A farsa do “politicamente correcto” nas páginas da Imprensa europeia e americana

10/07/2011

(clike na imagem para aumentar)

A França começou a aplicar multas às mulheres que usam o “niqab”. Sempre me questionei como é que estas mulheres usariam o comum “passe” nos transportes públicos. O britânico The Telegraph deu destaque a várias histórias de imigrantes que cometeram crimes sérios mas cuja deportação para o país de origem foi impedida, pelos tribunais da União Europeia.

(clike na imagem para aumentar)

A série de exemplos descrita é exemplar. Aliás, o número de estrangeiros detidos nas cadeias europeias aumenta, todos os anos. Portugal não é excepção: em 2008, 20% dos detidos nas cadeias portuguesas eram estrangeiros, 57,7% dos quais africanos, com cidadãos de Cabo Verde no topo (31,9%). Por fim, uma notícia caricata: nos Estado Unidos, os chefes da tribo índia Cherokee querem expulsar os “afro-americanos” que, legalmente, são considerados membros daquela tribo.


Mais uma boa notícia – abaixo as “burkas” e quejandos…

12/25/2009

Um passo positivo, para acabar com os sacos de batatas enfiados pela cabeça abaixo, a.k.a. “burkas”, e outros resquícios de práticas primitivas:  “Schools will be able to ban pupils from wearing full-face veils on security, safety or learning grounds under new uniforms guidance issued by ministers. It says efforts must be made to accommodate religious clothing, but stresses the importance of teachers and pupils being able to make eye contact.”


Palhaços de outra cor

10/23/2009

JornaldoGueto

Uma das iniciativas mais cómicas, por parte destes rapazinhos  africanos que escrevem (??) no “Jornal do Gueto”, tem a ver com a exigência de que a História africana (?) seja ensinada nas escolas portuguesas. Fundamentam esta imbecilidade argumentando que “as grandes civilizações africanas deram grandes contributos para o mundo”.

A seguir, os candidatos a nazis (de outra cor, claro…)  apontam a civilização egípcia como exemplo de uma grande civilização africana. Infelizmente, estes “Black Panthers” da Arrentela não conseguem citar mais nenhuma civilização que se tenha desenvolvido na zona geograficamente designada como África.

Pois não. Porque a África negra, a chamada África subsahariana não produziu nenhuma civilização digna desse nome. Nenhuma tribo ou cultura da África negra desenvolveu sequer a escrita. Mas enfim, coitados! Se eles se sentem felizes a fingir que os seus antepassados eram algo que nunca foram, nós, europeus, até podemos ser um pouco tolerantes.

E, já agora, convém lembrar que ainda hoje a África negra continua a dar o seu contributo para a civilizção mundial. Basta ver este vídeo para confirmar isso…


Um retrato dos Estados Unidos

05/29/2009

USAPrisonPopulation01