Apelo público ao genocídio, com base racial e cultural

Carta Aberta a Sua Excelência o Senhor Procurador Geral da República

Exmo. Senhor Procurador-Geral da República, Ilustre Juiz-Conselheiro Fernando Pinto Monteiro:

Foi colocado neste blogue (Máquina Zero) um comentário com posições que me parecem claramente racistas e defendendo que “(…) aqueles pretos que não prestam para nada os chamados kinder ovo (…)” e “(…) os brancos que não valem nada, ou seja, 99% deles (…) devem ser eliminados“. O mesmo comentário adianta que “(…) há alguns brancos bons, aqueles brancos da alma negra (…)” e exclui os indivíduos possuidores desta característica cultural do rol de “brancos (…) que devem ser eliminados”.

Não estou absolutamente certo se as competências de Vossa Excelência abrangem a prática deste tipo de eventual crime, dada a sua característica única de ter duas localizações: uma, que se presume ser o Brasil, o local a partir de onde terá sido praticado e onde residirá o seu alegado autor (cujo endereço de email é: tiago_soft@yahoo.com.br e cujo IP de origem será: 72.233.2.19 ); outra, o local onde o crime é, digamos, concretizado – uma página da Internet, alojada no site da WordPress – uma marca registada nos Estados Unidos da América e propriedade da empresa Automattic (o presidente do Conselho de Administração é o sr. Tony Schneider) em sociedade com a empresa True Ventures, ambas com sede fiscal na cidade de São Francisco, Estado da Califórnia.

Julgo, no entanto, que Vossa Excelência terá competência para tal, tendo em conta que o nº1 do artº 5º do CPP determina: “Salvo tratado ou convenção internacional em contrário, a lei penal portuguesa é  ainda aplicável a factos cometidos fora do Território nacional (..) quando constituírem os crimes previstos nos artigos (…) nº1 do artigo 239 (…)”.

Assim, solicito formal e publicamente a Vossa Excelência que proceda às diligências necessárias para apuramento dos factos e eventual procedimento criminal, nos termos das competências e obrigações legais atribuídas a Vossa Excelência, atendendo a que se poderá estar perante aquilo que me parece constituir um crime público, previsto e punido pelos artigos 239º e 240º do Código Penal Português, cometido através da divulgação pública de ideias racistas e de incitamento ao genocídio, através do apelo à eliminação física parcial de determinados grupos étnicos, cujos elementos deveriam – no entender do autor do comentário – ser “eliminados”, depois de seleccionados com base em critérios de natureza cultural.

Lisboa, 30 de Maio de 2007

Respeitosamente,

Máquina Zero

 ++++++++

Já voltei de férias. Foram umas boas férias, numa praia paradisíaca, gozando da incomparável hospitalidade do povo africano. Em relação à “Carta Aberta” que aqui publico, sugiro àqueles que concordarem com o seu conteúdo que façam o mesmo que eu já fiz: copiem este texto para um file de MSWord e enviem-no, em attachment, por email, à Procuradoria-Geral da República (mailpgr@pgr.pt)

Termino com saudações calorosas para os meus apoiantes e adversários. Para os inimigos, a recordação de uma filosofia que rege a minha vida, adaptada a partir de um aforismo popular: “Sei que, um dia, hei-de morrer. Não sei quando, nem como. Mas sei como é que não hei-de morrer. Nunca hei-de morrer nem de parto, nem de medo…” Para os muçulmanos meus adversários, que a Paz esteja convosco. Podemos discordar e discutir, mas todos nós acreditamos em Deus e respeitamo-nos uns aos outros. Para os muçulmanos meus inimigos, a minha habitual mensagem: “Antes morto que mouro!”. Deixaria aqui, também, uma mensagem para os muculmanos meus apoiantes, mas duvido que existam.

