Antigos titulares do cargo de Director-Geral dos Impostos – Quem se lembra dos nomes?

11/28/2006

A memória dos homens é curta, a da Internet um pouco mais comprida. Alguém se lembra quem foram os responsáveis pela Direcção-Geral dos Impostos, antes deste “génio” sumptuosamente pago, o Paulo Macedo?

Um antecipado obrigado a quem contribuir para o meu/nosso esclarecimento.


Eu pintava a cara de preto…

11/24/2006

dinheiro_euros.jpg

…e emigrava para a República do Djibuti, se fosse algum dos titulares do cargo de Director-Geral dos Impostos que antecederam Paulo Macedo. “Desde que assumiu o cargo de Director Geral dos Impostos, em Maio de 2004, Macedo, antigo administrador do Grupo Millenium BCP, endureceu de tal forma o combate à fraude fiscal que as cobranças de impostos em falta quase duplicaram. De um encaixe total de 830 milhões de euros, chegou-se em apenas 2 anos, a uma cobrança de 1.500 milhões de euros”, de acordo com esta notícia da SIC.

O que andaram lá a fazer os anteriores directores-gerais? Não tinham os mesmos meios legais, recursos humanos e técnicos que Paulo Macedo tem? Estavam distraídos? Eram incompetentes? Não eram tão eficazes no combate à evasão fiscal porque não ganhavam os 23.500 euros que Paulo Macedo aufere (*)? Por que razão os jornais, rádios e televisão falaram tanto deste tema e ninguém colocou estas questões? Por que motivo nenhum jornalista foi falar com anteriores directores da Direcção-Geral dos Impostos, para os questionar sobre as razões do seu fracasso, comparado com o extraordinário sucesso de Paulo Macedo?

(*) Nota: O ordenado máximo, na Função Pública, deveria ser o do Primeiro-Ministro, que ganha cerca de 4.700 euros.


Os advogados e o IRS

08/19/2006

Os advogados pagam menos IRS que as amas, salienta o Correio da Manhã, não respeitando a regra de que só é notícia o homem que morde o cão e não o cão que morde o homem. Se os advogados servem para fugir ao cumprimento da lei, estavam à espera de quê? Espeto de pau em casa de ferreiro?