Judite de Sousa desanca Maria João Avillez

04/13/2007

Jornalista da RTP colabora em campanha do Governo

A jornalista Judite de Sousa, pivot do Telejornal da RTP aos fins-de-semana, foi autorizada pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) a participar numa campanha institucional do Governo que tem como objectivo dar resposta aos baixos índices de escolarização dos portugueses. “Pedi autorização à Comissão da Carteira e esta deliberou favoravelmente por unanimidade. É uma campanha institucional e não publicitária. Não é uma campanha ao Banco de Investimento, como no caso da Maria João Avillez”, afirmou a jornalista ao Diário de Notícias.


Notários, uma raça escolhida

02/08/2007

Auto-propaganda sem limites éticos

A campanha publicitária mais destituída de cérebro pertence à Ordem dos Notários de Portugal. Em páginas inteiras de uma conhecida revista – e julgo que noutros sítios – os notários apresentam-se como uma autêntica raça escolhida, uma classe superior a tudo e a todos, o créme de la créme, a fazer inveja ao conde de Castelo Branco. Frases como “Quando há um notário, não ganha o mais forte. Ganham os dois” ou “Para que serve a liberdade quando não há mais ninguém”, introduzem textos bacocos, onde se explica que o notário é o ser perfeito, o homem sem falhas nem defeitos, o profissional imune à incompetência, à corrupção, ao compadrio, à negligência e sabe Deus a que mais. E ainda por cima, “ao contrário de outras profissões liberais, os preços da intervenção do notário são tabelados”. Aleluia e hosanas! Portugal está salvo! A Ordem dos Notários encarrega-se disso.