Máquina Zero

31 Responses to Apelo público ao genocídio, com base racial e cultural

  1. anti-antifa diz:

    Benvindo de volta MZ, nem sabes o que perdeste nas tuas férias, por exemplo o vocalista dos Da Weasel – Pacman – em reportagem da SIC no lançamento de um livro de um escritor africano (que me falha o nome, confesso que não prestei atenção) em Lisboa, justificou a sua presença porque “nem que seja porque ele tem sangue bom”. Fiquei meio baralhado com o que o Pacman quis dizer. Estaria a referir-se ao tipo de sangue Rh+, A- ou outro qualquer? Ou estava a referir-se á côr da pele (negro)? Quererá isso dizer que quem não tem sangue africano tem sangue mau?

    É o tipo de situações que não vejo serem confrontadas pelos media, se fosse um branco a falar de “sangue bom” já tinha caído o Carmo e a Trindade…

  2. Como é óbvio, o acto cobarde e vil da divulgação da identidade de quem fez o post infeliz e racista, não será tido em consideração pelo PGR (aliás, nem vai ser enviado). Este site incita ao ódio, racismo, xenofobia, fascismo. O discurso dos comentadores e do postador-mor das postas de pescada é de constante e total ofensa a quem não for fascista, católico-conservador e “branco” (é pessoal que deve usar o cabelo rapado para não se notar a carapinha). Apela-se ao genocídio dos muçulmanos com requintes de sadismo. É esta a repugnante face cínica e bárbara do fascismo.
    A divulgação da identidade de quem fez o tal post racista (de racismo “mau”, porque o racismo que aqui impera é do “bom”) visa apenas, e como é hábito, promover a cobarde caça ao homem, típica destas matilhas cobardes de fascistas.
    o Sr. MZ divulgue aqui a sua cara, a sua morada, os seus dados pessoais, já que é tão corajoso!

    Este site deve estar de facto, sob a mira das autoridades, pois a Lei portuguesa não permite a divulgação de ideologias fascistas, racistas, nazis, xenófobas, promotoras da violência e da discriminação sobre religiões, orientações sexuais, etnias, filiações políticas.

  3. E, Sr. anti-antifa (portanto fascista), a expressão sangue bom significa “gente boa”, bom carácter. Que má-fé! E que fixação! Vá a um bom psicólogo, que isso é doença!

  4. Draco diz:

    MAs é um facto! Há pessoas que usam expressões racistas, xenofobas e de incitamento ao ódio. Se essas pessoas pertencem a determinado grupo, cai o Carmo e a Trindade, se essas pessoas pertencem a outro gurpo… está tudo bem, é liberdade de expressão.
    A ver se nos entendemos: qualquer atitude racista ou descriminatória é má. Ponto final paragrafo.
    Não pode haver desculpas para quem profere esse tipo de alarvidades. Seja ele negro ou branco, seja desta ou daquela religião, seja homem seja mulher.
    Já agora, aproveite e vá ler à Constituição da Republica Portuguesa o art.º 13.º
    Cumprimentos e bom fim de semana.

  5. Meu caro Miguel Braga:
    Deixe-me dar-lhe uma novidade: sou licenciado em Direito e já exerci advocacia. Além disso, não sou racista nem xenófobo. Desafio-o a encontrar UMA FRASE, em todos os 1.061 posts do meu blogue, que POSSA SER CLASSIFICADA COMO RACISTA OU XENÓFOBA. Quanto a promover a “caça ao homem”, você critica-me violentamente por, alegadamente, estar a fazer isso. E diga-me lá: para que quer você que eu divulgue a minha a minha cara e a minha morada? Para você e os seus amigos racistas me virem “caçar”?
    E olhe, medo, é coisa que não tenho. Não revelo (ainda, porque lá chegará a altura em que o farei…) a minha identidade, apenas por razões de segurança da minha família. Infelizmente, a Esquerda e os fanáticos racistas como você são capazes de tudo – incluindo exercer retaliações físicas sobre familiares meus que, dada a sua idade (tenra e avançada), são incapazes de se defender. Quanto a mim, sei defender-me sózinho. E se, no futuro, alguém pensar em vir à minha “caça”, dou-lhes já um conselho: é melhor que acertem à primeira, porque não vos darei oportunidade para a segunda.

  6. Pente Quatro diz:

    Andava tudo murcho, mas felizmente o MZ voltou.
    Já podemos rir outra vez.
    Bem hajas!!

