturalismo que tanto encantam José Sócrates e Manuele Ferreira Leite apenas dão razão a Enoch Powell.

Em Luton, cidadãos ingleses (e não descendentes da escória islâmica que se aproveita da Democracia para a destruir) foram impedidos pela polícia de se manifestar, em defesa dos soldados que combatem no Iraque e no Afeganistão. Na Holanda, o Partido Democrata Cristão, que tem por hábito começar as suas reuniões com uma meditação, inclui um texto islâmico na colectânea de textos destinada a essas reuniões.

Uma alemã, casada com um imigrante egípcio, teve que chamar a polícia para impedir o marido de matar a filha de 17 anos, depois de esta ter sido violada. O marido alegava que, à luz da lei islâmica, a filha tinha cometido adultério e apenas a sua morte poderia limpar a honra da família. Cerca de 75% dos deliquentes juvenis em Berlim são de origem estrangeira. O delegado do Ministério Público que revelou estes dados foi proibido de prestar declarações e, mais tarde, transferido.

O governo holandês viu-se obrigado a suspender a nomeação dos primeiros imãs/capelões do Exército, depois de descobrir que um deles – Ali Eddaoudi – tinha assumido posições radicais, elogiando os Talibãs e mostrando-se satisfeito pelo facto de soldados holandeses serem mortos em combate, no Afeganistão. Por último, a Associação dos Muçulmanos Britânicos apoia a chacina das populações negras e não-islâmicas no Darfur.


Crime, preto no branco

04/20/2009

crimelondon01