Um assessor de Imprensa com opiniões fortes

12/31/2009

Em Fevereiro de 2006, comentei aqui um texto de um jovem inteligente e precoce, de seu nome Vitório Rosário Cardoso, publicado num bloque (“Portas do Cerco“) que, entretanto, desapareceu. Para minha surpresa, mão amiga deu-me notícia de que o mesmo jovem desempenha, desde Setembro de 2009, as funções de assessor de Imprensa e Comunicação da Embaixada da República Democrática de Timor-Leste em Portugal e adjunto da embaixadora.

Percurso interessante, o deste jovem, que há pouco tempo afirmava que o cônsul Aristides de Sousa Mendes, que “alegadamente ajudou salvar vidas judias durante a II Guerra Mundial (…) pôs exactamente em risco a perenidade de Portugal e a vida de todos os portugueses ao desrespeitar as ordens do Presidente do Conselho e daí a célebre repreensão que António de Oliveira Salazar deu ao diplomata, acção essa que tem sido propositadamente e politicamente mal interpretada e contada pelos políticos de Abril.”

As voltas que o mundo dá! O jovem que manifestava recentemente um entusiasmo estridente por António de Oliveira Salazar, agora é assessor de Imprensa da embaixada de um país estrangeiro—


Objectos contundentes e jornalistas ignorantes

03/21/2008

O drama da geração educada no pós-25 de Abril é não saber quanto são dois mais dois sem recorrer a uma calculadora. Se a Aritmética é esta desgraça, em Língua Portuguesa a tragédia assume contornos pavorosos. No Portugal Diário, que se gaba de ser o site de notícias online mais frequentado pelos portugueses, um jornalista noticiava, ontem, que uma mulher foi encontrada morta em Alfama, “com sinais de ter sido degolada por um objecto contundente”. Imagino que, se o cadáver tivesse hematomas no corpo, o escribazeco do Portugal Diário diria que tinham resultado de pancadas com um objecto cortante.


Sporting desmente Público

04/13/2007

E agora? Em quem é que a gente acredita? Só lendo a sentença toda, aqui


Judite de Sousa desanca Maria João Avillez

04/13/2007

Jornalista da RTP colabora em campanha do Governo

A jornalista Judite de Sousa, pivot do Telejornal da RTP aos fins-de-semana, foi autorizada pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) a participar numa campanha institucional do Governo que tem como objectivo dar resposta aos baixos índices de escolarização dos portugueses. “Pedi autorização à Comissão da Carteira e esta deliberou favoravelmente por unanimidade. É uma campanha institucional e não publicitária. Não é uma campanha ao Banco de Investimento, como no caso da Maria João Avillez”, afirmou a jornalista ao Diário de Notícias.