  7. Numa breve vista de olhos, antes de ter escrito a mensagem anterior, encontrei casos de fotos de miudagem de pele escura que vocês publicam, chamando-lhes “fauna”. Serão uma tribo urbana que desconheço e que dará pelo nome de “bazófes”, ou coisa que o valha. Provocaram caças ao homem, e tipos com semelhanças físicas terão sido agredidos.
    Depois desafia-me a encontrar uma frase racista ou xenófoba. Mas, meu amigo, será que não se enxerga? É cada tiro cada melro!!! É cada linha cada ofensa, cada instilação de ódio racial ereligioso!
    Num post já antigo, verifiquei que um comentador frequente recomendava que se enfiasse o Alcorão no rabo dos muçulmanos, com álcool e arame farpado.
    Você, num post antigo acerca da Quinta do Mocho (ou outro gueto, não me lembro bem), dizia que “gente dessa nunca se reabilita”. Falava dos “pretos”.
    Mas isto são exemplos pela rama. O cerne da questão é que as suas posições são as de Le Pen & C.a, ou do PNR (V. é o Presidente dessa organização terrorista, não é?).
    Esgrimindo as palavras com precisão cirúrgica de advogado, V. passa claramente a ideia de que há raças inferiores, V. prega o ódio e a disctriminação.
    Chama-me racista a mim? Porque raio? Ora leia acima e veja que condeno o tal post racista anti-brancos. A cor da pele nada significa. Chama-me terrorista de esquerda. Não subverta as coisas; a violência e a perseguição são armas da sua gente, dos fascistas. Eu sou democrata.
    V. quer proteger a sua família, mas lança os cães sobre o tal brasileiro, sobre o tal “basofe”. Onde está a sua coragem afinal?
    Não são os “pretos” nem os muçulmanos que são estúpidos, ou criminosos, ou violentos. É a miséria e a ignorância. Muitas vezes aqui se fala de condicionantes genéticas da violência – isso não é racismo???
    V. manipula os dados e as estatísticas. A violência, o crime, os fundamentalismos, são perpetrados por pessoas de todas as cores de pele e religiões e políticas. V. só vê para um lado. Como aquele que se ofendeu com a expressão “sangue bom”. Vêem coisas que não existem. Se for um branco a roubar é “um ladrão roubou”, se for um preto é “um preto roubou”.

    V. não conhece o povo, não conhece as pessoas e as condições de miséria que levam ao crime – brancos, pretos, amarelos, cor-de-rosa. V. condena milhões de muçulmanos pelas barbaridades de uns poucos líderes fundamentalistas.

    Quando prega contra o multiculturalismo (post antigo) não está a pregar claramente a xenofobia?

    Mostre-se. Eu não lhe faço mal. A violência não é a minha arma. Só em legítima defesa. Mas isso nem se põe, pois estamos no campo do debate. O mínimo que V. devia fazer, ao assumir as posições que assume, era dar a cara mesmo!

    Este site é uma vergonha, meu amigo. Estas ideias não são sãs. São um atentado à dignidade humana e são uma mentira tendenciosa pegada.

  8. Eu por mim até ria. O pior são os meninos que vêm da escola e ouvem insultos racistas inspirados pelo PNR e por pessoas como este MZ (grande marca de motos, mal empregada).

  9. Orlando diz:

    MZ aposto que foste passar ferias no Norte (de Africa) num país Islamico… 🙂

  10. Pente Quatro diz:

    Oh Manuel Braga, atão você chama-lhe, “injustamente”, tudo e mais alguma coisa e, no fim chama-lhe amigo?

    Orlando, diga-me um coisa, estou há meses à espera de dum mail do forum islâmico para lá poder meter a minha colherada e, até hoje, népias. Você sabe como aquilo funciona?

