Comunidade Islâmica da Web bloqueia Máquina Zero

12/28/2006

bloqueiocislamweb01.gif

E pronto. Como se pode ver, os muçulmanos não conseguem conviver com críticas. Desatam logo a gritar “Mata!Mata!” ou ameaçam reagir “violentamente”. O admirador de terroristas como Syed Qtub e administrador do site da Comunidade Islâmica da Web bloqueou o site, para acessos que partam do Máquina Zero. Não faz mal. Também lá chegamos de outra maneira e podemos ver que a ultima mensagem ali colocada foi do próprio Tayeb Habib (“Um espelho no deserto”) A solução é simples: basta escreverem no vosso browser “www.myciw.org”, em vez de clicarem nos links que aqui deixei…

Já agora, reparem que não é só o “soli” o único muçulmano da Comunidade Islâmica da Web preocupado em navegar anonimamente na Net:

“Assalamu-alaikum: I’m glad to inform that the Admin of IWC has free anoymous surfing script running within Aliasoft website. They request that the service may only be used by Members of this Forum, so please don’t publicise it. Here’s the link: http://www.aliasoft.com/cyberanon . If you want to surf anonymously use the above link. Wa-salaam, Salahudee”

Nota: o Administrador do IWC é (ou era…) o engenheiro Tayeb Abdul Habib, também administrador da Comunidade Islâmica da Web.

Actualização (às 16:22 de dia 28 de Dezembro de 2006): o administrador do site Islamic Web-Community e do site Comunidade Islâmica da Web, engenheiro Tayeb Abdul Habib, já apagou a mensagem sobre a disponibilização, no website da Aliasoft, do script para navegar anonimamente na net.


Recomendação aos muçulmanos portugueses (II)

12/22/2006

maomebomba.gifmaomebomba.gifmaomebomba.gifmaomebomba.gif

O “soli”, muçulmano português que dá apoio técnico aos seus compatriotas maometanos da Comunidade Islâmica da Web, ensinando-os a navegar na Internet usando “servidores ‘proxy’ gratuitos e reconhecidos como estando fora da alçada dos serviços de informação dos governos”, sentiu-se incomodado pelo facto de eu e o Sliver, do Observatório da Jihad, termos denunciado esta estranha preocupação de anonimato, proveniente de cidadãos alegadamente honestos, respeitadores da lei e bem integrados na sociedade portuguesa, como diz o sheik Munir. Vai daí e, como bom muçulmano que é, desata no insulto:

“Novo comentário na sua entrada #1136 “Recomendação aos muçulmanos portugueses” / Autor : soli (IP: **.**.***.**, **-***-***.*****.***) / E-mail : *********@*********** / Comentário: Você e o seu merdoso amigo Sliver são iguais. Cheiram a exterco.”

Ora seja bem-vindo, meu caro “soli”. Diga-me lá, para além de:

Você interessa-se por mais alguma coisa, na vida? Será que você é daqueles muçulmanos tão bem integrados na sociedade que, um dia, sai de casa com uma mochila cheia de explosivos (como fizeram os jovens muçulmanos do 7 de Junho) para rebentar com os seus concidadãos, só porque estes não são muçulmanos? Já agora, porque razão os seus irmãos muçulmanos portugueses estão tão preocupados em navegar pela Internet sem serem detectados pelos “serviços de informação dos governos? Terão alguma coisa a esconder? Andam a trocar receitazinhas caseiras para fabricar explosivos?

Ah! E antes que me esqueça, ó muçulmano convicto, não é proibido a um crente blasfemar e insultar os outros, chamando-lhes “merdoso”, como você fez? Ou Alá permite isso, desde que o insulto seja dirigido a cafres como eu e o Sliver, do Observatório da Jihad? Já agora, tem aqui o endereço de um dicionário de Português online. “Exterco”, em Português, escreve-se assim: “Esterco”. Em árabe, julgo que é “soli”…


Regresso à normalidade

12/14/2006

Reposta a normalidade, podem (quase todos) os habituais leitores voltar a comentar neste blogue, sem necessidade de registo prévio no WordPress.


Como colocar comentários neste blogue

12/13/2006

judeu_zana_ips.gif

Alguns leitores queixaram-se de que não é possível colocar comentários neste blogue. De facto, durante quase dois dias, houve uma série de perturbações que dificultaram o acesso, o posting e a colocação de comentários. Julgo estarem resolvidos todos os problemas. Mas peço aos leitores que queiram comentar que se registem, primeiro, no WordPress. É rápido, grátis, mas não dá milhões. E evita que rapazinhos como os que estão assinalados na imagem andem por aqui a chatear.