  11. Meu caro Orlando:
    Quase… Mas olhe, você sabe o que é um “link”? São aquelas palavras ou frases que, numa página da Net, aparecem sublinhadas e em cor azul. Se vir bem, no post que fiz sobre as minhas férias há um “link”!!!! Está nesta frase: “Foram umas boas férias, numa praia paradisíaca, gozando da incomparável hospitalidade do povo africano”. Coloque o apontador do rato do computador (aquele aparelho oval com um fio, ligado ao seu computador…) nas palvras “praia paradisíaca” e vai ter a uma página com promoções sobre o sítio onde estive (com uma catrefa de outros portugueses e dúzias de estrangeiros…) a passar férias.

  12. Meu caro Miguel Braga:
    O seu último post é tão bom, tão bom, que merece uma promoção!!! Vou colocá-lo, com alguns comentários e links, como o próximo post do meu blogue! Bem haja, meu amigo!!! Pessoas como você facilitam IMENSO o trabalho de desmascarar a Esquerda racista, xenófoba, intolerante e stalinista.
    Muito obrigado!!
    Máquina Zero
    PS – Brevemente, far-lhe-ei chegar directamente indicações sobre onde e quando nos poderemos encontrar, pessoalmente, e conversar sobre temas em relação aos quais temos opiniões diferenbtes – civilizada e calmamanete, que eu sou democrata e respeitador das leis.

  13. […] de mim o que Mafoma não disse do toucinho: que eu sou racista, xenófobo, etc, etc. Desafiei, aqui, o ser Miguel Braga a encontrar, no meu blogue, UMA frase racista e/ou xenófoba. Resposta do sr. […]

  14. anti-antifa diz:

    “Miguel Braga Says:

    Junho 1st, 2007 at 11:16 am
    E, Sr. anti-antifa (portanto fascista), a expressão sangue bom significa “gente boa”, bom carácter. Que má-fé! E que fixação! Vá a um bom psicólogo, que isso é doença!”

    Na boca de um preto significa isso que disse, na boca de um branco era logo visto como um comentário racista. Não o pode negar. É isso que não entendo nem espero que me explique, porque não há explicação possível a não ser fanatismos pró-minorias.

  15. Vera diz:

    Paranóicos…dediquem-se à pescaaaaa!!!! Livra, que nem à vontade para comentar tanta asneira pegada.
    MZ, desejo-lhe muita paciência, bem vai precisar.

  16. Brasileiro diz:

    Máquina Zero: todos os extremismos são condenáveis, tanto o do Tiago, que parece compartilhar dos mesmos princípios que os negros islâmicos que tentaram se rebelar na Bahia em 1835, com o objectivo de massacrar a população branca e os mulatos; como o Lidador, que na entrada ”786 um muçulmano chocantemente ignorante” me ofendeu várias vezes, insistindo para que eu me suicidasse ”para o bem da humanidade” e por fim, ordenando-me que o fizesse. Não fosse o anti-antifas eu estaria ainda a polemizar com ele. No último post ele escreveu que eu seria um asno ao volante. E tudo isto por que? porque eu não apliquei o conceito da análise sincrônica ao tema da escravidão.

  17. Pente Quatro diz:

    Oh Verinha, enfia-te mas é no buraco.
    E tenta não dar pontapés na gramática.

  18. Lidador diz:

    Ora ora, caro MZ, com que então Bazaruto?

    Passei lá uns dia valentes, há 4 anos, a começar com uma viagem gloriosa de helicoptero directamente do aeroporto de Vilanculos.

    Como é pequeno este mundo….
    Foi ver os crocodilos, claro….naquela lagoa interior…

  19. Stran diz:

    “Na boca de um preto significa isso que disse, na boca de um branco era logo visto como um comentário racista. Não o pode negar. É isso que não entendo nem espero que me explique, porque não há explicação possível a não ser fanatismos pró-minorias.”

    Acho que entendeu errado, na boca de um cidadão normal é uma afirmação normal e cujo significado já foi explicado, na boca de um racista quer dizer, com elevado grau de probabilidade, uma declaração racista, tão simples como isso.

  20. Lidador diz:

    Caro stran, os seus dotes mediúnicos são notáveis…quer então dizer que já sabe que o tipo já é racista antes de falar, logo o que diz apenas confirma que o é.
    Se não falasse, não era racista, pelo que se entende que todo o tipo que falar e disser este tipo de coisas é racista por definição.

    Ou seja, antes de ser já o era….uma espécie nova do gato de Schroedinger.

    Duas questões:
    Como é que você sabe que o tipo era racista antes de falar?
    Quantifique o “elevado grau de probabilidade” que referiu. Aplique se quiser a lei dos grandes números e mostre aqui os valores em que se baseia.

    Nem por um momento me passa pela cabeça que se trate apenas de retórica….

  21. Stran diz:

    Caro Lidador um pouco de gelo para esse seu sangue quente…

    Vá, respire fundo e leia com atenção o que eu disse. Assim sempre evita fazer perguntas não muito inteligentes.

    Racista está naquela frase para definir “uma” pessoa e não “aquela” pessoa. Percebe a diferença? (Se não perceber eu volto a responder-lhe noutro post).

    Outro ponto que é interessante no seu comentário é a dificuldade que deve ter tido na primária em matemática. É que você fez-me questão e não duas.

    Agora se tiver mais calmo, reformule a sua questão e ao seu desafio de forma mais inteligente para merecer uma resposta com alguma seriedade.

  22. E as ameaças de morte à filha do Ricardo Araújo Pereira? Quer comentar?
    E os santinhos que aparecem nas manifestações do PNR? Não são racista! Nãããõ!…

  23. Lidador diz:

    Caro Stran, disse antes que coisas idênticas verbalizadas por um cidadão normal e um racista, não são a mesma coisa.
    Está lá atrás escrito, não pode negar.

    Certamente por puro acaso, o cidadão racista é branco e o normal é preto.

    Todavia eles dizem coisas idênticas…como é que sabemos qual deles é racista, antes de falarem?

    A 2ª questão, tem a ver com a “elevada probabilidade”. POde quantificar?
    Mais de 50 %?
    75%?
    Pode indicar os dados do estudo?

  24. Stran diz:

    Pronto, mais calminho, assim já se pode responder.

    Responda-me só a uma questão, onde é que no meu comentário eu refiro-me que “o cidadão racista é branco e o normal é preto”. Tem de abandonar os dogmas que o racismo é algo de um determinado grupo. Em nenhum sitio do meu comentário eu faço a referência a que o “o cidadão racista é branco e o normal é preto”, isso é algo imaginado na sua mente.

    Quanto à questão da probabilidade, acho que tem intelecto suficiente para chegar à resposta. Espero não me desiludir…

  25. Orlando diz:

    Caro MZ

    Não necesita de me ensinar o que é um link… eu não sou da sua gereção… cresci com computadores… e alem disso sei navegar anonimamente…ou contrário de si.

    Já agora aconselho o da proxima vez a ir passar ferias a um país islamico, talvez assim possa perder os preconceitos que tem com esta relegião… Aliás não sei qual é a razão se existe alguma, que o leva a difamar o Islão dessa maneira, julgo que deve ser um frustação pessoal, porque pelo que parece voce não está assim tao mal informado sobre o Islão, simplesmente finge que não sabe.

    Passe bem

  26. anti-antifa diz:

    Caro Stran, não sei se o Pacman é racista ou não, sei que é uma frase dúbia e que não cai bem. Eu também não ando por aí a dizer que os brancos são de “sangue bom”, isso pode levantar interpretações erradas por parte das pessoas, para além disso e ao contrário do que o Miguel Braga afirmou, nunca vi a expressão “sangue bom” associada a “gente boa”, e parece-me evidente que o Pacman naquele comentário estava a referir-se á raça do escritor africano. Estava a referir-se aos pretos como gente de “sangue bom”, isso para mim é racismo, ponto final. Mas como ele é preto assobia-se para o lado, como toda a gente sabe não existem pretos racistas.

  27. Lidador diz:

    Caro Stran, voltemos ao fio de prumo.

    Você escreveu que “na boca de um cidadão normal é uma afirmação normal” e na “boca de um racista é com elevada probabilidade, uma declaração racista”.

    Exemplificando:

    O Pacman diz que o sangue dele é bom. O Pacman ten traços negróides e orgulha-se da sua negritude.

    O Fulano X diz que o sangue dele é que é bom. O Fulano X é caucasiano e orgulha-se disso.

    Parece-me duas declarações absolutamente equivalentes, de duas pessoas que apenas conheço pelo que acabam de dizer.

    Mas o Stran parece saber mais…nomeadamente que o PacMan é um “cidadão normal”, pelo que só diz coisas normais, e o Fulano X é um “racista”, pelo que diz coisas racistas “com elevado grau de probabilidade”.

    As questões que emergem do seu brilhante raciocínio, ainda não foram respondidas, pelo que lhe peço que deixe de largar fumos e esclareça:

    -Como é que sabe “á priori”, que o Pacman é uma pessoa normal e o Fulano X é racista? Pelo nome? Pela quantidade de melanina? Será que “negróide” é sinónimo de “cidadão normal” e “caucasiano” é “racista” por definição?

    -Que dados tem para afirmar que o que o Fulano X tem “elevada probabilidade” de dizer coisas “racistas”? Conhece-o? Tem um registo de todas as suas declarações? Utilizou a Lei de Laplace ou a dos Grandes Números?

  28. Stran diz:

    Caro Anti-Antifa,

    Não é só o Miguel Braga, eu também digo o mesmo. Esse é o significado dessa expressão, que me habitei a ouvir. A tradução é mesmo de “pessoa boa”. Talvez a falta de convívio com pessoas africanas o faça estranhar esta expressão e o faça ter uma ideia errada do seu significado. Aliás esse é mesmo um dos erros que levam à incompreensão entre culturas diferentes. E para que não tenha dúvidas, na minha opinião, o racismo não tem raça, não é próprio de um determinado grupo de pessoas.

    Caro Lidador,

    Vejo, com alguma tristeza, que de um comentário para o outro, existiu um claro retrocesso na sua capacidade de interpretação. Será a sua vontade exagerada de ter razão que tolda a sua capacidade de interpretação? Sei pelos debates que já tivemos que consegue chegar lá. Só tem de ter calma a ler o que escrevi e não acrescentar mais nada do que está lá dito (se parece que está com dificuldades a interpretar as minhas três linhas, não complique ainda mais o problema acrescentado mais frases ao que tinha dito). E já agora:

    – onde é que eu me refiro ao Pacman directamente?

    – onde é que eu faço referência que o “racista” é caucasiano?

    Parece que vive obcecado com a ideia de que racista tem de ser caucasiano, nunca fiz essa associação e você não a para de fazer.

    Como vê se responder as estas questões consegue facilmente responder às questões que me levanta.

    Quanto à questão das probabilidades ainda é minha convicção que consegue chegar à resposta sem necessitar de muita ajuda (embora as suas questões se esteja a deteriorar de comentário em comentário).

  29. Caro Brasileiro:

    “Todos os extremismos são condenáveis (…)”

    Muito bem dito! Aplaudo!

  30. Caro Orlando:
    Você escreveu, neste comentário:
    “Não necesita de me ensinar o que é um link… eu não sou da sua gereção… cresci com computadores… e alem disso sei navegar anonimamente…ou contrário de si.
    Olhe, eu também sei navegar anónimamente. Basta ir por aqui:
    http://proxify.com/
    http://www.43proxies.com/
    http://www.xs2web.org/
    http://www.proxyservice.de/
    http://freeproxy.ru/en/free_proxy/cgi-proxy.htm
    http://www.squidoo.com/webproxy/
    Mas como EU NÃO UTILZO A INTERNET PARA NADA DE ILEGAL E/OU CRIMINOSO (p.ex., ir a sites pedófilos ou combinar atentados terroristas), EU NÃO NAVEGO NA NET ANONIMAMENTE!!!!
    Além disso, não só já passei férias num país islâmico (a Tunísia), como já trabalhei num país de maioria islâmica (a Guiné-Bissau)

  31. Orlando diz:

    Deve ter sido nessa altura que se converteu ao islão (xiita), como dizem os rumores.

    Gostava de saber que lhe fez derrepente ganhar odio a essa religião

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: